Quem era judas iscariotes



Baixar 19.5 Kb.
Encontro03.11.2017
Tamanho19.5 Kb.
IGREJA PRESBITERIANA DA GÁVEA

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL – JUDAS ISCARIOTES E MATIAS

DOMINGO 09 DE JUNHO DE 2013 – PRESB. WILSON DE SOUZA

QUEM ERA JUDAS ISCARIOTES

- Judas Iscariotes era filho de Simão (Jo. 12. 4; 13. 2) e foi um dos apóstolos escolhidos por Jesus dentre os seus discípulos e, que iria traí-lo.

- Seria o único não Galileu do colégio apostólico. Provavelmente seria da cidade de Quiriote ao sul da Judéia. (ish=homem).

- Judas é outra forma do nome Judá, que significa “Jeová conduz” ou “louvado”. Talvez esse tenha sido o desejo de seus pais!

- seu nome é sempre indicado em ultimo lugar nas listas dos apóstolos e referido como “o traidor”.

- ele chegou a ser o tesoureiro do grupo apostólico (Jo. 12. 6).

- Judas, nome que aparece pelo menos 6 vezes no NT;

a) – Judas irmão de Jesus (Mt. 13.55; Mc. 6.3);

b) – Judas Tadeu um dos doze apóstolos, filho de Tiago (Lc. 6. 16; Jo. 14. 22);

c) – Judas o Galileu líder do partido de resistência dos gaulanitas (At.5.37)

d) – Judas habitante de Damasco onde Saulo foi recolhido (At.9.11);

e) – Judas Barsabás apóstolo da Igreja de Jerusalém (At. 15. 22);

f ) – também no AT o nomes Judas e Judá aparecem varias vezes.

- nada é conhecido sobre a primeira parte da vida de Judas;

- ele é mencionado a primeira vez na escolha dos doze apóstolos (Mt.10.4);

- não há registro do seu chamado no NT, mas é obvio que seguiu a Jesus de livre e espontânea vontade.

- naqueles dias era forte a expectativa de que o Messias estava por vir. Quando ele ouviu falar de Jesus e seus feitos se convenceu que Ele era o Messias esperado. Deixou seus afazeres e o seguiu.

- a primeira referência dele ao lado de Jesus foi quando Maria ungiu o Mestre com um frasco de balsamo de nardo puro. Jo. 12.1-8; Mc.14.3-9; Nesta oportunidade parece que a repreensão de Jesus o desagrada!

- logo após esta cena ele fez o pacto de traição com os sacerdotes. Mc. 14.10-11; Lc. 22.3-6.

- durante a cerimônia do “lava pés” e durante a ultima ceia ele é identificado, por Jesus, como o traidor. Jo. 13.2; 13. 26-30;

- possivelmente, como os demais criam que Jesus era o Messias prometido e que restabeleceria o reino de Israel. Mt. 16.16; Jo. 1.41, 45, 49; 11.27;

JUDAS, UM TESOUREIRO POUCO CONFIÁVEL.

- desde a época de sua vocação até a Semana da Paixão, quase nenhuma menção é feita acerca de Judas Iscariotes.

- o silêncio só é interrompido com a unção de Jesus por Maria em Betânia.

- o grupo todo, ao seguir Jesus, deixava de lado seus afazeres e priorizavam o discipulado, passando a viverem de ofertas. Lc. 8. 3. Assim necessitavam de que alguém fosse o controlador dos recursos que recebiam.

- Judas foi o escolhido Jo. 12. 6, daí aparenta que ele não era alvo da desconfiança dos demais companheiros. No episódio de Betânia apareceu como uma pessoa altruísta e olhando para os necessitados.

- embora ele possa ter a confiança dos pares, não a tinha de Jesus. Se, por exemplo, Pedro desconfiasse que ele iria trair Jesus ele não teria permitido. Mt.26. 22-25.

JUDAS, SEU BREVE APOSTOLADO.

- seu período não foi superior a três anos, função da traição e suicídio. Mas o problema não é o tempo e sim o desempenho dele no ministério.

- teria ele conhecido o sucesso ministerial ao lado dos companheiros? Em algum momento suas interseções teriam curado alguém ou expulso demônios?

- se tomarmos Mt. 10. 5-8 é possível que sim. Ele estava entre os enviados.

- no sermão de Pedro em At. 1. 17 indica que ele teve participação ativa nas ações apostólicas, já que ele era contado entre eles e teve parte no ministério. O texto original sugere que ele tinha a mesma categoria dos demais apóstolos, assim antes do desvio por caminhos tortuosos, logrou reconhecido sucesso em seu apostolado.

JUDAS, SUA TRAIÇÃO.

- O motivo da traição de Judas não é mencionado nos evangelhos. Todavia os dias que antecederam à traição devem ter sido de grande conflito.

- ele como uma testemunha próxima de JESUS presenciou por longos três anos, tanto os ensinos como os milagres do Mestre.

- à medida que o dia se aproximava a ganância e covardia se aguçavam. E eram os seus piores inimigos. Na ultima ceia Jesus o impele a agir Jo. 13.27.

- ele facilitou a captura de Jesus e o identificou Mt.26.47-49; Jo. 18.1-5.

- logo após a traição ele tenta dividir a responsabilidade com os sacerdotes e anciãos do sinédrio Mt. 27. 3-5.

- o que o teria motivado a agir desta maneira tão traiçoeira? Hipóteses:

a) – ele assumiu o árduo compromisso do discipulado, da qual muitos deles haviam abandonado ao longo do caminho Jo. 6. 65-67.

b) – teria sido ele um discípulo sincero a principio, ou já se infiltrara no grupo trazendo consigo seus ímpios intentos?

c) – teria ele planejado friamente sua traição desde o principio, entendendo que Jesus, de alguma maneira, representava um perigo para a nação de Israel. É pouco provável que ele agisse dessa maneira sob-risco.

d) – pode ser que ele estivesse sinceramente motivado em seus objetivos. Ele poderia ser mais um judeu dentre milhares que suspiravam por um libertador nacional, naqueles tempos de opressão romana. Depois se convence que Jesus não era nada disso, aí resolve desertar e tirar proveito financeiro da situação. (Tese do Dr. Russel Shedd). Parece que esta frustração de Judas não se acalentou no coração dos demais apóstolos. Mt.19. 27; 20. 20-23; Lc. 24. 21; At. 1. 6.

e) – muitos adotam a tese da fatalidade, que preferem atribuir à predestinação divina, apoiados na revelação do AT, Sl. 41. 9, Jo. 13. 18.

- qualquer que tenha sido sua motivação depois de executar a traição ele, diante a irreversibilidade do ato, mostrou-se tomado por um grande sentimento de remorso que o precipitou à destruição.

- poderia ser que se tivesse sido tomado por sentimento de arrependimento poderia ter sido salvo como tantos. 2 Co. 7. 9-11.

JUDAS, SEU SUICIDIO E MORTE.

- quando Jesus é condenado veio a ele o remorso e não o arrependimento. Mateus registra que ele se enforcou 27.3-10; Lucas, At. 1.18, 19, que ele morreu em uma queda e romperam-se suas entranhas que se espalharam.

- o dinheiro foi usado para comprar um campo para ser cemitério de estrangeiros, conhecido como Campo de Sangue. At. 1. 18, 19.

- a discrepância entre os dois relatos da morte, seria porque após o suicídio amarrando-se em uma arvore, com a tempestade que sobreveio ele se despencou pelo penhasco rompendo-se seu corpo.

MATIAS, O SUBSTITUTO DE JUDAS.

- enquanto os discípulos aguardavam a descida do Espírito Santo resolveram completar o quadro deles com a saída de Judas. Procuraram então alguém que estivesse com eles desde o inicio e que acompanhara Jesus em sua caminhada, encontraram Matias e José Barsabás.

- o método eleito para a escolha foi o do sorteio, pois criam que assim se manifestaria a vontade de Deus, já que a escolha de um apostolo era tarefa divina. Depois a Igreja cristã não usara mais essa pratica.

- alguns comentaristas julgam duvidosa esta escolha, pois: a) o método era de caráter duvidoso; b) o silencio absoluto sob o ministério de Matias; c) pelo surgimento de Paulo mais adiante. Estas são opiniões frágeis.

- quase nada existe nas escrituras sobre Matias. Somente a tradição eclesiástica registra alguns vestígios sobre sua trajetória. Provavelmente ele estava entre os setenta discípulos enviados por Jesus em Lc. 10.1, aí ele deve ter mostrado suas qualidades de espirituais que fizeram com que ele fosse apontado como um substituto para Judas. Ele se manteve perto do grupo com toda certeza.

- ele provavelmente estava em Jerusalém no Pentecostes. Como judeu deve ter participado da Diáspora. A historia milenar da Armênia aponta Matias como sendo um dos evangelistas pioneiros naquela região, ao lado de André, Bartolomeu, Judas Tadeu e Simão Zelote. Alguns registram que ele teria feito campanha missionária em Damasco, na Síria, na Macedônia e na região da Etiópia.

- uma antiga tradição afirma que Matias foi executado por mãos judaicas em Jerusalém, após retornar de uma campanha missionária na Macedônia, entre os anos de 61 a 64 A.D. Para outras lendas, entretanto, seu martírio se deu em Sebastopol, na Ucrânia, ao sul da Criméia no ano 64 A.D..

Fim.



Baixar 19.5 Kb.

Compartilhe com seus amigos:




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
reunião ordinária
Dispõe sobre
Serviço público
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Universidade estadual
Relatório técnico
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
pregão eletrônico
Curriculum vitae
espírito santo
Sequência didática
Quarta feira
conselho municipal
prefeito municipal
distrito federal
língua portuguesa
nossa senhora
educaçÃo secretaria
Pregão presencial
segunda feira
recursos humanos
educaçÃO ciência
Terça feira
agricultura familiar