Relatório técnico científico período: setembro/2014 a agosto/2015



Baixar 233.91 Kb.
Página3/3
Encontro06.11.2017
Tamanho233.91 Kb.
1   2   3

Figura 4: Distribuição dos alunos da Escola 1, em comparação ao número de acertos do questionário de percepção 1 e 2. Belém- PA, 2013-2014.


DISCUSSÃO:

O estudo observou uma reduzida frequência de baixo peso, entretanto, uma elevada taxa de excesso de peso, com resultados de 33,3%(sexo feminino) e 53,3%(sexo masculino) de acordo com o índice IMC/Idade. Dados encontrados no presente estudo diferem de outro estudo, onde o excesso de peso foi 15,4%, não sendo encontrada diferença relevante entre os sexos (RICARDO et al, 2011).

A transição nutricional é um processo que está intimamente relacionado com diversos fatores, tais como: mudanças no estilo de vida, como permanecer por longos períodos em frente à televisão e ao computador, contribuindo para o aumento do sedentarismo e mudanças nos hábitos alimentares, o que reflete diretamente no aumento das porcentagens de pessoas com desvios nutricionais, principalmente sobrepeso e obesidade (SCAGLIONI et al, 2008).

A obesidade não é um problema restrito à infância, quando não controlada, chega a atingir à fase adulta ocasionando o aumento da morbimortalidade (NASCIMENTO et al, 2010)

No estudo não foi encontrada prevalência de baixa estatura, semelhante ao estudo de Carvalho e colaboradores, 2010, que utilizou crianças da mesma faixa etária, e obteve resultados iguais ao presente estudo.

Analisando o índice P/I observou-se que o baixo peso não teve um valor relevante, sendo a eutrofia superior em ambos os sexos e o excesso de peso mais prevalente nos meninos.

Apesar de os QP1 e QP2 terem sido aplicados apenas em uma escola, pode-se observar que ao final dos testes, quando aplicado o QP2, houve um aumento nos percentuais de acertos comparado ao QP1, demostrando a necessidade da inserção de conhecimentos básicos de alimentação e nutrição no currículo escolar, destacando a importância de educação nutricional. (BOTELHO et al, 2010)

CONCLUSÃO:

Os resultados desta pesquisa demonstraram que a maioria dos escolares apresentou estado nutricional adequado, porém, verificou-se um percentual considerável de excesso de peso. As ações de educação nutricional obtiveram resultados positivos, com aumento no percentual de acertos em mais de 50% das perguntas. Cabe ressaltar a importância da intervenção nutricional desde a infância, sendo contínua e incluindo toda a família, já que é nesta fase que os hábitos alimentares sofrem influências que permanecerão durante toda a vida e poderão prevenir riscos futuros, como o desenvolvimento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AIRES, A.P.P. et al. Consumo de alimentos industrializados em pré-escolares. Revista da AMRIGS, Porto Alegre, v.55, out./dez. 2001.

ALBUQUERQUE, M.F.M.; MONTEIRO, A.M. Ingestão de alimentos e adequação de nutrientes no final da infância. Ver. Nutr., Campinas, 15(3):299, set./dez., 2002.

BOTELHO, L.P.; ZANIRATI, V.F.; PAULA, D.V.; LOPES, A.C.S.; SANTOS, L.C. Promoção da alimentação saudável para escolares: aprendizados e percepções de um grupo operativo. Ver Soc Bras Alim Nutr. 2010; 35(2):103-16.v. 3, n. 7, p. 72-78, 2009.

CARVALHO, A. P.; OLIVEIRA, V. B.; SANTOS, L. C. Hábitos alimentares e práticas de educação nutricional: atenção a crianças de uma escola municipal de Belo Horizonte, Minas Gerais. Pediatria, v.32, n.1, p.20-27, 2010.

COSTA, R.F.; CINTRA, I.P.; FISBERG, M. Prevalência de sobrepeso e obesidade em escolares da cidade de Santos. Arq Bras Endocrinol Metab. v.50, p.60-7, São Paulo, 2006.



FERNANDES, P.S. et al. Avaliação do efeito da educação nutricional na prevalência de sobrepeso/obesidade e no consumo alimentar de escolares do ensino fundamental. Jornal de Pediatria. Porto Alegre, v.85, n.4, agosto,2009.

FOCESI, E. Educação em Saúde na escol:. O papel do professor. Revista Brasileira Saúde do Escolar, v. 1, n. 2, p. 4-8, 1990

JANSSEN, I.; KATZMARZYK, P. T.; BOYCE, W. F.; VEREECKEN, C.; MULVIHILL, C.; ROBERTS, C.; CURRIE, C.; PICKETT, W. Comparison of overweight and obesity prevalence in school-aged youth from 34 countries and their relationships with physical activity and dietary patterns. The International Association for the Study of Obesity. Obesity reviews 6, 123-132, 2005.

MONTEIRO, C. A.; MONDINI, L.; SOUZA, A. L. M. & POPKIN, B. M. Da desnutrição para a obesidade: A transição nutricional no Brasil. In: Velhos e Novos Males da Saúde no Brasil (C. A. Monteiro, org.), pp. 247-255, 2a Ed., São Paulo: Editora Hucitec, 2000.

NASCIMENTO, E.; MUNIZ, G. S.; PINHEIRO, I. L. Evidências da transição nutricional em grupos de escolares entre 7 e 10 anos de idade na cidade de Camaragibe – PE. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, v.14, n.2, p.29-36, 2010.

ORIO JR., F.; PALOMBA, S.; CASCELLA, T.; SAVASTANO, S.; LOMBARDI, G.; COLAO, A. Cardiovascular complications of obesity in adolescents. J. Endocrinol. Invest., v. 30, n. 1, p. 70-80, 2007.

POLLA, S. F.; SCHERER F. Perfil alimentar e nutricional de escolares da rede municipal de ensino de um município do interior do Rio Grande do Sul. Caderno de Saúde Coletiva, v.19, n.1, p.111-116, 2011.

RICARDO, G. D.; CALDEIRA, G. V.; CORSO, A. C. T. Prevalência de sobrepeso e obesidade e indicadores de adiposidade central em escolares de Santa Catarina, Brasil. Rev. bras. epidemiol, v. 12, n. 3, p. 424-435, 2009.

ROMANI, S.A.M; LIRA, P.I.C. Fatores determinantes do crescimento infantil. Ver. Bras. Saúde Matern. Infant., Recife, 4 (1): 15-23,jan./mar., 2004.

SANTOS, A. et al. Avaliação da comercialização de alimentos nas cantinas de escolas públicas e privadas de Governador Valadares, Minas Gerais. Monografia (Bacharel em Nutrição) – Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade Vale do Rio Doce, 2010.

SCAGLIONI S.; SALVIONI M.; GALIMBERTI. Influence of parental attitudes in the development of children eating behaviour. British Journal of Nutrition, v.99, p.22-25, 2008.


SBP - Sociedade Brasileira de Pediatria. Avaliação nutricional da criança e do adolescente – Manual de Orientação. Departamento de Nutrologia. São Paulo: Sociedade Brasileira de Pediatria; 2009.
TARDIDO, A. P.; FALCÃO, M. C. O impacto da modernização na transição nutricional e obesidade. Revista Brasileira de Nutrição Clínica, v.21, n.2, p.117-124, 2006.
WAITZBERG, D. L. Nutrição Oral, Enteral e Parenteral na Prática Clinica. 4ª Ed. Editora: ATHENEU, 2009
DIFICULDADES: A aplicação do QP2 foi realizada apenas na primeira escola, pois a segunda escola, por se tratar de uma instituição vinculada à Universidade, teve suas atividades paralisadas com o início da greve dos professores e técnicos das universidades federais, portanto, o estudo teve que ser interrompido. Participaram da pesquisa 50 escolares da escola 1 e 61 da escola 2 (realizando avaliação nutricional e apenas a aplicação do QP1).

PARECER DO ORIENTADOR:

O bolsista demonstrou interesse, dedicação e disciplina na execução das tarefas delegadas à sua função, cumpriu com o cronograma de atividades propostas no plano e conseguiu dar conta de avançar nos aprofundamentos teórico-metodológicos da pesquisa.



Foi aprovado para apresentação oral no V Congresso do Hospital Universitário João de Barros Barreto, 2015, o resumo expandido: ESTUDO COMPARATIVO DO ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS EM ESCOLAS (PÚBLICA E PRIVADA) DE BAIRROS DA PERIFERIA DE BELÉM/PA.
O resumo expandido “IMPACTO DA EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NA PERCEPÇÃO DE ESCOLARES SOBRE ALIMENTOS ENERGÉTICOS, REGULADORES E CONSTRUTORES ANTES E APÓS EDUCAÇÃO NUTRICIONAL”. Foi primeiro lugar no tema Nutrição no III Congresso de Educação em Saúde da Amazônia. UFPA, 2014.
Os resultados do plano de trabalho originou o seguinte trabalho de conclusão de curso da Faculdade de Nutrição, em forma de artigo “O IMPACTO DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR/NUTRICIONAL EM ESCOLARES DO PROJETO “VER-O-PESO DA SAÚDE”. Aluna DANIELY FARIAS TRINDADE

DATA : 10/08/2015

Claudia Daniele Tavares Dutra



Orientadora



Bolsista

Baixar 233.91 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
Dispõe sobre
reunião ordinária
Serviço público
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Relatório técnico
Universidade estadual
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
espírito santo
pregão eletrônico
Curriculum vitae
Sequência didática
Quarta feira
prefeito municipal
distrito federal
conselho municipal
língua portuguesa
nossa senhora
educaçÃo secretaria
segunda feira
Pregão presencial
recursos humanos
Terça feira
educaçÃO ciência
agricultura familiar