Pesquisa feita pelo Banco de Dados



Baixar 356.62 Kb.
Página3/3
Encontro29.10.2017
Tamanho356.62 Kb.
1   2   3

1º.jul.68 — Militantes do grupo revolucionário Colina (Comando de Libertação Nacional ) matam , por engano, o major alemão Edward von Westernhagen no Rio

02.jul.68 — O presidente Costa e Silva recebe comissão de estudantes e intelectuais formada na

passeata dos 100 mil



04.jul.68 — Costa e Silva sanciona lei que declara 68 municípios como de interesse da segurança

nacional


05.jul.68 — O ministro da Justiça, Gama e Silva, proíbe qualquer tipo de manifestação no país

11.jul.68 — Costa e Silva propõe Estado de Sítio caso as manifestações estudantis continuem

16 a 18.jul.68 — 15 mil metalúrgicos participam de greve em Osasco (SP)

17.jul.68 — Costa e Silva ratifica proibição de manifestações

18.jul.68 — Membros do CCC (Comando de Caça aos Comunistas) invadem e depredam o

Teatro Ruth Escobar , em São Paulo, além de espancar o elenco da peça "Roda Viva"



19.jul.68 — A 9ª Assembléia da CNBB condena a falta de liberdade no país e faz apelo à

não-violência



22.jul.68 — Atentado a bomba contra a sede da ABI (Associação Brasileira de Imprensa),

no Rio


02.ago.68 — Prisão do líder estudantil Vladimir Palmeira, no Rio. Nos dias seguintes, cerca

de 650 estudantes são detidos no Rio e 300 em São Paulo. O Teatro Opinião, no Rio, sofre

atentado a bomba

07.ago.68 — Lançamento do LP "Tropicália"

15.ago.68 — A cidade de São Carlos (SP) é ocupada pela tropa de choque para reprimir

manifestações estudantis e de trabalhadores



17.ago.68 — Dom Hélder Câmara, em João Pessoa (PB), faz advertência contra o emprego da

violência nos movimentos estudantis



19.ago.68 — Bombas explodem em frente ao DOPS e às varas distritais da Lapa e de Santana

20.ago.68 — A Câmara dos Deputados rejeita anistia aos presos em manifestações

25.ago.68 — Em passeata de estudantes em São Paulo, uma bomba atinge a redação do jornal

"O Estado de São Paulo". Em Belo Horizonte, 120 estudantes são presos na Escola de Medicina



29.ago.68 — PM e PF invadem a Universidade de Brasília (UnB), prendem professores e estudantes

e ferem, com um tiro na cabeça, um estudante. A Universidade Federal de Minas Gerais é fechada



02.set.68 — Deputado Márcio Moreira Alves (MDB) faz discurso na Câmara conclamando o povo a

realizar uma boicote ao militarismo nos festejos do dia 7 de setembro. O pronunciamento é

considerado ofensivo pelos ministros militares

13.set.68 — Ministros militares exigem do Congresso que Márcio Moreira Alves seja processado e enquadrado na Lei de Segurança Nacional

29.set.68 — Sob vaias, "Sabiá", de Tom Jobim e Chico Buarque, vence o 3º Festival Internacional

da Canção, no Rio. Geraldo Vandré fica em segundo lugar com a música "Para Não Dizer que Não

Falei nas Flores", considerada subversiva pelo coronel Otávio Costa, que exige a prisão do

compositor



02.out.68 — Confronto entre estudantes da USP e alunos do Mackenzie na rua Maria Antônia

termina com a morte do estudante secundarista José Carlos Guimarães, no dia 3, e o fechamento

da Faculdade de Filosofia da USP

08.out.68 — A atriz Norma Bengel é seqüestrada em São Paulo por um grupo de direita, espancada

e solta no Rio.



12.out.68 — Cerca de 700 estudantes são presos no Congresso clandestino da UNE em Ibiúna

(SP). Em ação da VPR, o capitão do Exército americano Charles Chandler é morto



21.out.68 — Luís Travassos, José Dirceu e Vladimir Palmeira, entre outros detidos em Ibiúna,

são condenados à prisão. Protestos são realizados em todo país nos dias seguintes, assim como

greves em Belo Horizonte, Fortaleza e Aracaju

24.out.68 — A casa do arcebispo dom Hélder Câmara, em Recife, é metralhada

07.nov.68 — É inaugurado a nova sede do Masp (Museu de Arte de São Paulo) na avenida Paulista,

com a presença da rainha Elizabeth 2ª, da Inglaterra



22.nov.68 — É criado o Conselho Superior de Censura

02.dez.68 — Bomba é atirada pelo CCC (Comando de Caça aos Comunistas) no Teatro Opinião,

no Rio.


12.dez.68 — A Câmara dos Deputados rejeita o pedido de autorização para processar o deputado

Márcio Moreira Alves. As Forças Armadas e a Polícia Federal entram em prontidão



13.dez.68 — O governo militar fecha o Congresso, ordena a prisão de Juscelino Kubistchek

e decreta oAto Institucional n.º 5, que cassa dezenas de mandatos, permite intervenção nos

Estados e municípios, suspende garantia de habeas corpus em casos de crime contra a segurança

nacional e confisca bens



22.dez.68 — Caetano Veloso e Gilberto Gil são presos no Rio.

30.dez.68 — É publicada a primeira lista de deputados cassados pós-AI-5

1969 

É criado do Cebrap (Centro Brasileiro de Análise e Planejamento)



16.jan.69 — O governo divulga lista com o nome de 43 políticos que têm seus mandatos

cassados


26.jan.69 — O capitão Carlos Lamarca realiza a "expropriação" de armas e munição do quartel de

Quitaúna, em Osasco (SP)



1º.fev.69 — O AI-6 modifica a estrutura do Supremo Tribunal Federal e transfere para a Justiça

Militar os crimes contra a segurança nacional



07.fev.69 — O Conselho de Segurança Nacional cassa três senadores e 18 deputados do MDB

26.fev.69 — O AI-7 suspende as eleições e o decreto-lei 477 define as infrações de professores e estudantes

02.abr.69 — O AI-8 cria normas para a reforma administrativa

23.abr.69 — Brasil, Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai assinam o Tratado da Bacia do Prata,

que promove a integração da região



25.abr.69 — O AI-9 cria regras para a desapropriação de propriedades rurais

16.mai.69 — AI-10 aposenta centenas de professores em todo o país

26.mai.69 — O padre Antônio Henrique Pereira Neto, da arquidiocese de Olinda e Recife, é

sequestrado e morto por membros do CCC (Comando de Caça aos Comunistas)



26.jun.69 — Chega às bancas o primeiro número do "Pasquim"

1º.jul.69 — É oficialmente criada a Oban (Operação Bandeirantes) dentro do comando do 2º

Exército, em São Paulo. A Oban passa a comandar a repressão contra a guerrilha armada



07.jul.69 — A VPR e o Colina (Comando de Libertação Nacional) fundem-se e criam a

VAR-Palmares (Vanguarda Armada Revolucionária Palmares)



11.jul.69 — Membros do VAR-P assaltam uma agência bancária no Rio e, durante a fuga,

perseguidos pela polícia, matam um motorista de táxi



18.jul.69 — A VAR-P realiza o assalto à casa da amante do ex-governador paulista,

Adhemar de Barros, de onde levam um cofre com US$ 2,8 milhões



14.ago.69 — O AI-11 marca eleição municipais para novembro

15.ago.69 — Membros da ALN tomam a Rádio Nacional, em São Paulo, e divulgam uma

gravação com um manifesto de Carlos Marighella



29.ago.69 — O presidente Costa e Silva é acometido de trombose cerebral

31.ago.69 — É editado o AI-12, que anuncia o impedimento temporário do presidente

Costa e Silva



1º.set.69 — O Brasil passa a ser governado por uma Junta Militar composta pelos ministros

Aurélio Lyra Tavares (Exército), Augusto Rademaker (Marinha) e Márcio de Souza Mello

(Aeronáutica)

1º.set.69 — O "Jornal Nacional", da Rede Globo, é transmitido pela primeira vez

04.set.69 — Guerrilheiros sequestram, no Rio, o embaixador dos EUA no Brasil, Charles

Elbrick.


05.set.69 — Os AIs 13 e 14 estabelecem as penas de morte e de banimento do território

nacional para subversivos



07.set.69 — Charles Elbrick é solto após a libertação de 15 presos políticos, que viajam

para o México



11.set.69 — O AI-15 traz as regras para as eleições municipais

20.set.69 — Decreto-lei 898 estabelece a nova Lei de Segurança Nacional

29.set.69 — Virgílio Gomes da Silva, comandante do seqüestro do embaixador Charles

Elbrick, é preso e morto sob tortura na sede da Oban, em São Paulo



out.69 — A madre Maurina Borges é presa e torturada em Ribeirão Preto (SP)

14.out.69 — O AI-16 declara vagos os cargos de presidente e vice-presidente da República

e marca eleições indiretas para os cargos. O AI-17 permite ao presidente passar para a reserva

militares que "atentem contra a coesão das forças armadas"

15.out.69 — O Congresso, fechado desde a edição do AI-5, é reaberto para realizar a eleição

do sucessor de Costa e Silva



17.out.69 — O governo militar outorga a Emenda Constitucional n.º 1, conhecida como

"Constituição de 69", que fixa o mandato presidencial em cinco anos



25.out.69 — O general Emílio Garrastazu Médici é eleito presidente da República pelo

Congresso



30.out.69 — Médici assume a Presidência. Entra em vigor a nova Constituição

04.nov.69 — Carlos Marighella é morto pela equipe liderada pelo delegado Sérgio Fleury.

O frei Tito de Alencar é preso e torturado por policiais no Deops, em São Paulo



17.dez.69 — Morre o general Costa e Silva

1970

16.jan.70 — Mário Alves, um dos fundadores do PCBR (Partido Comunista Brasileiro

Revolucionário), é preso, no Rio, e morto sob tortura



26.jan.70 — O decreto-lei 1.077 institui a censura prévia a espetáculos e publicações

11.mar.70 — O cônsul japonês Nobuo Okuchi é seqüestrado por integrantes da VPR em

São Paulo



14.mar.70 — Cinco prisioneiros políticos, entre eles a madre Maurina Borges, são soltos

em troca da libertação de Nobuo Okuchi



15.mar.70 — O cônsul japonês é libertado

20.abr.70 — O Exército inicia a Operação Registro, que acaba com a Guerrilha do

Vale do Ribeira, da VPR. Lamarca foge



10.mai.70 — Feito refém no Vale do Ribeira, o tenente do Exército Paulo Mendes Jr.

é morto a coronhadas por integrantes da VPR



mai.70 — O CIE (Centro de Informações do Exército) entra oficialmente em operação

11.jun.70 — O embaixador alemão no Brasil, Ehrenfried Von Holleben, é seqüestrado

no Rio


16.jun.70 — O governo Médici anuncia o Programa de Integração Nacional, que prevê

a construção da rodovia Transamazônica



21.jun.70 — A seleção brasileira conquista o tricampeonato mundial de futebol no México

1º.jul.70 — É seqüestrado um avião da Cruzeiro, em Niterói. Um seqüestrador é morto

09.jul.70 — É criado o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária)

set.70 — A Oban é transformada em DOI—Codi (Destacamento de Operações de Informações

- Centro de Operações de Defesa Interna)



23.out.70 — O dirigente da ALN (Ação Libertadora Nacional) Joaquim Câmara Ferreira, o

Toledo, é preso, torturado e morto por policias do grupo do delegado Fleury, em São Paulo



30.out.70 — Agentes do Doi-Codi invadem a redação de "O Pasquim" e prendem Ziraldo e

outros colaboradores



15.nov.70 — Acontecem eleições para senador, deputados federal e estadual, prefeito e

vereador


07.dez.70 — O embaixador da Suíça, Giovanni Enrico Bucher, é seqüestrado, no Rio, por

militantes da ALN



1971

13.jan.71 — O frei Tito de Alencar é banido do Brasil

16.jan.71 — Enrico Bucher é libertado depois de ser trocado por prisioneiros políticos

20.jan.71 — O deputado Rubens Paiva é preso, no Rio, morto sob tortura e dado como

desaparecido



1º.fev.71 — O Brasil se retira da 3ª Assembléia da OEA (Organização dos Estados Americanos)

por não concordar com o plano conjunto de ação contra o terrorismo



23.mar.71 — O membro da ALN Márcio Leite Toledo é assassinado por companheiros da

organização



15.abr.71 — O industrial Henning Albert Boilesen, presidente da Ultragás e tido como financiador

da OBAN (Operação Bandeirante), é morto em São Paulo



30.mai.71 — O militante da VPR cabo Anselmo é preso pela equipe do delegado Sérgio Fleury,

do Deops paulista. Torturado, passa a ser informante da polícia



20.ago.71 — Iara Iavelberg, companheira de Carlos Lamarca, morre em Salvador

14.jun.71 — O militante do MR-8 Stuart Angel é preso, torturado e morto no Centro de

Informações de Segurança da Aeronáutica (Cisa), na Base Aérea do Galeão, no Rio



17.set.71 — Carlos Lamarca é morto na Bahia

26.nov.71 — O ministro da Aeronáutica, brigadeiro Márcio Sousa Melo, é demitido após a

repercussão da morte de Stuart Angel



1972

mar.72
 — A guerrilha do Araguaia, montada pelo PC do B, é descoberta e começam as

investigações na região de Xambioá (PA)



12.abr.72 — Cerca de 3.000 homens do Exército chegam ao Araguaia e dão início à primeira campanha contra a guerrilha

09.mai.72 — Emenda Constitucional n.º 2 estabelece eleições indiretas para os governos estaduais em 1974

16.jun.72 — Maria Lúcia Petit é morta pelo Exército no Araguaia

jul.72 — Termina a primeira campanha do Exército contra a guerrilha no Araguaia

11.jul.72 — É criada a Telebrás

set.72 — O Exército inicia a segunda campanha no Araguaia, desta vez com 10 mil homens. Após fracassarem na busca aos guerrilheiros, as tropas se retiram da região no fim do mês

05.set.72 — A imprensa é proibida de publicar notícias sobre a Anistia Internacional

27.set.72 — O presidente Médici inaugura o primeiro trecho da rodovia Transamazônica

15.nov.72 — Nas eleições municipais, a Arena elege 80% dos prefeitos

1973

07.jan.73 — Os militantes da VPR Eudaldo Gomes da Silva, Pauline Reichstul, Evaldo Luís

Ferreira de Souza, Jarbas Pereira Marques, José Manoel da Silva e Soledad Barret Viedma são

torturados e mortos no município de Paulista (PE), após informações do cabo Anselmo. O episódio ficou conhecido como "massacre da chácara São Bento"

17.mar.73 — O estudante da USP Alexandre Vanucchi Leme é morto sob tortura no DOI-Codi

de São Paulo



26.abr.73 — Brasil e Paraguai assinam o Tratado de Itaipu para o aproveitamento hidrelétrico

conjunto do rio Paraná



18.jun.73 — O general Ernesto Geisel, presidente da Petrobras, é lançado candidato à

Presidência



04.set.73 — O MDB lança a chapa Ulisses Guimarães-Barbosa Lima Sobrinho como

"anticandidatos" à Presidência



07.out.73 — O Exército inicia a terceira campanha contra a guerrilha do Araguaia

29.nov.73 — Jaime Petit da Silva desaparece depois de tiroteio com tropas do Exército

no Araguaia



30.nov.73 — Sônia Moraes Angel Jones, mulher de Stuart Angel, é morta sob tortura

em São Paulo



out-dez.73 — Primeiro choque do petróleo: a Opep (Organização dos Países

Exportadores de Petróleo) reduz a produção e o preço do produto quadruplica



22.nov.73 — É criada a Lei Fleury, que dá direito ao réu com bons antecedentes de responder

em liberdade aos processos de crimes contra a vida



25.dez.73 — Em emboscada preparada pelo major Sebastião Curió, são mortos Maurício Grabois

e Paulo Mendes Rodrigues, principais comandantes da guerrilha do Araguaia, e ainda Gilberto

Olímpio e Guilherme Gomes Lund

1974

14.jan.74 — Lúcio Petit da Silva desaparece após tiroteio com soldados no Araguaia

15.jan.74 — O general Ernesto Geisel é eleito presidente pelo colégio eleitoral

22.jan.74 — Tem início a censura prévia a rádios e TVs

04.mar.74 — O presidente Médici inaugura a ponte Rio-Niterói

15.mar.74 — O general Ernesto Geisel toma posse na Presidência. O general João Figueiredo

assume a chefia do SNI e Golbery do Couto e Silva, nomeado ministro-chefe do Gabinete Civil,

passa a articular a "abertura" do regime

abr.74 — Osvaldo Orlando da Costa, o Osvaldão, um dos comandantes da guerrilha do Araguaia,

é morto pelo Exército. Sua cabeça é decepada e exposta na base militar de Xambioá



17.mai.74 — Ernesto Geisel e Alfredo Stroessner, presidente do Paraguai, criam a Itaipu

Binacional



11.jun.74 — Morre o ex-presidente da República general Eurico Gaspar Dutra

07.ago.74 — O frei Tito de Alencar suicida-se na França

29.ago.74 — O presidente Geisel define a abertura política como "lenta, gradativa e segura

distensão"



set.74 — A TV Gaúcha transmite o único debate das eleições de 74, entre os candidatos ao

Senado Nestor Jost (Arena) e Paulo Brossard (MDB)



15.nov.1974 — Nas eleições para o Congresso Nacional, o MDB elege 16 de 22 senadores e

conquista 44% das cadeiras da Câmara dos Deputados



1975

mar.1975 — É criado, em São Paulo, o Movimento Feminino pela Anistia, presidido por Teresa Zerbini

15.mar.75 — Os Estados da Guanabara e do Rio de Janeiro se fundem sob nome de Estado do Rio de Janeiro

27.jun.75 — Brasil fecha acordo nuclear com a Alemanha

18.jul.75 — Morre o marechal Juarez Távora, que ajudara a formar a Coluna Prestes

25.out.75 — O jornalista Vladimir Herzog é assassinado sob tortura nas dependências do DOI-Codi.

O boletim da polícia apresenta a versão de que Herzog se enforcara



31.out.75 — Mais de 10 mil pessoas participam de um ato ecumênico na Catedral da Sé em memória

de Herzog



07.dez.75 — Morre o jornalista e escritor Plínio Salgado, fundador da Ação Integralista Brasileira

(AIB)


1976

17.jan.76 — O metalúrgico Manuel Fiel Filho é encontrado morto nas dependências do DOI-Codi.

A explicação para a morte do operário é que ele teria se suicidado



19.jan.76 — O presidente Geisel demite o general Ednardo D`Ávila Mello do comando do 2º

Exército após a repercussão da morte de Manuel Fiel Filho



14.abr.76 — A estilista Zuzu Angel, que ficou conhecida por denunciar a tortura, morte e

ocultação do cadáver de seu filho, Stuart Angel, é morta por agentes da repressão



1º.jul.76 — O presidente Geisel sanciona a "Lei Falcão", que altera o Código Eleitoral reduzindo

a níveis mínimos a propaganda política no rádio e na televisão



19.ago.76 — Uma bomba explode na ABI, no Rio. Na sede da OAB (Ordem dos Advogados do

Brasil), também no Rio, é encontrada outra bomba, que só não explodiu porque o pavio apagou.

Os atentados são reivindicados pela organização de direita Aliança Anticomunista Brasileira

22.ago.76 — O ex-presidente da República Juscelino Kubitschek morre em acidente de carro

11.out.76 — O padre João Bosco Penido Burnier é morto por policiais em Ribeirão Bonito (MT)

quando visitava uma cadeia pública acusada de torturar presos



15.nov.76 — Ocorrem as eleições municipais para vereador

06.dez.76 — Morre o ex-presidente da República João Goulart

16.dez.76 — Em episódio que fica conhecido como "chacina da Lapa", agentes da repressão

abrem fogo contra uma casa em São Paulo onde estavam reunidos militantes do PCdoB.

Pedro Pomar e Ângelo Arroyo, dirigentes do partido, morrem no local

1977 

fev.77 — O Brasil manda sua primeira delegação oficial a Cuba desde 1964

30.mar.77 — O anteprojeto da reforma do Poder Judiciário elaborado pelo governo é levado

à votação no Congresso, mas não obtém os dois terços necessários à sua aprovação



1º.abr.77 — O presidente Ernesto Geisel fecha o Congresso

14.abr.77 — Geisel baixa o Pacote de Abril, que promove a reforma do Judiciário, estabelece

o mandato presidencial em seis anos e cria o cargo de senador biônico



05.mai.77 — Em protesto contra a prisão de estudantes e operários, cerca de 7.000 estudantes

tentam fazer passeata do Largo São Francisco à Praça da República. Ao chegarem ao Viaduto do

Chá, entretanto, uma barreira policial comandada pessoalmente por Erasmo Dias impede o

progresso dos manifestantes



21.mai.77 — Morre o político e jornalista Carlos Lacerda

07.jun.77 — Mais de 2.500 assinam manifesto da ABI contra a censura

23.jun.77 — O Congresso aprova emenda constitucional do senador Nélson Carneiro que

institui o divórcio



22.set.77 — Sob o comando de Erasmo Dias, a PM invade a PUC-SP e prende cerca de mil

pessoas que participavam de um encontro nacional de estudantes



11.out.77 — É sancionada a lei que cria o Estado do Mato Grosso do Sul

12.out.77 — O presidente Geisel exonera o ministro do Exército, Sílvio Frota, aspirante a

candidato à Presidência e opositor da distenção política empreendida por Geisel



31.dez.77 — Geisel comunica formalmente que o general João Baptista Figueiredo, chefe do SNI,

será indicado como seu sucessor



1978

3.jan.78 — Insatisfeito com a indicação de Figueiredo à sucessão presidencial, o chefe do

Gabinete Militar, Hugo Abreu, pede demissão



14.fev.78 — É fundado o Comitê Brasileiro pela Anistia (CBA) do Rio de Janeiro

29.mar.78 — O presidente dos EUA, Jimmy Carter, chega ao Brasil, é saudado por Geisel e recebe,

de pessoas contrárias ao regime, documentos sobre violação de direitos humanos no país



12.mai.78 — Metalúrgicos da Scania, em São Bernardo do Campo, iniciam a primeira greve do país

após o AI-5. É criado o CBA de São Paulo, do Distrito Federal e outros estados



26.mai.78 — O movimento grevista do ABC chega a São Paulo com a paralisação na Toshiba

12.jun.78 — É fechado acordo coletivo entre o Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo e

Diadema e empresas



9.set.78 — O 1º Encontro Nacional de Movimentos pela Anistia aprova a Carta de Salvador,

na qual pedem uma anistia ampla, geral e irrestrita



1º.set.78 — O Colégio Eleitoral paulista elege Paulo Maluf (Arena) governador do Estado.

Nenhum delegado do MDB comparece à votação



13.out.78 — É promulgada emenda constitucional que extingue o AI-5 a partir de 1º de

janeiro de 1979



15.out.78 — O general João Baptista Figueiredo é eleito presidente da República pelo

Colégio Eleitoral



27.out.78 — A Justiça responsabiliza a União pela morte do jornalista Vladimir Herzog

05.nov.78 — Encerra-se o 1º Congresso Nacional pela Anistia, em São Paulo

15.nov.78 — Ocorrem eleições para o Congresso. A Arena elege mais representantes,

mas o MDB vence na soma total de votos para o Senado e permanece majoritária nos principais

Estados do país

27.dez.78 — Entra em vigor a nova Lei de Segurança Nacional

29.dez.78 — Geisel assina decreto que revoga o banimento de 126 brasileiros e extingue a

CGI (Comissão Geral de Investigação), dando o golpe de misericórdia no AI-5



1979

São realizados três encontros nacionais de Movimentos pela Anistia



11.fev.79 — O CBA-SP consegue exibir, no estádio do Morumbi, durante jogo entre Corinthians

e Santos, uma grande faixa com os dizeres "Anistia ampla, geral e irrestrita", no meio da torcida

corintiana. A faixa é transmitida pelas redes de televisão que exibem o jogo e os jornais do dia

seguinte circularam com fotos do fato



13.mar.79 — 180 mil operários fazem greve em São Bernardo do Campo

15.mar.79 — O presidente Figueiredo toma posse

1º.mai.79 — 130 mil pessoas se reúnem no estádio de Vila Euclides, em São Bernardo do

Campo, em um evento organizado por 50 sindicatos e entidades de base. Em Ilhabela, litoral

paulista, morre o delegado Sérgio Fleury

31.mai.79 — A arenista Eunice Michiles toma posse no Senado como a primeira senadora da

história do país



30.jun.79 — Encerra-se em Roma (Itália) a Conferência Internacional pela Anistia no Brasil,

que reforça a intenção de uma anistia ampla, geral e irrestrita no país



17.ago.79 — É fundada a Associação Nacional de Jornais (ANJ)

21.ago.79 — Um ato público em favor da Anistia reúne cerca de 5.000 pessoas na Praça da Sé,

em São Paulo



28.ago.79 — O presidente Figueiredo sanciona a Lei de Anistia. Segundo o Superior Tribunal

Militar, a lei beneficia 4.650 pessoas entre cassados, banidos, presos, exilados ou simplesmente

destituídos de seus empregos

6.set.79 — O ex-governador Leonel Brizola retorna ao país, após 15 anos de exílio

15.set.79 — O ex-governador de Pernambuco, Miguel Arraes, e o ex-deputado federal,

Márcio Moreira Alves, voltam do exílio



20.out.79 — Luiz Carlos Prestes desembarca no aeroporto do Galeão, no Rio, e é recebido por

cerca de 10 mil pessoas



nov.79 — O 2º Congresso Nacional pela Anistia delibera que os CBAs deveriam se juntar aos

movimentos populares exigindo a total redemocratização do país



21.nov.79 — Congresso aprova emenda que extingue a Arena e o MDB

30.nov.79 — Em Santa Catarina, Figueiredo ameaça agredir manifestante que o teria

ofendido


1980 

jan.80 — Descoberta de ouro na Floresta Amazônica leva cerca de 25 mil garimpeiros ao sul do

Pará e, com pás e picaretas, escavam um gigantesco labirinto na região, que recebe o nome de Serra

Pelada. Em um ano, o local produz 50 milhões de dólares em pepitas

2.jan.80 — Leonel Brizola e Ivete Vargas solicitam, no mesmo dia, o registro do PTB (Partido

Trabalhista Brasileiro) no TSE



24.jan.80 — Conselho Superior de Censura libera a peça "Calabar", de Chico Buarque e Rui

Guerra


27.jan.80 — Bomba explode durante ensaio da Escola de Samba Acadêmicos do Salgueiro,

onde haveria ato de apoio à fundação do PMDB



10.fev.80 — É aprovado o manifesto de criação do PT (Partido dos Trabalhadores)

12.fev.80 — Senador Tancredo Neves lança plano de ação política do Partido Popular

12.fev.80 — O cientista Albert Sabin abandona o cargo de consultor especial do Ministério da

Saúde após denunciar o governo do ex-presidente Médici de manipular dados referentes às

condições de saúde no país entre 1969 e 1973

21.mar.80 — Estudantes protestam contra ameaça do governo de demolir sede da UNE no

Rio de Janeiro



1º.abr.80 — Trezentos e trinta mil metalúrgicos do ABC e de outras 15 cidades do interior de

São Paulo entram em greve



14.abr.80 — Libertada a brasileira Flávia Schilling, depois de mais de sete anos presa em cadeias

uruguaias



19.abr.80 — Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo e Diadema, Luíz Inácio

da Silva, o Lula, e outros 10 dirigentes sindicais são presos pelo Dops paulista com base na

LSN (Lei de Segurança Nacional)

8.mai.80 — TSE dá a Ivete Vargas o registro do PTB

19.mai.80 — Luis Carlos Prestes é destituído da secretaria-geral do PCB

20.mai.80 — Lula é libertado

23.mai.80 — Protesto durante visita do presidente João Figueiredo a Ribeirão Preto (SP) resulta

na prisão de 80 estudantes



26.mai.80 — Leonel Brizola funda o PDT (Partido Democrata Trabalhista)

21.jun.80 — Manifestantes são agredidos por vaiar o governador Paulo Maluf durante visita ao

bairro da Freguesia do Ó, em São Paulo



25.jun.80 — Lula é eleito presidente do PT

2.jul.80 — O jurista Dalmo Dallari, presidente da Comissão Justiça e Paz, é seqüestrado e

espancado em São Paulo por um grupo de extrema-direita



21.jul.80 — Bomba explode em banca de jornais do Itaim Bibi, em São Paulo, na tentativa

de impedir a distribuição de publicações de esquerda



11.ago.80 — Ato na PUC-SP contra a onda de atentados da extrema direita no país é dissolvido

pela polícia com pó-de-mico



14.ago.80 — Formada em Belo Horizonte (MG) a primeira CPI (Comissão Parlamentar de

Inquérito) do país sobre violência política



27.ago.80 — Bomba explode na sede da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), no Rio de

Janeiro, e mata a funcionária Lyda Monteiro da Silva. Outras bombas são enviadas ao gabinete

do vereador do Rio, Antonio Carlos de Carvalho, e ao jornal "Tribuna da Luta Operária"

8.out.80 — Libertado José Sales de Oliveira, último preso político no Brasil, em Fortaleza (CE)

10.out.80 — O deputado Francisco Pinto (PMDB-BA) é preso, com base na LSN, por discurso

ofensivo ao general chileno Augusto Pinochet



13.nov.80 — Aprovada no Congresso Nacional emenda constitucional que estabelece eleições

diretas para os governadores de Estado e que acaba com a nomeação de senadores biônicos

17.dez.80 — União é responsabilizada pela morte, em 1976, do operário Manuel Fiel Filho, no

Doi-Codi de São Paulo



26.dez.80 — Com base na legislação militar, o governo pune os generais Andrada Serpa e

Euler Bentes Monteiro por suas críticas ao modelo econômico brasileiro brasileiro



1981

25.fev.81 — Lula e ex-dirigentes sindicais são condenados a três anos de prisão por

greve no ABC, em 1980



26.mar.81 — Bombas são colocadas na oficina do jornal "Tribuna da Imprensa", no Rio, na

sede da "Tribuna de Vitória" (25 de maio) e na sede da "Hora do Povo" (2 de maio), em

São Paulo

19.abr.81 — Ivete Vargas é eleita presidente do PTB

30.abr.81 — Duas bombas explodem em um carro no Riocentro, durante show do Dia do

Trabalho, matando o sargento Guilherme do Rosário e ferindo o capitão Wilson Machado



2.jun.81 — PF divulga lista de comunistas, que inclui Fernando Henrique Cardoso, Eduardo

Suplicy e Chico Buarque



25.jun.81 — Jânio Quadros deixa o PTB

12.jul.81 — Leonel Brizola é eleito presidente do PDT

14.jul.81 — Volkswagen, com a produção paralisada, dá férias a 12 mil trabalhadores

6.ago.81 — General Golbery do Couto e Silva renuncia à chefia do Gabinete Civil

21 a 23.ago.81 — Acontece a 1º Conclat (Conferência Nacional das Classes Trabalhadoras),

na Praia Grande (SP)



12.set.81 — Presidente Figueiredo inaugura, em Brasília, o Memorial JK

18.set.81 — Presidente Figueiredo sofre enfarte e o vice-presidente Aureliano Chaves

assume o poder



2.out.81 — STM (Superior Tribunal Militar) arquiva o IPM (Inquérito Policial Militar) do

Riocentro, após quatro meses de investigações



4.nov.81 — Jânio Quadros volta ao PTB

12.nov.81 — UNE faz seu 33º Congresso em Cabo Frio

18.nov.81 — Estudantes jogam ovos no ex-secretário americano Henry Kissinger, na

Universidade de Brasília



1º.dez.81 — O juiz Osvaldo Moacir Álvares, da 2ª Vara Federal de Porto Alegre, responsabiliza

União por torturas a Hilário Gonçalves Pinha, em 1975, no Dops de Porto Alegre (RS)



20.dez.81 — Inviabilizado pela Justiça Eleitoral, o PP de Tancredo Neves se une ao PMDB

22.dez.81 — Sancionada a lei que transforma, em 1982, o território de Rondônia em Estado

1982

11.jan.82 — Congresso aprova projeto de reforma eleitoral

11.jan.82 — TSE concede registro definitivo ao PT

22.mar.82 — Reynaldo de Barros (PDS) e André Franco Montoro (PMDB), candidatos ao governo

do Estado de São Paulo, realizam o primeiro debate na TV após a suspensão da proibição imposta

pela Lei Falcão

5.abr.82 — "Pra Frente, Brasil", filme de Roberto Farias, é censurado por mostrar tortura nos anos

70

27.mai.82 — Dops (Departamento de Ordem Política e Social) do Rio Grande do Sul é o primeiro

a ser extinto

21.jun.82 — Padres franceses Aristides Camio e François Gourion são condenados pela LSN

(Lei de Segurança Nacional) por incitarem posseiros a embosca contra policiais e técnicos do

governo, no Pará

2.set.82 — TSE (Tribunal Superior Eleitoral) proíbe debates políticos na TV

25.out.82 — Corpo do jornalista Alexandre von Baumgarten é encontrado na Praia da Macumba

(RJ) ao lado de carta em que acusa o general Newton Cruz de tramar sua morte



15.nov.82 — Eleições diretas para governadores, senadores, prefeitos e deputados federais e

estaduais, exceto nas áreas de segurança



27.nov.82 — Leonel Brizola é prejudicado pela Proconcult, empresa contratada para apurar

eleições no Rio de Janeiro, confirmando suas suspeitas de fraude na contagem de votos, mas é

eleito governador

13.dez.82 — Presos 91 militantes do Partido Comunista por participarem do 7º Congresso do PCB,

em São Paulo



1983

31.jan.83 — Dossiê atribuído ao jornalista Alexandre Baumgarten responsabiliza generais do

SNI por sua morte



02.mar.83 — O deputado Dante de Oliveira (PMDB) apresenta no Congresso Nacional emenda que estabelece as eleições diretas para Presidência da República

4.mar.83 — Deops de São Paulo é extinto

11.mar.83 — Grampo telefônico é descoberto no gabinete do presidente João Figueiredo

4.abr.83 — Desempregados provocam tumulto e derrubam parte da cerca do Palácio dos

Bandeirantes, em São Paulo



7.abr.83 — Desempregados iniciam onda de saques no Rio de Janeiro

23.mai.83 — PDS e PTB firmam pacto de apoio ao governo

21.jun.83 — Tribunal Federal de Recursos mantém sentença que responsabiliza a União

pela morte dojornalista Wladimir Herzog



28.jun.83 — Os governadores Franco Montoro (PMDB-SP), Leonel Brizola (PDT-RJ) e o presidente

do PT, Luíz Inácio Lula da Silva, reúnem-se no Rio para criar frente suprapartidária pela volta das

eleições diretas

21.jul.83 — Primeira greve geral da abertura política

26.ago.83 — Congresso de fundação da CUT (Central Única dos Trabalhadores), em São Paulo

14.nov.83 — Carro-bomba explode no estacionamento do jornal "O Estado de São Paulo"

27.nov.83 — Manifestação pró-eleições diretas organizada pelo PT reúne 10 mil pessoas na praça

Charles Muller, em São Paulo; no mesmo dia morre o senador Teotônio Vilela que, mesmo com

câncer, percorreu o país pregando a volta da democracia

30.nov.83 — Câmara aprova criação do Estado de Tocantins

17.dez.83 — Padres franceses Camio e Gouriou, e mais 13 posseiros são libertados

1984

12.jan.84 — Comício reúne 60 mil pessoas em Curitiba (PR) e lança campanha Diretas-Já

23.jan.84 — Encontro dos sem-terra, em Cascavel (PR), cria MST (Movimento dos

Trabalhadores Rurais Sem Terra)



25.jan.84 — Cerca de 300 mil pessoas realizam um comício pelas Diretas—Já na Praça da Sé,

em São Paulo



10.abr.84 — Comício reúne quase 1 milhão pelas Diretas-Já, na Candelária, Rio de janeiro

16.abr.84 — Mais de 1 milhão de pessoas ocupam o Vale do Anhangabaú, em São Paulo, pelas

Diretas-Já



18.abr.84 — O presidente Figueiredo decreta medidas de emergência no Distrito Federal,

Goiânia e mais nove municípios de Goiás, em função da votação da emenda Dante de Oliveira,



marcada para dia 25 de abril

24.abr.84 — Panelaço nas principais cidades brasileiras pelas Diretas-Já







25.abr.84 — Congresso Nacional rejeita a emenda Dante de Oliveira, que previa eleições diretas para a presidência

26.abr.84 — General Newton Cruz ordena cerco a uma passeata de protesto dos estudantes da UnB (Universidade de Brasília), frustrados com a derrota da emenda, e a invasão de uma escola na qual os estudantes tinham se refugiado; o presidente da UNE é preso



15.mai.84 — Bóias-frias fazem greve em Guariba (SP) e reivindicam melhores salários e

condições de trabalho. Após invadirem as cidades de Guariba e Bebedouro (SP), e de choques

com soldados, o movimento incendeia canaviais para ser atendido

19.jun.84 — Registrada a primeira greve da história da CSN (Companhia Siderúrgica

Nacional)



5.jul.84 — José Sarney, Marco Maciel e Aureliano Chaves, do PDS, rompem com o governo e

formam a Frente Liberal



23.jul.84 — PMDB e Frente Liberal assinam aliança para a candidatura Tancredo-Sarney à

Presidência da República



11.ago.84 — Paulo Maluf é candidato à presidência pelo PDS

12.ago.84 — Aprovada a candidatura de Tancredo Neves à presidência

15.out.84 — Cinco governadores do PDS aderem à candidatura de Tancredo

12.dez.84 — Mesa do Senado opta pelo voto aberto no Colégio Eleitoral

1985

15.jan.85 — Colégio Eleitoral elege Tancredo Neves, do PMDB, presidente do Brasil, por

480 votos contra 180 de Paulo Maluf (PDS)



16.jan.85 — PT expulsa três deputados que participaram do Colégio Eleitoral

24.jan.85 — É criado o PFL (Partido da Frente Liberal)

14.mar.85 — Na véspera de tomar posse, o presidente Tancredo Neves é internado no Hospital

de Base de Brasília, onde é submetido a uma operação abdominal



15.mar.85 — Toma posse o vice-presidente José Sarney

19.mar.85 — Anistiados 164 sindicalistas destituídos de seus mandatos, entre eles Luiz Inácio

Lula da Silva



21.abr.85 — Morre o presidente Tancredo Neves

8.mai.85 — Aprovado, pelo Congresso, emenda constitucional que estabelece eleições diretas

 para a Presidência da República e prefeituras, estende o voto aos analfabetos e legaliza os



partidos comunistas

Autores
André Luiz Ghedine
Danilo Janúncio Alves
Elaine Muniz Pires
Sérgio Bechara


Baixar 356.62 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
Dispõe sobre
reunião ordinária
Serviço público
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Relatório técnico
Universidade estadual
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
espírito santo
pregão eletrônico
Curriculum vitae
Sequência didática
Quarta feira
prefeito municipal
distrito federal
conselho municipal
língua portuguesa
nossa senhora
educaçÃo secretaria
segunda feira
Pregão presencial
recursos humanos
Terça feira
educaçÃO ciência
agricultura familiar