Revista eletrônica



Baixar 39.61 Mb.
Página190/234
Encontro05.04.2017
Tamanho39.61 Mb.
1   ...   186   187   188   189   190   191   192   193   ...   234

DECLARAÇÃO DE VOTO




(Voto 23.226)

Não se de negar a possibilidade de lei municipal exigir que locais com maior afluxo de público, como “shopping centers” e estabelecimentos semelhantes, sejam equipados com dispositivos destinados a facilitar a prestação de primeiro atendimento no caso de ocorrência imprevista de agravo à saúde, com consequente disponibilização de pessoal capacitado a operá-los.
Jurisprudência - Órgão Espercial

Acesso ao Sumário

Nessa categoria se incluem, exemplificativamente, a presença de cadeira de rodas, maca, aparelho desfibrilador, ambulância, etc.

Exigências dessa ordem compreendem-se na competência municipal ditada pelo interesse local (art. 30 inciso I da Constituição Federal) e em nada afrontam o princípio da livre iniciativa (art. 170).

No entanto, tal prerrogativa não pode ser ampliada de modo a impingir ao particular uma responsabilidade que sobeja sua natural esfera de ação e lhe carreia uma incumbência que seja típica do Poder Público.

Assim sequando dele se exige uma estrutura de meios e mão de obra que extrapola a prestação do primeiro socorro ou o mero encaminhamento do interessado para atendimento médico em estabelecimento regular.

Nesses casos se manifesta a inconstitucionalidade, eis que, na linha da Carta federal (artigos 196 e 199 § 1º), a Constituição paulista anuncia que a prestação dos serviços de saúde incumbe ao Poder Público (art. 219), sendo facultativa a participação nesse segmento das instituições privadas (art. 220 § 4º).

Portanto, a invocação da figura do interesse local não autoriza a lei municipal a impor ao particular uma incumbência cuja assunção o texto constitucional informa ser quanto a ele facultativa, eis que dependente de contrato ou convênio.



A determinação do que pontualmente extrapola os limites da competência local se à vista dos princípios da proporcionalidade e da razoabilidade.

De fato, como registra Gilmar Mendes, são eles que permitem aferir a compatibilidade da lei com os fins constitucionalmente previstos (“O princípio da proporcionalidade na jurisprudência do Supremo Tribunal Federal: novas leituras”, Revista Diálogo Jurídico, agosto de 2001).

Ora, que se reputar desarrazoada a exigência de instalação nos “shopping centers” de serviço que, com esse rótulo ou outro, por sua estrutura e pessoal faça o lugar de pronto socorro destinado aos atendimentos de emergência ou urgência.

Por isso, no caso concreto se de considerar parcialmente inconstitucional o artigo da Lei 10.471/91 do Município de São Paulo, com a redação conferida pela Lei 11.649/91, isto é, apenas quanto à expressão ou serviço de pronto socorro equipado para o atendimento de emergência”, e por arrastamento também o dispositivo de mesmo teor do Decreto Municipal 29.728/91.

O mais está conforme a competência legislativa local. Meu voto, assim, julga a ação parcialmente procedente.


Jurisprudência - Órgão Espercial

Acesso ao Sumário


ARANTES THEODORO, Desembargador

ACÓRDÃO




Vistos, relatados e discutidos estes autos de Ação Direta de Inconstitucionalidade 0111047-28.2013.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é autor GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, são réus PREFEITO DO MUNICÍPIO DE CUBATÃO e CÂMARA MUNICIPAL DE CUBATÃO.

ACORDAM, em Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo, proferir a seguinte decisão: “JULGARAM A AÇÃO PROCEDENTE. V.U. SUSTENTOU ORALMENTE A ADV. DRA. CLAUDIA APARECIDA

CIMAID.”, de conformidade com o voto do Relator, que integra este acórdão.




Baixar 39.61 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   186   187   188   189   190   191   192   193   ...   234




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
reunião ordinária
Dispõe sobre
Serviço público
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Universidade estadual
Relatório técnico
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
pregão eletrônico
Curriculum vitae
espírito santo
Sequência didática
Quarta feira
conselho municipal
prefeito municipal
distrito federal
língua portuguesa
nossa senhora
educaçÃo secretaria
Pregão presencial
segunda feira
recursos humanos
educaçÃO ciência
Terça feira
agricultura familiar