Quando estudar se tornou intangível



Baixar 18.08 Kb.
Encontro31.05.2020
Tamanho18.08 Kb.
Quando estudar se tornou intangível

A educação à distância no Brasil vem se expandindo há muitos anos. Desde meados da década de 90, instituições já utilizavam a internet como meio de propagação de artigos acadêmicos e promoção de interações deste cunho1. Atualmente, são milhares de cursos online disponíveis ao grande público, sejam eles gratuitos ou pagos, predominantemente à distância, semipresenciais ou disciplinas extras de cursos presenciais. Com a chegada da quarentena e das recomendações médicas de prevenção ao novo coronavírus, escolas se fecham e a migração da sala de aula física para a virtual se torna uma necessidade em meio a tempos de confinamento. Entretanto, a visão de que as ideias de ensino à distância propostas pelo governo resolvem todos os conflitos gerados pela crise e garantem o funcionamento integral dos corpos discente e docente, beira a utopia.

A desigualdade e irresponsabilidade do sistema educacional brasileiro sempre esteve presente; o Covid-19 foi apenas um fator agravante. Sinais desse comportamento são, por exemplo, a negligência do Ministério da Educação com relação ao adiamento do ENEM e a falta de projetos com alternativas que contemplem alunos – e professores – que não têm acesso a uma internet de qualidade, ou por muitas vezes, a internet alguma.

Professor e Doutor em Filosofia pela USP, Alexandre Filordi deixa claro seu descontentamento com as tentativas do governo de protelar o inevitável congelamento do calendário escolar, principalmente pela imagem da escola como forma de lucro2. Carlos Piazza, professor, autor e escritor, critica a inadaptabilidade da didática docente ante o modelo de aula virtual, tendo em vista as investidas falhas em mimetizar o ambiente da sala de aula física nos aplicativos de conferência online, e o apego a um conceito de ensino que deixou de existir – ou pelo menos deveria3.

Esses fatores, entre outros, tornam os métodos atuais de ensino à distância – assim como a preparação para vestibulares – muito difíceis, e em muitos casos, impossíveis. A precariedade do acesso a informação no Brasil foi acentuada pela atual situação, e muitas discussões já presentes no meio educacional se fortaleceram, na mesma medida que o governo tentou ignorá-las. O vídeo de chamada para as inscrições do ENEM desse ano é um reflexo do elitismo e da inconsequência incrustados no governo brasileiro, que se recusa a enxergar a realidade vivida pela vasta maioria de seus habitantes. Assim como a falta da capacitação devida dos profissionais da área para uma experiência virtual decente, a falta de incentivo aos alunos para o uso das plataformas, o insulto direcionado à ambos ao fechar os olhos para os que não tem condição de acompanhar as aulas digitalmente. O debate vai além, pois também se questiona o que fazer com relação ao nível de ensino infantil e ao ciclo fundamental I, o destino dos alunos deixados para trás no processo de continuação das atividades letivas e também dos professores incapacitados de exercer a profissão, o descaso com a saúde mental dos estudantes e educadores, e assim por diante.

Indubitavelmente, vê-se a insuficiência dos órgãos públicos para tratar do problema que vem sendo o fechamento das escolas. É improtelável a tomada de uma medida que defina de uma vez por todas o destino da educação no decorrer da quarentena, seja essa ação de contemplação de todos os envolvidos no sistema de ensino, ou o cancelamento das atividades letivas e o remanejamento de estratégias para a aplicação do currículo requerido por cada ano ou série. O conceito de escola que conhecíamos foi extinto, agora basta enxergarmos isso.

1 https://www.ead.com.br/ead/como-surgiu-ensino-a-distancia.html

2 https://jornalggn.com.br/a-grande-crise/por-que-a-educacao-deveria-parar-na-quarentena-por-alexandre-filordi/

3 https://www.youtube.com/watch?v=rGqDiBPXvTM [38:16]

Baixar 18.08 Kb.

Compartilhe com seus amigos:




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
reunião ordinária
Dispõe sobre
Serviço público
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Universidade estadual
Relatório técnico
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
pregão eletrônico
Curriculum vitae
espírito santo
Sequência didática
Quarta feira
conselho municipal
prefeito municipal
distrito federal
língua portuguesa
nossa senhora
educaçÃo secretaria
Pregão presencial
segunda feira
recursos humanos
educaçÃO ciência
Terça feira
agricultura familiar