Rotaryngation as a tool for success in a company of great porte in the frigorific strip



Baixar 382.86 Kb.
Encontro29.10.2017
Tamanho382.86 Kb.



A ROTEIRIZAÇÃO COMO FERRAMENTA PARA O SUCESSO EM UMA EMPRESA DE GRANDE PORTE NO RAMO FRIGORÍFICO
ROTARYNGATION AS A TOOL FOR SUCCESS IN A COMPANY OF GREAT PORTE IN THE FRIGORIFIC STRIP
Dr. Eduardo Teraoka Tófoli – UniSALESIANO Lins –

eduardotofoli@unisalesiano,edu.br

Me. Irso Tófoli – UniSALESIANO Lins –

irsotofoli@uol.com.br




RESUMO
Diante das mudanças mercadológicas, a logística de transporte está ganhando um importante papel nas empresas, buscando atender com maior rapidez e confiança seus clientes, utilizando eficientemente seus canais de distribuição, buscando uma maior pontualidade nas entregas. Os serviços de transporte têm recebido uma atenção especial devido aos impactos que produzem nos custos logísticos e uma das ferramentas utilizadas pelas empresas, são os sistemas de roteirização. Com isso, o objetivo desse trabalho foi verificar a importância do sistema de roteirização para o sucesso de uma empresa de grande porte do ramo frigorífico. Para atingir esse objetivo foi realizado um estudo bibliográfico, através de livros e artigos e uma pesquisa de campo em uma empresa de grande porte que opera com distribuição de carnes do ramo de frigorífico. Com o emprego de softwares de roteirização a empresas busca alcançar maior nível de eficiência operacional no planejamento e na execução das rotas, otimizando sua frota, tempo, satisfação do cliente e buscando redução de custos no processo logístico.
Palavras-chave: Logística. Roteirização. Transporte rodoviário. Software de roteirização.

ABSTRACT
In the face of market changes, transportation logistics is gaining an important role in companies, seeking to respond more quickly and reliably to their customers, efficiently using their distribution channels, seeking greater punctuality in deliveries. Transport services have received special attention due to the impacts they produce on logistics costs and one of the tools used by companies is the routing system. With this, the objective of this work was to verify the importance of the routing system for the success of a large company of the refrigeration branch. To reach this objective, a bibliographic study was carried out through books and articles and a field research in a large company that operates with distribution of meats from the refrigerator branch. With the use of routing software, the company seeks to achieve a higher level of operational efficiency in the planning and execution of the routes, optimizing its fleet, time, customer satisfaction and seeking cost reduction in the logistics process.
Keywords: Logistics. Routing. Road transport. Rrouting software.

INTRODUÇÃO
A logística de transporte tem recebido uma atenção especial devido a sua importância e ao seu impacto que produzem nos custos empresariais, pois segundo Alvarenga e Novaes (2000), é o mais significativo para a movimentação de mercadorias, que é o deslocamento de bens de um ponto para outro na rede logística, respeitando as restrições da carga e tempos determinados.

As empresas líderes de mercado possuem normalmente sistemas de informação capazes de monitorar seu desempenho logístico em tempo real.



Com o processo de roteirização, as empresas podem gerenciar grandes quantidades de cargas, fazer a distribuição da melhor forma, minimizar tempo das rotas, obtendo benefícios e minimização de custos, sendo os pontos mais significativos para o movimento de mercadorias, que é o deslocamento de bens e produtos de um ponto para outro na rede logística, respeitando as restrições da carga e os tempos determinados.

Os grandes desafios das organizações consistem em reduzir os custos, gerando mais lucro e consequentemente, um maior crescimento e desenvolvimento. As atividades de transporte atualmente representam a maior parte dos custos de uma empresa, e por isso a roteirização se torna um aspecto tão importante para reduzir os custos (NOVAES, 2007).

Conforme Novaes (2007, p 303), como “objetivos principais, o processo de roteirização visa propiciar um serviço de alto nível aos clientes, mantendo os custos operacionais e de capitais tão baixos quanto possível”. Assim, na busca incessante da melhor forma de reduzir custos com o transporte de mercadorias, a organização tem a roteirização como uma importante ferramenta em uma ampla área geográfica, facilitando a distribuição dentro de um sistema logístico e proporcionando para o cliente a entrega dos produtos em um tempo ágil.

Com isso, o objetivo desse trabalho foi de verificar a importância do sistema de roteirização utilizado por uma empresa de grande porte para seu sucesso empresarial.

Para atingir o objetivo da pesquisa foi realizado um estudo de caso no departamento de logística de uma grande empresa do ramo de frigorífico, localizada na região noroeste do estado de São Paulo. É uma empresa de grande porte, sendo uma das maiores empresas do ramo alimentício do setor de carne bovina do mundo.



1 LOGÍSTICA
Segundo Cavanha Filho (2001) a logística pode ser definida como a parte do processo da cadeia de suprimento que planeja, implementa e controla o eficiente e efetivo fluxo e estocagem de bens/serviços; também proporciona informações relacionadas, do ponto de origem ao ponto de consumo.

Em relação ao seu significado, a logística possui várias definições e significados, levando um conjunto de terminologias para designar as áreas onde se desenvolve, tais como: transportes, distribuição, distribuição física, suprimento e distribuição, administração de materiais e operações (CAVANHA FILHO, 2001).



Segundo Pozo (2010), ressalta as múltiplas atividades que a logística pode operar, tendo como função planejar, organizar, e controlar efetivamente as atividades de uma empresa, com o objetivo de aperfeiçoar os recursos como: estoques, distribuição dos produtos e serviços. A logística tornou-se vital para o sucesso das empresas, ela conduz o bom desempenho com a redução do lead time dos produtos e serviços, o que acaba por conquistar a satisfação dos clientes.

A logística começou a ser mais utilizada pelas empresas. E elas tiveram que buscar sua máxima eficiência através da escolha do tipo de modal a ser utilizado.


1.2 Tipos de Modais
O transporte representa o elemento mais importante em relação aos custos logísticos para muitas empresas. Ele é centrado nas instalações e serviços compostos no sistema de transporte e nas taxas (custos) e nos desempenhos dos serviços de transporte escolhidos pelo gerente. Ele é fundamental, pois nenhuma empresa moderna pode agir sem conseguir movimentar a matéria-prima, o produto acabado de nenhuma forma. O transporte trata-se de várias técnicas para movimentar produtos (POZO, 2010).

Um sistema de transporte eficiente, de boa qualidade e barato contribui para aumentar a competitividade no mercado, aumentar as economias de escala na produção e reduzir os preços dos produtos em geral (BALLOU, 2010).



Com isso, segundo Ballou (2010) existem cinco tipos de modais existentes, que as empresas podem utilizar para o transporte:

  1. Transporte Ferroviário: a característica de implantação das ferrovias brasileiras foi determinante para a definição dos traços das linhas férreas que, inicialmente apresentam apenas o sentido perpendicular ao litoral. As ferrovias eram isoladas, pois não havia qualquer tipo de preocupação com a integração dos mercados internos;

  2. Transporte Aquaviário: é aquele realizado pelos rios, lagos e mares e oceanos através de embarcações. É considerado o mais lento dos modais;

  3. Transporte Aéreo: as taxas de frete aéreo excedem as do rodoviário por mais de duas vezes e as do ferroviário por mais de dezesseis vezes. Entretanto, esse aspecto pode ser compensado pela grande rapidez, que permite que o custo de outros elementos logísticos, como armazenagem ou estoque seja reduzido ou até mesmo eliminado.

  4. Transporte Dutoviário: se traduz no transporte de granéis, por gravidade ou pressão mecânica, através de dutos adequadamente projetados à finalidade a que se destinam”.

  5. Transporte Rodoviário: O sistema rodoviário, responde pela maior parte das cargas movimentadas no Brasil, sendo o modo mais flexível, pelo fato de poder transportar produtos de tamanhos e pesos variados em qualquer distância, de porta a porta. A grande vantagem deste modal é a sua disponibilidade de serviços, notadamente os serviços porta-a-porta, em que nenhum carregamento ou descarregamento é exigido entre a origem e o destino como frequentemente acontece com outros tipos de transporte.

Escolhendo o modal correto, há a necessidade desses produtos chegarem até os clientes; a partir daí começa outro processo, que é a distribuição física.
2 DISTRIBUIÇÃO FÍSICA
Segundo Novaes (2004), a distribuição física é uma das principais atividades que compõe o processo operacional da empresa, pois é ela que disponibiliza os produtos aos clientes.

A distribuição física são os processos operacionais e de controle que permitem transferir os produtos desde o ponto de fabricação, até o ponto em que a mercadoria é finalmente entregue ao consumidor. Compreende, também, um dos processos que mais apresentam problemas, visto que depende substancialmente de outros setores e é um processo que reflete diretamente no serviço ao cliente (BALLOU, 2010).

A distribuição de produtos é uma das principais atividades das empresas, pois define o seu sucesso no processo de atendimento aos seus clientes. Um bom planejamento dessa atividade pode criar condições para alcançar a eficiência e a confiabilidade no serviço prestado pela empresa, garantindo a satisfação dos clientes e a redução dos seus custos (BOTELHO, 2003).
3 ROTEIRIZAÇÃO
Segundo Ballou (2010) roteirização de transporte é um método de busca, da melhor sequência de visitas a um determinado número de clientes, no interior de uma zona de coleta ou distribuição, ou seja, sequência otimizada de entrega e coleta de produtos, utilizando um software de roteirização especifico para este fim.

Ainda segundo Ballou (2010) com a roteirização consegue-se:



  1. Redução de distância para realizar tarefas;

  2. Redução do tempo para realizar tarefas;

  3. Dimensionamento da carga e da frota;

  4. Racionalização do uso da mão-de-obra;

  5. Controle amplo e abrangente de todo processo de carga e descarga;

  6. Economia de combustíveis.

Segundo Gomes e Ribeiro (2004) o termo roteirização, embora não encontrado nos dicionários de língua portuguesa, tem como equivalente ao inglês routing (ou ”routeing”) para designar o processo para a determinação de um ou mais roteiros ou sequência de paradas a serem cumpridas, com o objetivo de visitar um conjunto de pontos distintos geograficamente e pré-determinados.

Ballou (2010) cita oito princípios para uma boa roteirização e programação de veículos. São eles: carregar os caminhões com volumes de paradas que estão próximas entre si; as paradas em dias diferentes devem ser combinadas para produzir agrupamentos densos; construir rotas começando com a parada mais distante do depósito; a sequência das paradas em uma rota rodoviária deve formar um padrão de gota d’água; as rotas mais eficientes são construídas usando os maiores veículos disponíveis; as coletas devem ser combinadas com as rotas de entrega e não deixadas para o final; a parada que é removida do agrupamento de entrega pode ser removida para um meio alternativo de entrega; as limitações das janelas de tempo devem ser evitadas.

Para Araújo e Michel (2001), a movimentação dos recursos necessários à produção de bens ou serviços se coloca como uma atividade de fundamental importância, pois o valor associado a tais recursos existirá se estes forem disponibilizados no local, tempo e quantidades corretas. Desta forma, para assegurar um transporte de qualidade, que atenda às demandas existentes, uma série de rotinas operacionais deve ser adequadamente planejada, dentre as quais se destaca o problema da roteirização e programação de veículos.

O processo tradicional de roteirização de veículos de coleta e entrega se baseia na experiência do encarregado do depósito. Com base na prática de muitos anos e, conhecendo as condições viárias e de tráfego da região atendida, o encarregado define os roteiros, indicando o número e a sequência de clientes a serem visitados em cada percurso. Ainda hoje, muitos depósitos e centros de distribuição se apoiam em funcionários com esse tipo de experiência para elaboração dos roteiros de distribuição (ARAUJO e MICKEL, 2001).

Ainda segundo Araújo e Michel, (2001) a utilização desse conhecimento empírico tem uma solução, o rápido desenvolvimento da informática nos últimos anos que possibilitou o surgimento de softwares voltados à solução desse tipo de problema.
3.1 Softwares de Roteirização
A necessidade de se utilizar um programa computacional que auxiliasse a tomada de decisões se deu devido à grande quantidade de pontos de parada, o que transformou o estudo em um problema de grande escala.

Para Cunha (2000), o objetivo do planejamento de um sistema organizado de distribuição ou coleta é obter uma roteirização e/ou sequenciamento que conduzam à minimização do custo da atividade.

Segundo Novaes (2004) atualmente se dispõe no mercado um número razoável de softwares de roteirização, que ajudam as empresas a planejarem e programarem os serviços de distribuição física. Atualmente, essas ferramentas consideram um grande número de restrições ou condicionantes, que tornam possível a obtenção de modelos muito próximos da realidade. Além disso, são dotados de muitos recursos de visualização gráficos e relatórios que auxiliam o usuário na tomada de decisão.

Quadro 1 – Características de softwares de roteirização




Informações gerais sobre software roteirizadores

Produto

Empresa

Ano do lançamento

Nº de visitas por dia

Nº de veículos

 

A.MAZE

GEOCOMtms

1999

Ilimitado

Ilimitado

Arclogistics Route

ESRI

1999

Ilimitado

Ilimitado

Descartes Delivery

Descartes

1981

Ilimitado

Ilimitado

Direct Route

Appian Logistics Sftware

1996

Ilimitado

Ilimitado

ETMS - EDGAR

Edgar Manag. Cosulting

1973

Limitado pela capacidade memória

Limitado pela capacidade memória

Galaxyflow 4.2

SAITECH, Inc.

2005

Ilimitado

Ilimitado

ILOG transp. PowerOps

ILOG, Inc.

2005

Limitado pela capacidade memória

Limitado pela capacidade memória

Network Analyst

ESRI

2005

Ilimitado

Ilimitado

Optrak4

Optrak Distribution Sftware

2001

40.000

1.000

Paragon Roting & Scheduling System

Paragon Software Systems, Inc.

1997

20.000

3.000

PlanOp

Carmen Systems

1997

Ilimitado

Ilimitado

REACT

MJC2 Limited

1995

Ilimitado

Ilimitado

Roadnet Transportation Suite

UPS LogisTechnologies

1983

Ilimitado

Ilimitado

SHORTREC Suite

ORTEC

1981

Ilimitado

Ilimitado

STARS 4.2

SAITECH, Inc.

1995

Ilimitado

150

TruckStops Routing & Scheduling

MicroAnalytics

1984

Ilimitado

Ilimitado

TS

RouteMatch Software

1999

n.d

n.d
Fonte: adaptado- Novaes (2007, p. 328)
A roteirização, sendo uma ferramenta voltada para a resolução dos problemas que envolvem os roteiros dos transportes, tem segundo Gomes e Ribeiro (2004), o papel de oferecer um serviço de nível elevado aos clientes, o que mantem o padrão de excelência e reduz os custos a um nível adequado.

4 METODOLOGIA
Segundo Yin (2005), a importância da utilização da metodologia cientifica para responder as questões de uma pesquisa consiste no fato dela aumentar as chances das respostas encontradas serem precisas e não visadas.

Foi realizado um estudo de caso com uma abordagem qualitativa. A parte exploratória da pesquisa foi efetivada primeiramente através de dados como: livros, artigos científicos que envolvem levantamento bibliográfico, entrevistas com pessoas que tiveram experiência prática com o problema pesquisado.

Yin (2005, p. 32) destaca que o estudo de caso é uma investigação empírica que “investiga um fenômeno contemporâneo dentro de seu contexto da vida real, especialmente quando os limites entre o fenômeno e o contexto não são claramente definidos”.

O estudo de caso foi realizado em um frigorífico localizado na região noroeste do Estado de São Paulo, com o propósito de analisar toda atividade de roteirização na distribuição de carga. Para coleta de dados, foi realizado visitas in loco na empresa, assim como aplicação de um questionário e entrevista com o responsável do transporte.


5 ESTUDO DE CASO

5.1 Característica da Empresa


O estudo de caso foi realizado em um grande frigorífico na região Noroeste do Estado de São Paulo. A empresa opera no processamento de carnes bovina, suína, ovina e de frango e também no processamento de couros. Além disso, comercializam produtos de higiene e limpeza, colágeno, embalagens metálicas, biodiesel, entre outros. Seus negócios são divididos em quatro unidades.

O estudo foi feito no departamento de logística com a finalidade de verificar a importância do sistema de roteirização para o sucesso empresarial de uma grande empresa de frigorífico. O software utilizado pela empresa é o Roadnet Tranportation Suit.


5.2 Relatos da Pesquisa
O levantamento dos dados foi por intermédio de um levantamento bibliográfico, uma pesquisa de campo e entrevista com perguntas pré-estruturadas. Através da pesquisa percebe-se que o processo de roteirização é realizado no departamento de logística de segunda à sexta após às 18h e vai até as 20h e também é integrado com os departamentos de vendas e embarque.

Todo processo se inicia com o departamento de vendas que comercializa as mercadorias, o processo de venda é praticado durante todo o dia e a empresa conta com vinte e um vendedores externos que trabalham com visitas diretas aos clientes em toda a região explorada que engloba todo interior paulista até a divisa do Paraná e de Minas Gerais e também há nove vendedores internos que oferecem a mercadoria na cidade que a empresa está instalada.

São atendidas grandes redes de supermercados como Wal-Mart, Carrefour, Extra, a empresa também da grande destaque na comercialização de suas mercadorias para pequenos atacadistas, após os vendedores terminarem as suas atividades as informações de todas as vendas (relatório) são enviadas para todos os setores, que por sua vez fazem a separação dos produtos vendidos, separados por FIFO (first in, first out) estes produtos são enviados para um setor central onde serão embarcados nos veículos.

O departamento de logística recebe este mesmo relatório, a partir daí a roteirização se inicia com a liberação de todos os pedidos a serem entregues, após receber estes dados o software faz a separação por roteiros:



  1. Regiões: o mapa que o software utiliza abrange todo interior paulista. Inicialmente ele faz a separação em seis regiões pré-determinadas.

  2. Cidades: dentro dessas regiões o software automaticamente faz a separações das cidades mais próximas umas das outras até o caminhão estar todo carregado. Ele automaticamente repete esse processo até preencher toda a região.

  3. Clientes: todos os clientes já estão cadastrados no sistema com endereços e outros dados. O software reúne as cargas dos clientes mais próximos um dos outros, até que seja preenchida toda a capacidade do veículo; se houver necessidade, ele programa mais de um veículo para a mesma cidade até que todos os clientes sejam atendidos.

Mesmo com esse padrão acima de atendimento preestabelecido, deve-se dar prioridade às restrições como, por exemplo; carnes com ossos, que têm sempre prioridade em relação às demais carnes embaladas, pois são embaladas apenas com sacos plásticos, com isso, seu prazo de validade se torna mais curto do que os demais produtos embalados a vácuo e os produtos congelados. Os produtos com maior prioridade são os últimos embarcados, portanto, serão os primeiros a serem entregues ao seu destino.

Alguns modelos de caminhões também têm prioridade/restrições de escala, os veículos de menor capacidade de carga serão os primeiros a serem carregados como os caminhões de modelo (3/4), em seguida serão embarcados os veículos maiores como tocos, trucks, bi-trucks e carretas.

A empresa utiliza essa estratégia para reduzir custos e minimizar tempo, pois os veículos menores possuem mais agilidade e flexibilidade na entrega porta a porta, os caminhões de maior capacidade de carga, geralmente, são destinados para os clientes que compram mais mercadorias, na maioria dos casos, compram em grandes escalas unitizando toda a carga para sua própria empresa. Conforme a estratégia do cliente, ele pode enviar veículos próprios diminuindo, assim os custos fixos do produto.

Os carregamentos dos produtos vendidos iniciam-se às 20 horas. Após terminar a roteirização e a separação dos produtos, esses carregamentos são realizados no setor central onde são carregados os veículos para distribuição a fim de entregue no dia seguinte; as distribuições são programadas para entregar para clientes geograficamente dispersos. O transporte é terceirizado e cada motorista tem seu próprio caminhão, os motoristas recebem R$ 360,00 na saída, independente do destino, acrescentando mais R$ 0,87 por km rodado. Essas entregas são realizadas durante todo o dia com suas rotas específicas e com a responsabilidade de entregar no horário acertado com o cliente.

Quando acontece algum tipo de evento com o veículo, o motorista é responsável pelo transbordo, mas a empresa auxilia no que for possível. O setor da Logística além de fazer a roteirização, tem um plantão que no dia seguinte auxilia todos os motoristas via telefone e on-line e acompanha em possíveis problemas em suas rotas. Os operadores logísticos negociam com clientes as devoluções e dão agilidade para que o veículo não perca tempo e entregue as mercadorias nos próximos destinos nos horários programados. Quando os veículos terminam suas entregas, retornam para a unidade para ficarem disponíveis para carregamentos do próximo dia.

Esse processo que a empresa implantou de roteirização a torna mais dependente dos softwares e das novas tecnologias do que em relação aos operadores de roteirização. Com o passar do tempo, cada vez mais os operadores perderam espaço, pois as maiores falhas no processo são causadas por eles, os quais são encarregados nessa empresa de acompanhar e monitorar o funcionamento do software, que pode não estar operando corretamente por causa da internet ou algum evento inesperado. Também é sua função atender aos pedidos dos vendedores, que fazem pedidos de prioridade de entrega para alguns clientes; estar disponível para resolver qualquer tipo de problema também é obrigação do operador. Apesar de ser um processo eficaz, o treinamento do operador é básico e fornecido pelos colaboradores da empresa. Os motoristas também recebem orientações e procedimentos de entregas se caso houver necessidade, é distribuído um documento de procedimentos de entregas e agilidade na entrega.

Aproximadamente 90% desse processo é executado automaticamente pelo software roadnet transportation suit, que facilita na programação de roteiro; ele é considerado importantíssimo e essencial na estratégia utilizada pela empresa, pois o processo de roterização tem tempo limite para ser realizado e não pode ultrapassar às vinte horas.

Pelo menos há 10 anos essa empresa implantou esse sistema de roteirização e o software Roadnet Tranportation Suite e está conseguindo grandes resultados e uma boa diminuição de custos.


5.3 Software de Roteirização utilizado pela Empresa
Roadnet Technologies foi fundada originalmente em 1983 e tem mais de 25 anos de experiência profunda de indústria. Adquirida em 1986 pela United Parcel Service e conhecida por muitos anos como UPS Logistics Technologies, Roadnet tornou-se uma empresa privada no início de 2011 e continua a ser um fornecedor mundial de ferramentas de gestão de frotas poderosas em um amplo espectro de indústrias, incluindo serviços de alimentação, assistência médica, energia, têxteis e muito mais.

Roadnet transportation Suíte oferece às empresas uma fonte única para o encaminhamento e monitoramento. Os produtos Roadnet são considerados o padrão da indústria; eles ajudam a reduzir o tempo de roteamento e os custos de combustível, aumentando em toda a empresa a segurança, o que melhora o atendimento aos seus clientes. Ajuda a otimizar a qualidade das entregas ao consumidor, através de um processo de planejamento de roteirização eficiente, que envolve desde o carregamento até o monitoramento preciso da execução de entrega. Isso é possível através do conjunto de softwares que compartilham um único banco de dados, permitindo que as empresas criem rotas e executem planejamentos de forma ágil e inteligente. Entre as tecnologias utilizadas, estão:

  1. Roadnet: ferramenta tática e extremamente eficaz de roteirização para otimização diária da operação de entregas e serviços, reduzindo horas de execução para minutos;

  2. Territory Planner: a mais alta tecnologia em estratégia de planejamento, balanceamento e gestão de rotas de vendas, pré-vendas, serviços e operações de rota padrão;

  3. Fleet Loader: inteligência e otimização de carregamento tático, desde carga, armazenamento até a descarga ao cliente;

  4. Mobile Cast: monitoramento em tempo real, permitindo dinâmica e flexibilidade no monitoramento das operações de entrega;

  5. Roadnet Info Center: data center onde são armazenados, em tempo real, todos os dados referentes à logística, desde o planejamento até o monitoramento e execução;

  6. Roadnet Dashboard: esta ferramenta transforma dados em informações precisas e detalhadas, otimizando a inteligência oferecendo suporte em tempo real para a tomada de decisões.

Todos os módulos incluídos no Roadnet Transporte Suite podem trabalhar separadamente ou podem ser integrados em uma configuração que melhor se adapta às necessidades específicas do negócio.

Esse sistema que a empresa implantou de roteirização junto com o software Roadnet Tranportation Suite, o qial possibilitou à empresa se torne ainda mais competitiva.

O software Roadnet Transpot Suit é considerado ideal para a empresa, pois ele possui algumas funcionalidades consideradas fundamentais, como, parada ilimitada, monitoramento em tempo real e atendimento porta a porta, que simplesmente é poder analisar cada trecho do roteiro independente do ponto de partida, o que isso possibilita à empresa atingir seus maiores objetivos.
5.4 Benefícios Identificados para a Empresa
A empresa conseguiu atingir seus principais objetivos, consequentemente resultou em vários benefícios, como visto no quadro abaixo, principalmente como os de reduzir o custo operacional. Com esses benefícios a empresa consegue melhorar a eficiência da sua logística de transporte e a satisfação de seus acionistas.

Essas vantagens são fundamentais para a organização assim como para os clientes, esses resultados também se tornam um fator agregador para a empresa, que é líder em seu segmento e uma das empresas mais respeitadas na atualidade.


Quadro 2– Análise dos resultados dos principais benefícios

Principais benéficos

Resultados dos benefícios

Atingidos

Parcialmente

Não atingidos

Minimizar os custos totais de distribuição

X







Minimizar a avaria de produtos




X




Acesso a quantidade de veículos

X







Previsão de entrega, agilidade na descarga

X







Reduzir o custo operacional

X







Rotas prontas podendo visualizar de ponto a ponto cada entrega

X







Minimizar distância percorrida

X







Minimizar cadastros incorretos gerados no sistema pelo operador




X




Satisfação de clientes e colaboradores

X







Fonte: elaborado pelos autores (2014)
Analisando o quadro acima, percebe-se que a empresa consegue com a utilização do software de roteirização minimizar os custos da distribuição, melhora no acesso aos veículos, consegue ter uma melhor previsão e agilidade de entrega reduz o custo operacional, minimiza a distância percorrida, possibilita visualizar cada ponto de entrega e consequentemente consegue uma maior satisfação de seus clientes e colaboradores. Com isso, percebe-se que a utilização de um sistema de roteirização traz grandes benefícios para a empresa, fazendo com que ela, consiga melhorar cada vez mais seu posicionamento no mercado.
CONCLUSÃO
Com o elevado crescimento das cidades, os meios de transporte tornam-se cada vez mais complexos, devido a grande variedade de maneiras de se chegar a um determinado local. Um sistema de roteirização é uma ferramenta cada vez mais essencial no dia-a-dia das organizações. Existem softwares que calculam a rota mais curta entre dois ou mais pontos (endereços).

Atualmente tem-se um aglomerado de atividades, fazendo com que, transforme os centros urbanos, cada vez mais, em um desafio para os gestores de tráfego e empresas que precisam estar inseridas, para distribuição de seus produtos, para um número cada vez maior de pontos comerciais, e estas por sua vez, precisam atender e melhorar seu nível de serviço aos clientes e ao mesmo tempo buscar reduções de custo.

Através da pesquisa realizada na empresa, percebeu-se como é um sistema de roteirização e seu funcionamento desde o início das vendas, a separação das cargas por região, cidades e clientes até a entrega dos produtos, e também a interatividade com outros departamentos, e como software de roteirização ajuda e facilita o processo de distribuição das mercadorias tanto para a empresa como para os clientes.

A empresa enxerga que o processo de roteirização tem grande importância em vários aspectos, além de, a roteirização influenciar no desempenho de outros departamentos com o de vendas e embarque, a empresa expõe a importância do seu sucesso no processo de roteirização. Verificou-se que esse sistema é de grande importância para o sucesso de uma empresa, pois, possibilita a empresa uma maior agilidade e facilidade na entrega, assim como, uma boa redução de custos operacionais, com isso, o objetivo desse trabalho foi atingido.

O trabalho possibilitou perceber que essa influência ajudou a tornar a empresa ainda mais competitiva e facilitou todo processo logístico, porém alguns objetivos operacionais ainda devem ser alcançados como avarias de produtos e minimização de cadastro incorretos gerado no sistema pelo operador, causados tanto pelo motorista quanto o operador da roteirização.

Pelas constatações verificadas, para as empresas que operam com distribuição física, que objetivam aumentar seu nível de serviço ao cliente, otimizando sua frota e pessoal, é imprescindível a utilização de sistemas informatizados de roteirização.


REFERÊNCIAS
ALVARENGA, A. C.; NOVAES, A. G. N. Logística aplicada: suprimento e distribuição física. 3 ed. São Paulo: Edgar Blücher, 2000.

ARAÚJO, R. R. de; MICHEL, F. D. Problemas de roteirização em arcos: características e métodos de resolução. In: SIMPÓSIO DE PESQUISA OPERACIONAL E LOGÍSTICA DA MARINHA – SPOLM, 2001, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro, 2001.

BALLOU, R. H. Gerenciamento da cadeia de suprimentos: logística empresarial. Porto Alegre: Bookman, 2010.

BOTELHO, L. G. Um método para o planejamento operacional da distribuição: aplicação para casos com abastecimento de granéis líquidos. 2003.

CAVANHA FILHO, A. O. Logística: novos modelos. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2001.

CUNHA, C. B. Aspectos práticos da aplicação de modelos de roteirização de veículos a problemas reais. Transportes, Departamento de Engenharia de Transportes Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, USP, 2000.

GOMES, C. F. S.; RIBEIRO, P. C. C. Gestão da cadeia de suprimentos integrada à tecnologia da informação. São Paulo: Pioneira Thomson, 2004.

NOVAES, A. G. Logística e gerenciamento da cadeia de distribuição. 2. ed. Rio de Janeiro. Campus Elsevier, 2004.

__________. __________. Rio de Janeiro: Campus Elsevier, 2007.

POZO, H. Administração de recursos patrimoniais: uma abordagem logística. 6 ed. São Paulo: Atlas. 2010.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e método. Porto Alegre: Bookman, 2005.


Universitári@ - Revista Científica do Unisalesiano – Lins – SP, ano 7, n.15, jul - dez de 2016





Catálogo: universitaria -> avaliacao -> no15
no15 -> Ultrassom m
no15 -> Tratamento das cicatrizes atróficas de acne por meio do microagulhamento com equipamento dermapen em mulheres entre 20 a 30 anos
no15 -> O uso do laser de baixa potência no estímulo do crescimento capilar em homens com alopecia androgenética entre 25 e 35 anos
no15 -> Acute effects of bcaa supplementation in resistance training
no15 -> The importance of inventory management of the company working capital management
no15 -> Gestão de almoxarifado: Um estudo de caso na jbs divisão Carnes warehouse management
no15 -> As a loss of consequences of chance in civil procedure and practice of lawyer
no15 -> Marketing digital: um estudo de caso na empresa dente-de-leão digital marketing: a case study in the company dente-de-leãO
no15 -> The contributions assisted activity for animals on psychosocial child development
no15 -> Importance of surrogate gestation

Baixar 382.86 Kb.

Compartilhe com seus amigos:




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
Dispõe sobre
reunião ordinária
Serviço público
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Relatório técnico
Universidade estadual
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
espírito santo
pregão eletrônico
Curriculum vitae
Sequência didática
Quarta feira
prefeito municipal
distrito federal
conselho municipal
língua portuguesa
nossa senhora
educaçÃo secretaria
segunda feira
Pregão presencial
recursos humanos
Terça feira
educaçÃO ciência
agricultura familiar