Série de ficço mais lida no mundo, Deixados Para Trás vendeu mais de 70 milhões de livros e foi traduzida



Baixar 1.16 Mb.
Página23/26
Encontro03.11.2017
Tamanho1.16 Mb.
#37560
1   ...   18   19   20   21   22   23   24   25   26

óbvio para nós que também temos o dever de partir para a guerra.”

"Finalmente, meus irmãos, faço minhas as palavras do apóstolo Paulo: '...sede fortalecidos

no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para

poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo; porque a nossa luta não é contra o

sangue e a carne, e, sim, contra os principados e potestades, contra os dominadores

deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.

"'Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau, e,

depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis. Estai, pois, firmes, cingindo-vos

com a verdade, e vestindo-vos da couraça da justiça. Calçai os pés com a preparação do

evangelho da paz; embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos

151

os dardos inflamados do maligno.”



"'Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus;

com toda oraço e súplica, orando em todo tempo no Espírito, e para isto vigiando com

toda perseverança e súplica por todos os santos, e também Por mim; para que me seja

dada, no abrir de minha boca, a palavra, para com intrepidez fazer conhecido o mistério

do evangelho.”

"Aguardando ansiosamente nosso próximo encontro por meio deste milagre da tecnologia

que o Senhor usou para edificar uma igreja poderosa, mesmo diante de tantas condições

desfavoráveis, despeço-me como servo de todos vocês e dele. Tsion Ben-Judá."

Buck teve a certeza de que Jacov, Hannelore e Stefan haviam fortalecido sua fé no Senhor

no momento em que eles manifestaram o desejo de mudar-se para a propriedade de

Rosenzweig a fim de cuidar de Chaim e Jonas durante vários meses. Eles levaram consigo

a mãe de Hannelore, que aceitara Cristo no primeiro dia do ataque dos gafanhotos.

Apesar do sofrimento, ela lia e estudava a Bíblia, orava e insistia com Chaim e Jonas para

que eles também aceitassem Cristo. Jonas aceitou, mas Chaim continuou irredutível.

Diante da impossibilidade de encontrar um vôo comercial com tripulação completa, Buck

começou a procurar freneticamente entre os crentes alguém que pudesse levá-lo de avião

aos Estados Unidos para o nascimento de seu filho. No auge do desespero, ele fez uma

ligaço para Mac na Nova Babilônia, mas não conseguiu completá-la. Resolveu, então,

enviar-lhe um e-mail em código. Uma hora depois, recebeu uma longa resposta.

Continuo aguardando o momento de conhecê-lo, Williams. Seu sogro me contou tudo

sobre você, mas, não se preocupe, não acreditei em uma só palavra.

O que você está achando deste sistema de e-mail que David desenvolveu para mim? Ele o

cercou de todas as proteçes e garantias imagináveis. Se alguém se aproximasse de mim

neste momento, não seria capaz de ler o que acabei de escrever.

Estou entendendo que você precisa encontrar um vôo para retornar aos Estados Unidos.

Tente Abdullah Smith, na Jordânia. O nome parece estranho, mas ele tem motivos para

ser chamado desta maneira. E ele é crente. Se você mencionar meu nome, ele cobrará o

dobro (é brincadeira). Ele vai fazer o que puder para ajudá-lo.

Vou enviar uma cópia desta mensagem para seu pessoal. Assim eles saberão o que está

se passando. David Hassid e eu tivemos de simular ferroadas de gafanhotos no corpo para

que ninguém desconfiasse de nós. Descobrimos vários outros crentes ocultos por aqui.

Carpathia e Leon estão isolados em um abrigo radiativo que tem servido para manter os

gafanhotos afastados. Porém, quase todos aqui, inclusive os dez reis e até mesmo Peter

Segundo, foram atacados e estão sofrendo muito. Quando você vir Carpathia aparecer nos

telejornais com um gafanhoto pousado em seu ombro, como se fosse um animal de

estimaço, e dizendo ao mundo inteiro que as histórias sobre ferroadas e mordidas são

exageradas, não acredite. Trata-se de um truque fotográfico. É claro que os gafanhotos

verdadeiros não morderiam Nicolae nem Leon por motivos óbvios.

Nós, os crentes daqui, conseguimos fingir que estamos nos recuperando mais rápido, para

não termos de ficar na enfermaria o dia inteiro ouvindo a agonia dos outros. Carpathia me

encarregou de algumas missões de caridade, Para levar ajuda a alguns dos reis que estão

em agonia. Mas ele não sabe que David conseguiu passar a mão ern algumas remessas

clandestinas de literatura - cópias os estudos de Tsion em vários idiomas - e lotou o

compartimento de cargas do Condor 216 com esse material. Quando pouso em qualquer

lugar do mundo, os crentes descarregam a literatura e fazem a distribuiço.

Leon ficou furioso quando soube que toda essa literatura cristã está se espalhando pelo

mundo. Peter Segundo também. Espero que um dia eles saibam como ela foi

transportada. Mas por enquanto não. Ore por nós. Somos os olhos e os ouvidos dos

crentes aqui na Nova Babilônia e procuramos fazer o possível, mas estamos correndo

riscos. Os subversivos são punidos com a morte. Dois assessores de Peter Mathews foram

executados por terem mencionado ao pessoal da Comunidade Global algo que Peter

152


considerava assunto particular. Carpathia ficou sabendo das execuções e enviou-lhe uma

nota de congratulações. É claro que Peter está no topo da lista das próximas vítimas de

Nicolae, ou na de Leon, com certeza. Leon acredita que não há motivos para existir outra

religião, porque ele tem Sua Excelência o potentado para adorar.

Estou dizendo isto com ironia, mas Leon está seguindo à risca essa sua idolatria. David

estava na sala quando Leon sugeriu que fosse aprovada uma lei obrigando todas as

pessoas a se curvarem na presença de Nicolae. Se essa lei vingar, será o meu fim.

Os crentes daqui não podem conversar entre si para não levantar suspeitas, mas damos

força uns aos outros de maneiras sutis. Felizmente, David foi promovido a uma posição

que exige que ele trabalhe bem próximo ao piloto sênior (este seu criado). Daqui em

diante, vamos poder conversar bastante. Adoramos a idéia do falecido Ken Ritz de

organizar uma cooperativa de mercadorias para os crentes, e achamos que sua esposa

seria uma excelente diretora-executiva. Você deve saber quem será o concorrente direto

dela. A partir de agora, Carpathia passou a tomar conta pessoalmente (é verdade) do

comércio global. É o que estão dizendo por aqui. Ele quer ter aqueles dez reis no bolso,

não é verdade?

Sabe de uma coisa, Williams? Alguns dias atrás, antes do ataque dos gafanhotos, ouvi

uma conversa no Condor que provou um dos argumentos do Dr. Ben-Judá. Você se lembra

que ele escreveu que este período, além de ser uma guerra entre o bem e o mal, seria

também uma guerra entre o mal e o mal? Acho que ele quis dizer que devíamos amar uns

aos outros para que a crise não provocasse disputas em nosso meio entre o bem e o bem.

Mathews, o Santo Nick e Leon, o bajulador de Sua Excelência, estão a bordo do Condor

216. (Finalmente consegui descobrir por que Carpathia tem obsessão por este número.

Bem, na verdade foi David que me contou. Ele achou que todos nós sabíamos. Deixo a

charada para você decifrar esta semana.)

Voltando ao assunto do avião, o velho Mathews está pressionando Carpathia, exigindo isto

e mais aquilo e pedindo maior participação nos impostos por tudo o que a maravilhosa Fé

Mundial Enigma Babilônia vai fazer pela Comunidade Global. Nicolae está concordando com

ele só para deixá-lo mais calminho. Quando Mathews foi ao banheiro, Nicolae disse a

Fortunato: "Se você não cuidar dele, cuidarei disso sozinho."

Leon respondeu com toda a presteza: "Ele já deixou de ser útil, e estou tratando do

assunto."

Bem, eu não queria me alongar tanto, mas, com toda esta aflição por aqui, tenho ficado

muito tempo sozinho.

Desejo que tudo corra bem com o bebê. Vamos orar para que você volte para casa a

tempo e que a mamãe possa voltar logo ao trabalho e ensinar você a ser papai. Envie

minhas saudações a todos. Em nome de Cristo, Mac M.

Sofrendo a perda de Ken Ritz e sentindo falta de conversar com Mac McCullum, Rayford

resolveu dedicar seu tempo livre para conhecer melhor T. M. Delanty. O episódio do selo

falsificado na testa de Ernie não lhe saía da mente. Enquanto Ernie e o irreprimível Bo

estavam internados no Arthur Young Memorial Hospital, em Palatine, Rayford fez várias

viagens ao aeroporto de Palwaukee para vasculhar os pertences de Ken. Vez por outra,

encontrava-se com T.

Eles contaram suas histórias um ao outro, e Rayford teve a certeza de que já o

considerava um amigo quando teve coragem de perguntar:

- O que significam as iniciais T. M.? T lançou-lhe um olhar de censura.

Se eu quisesse que todos soubessem, não usaria o recurso das iniciais.

Desculpe-me. Eu só queria saber por que você gosta de ser chamado de T.

Meu primeiro nome é horroroso, o que mais posso lhe dizer? Minha mãe era afo-mericana,

e meu pai, scocês-irlandês. Ela me deu esse nome por causa de um professor.

Tyrola talvez fosse um sobrenome razoável, mas, se alguém o chamasse assim, o que você

faria?


153

Iria embora da cidade, T. Peço desculpa por ter perguntado. E o segundo nome? Não seria

uma opço?

Mark.


Rayford encolheu os ombros.

- O que há de errado com esse nome?

- Nada, só que eu não tenho cara de Mark. Sou forçado a admitir que tenho cara de T.

Tyrola Mark Delanty foi o único membro de sua pequenina igreja a ser deixado para trás no

Arrebatamento.

- Pensei em me matar - ele disse. - Sofri muito até o dia em que me acertei com Deus. Eu

era casado havia 14 anos. Perdi minha esposa, seis filhos pequenos, todos os parentes,

cmigos, o pessoal da igreja, tudo.

Rayford perguntou-lhe com quem ele convivia agora.

- Há mais ou menos 30 crentes no bairro onde moro. O número está aumentando. Bairro

não é a palavra certa, é claro. Estamos todos morando em casas que já não valem nada.

Como não chegaram a desmoronar completamente, há algum espaço para a gente viver.

Após mais alguns encontros, Rayford e T finalmente resolveram abordar os assuntos

relativos a Ken, Palwaukee, Bo e Ernie. Rayford ficou sabendo que T era o dono principal do

aeroporto que pertencera ao condado. Ele o adquiriu dois anos antes do Arrebatamento.

- Não ganhei muito dinheiro com o aeroporto. A margem de lucro era pequena, mas

estava melhorando. Ken e vários outros pilotos faziam vôos regulares partindo daqui.

Conforme você sabe, Ken morou aqui até o dia do terremoto. Dali em diante, ele passou a

morar com vocês.

Bo era filho único de um investidor abastado que possuía 5% do negócio. O pai de Bo

morreu em um acidente de carro quando o Arrebatamento levou os motoristas dos

veículos que estavam na frente e atrás dele.

- Logo em seguida ao caos, Bo apareceu aqui como o único herdeiro, querendo mandar em

tudo. Eu contornei a situação ate o dia em que ele trouxe Ernie para cá. A princípio, era

contra. Ernie era um rapaz de 19 anos que abandonou a escola quando tinha 14, mas

tinha a fama de ser bom mecânico. Bem, o resto você já sabe. E ele me ajudou muito

aqui. Eu só atinei que Ernie e Bo tinham um esquema montado no dia do ataque dos

gafanhotos.

- Por que eles queriam que Ernie se infiltrasse em nosso grupo?

- Corria o boato que Ken tinha muito dinheiro. Acho que Ernie estava tentando ganhar a

simpatia dele. Ernie e Bo fizeram alguma malandragem para tentar tirar dinheiro dele.

Quando Ken morreu, eles ficaram eufóricos. E você viu o resultado de todo aquele esforço.

Rayford analisava T, imaginando se devia perguntar o que ele achava dos boatos sobre o

dinheiro de Ken, mas resolveu adiar a pergunta. Nesse ínterim, T matou a curiosidade de

Rayford.

Os boatos eram verdadeiros, você sabe.

A bem da verdade, sei - disse Rayford. - E você? Como ficou sabendo?

Ken queria comprar o aeroporto, e eu queria vendê-lo. Sempre tive vontade de vendê-lo,

mas, quando ele demonstrou interesse, eu tinha um motivo mais forte. A reconstruço do

aeroporto após o terremoto deixou-me de bolsos vazios, e eu estava precisando de

dinheiro. Queria destinar uma verba à nossa pequenina congregaço para ver se

poderíamos ser úteis a Deus nos poucos anos que ainda nos restavam. Perguntei a Ken

se ele tinha todo o dinheiro para comprar o aeroporto, e ele me assegurou que sim.

- Ele chegou a dizer onde o guardava? T sorriu.

Nós dois estamos apalpando o terreno, não é verdade? Continuamos a brincar de gato e

rato.


Era só uma curiosidade - disse Rayford.

Entendo. Acho que é melhor tratarmos logo do assunto.

O que você acha que deve ser feito com os bens de Ken, T?

_ Devem ser usados para Deus. Até o último centavo. Era o que ele queria.

154

Concordo. Será que o dinheiro pertence a alguém mais? Legalmente, quero dizer.



Não.

E você tem acesso a ele?

Você está querendo me ajudar a cavar, Rayford?

Não sei. O que você tem em mente?

Se Ken não lhe disse que você poderia ficar com as coisas dele, creio que elas me

pertencem. Foram deixadas em minha propriedade. Não sei onde, e nem sei qual é o

valor. Mas quero pegar tudo antes que Bo e Ernie se recuperem.

Sua pequenina congregaço vai precisar de todo este dinheiro?

Conforme eu lhe disse, queremos fazer alguma coisa significativa. Não vamos construir um

templo nem reformar nossas casas.

Você tem idéia de quanto dinheiro está em jogo? - perguntou Rayford.

Talvez mais de um milhão de dólares.

E se eu lhe disser que essa quantia deve ser cinco vezes maior?

Você está negociando, Rayford? Quer uma parte? Acha que tem direito?

Rayford sacudiu a cabeça.

Eu gostaria de poder comprar os aviões dele. Não estou reivindicando dinheiro ou qualquer

outra coisa.

Preste atenção no que vou lhe dizer, Rayford. Se houver metade do dinheiro que você

mencionou, eu lhe darei os aviões de presente.

Quanto você quer pelo Gulfstreaml

Repito, se houver tanto dinheiro como você diz, poderá ficar com ele também.

E vou poder fazer decolagens deste aeroporto?

Se você quiser, poderá guardá-los aqui e viver aqui ao lado deles.

Você autorizaria um jordaniano a pousar aqui nestas 24 horas para trazer meu genro, sem

fazer nenhuma pergunta?

Claro, irmão.

Rayford contou-lhe sobre o plano da criaço de uma cooperativa de mercadorias entre os

crentes, coordenada diretamente da casa secreta do Comando Tribulaço.

Você teria algum interesse em trabalhar conosco, fazendo entregas, cuidando de vôos

fretados, este tipo de coisa?

Agora comecei a ficar empolgado - disse T. - Acho que meu pequeno grupo de crentes

também ficará.

Buck encontrou-se com Abdullah Smith em um café ao ar livre dirigido por uma moça que

estava perto de recuperar-se do ataque dos gafanhotos. Buck nunca conhecera uma

pessoa tão calada e discreta. Mas ele estampava o selo na testa, e seu aspecto era

saudável. Apesar de ser um homem de poucas palavras, Abdullah abraçou Buck com

força.

- O nome McCullum basta para mim. Somos irmãos, nós três. Eu vôo. Você paga. Só isso.



E a conversa terminou ali. Pelo menos para Abdullah. Buck lhe contou que precisava fazer

uma visita a um amigo antes de partir e que o encontraria no aeroporto de Amã às 18

horas daquele dia.

- Eu gostaria de fazer uma escala no norte da Grécia e depois voar direto para a região de

Chicago.

Abdullah assentiu com a cabeça.

As ruas de Jerusalém estavam quase desertas. Buck ainda não se habituara a ouvir o

choro e os gemidos que vinham de cada canto da cidade. Parecia que havia muitas

pessoas sofrendo em uma mesma casa. Ele ficou sabendo que milhares de pessoas em

Jerusalém cortaram os pulsos, tentaram enforcar-se, tomaram veneno, colocaram a

cabeça dentro de fornos a gás, vestiram a cabeça com sacos plásticos, fecharam-se

dentro de garagens com o motor do carro funcionando, atiraram-se na frente de trens e

saltaram de prédios. Todos se machucaram gravemente, e alguns ficaram com a

155


aparência horrível. Mas ninguém morreu. As tentativas de suicídio só serviram para

aumentar sua aflição.

Ao chegar à casa de Rosenzweig, Buck notou que a situação estava mais calma. Jacov lhe

contou que Chaim não estava comendo nada - nada mesmo - havia mais de uma

semana. Ele queria morrer de fome ou chegar ao ponto de uma desidratação fatal. Seu

aspecto era medonho - magro, debilitado e abatido.

Jonas e a sogra de Jacov demonstravam ser mais corajosos. Apesar do visível sofrimento,

eles faziam o possível para sobreviver. Dormiam, comiam, levantavam-se da cama e

caminhavam. Também tomavam medicamentos, embora não fizessem efeito. O principal

era tentar alguma coisa. Ambos aguardavam ansiosos o dia em que ficariam livres dos

efeitos das ferroadas dos gafanhotos. Jonas, principalmente, parecia empolgado como

uma criança para estudar a Bíblia com Jacov e ler as mensagens diárias de Tsion Ben-Judá

pela Internet.

Chaim só queria morrer. Sentado ao lado dele, Buck ouvia os gritos de agonia do ancião.

Tenho dores em todas as partes do corpo, Cameron. Se você se importasse um pouco

comigo, me livraria deste sofrimento. Tenha piedade. Faça a coisa certa. Deus o perdoará.

Você está me pedindo o impossível. De qualquer forma, eu não faria isso. Eu não me

perdoaria se não lhe desse a oportunidade de converter-se.

Deixe-me morrer!

Chaim, eu não entendo você. Não entendo mesmo. Você conhece a verdade. Seu

sofrimento vai terminar dentro de algumas semanas e...

Eu não vou viver por tanto tempo!

... você vai ter um propósito de vida.

Chaim silenciou e ficou imóvel por um bom tempo, como se estivesse protegido sob o

manto da paz. Mas não estava.

Para lhe dizer a verdade, meu jovem, eu também não me entendo. Confesso que quero

me aproximar de Cristo. Mas há um enorme conflito dentro de mim, e eu não posso.

Você pode!

Não posso!

O problema não é poder, não é mesmo, doutor? Chaim sacudiu a cabeça desoladamente.

Não vou conseguir.

E você continua negando minha acusaço de que se afasta de Deus por causa de seu

orgulho.

Agora estou admitindo! É orgulho! Mas ele existe e é verdadeiro. Um homem não pode

transformar-se naquilo que não é.

É aí que você se engana, Chaim! Paulo, que foi um judeu ortodoxo, escreveu: "Se alguém

está em Cristo, é nova criatura: as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas."

Chaim se contorceu de dor durante alguns minutos, mas não retrucou. Para Buck, aquilo

já era algum progresso.

Chaim? - ele o chamou suavemente.

Deixe-me em paz, Cameron!

Continuarei orando por você.

Será perda de tempo.

Jamais. Eu gosto muito de você, Chaim. Todos nós gostamos. E Deus o ama.

Se Deus me amasse, me deixaria morrer.

Não enquanto você não pertencer a Ele.

Isso nunca vai acontecer.

Suas últimas palavras vão ficar famosas. Adeus, meu amigo.

Espero vê-lo novamente.

156


DEZENOVE

RAYFORD amava muito sua filha. Sempre a amou. Não porque ela era agora o único

membro que restara de sua família. Ele também amara Raymie e ainda sofria a falta dele.

Perder duas esposas em menos de três anos havia sido um golpe muito grande, e ele sabia

que seu sofrimento só terminaria quando Jesus voltasse.

Seu relacionamento com Chloe sempre foi especial. Era verdade que eles tiveram

momentos de desavença quando a filha se afastou da família para tornar-se uma mulher

independente. Chloe era muito parecida com ele nas atitudes.

No início, foi difícil para ela acreditar que Deus estivesse por trás dos desaparecimentos.

Lisonjeado pelo fato de Chloe ser parecida com ele e, ao mesmo tempo, temeroso de que

sua natureza prática pudesse afastá-la de Cristo, Rayford havia sofrido muito por causa

dela. O dia mais feliz de sua vida - exceto quando ele próprio se converteu - foi quando

Chloe decidiu aceitar Cristo.

Rayford ficou emocionado quando ela e Buck se casaram, apesar de haver uma diferença

de dez anos entre os dois. Ficou sem fala no dia em que Chloe lhe contou que estava

grávida e que ele seria avô, sabendo que lhe restavam apenas pouco menos de cinco

anos aqui na terra.

Ao ver Chloe em estado avançado de gravidez, ele voltou no tempo. Lembrou-se de

Irene, que, apesar de ter atravessado períodos difíceis na gravidez, parecia cada vez mais

radiante à medida que seu corpo se avolumava. Ele lera todos os livros sobre o assunto,

sabia o que poderia acontecer. Irene não acreditava no marido quando ele dizia que ela

ficava mais linda à medida que a gravidez avançava.

Ela dizia as mesmas coisas que Chloe dizia agora - que se sentia como uma elefanta, uma

baleia. Detestava o inchaço nas articulações, a dor nas costas, a respiraço curta, a

dificuldade para movimentar-se.

- Até certo ponto, estou feliz pelo fato de Buck não ter conseguido sair de Israel - disse

Chloe. - Isto é, quero que ele volte, mas ele vai ver que estou o dobro do que eu era.

Rayford aproveitou a ocasião para conversar com a filha.

Querida - ele disse -, peço que me ouça. Talvez não seja correto dizer que você está

reclamando muito. Sei que você é mais do que uma simples máquina procriadora e que

tem coisas incríveis para oferecer a este mundo. Você foi corajosa antes mesmo do

Arrebatamento, mas, desde então, tem sido um soldado valente. Você vai salvar a vida de

milhões de crentes com essa cooperativa de mercadorias. Antes, porém, você precisa me

fazer um favor. Pare de lamentar o que a gravidez está fazendo com o seu corpo.

Eu sei, papai - ela disse. - Mas é que estou tão...

Linda. Absolutamente linda.

Rayford disse aquelas palavras com tal sentimento que ela resolveu calar-se. Chloe estava

diferente, é claro. Faltando apenas algumas semanas para o parto, ela estava com o rosto

redondo e o corpo pesado. Mas, para ele, Chloe era ainda uma garotinha, curiosa e cheia

de vida.

- Estou frustrado por Buck não poder vê-la neste momento. Não me olhe assim. Falo sério.

Ele vai achar você linda e atraente, pode acreditar. Você não é a primeira futura mamãe

que ganha excesso de peso durante a gravidez. Os maridos não pensam assim. Ele vai

vê-la da mesma maneira que eu via sua mãe quando carregava você no ventre. Vai ficar

emocionado ao ver que você está carregando o filho dele no ventre. Chloe estava



Baixar 1.16 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   18   19   20   21   22   23   24   25   26




©bemvin.org 2022
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino médio
ensino fundamental
concurso público
catarina município
Serviço público
Dispõe sobre
reunião ordinária
câmara municipal
público federal
processo licitatório
Processo seletivo
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Universidade estadual
Relatório técnico
técnico científico
Conselho municipal
direitos humanos
Curriculum vitae
científico período
espírito santo
língua portuguesa
pregão eletrônico
Sequência didática
distrito federal
Quarta feira
conselho municipal
prefeito municipal
educaçÃo secretaria
nossa senhora
segunda feira
Pregão presencial
educaçÃO ciência
Terça feira
agricultura familiar
recursos humanos