Teoria da contabilidade importante disciplina na formação cultural prof. Dr. Antônio Lopes de Sá – 29/05/2000



Baixar 58.14 Kb.
Encontro03.11.2017
Tamanho58.14 Kb.




TEORIA DA CONTABILIDADE - IMPORTANTE DISCIPLINA NA Formação CULTURAL
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá – 29/05/2000
No presente trabalho apresento as razões de um programa da disciplina Teoria da Contabilidade, sob a ótica cientifica e filosófica dos estudos.

Trata-se de um esforço realizado para oferecer o máximo de conhecimentos em altíssimo nível e de modo a conduzir os alunos a uma noção deveras superior sobre a essência dos fenômenos da riqueza.

Nossa tarefa é eminentemente dedicada à Teoria Cientifica e não se preocupa com aspectos de aplicação particular da disciplina, nem com processos de registros e suas evidências, pois, entendo que esta matéria precisa concentrar-se no campo mais apurado da intelectualidade visando a tratar de fenômenos da riqueza das células sociais.

Segue, por analogia, em muitos de seus aspectos o que também na área das Ciências Jurídicas, nos cursos superiores, também se seguiu, na disciplina de «Introdução à Ciência do Direito».
A RELEVÂNCIA DO ESTUDO TEÓRICO
A teorização é sempre um progresso da razão humana, ou seja, em geral, partindo-se da observação prática, termina-se por chegar a criação de estruturas teóricas.

Todos os conhecimentos humanos dimanaram de observações, raciocínios pertinazes e de uma organização de tudo isto que foi criando uma linguagem própria - a do conceito.

Os conceitos formaram enunciados ou teoremas e estes as Teorias; o conjunto de teorias criou a ciência.

Essa foi uma natural marcha da evolução do pensamento do homem e a Contabilidade, igualmente, seguiu esse mesmo caminho.

Com a teoria alargaram-se os horizontes, ampliaram-se os recursos de entendimentos e o conhecimento progrediu.

A importância do saber teórico está, pois, na compreensão da essência das coisas através de critérios racionais, pois, representa a própria estrutura do corpo da Ciência.



A DISCIPLINA DE TEORIA CONTABIL EM NIVEL SUPERIOR
No curso superior de Contabilidade introduziu-se, recentemente, a cadeira de Teoria da Contabilidade.

Sendo a Contabilidade uma Ciência, a Teoria que se deve ensinar, em um curso que leva, inclusive, tal título, é a Teoria Cientifica da Contabilidade, atada aos rigores de uma Filosofia Cientifica da Contabilidade.

As Teorias cientificas são o próprio esqueleto de um corpo de ciência , dimanando da observação dos fenômenos como ponto de partida e da agregação de teoremas como finalidades.

Tal disciplina entendo, pois, deve ter sua estrutura dividida em partes definidas e abrangente e que compreendam :




  1. História da Cultura Contábil

  2. Teoria dos fenômenos patrimoniais

  3. Teorias Fundamentais em Contabilidade

  4. Teoria Geral do Conhecimento Contábil e

  5. Teoremas Fundamentais em Contabilidade.

A razão lógica dessa seqüência encontra-se na necessidade de formar a cultura, direcionada para a razão dos acontecimentos, buscando, sem duvida a utilidade do conhecimento, mas, com bases puras epistemológicas.

Entendo que a Teoria deva ser um complexo de esforços de raciocínios, dimanados da observação metódica, de abrangência no campo da verdade, sobre as ocorrências dos fatos que tem por objeto estudar; deve, pois, ser um esforço na busca da generalidade; no campo cientifico deve preocupar-se com as essenciais dos fenômenos e as relações que existem na ocorrência dos mesmos; partindo dessas premissas procurei construir o meu modelo de programa para uma disciplina de Teoria da Contabilidade.
HISTÓRIA DA CULTURA CONTÁBIL
A parte de História, do programa da disciplina de Teoria da Contabilidade, deve mostrar como se formou empiricamente o juízo sobre as ocorrências patrimoniais e depois como isto se transformou em matéria cientifica, através das doutrinas, na busca de entender o que os registros informavam.

O mérito dessa introdução está em permitir uma visualização do progresso da razão humana no campo da Contabilidade, a princípio como apenas intuição e memória e depois como estudo de uma lógica de acontecimentos com a riqueza aziendal.

Pareceu-me importante destacar que grande parte de nossa História é a História da Conta, mas que o progresso da cultura levou a entender que tal recurso de registro era apenas a evidência, a informação sobre um acontecimento e não o próprio fenômeno.

Igualmente entendi que era preciso dar destaque a um estudo comparado com a História de outras disciplinas para evidenciar que a Contabilidade viveu do empirismo o mesmo tempo que os demais conhecimentos também viveram não havendo demérito para os contadores tal ocorrência.

O programa deve, pois, em meu entender, abranger os itens seguintes:



  1. - A cultura contábil nas civilizações

  2. - Períodos em que se divide a História da Contabilidade

  3. - O período Intuitivo-Primitivo ou Pré-história da Contabilidade

  4. - O período Racional Mnemônico - Suméria, Egito, Antigüidade Clássica

  5. - O período Logico-Racional - As partidas dobradas e seu nascimento

  6. - O período da Literatura Contábil - Literatura Islâmica e Européia

  7. - O período pré-científico a partir dos fins do século XVI D.C.

  8. - O período Cientifico no Positivismo- França e Itália

  9. - História das Doutrinas Contábeis e sua essência cientifica: Materialismo Substancial, Personalismo, Controlismo, Neocontismo, Reditualismo, Aziendalismo e Patrimonialismo

  10. - O período filosófico-normativo e o futuro do conhecimento contábil

-

Muito importante é que se divida tal programação em História Geral e História das Doutrinas, dando ênfase a esta última, analisando-se o pensamento contábil em cada uma de suas escolas e correntes.

Ao terminar essa parte o aluno deve estar conscientizado sobre a grandeza da cultura contábil, assim como a tradição que ela possui.

A consciência ética entendo, muito depende de uma percepção sob a importância do ramo de saber que se vai professar e que só a Teoria Cientifica pode fornecer, em razão de sua qualidade intelectual.


Teoria do fenômeno patrimonial
Essa segunda parte do programa da disciplina de Teoria da Contabilidade, tem por escopo familiarizar teoricamente, em nível superior, o aluno, com o objeto de estudos da Contabilidade e que é o Fenômeno patrimonial.

Concentra-se o estudo nas relações lógicas que se encontram na formação das ocorrências.

É imprescindível que filosoficamente o aluno entenda a razão dos conceitos que emprega em relação à riqueza das células sociais.

O ensino deve conduzir a uma visão holística, quer do conteúdo, quer dos continentes que encasulam o patrimônio.

Por isto o estudo deve abranger os seguintes itens:


  1. - Situação do objeto de estudos da Contabilidade

  2. - O fenômeno patrimonial e suas Relações Lógicas: Essenciais, Dimensionais e Ambientais

  3. - O método cientifico em Contabilidade

  4. - Autonomia Cientifica da Contabilidade

  5. - A Lógica do Conceito em Contabilidade

  6. - A experimentação no campo da Contabilidade

  7. - Análises de fenômenos e contribuição para a eficácia das células sociais

  8. - Eficácia Aziendal e eficácia Social


Uma orientação filosófica sobre o objeto de estudos e o encaminhamento de tudo pela ótica da eficácia, como satisfação da necessidade aziendal, parece-me ser o caminho adequado para o entendimento pleno de nossas matérias.

Dentro de tal orientação, pois, cada item se coordena, nessa parte.


TEORIAS FUNDAMENTAIS EM CONTABILIDADE
Os fundamentos da Contabilidade, como ciência, situam-se em Teorias que alicerçam as demais; o estudo de tais teorias visa a compreensão sobre os complexos de teoremas em torno dos fenômenos patrimoniais de maior relevância, assim como das relações básicas que existem na vida da riqueza.

No curso de nossa História a relevância do mundo exterior ao aziendal, o mundo aziendal em si, o resultado, o giro, o equilíbrio, o risco, a produtividade, a sobrevivência, formaram núcleos de observações e tiveram como resultado grandes conquistas que enriqueceram nosso saber.

Conhecer, pois, os pontos nevrálgicos da vida patrimonial, dentro da atividade da célula social, através de suas Teorias, parece-me de alta relevância e esta parte admiti fosse desenvolvida nos itens seguintes :


  1. Teoria das Aziendas

  2. - Teoria do Valor Patrimonial Aziendal

  3. - Teoria do Rédito

  4. - Teoria da Dinâmica Circulatória dos Valores

  5. - Teoria do Equilíbrio Patrimonial

  6. - Teoria da Homogeneização

  7. Outras grandes teorias contábeis: Risco, Produtividade, Economicidade etc.

O ensino das teorias deve objetivar uma rigorosa ordem de raciocínios que conduzam o aluno a entender que elas se prestam a todos os casos, a todos os patrimônios, em todas as partes do mundo, pois esse é o escopo de uma Teoria Cientifica quando enfoca fenômenos ou agregados deles.

Admito que o ensino da Teoria deve ser o da visão ampla, holística, completa do campo da ciência, embora preocupado com a utilidade não deve tomar como verdadeiros fatos isolados e nem admitir que o que ocorre nesta ou naquela empresa venha a ocorrer em todas.
TEORIA GERAL DO CONHECIMENTO CONTABIL
Dentro da ótica de meu estudo e das pesquisas que desenvolvi ao longo de meus mais de 50 anos de magistério, construi um corpo de doutrina que me permitiu a visão holística de nosso saber, com todos o formalismo cientifico mais avançado.

A nova visão de um patrimonialismo, a realidade imposta pela abertura dos mercados, os progressos da Informática, a Telemática, a formação de novas ciências, a mudança dos comportamentos sociais, entendo, forçaram novas visões doutrinárias e obrigaram a consolidação do conhecimento para a formação de um corpo de doutrina.

A 4ª parte, pois, de nosso programa compreende os seguintes itens :


  1. - Bases de uma Teoria Geral do Conhecimento Contábil

  2. - O Neo-Patrimonialismo

  3. - Teoria das Funções Sistemáticas do patrimônio das Células Sociais como - Teoria geral e ciência da contabilidade - A formação de um corpo de Doutrina Moderna

  4. - A lógica das relações essenciais

  5. - A lógica das relações dimensionais

  6. - A lógica das relações ambientais



TEOREMAS FUNDAMENTAIS EM CONTABILIDADE
Apresentadas as doutrinas, as teorias tradicionais, a teoria geral do conhecimento, conclui-se o curso de Teoria da Contabilidade com o estudo mais detalhado dos Teoremas, abordando

Fenômenos da mais alta relevância, mas, nesse módulo preocupando-se em evidenciar ao aluno a utilidade do conhecimento teórico no campo experimental.

A velocidade do capital e as necessidades do capital próprio em suas razões inversas, a prosperidade perfeita como decorrência de uma eficácia constante, os limites da capacidade do capital, o grave problema da morte dos ativos em face da obsolescência etc. são alguns dos enunciados científicos que devem ser estudados.

Em vez de «casos empíricos» que são aspectos subjetivos, busca-se, em tal módulo do programa, enunciar verdades de aplicação geral e perene, aplicáveis a quaisquer empresas e instituições, em qualquer tempo e em quaisquer lugares.

O incentivo à análise experimental, todavia, não deve ser excluso pelo simples fato de se abandonar a metodologia de casos particulares e que em meu modo de ver mais se adaptam a disciplinas não preocupadas com as Teorias.

Com essa agregação de verdades que os teoremas encerram e uma objetivação para a área experimental, encerra-se a tarefa do ensino da Teoria da Contabilidade, tal como o imaginamos e com nítida distinção entre a parte normativa e aquela cientifica.




  1. - A significação dos Teoremas em razão dos Modelos em Contabilidade

  2. - Teoremas e leis

  3. - Teorema da rotação dos meios patrimoniais

  4. - Teorema da Prosperidade Perfeita

  5. - Teorema do Limite Funcional dos Meios Patrimoniais e Teorias Matriciais

  6. - Teorema do Declínio da Intensidade Funcional dos Meios patrimoniais

  7. - Teorema da Elasticidade Patrimonial e da Obsolescência Crescente

  8. - Teorema da Expressão Quantitativa Relativa dos Meios Patrimoniais

  9. - Teorema da Inadequação entre Massa e Função Patrimonial

  10. - Teorema do Resíduo Patrimonial Ineficaz



METODOLOGIA DA TEORIA DA CONTABILIDADE
A disciplina é ministrada com o objetivo de conduzir ao nível de saber raciocinar em Contabilidade, buscando instrumentar os alunos no sentido de que tenham todos os elementos para explicar e interpretar os fenômenos da riqueza das células sociais.

Para tanto parte-se dos ensinamentos históricos, no sentido de acompanhar-se toda a evolução do pensamento contábil, iniciando-se pela fase pre-empírica, empírica, pré-científica, cientifica e introduzindo-se, com ênfase à área da filosofia da ciência da Contabilidade.

Sumariando-se pode-se afirmar que a matéria tem como bases as História e Filosofia da Contabilidade, aprofundando-se nas matérias conceituais e tudo objetivando na exposição dos Teoremas para a Aplicação futura do conhecimento.

Tal critério é conduzido para a formação cultural cientifica e filosófica, com plenas bases do domínio de tudo o que possa ocorrer em matéria de ensinamentos na área contábil.

Desperta-se o espírito de indagação e reflexão que alimentam a pesquisa cientifica.

A metodologia visa a oferecer meios para uma integral compreensão da cultura contábil, não só dentro dos padrões da modernidade, mas, de uma forma ampla que partindo do conhecimento do passado e a da cognição dos recursos presentes, possa ensejar uma visão do futuro.

Não se limitando a uma só escola, a uma só cultura, com visão monocular, entendo deva abranger-se, com sentido crítico, todas as correntes de pensamentos através do conhecimento da História das Doutrinas.

Deve-se colimar, também, o escopo de mostrar a utilidade da Teoria como instrumento de solução dos casos da vida prática, pelo seu valor de generalidade.

A Teoria da Contabilidade, pois, que objetivamos com o nosso programa é uma Teoria Cientifica fundamentada em bases da filosofia da ciência e dos conhecimentos históricos que ajudam a compreender o curso do pensamento contábil.
BIBLIOGRAFIA
BENAU, Maria Antonia Garcia - Relación entre teoria y práctica contable, in Boletim AECA nº 40, Madri, fevereiro-junho de 1996

BORRÓN, Juan Carlos Garcia - A Filosofia e as ciências, métodos e processos, editora Teorema, Lisboa, 1987

BRANDÃO, Carlos Rodrigues - O que é a educação, 5A. edição, editora Brasiliense, São Paulo, 1982

CAVAILLÉS, Jean - Sur la logique et la theorie de la science, edição Presses Universitaires, Paris, 1947

CHEININE, I. - L’intelect intégré, Editions Preogrés, Moscou, 1982

FALK, Haim e DEFEO Victor J. - Accounting Research and its contributions, in Asia-Pacific Jornal of Accounting, volume 3, numero 1, Hong Kong, Junho de 1996

GALASSI, Giuseppe - Sistemi contabili assiomatici e sistemi teorici deduttivi, edição Patron, Bolonha, 1978

GIL, Jorge Manuel - Metodos pedagogicos : su reformulación para la Universidad actual, III Congresso Latino-Americano de Pesquisas Contábeis, edição Universidad Central, Bogotá, 1988

GRAWITZ, Madeleine - Méthodes des sciences sociales, 4A.edição, Dalloz, Paris, 1979

GUSDORF, Georges - Da História das Ciências à História do Pensamento, edição Pensamento, Lisboa, 1988

MARDEN, Orison Swet - A escolha da profissão, Livraria Figueirinha, Porto, s.m.d.

MARION, José Carlos e IUDICIBUS, Sérgio de - A disciplina “Teoria da Contabilidade” nos cursos de graduação, Algumas considerações, Revista do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo, no. 0, São Paulo, 1996

MARTINEZ, Vicente Pina - El marco conceptual: una evaluación - I Jornadas de Trabajo sobre Teoria de la Contabilidad, edição da Associação Espanhola de professores Universitários de Contabilidade, Málaga, 1995

MASI, Vincenzo - Filosofia della Ragioneria, edição Tamari, Bolonha, 1961

MATTESSICH, Richard - Academic Research in Accounting, the last 50 years, in Asia-Pacific Journal of Accounting, volume 3, n# 1 , Hong Kong, junho de 1996

MOLES, A. - A criação cientifica, editora Perspectiva, São Paulo, 1981

NÉRICI, Imideo G. - Metodologia do Ensino, editora Atlas, São Paulo, 1981

POISL, Erly Arno - A Contabilidade como doutrina cientifica, edição do autor, Porto Alegre, 1996

RODRIGUES, Alberto Almada - História da profissão contábil r das instituições de ensino, profissionais e culturais da Ciência Contábil no Brasil, Revista Paulista de Contabilidade no. 469, São Paulo, 1986

SÁ, Antônio Lopes de - Teoria do Capital das Empresas, Fundação Getúlio Vargas, Rio de janeiro, 1965

SÁ, Antônio Lopes de - Teoria da Contabilidade Superior, edição IPAT-UNA, Belo Horizonte, 1994

SÁ, Antônio Lopes de - Teoria Geral do Conhecimento Contábil, edição IPAT-UNA, Belo Horizonte, 1992

SANTOS, Theobaldo Miranda - Noções de Filosofia da Educação, 4ª edição, Cia. Editora Nacional, São Paulo, 1951

SILVA, F.V. Gonçalves da - Doutrinas Contabilisticas, edição Centro Gráfico de Famalicão, 1959

TUA PEREDA, Jorge - La investigación empirica en Contabilidad - La hipótese de eficiencia del mercado, edição ICAC, Madri, 1991

VLAEMMINCK, Joseph H. - Historia y Doctrinas de la Contabilidad, versão espanhola de José Maria Gonzalez Ferrando, edição EJES, Madrid, 1961



Watanabe, Ippo - A profissão contábil no Brasil, Revista do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo, no. 0, São Paulo, 1996
Catálogo: wp-content -> uploads -> 2012
2012 -> Fapesp e inpe promovem workshop para discutir relatório do ipcc sobre Riscos de Extremos Climáticos e Desastres nas Américas do Sul e Central
2012 -> Anima Mea Concerto no Convento Corpus Christi, 14junho2015
2012 -> CÂmara municipal de sapopema estado do paraná cnpj: 77. 774. 487/0001-94 Av. Manoel Ribas, 520, cep – 84. 294-000 Fone/Fax (43) 3548-1258
2012 -> Agenda do presidente do Ibram, Angelo Oswaldo de Araújo Santos 30 de dezembro de 2014
2012 -> 30 de setembro de 2014 10h: Reunião de Diretoria. Local: Ibram 29 de setembro de 2014
2012 -> Decreto 4905 06 de Junho de 2012 Publicado no Diário Oficial nº. 8729 de 6 de Junho de 2012
2012 -> Issn 2316-5804 S. I. Nforme revista de Tecnologia da Informação do Curso de Sistemas de Informação Faculdade Escritor Osman da Costa Lins facol vitória de Santo Antão, pe – ano 1, Nº. 1 – dez. 2012 S. I. nforme
2012 -> Editora: Record Matilde
2012 -> Cinco minutos com jesus

Baixar 58.14 Kb.

Compartilhe com seus amigos:




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
Dispõe sobre
reunião ordinária
Serviço público
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Relatório técnico
Universidade estadual
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
espírito santo
pregão eletrônico
Curriculum vitae
Sequência didática
Quarta feira
prefeito municipal
distrito federal
conselho municipal
língua portuguesa
nossa senhora
educaçÃo secretaria
segunda feira
Pregão presencial
recursos humanos
Terça feira
educaçÃO ciência
agricultura familiar