Revista eletrônica



Baixar 38.06 Mb.
Página67/253
Encontro30.10.2016
Tamanho38.06 Mb.
1   ...   63   64   65   66   67   68   69   70   ...   253

(Apelação 0018358-39.2009.8.26.0344, Relator Gilberto de Souza Moreira, Câmara de Direito Privado, Data do julgamento 01/06/2011)


A lei, ao exigir motivação do pedido, não vai ao ponto de impor razões objetivas e indiscutíveis. Claro que pesa a conveniência do arranjo patrimonial para o próprio casal, embora possa tal causa parecer irrelevante aos olhos do juiz ou de terceiros. É tendência do direito contemporâneo, em todo mundo ocidental, conferir autonomia privada às relações patrimoniais entre os cônjuges.

Parece razoável que, com o casamento consolidado ao longo de quase uma década, pretendam os requerentes modificar o regime de bens anteriormente convencionado, a fim de resguardar seus próprios interesses. A motivação do pedido deve ser sempre relevante, mas deve, por outro lado, o juiz levar em conta fatos supervenientes ao casamento, em especial vidas econômicas independentes, a imaturidade por ocasião

das núpcias e, em última análise, a remoção de obstáculo considerável ao entendimento dos cônjuges (Paulo Luiz Netto Lobo, Código Civil Comentado, Atlas, vol. XVI, p. 234).
Jurisprudência - Direito Privado

Acesso ao Sumário

(Apelação 0031746-28.2010.8.26.0100, Relator Francisco Loureiro, Câmara de Direito Privado, Data do julgamento 24/03/2011) Inegável que pode haver conotação subjetiva nos motivos da alteração



pretendida. Existem várias razões, tanto no âmbito familiar, quanto

externas a ele, que potencialmente levam o casal a pedir a alteração do regime de bens.

Ocorre que o extremo rigor na análise da motivação do pedido pode esvaziar o significado o artigo 1.639, §2° do Código Civil, que representou importante inovação em relação ao regramento anterior do regime de bens do casamento.

A propósito, ensina Euclides de Oliveira: ‘Exige-se requerimento conjunto do marido e da mulher, ambos interessados na mudança. A motivação do pedido, circunscrita ao interesse comum dos cônjuges, de ser exposta ao juiz e devidamente comprovada. Neste ponto, certamente não haverá rigor ou extremado formalismo, uma vez que variam as circunstâncias motivadoras dentro do âmbito familiar, de modo que deverá ser suficiente a exposição das razões pessoais dos cônjuges na mudança do regime, para exame e decisão dentro dos critérios da razoabilidade. Importa que a alteração na afete direitos de terceiros, eventuais contratantes ou credores dos cônjuges, pois, nesse caso, estaria configurada a fraude, o que tornaria ineficaz o ato’ (Alteração do regime de bens no casamento. In: Delgado, Mário Luiz e Alves, Jones Figueiredo. Novo Código Civil: Questões Controvertidas. São Paulo: Ed. Método, 2006, p.393).


Baixar 38.06 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   63   64   65   66   67   68   69   70   ...   253




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
reunião ordinária
Dispõe sobre
Serviço público
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Universidade estadual
Relatório técnico
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
pregão eletrônico
Curriculum vitae
espírito santo
Sequência didática
Quarta feira
conselho municipal
prefeito municipal
distrito federal
língua portuguesa
nossa senhora
educaçÃo secretaria
Pregão presencial
segunda feira
recursos humanos
educaçÃO ciência
Terça feira
agricultura familiar