O serviço nacional de aprendizagem rural senar, criado pela Lei nº 8



Baixar 248.4 Kb.
Página1/4
Encontro29.10.2017
Tamanho248.4 Kb.
  1   2   3   4
O SENAR
O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL – SENAR, criado pela Lei nº 8.315, de 23/12/91, é uma entidade de direito privado, paraestatal mantida pela Classe Patronal Rural, vinculado à Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil - CNA e administrado por um Conselho Deliberativo (Tripartite). Integra o chamado Sistema S e tem a função de cumprir a missão estabelecida pelo seu Conselho Deliberativo, composto por representantes do Governo Federal, da Classe Patronal Rural e da Classe Trabalhadora.

A missão do SENAR é realizar educação profissional e promoção social das pessoas do meio rural, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e para o desenvolvimento sustentável do país. Vale ressaltar que, ao profissionalizar e oferecer atividades de promoção social no meio rural, nas modalidades estabelecidas, a Instituição contribui efetivamente para o aumento de renda, integração e ascensão social das pessoas, a partir dos princípios de sustentabilidade, produtividade e cidadania, colaborando também para o desenvolvimento socioeconômico do país.

O SENAR tem como princípios: organizar, administrar, executar e supervisionar, em todo o território nacional, o ensino da formação profissional rural e a promoção social das pessoas no meio rural com base nos princípios da livre iniciativa e da economia de mercado. Ainda com base nas urgências sociais, tem o objetivo de aprimorar as estratégias educativas e difundir metodologias para ofertar ações adequadas de formação profissional rural- FPR e promoção social-PS ao seu público, além de assessorar os Governos Federais e Estaduais em assuntos relacionados à FPR e atividades assemelhadas, buscando expandir parcerias e consolidar alianças públicas e privadas com o objetivo de cumprir a missão institucional, estimulando a pesquisa e garantindo o acesso à inovação rural. Intenta, ainda, fortalecer e modernizar o sistema sindical, além de aperfeiçoar os mecanismos de planejamento, monitoramento e avaliação de desempenho institucional, promovendo a cidadania, a qualidade de vida e a inclusão social.
As ações desenvolvidas pelo SENAR baseiam-se, também, em diretrizes vinculadas às estratégias de gestão, considerando a realidade local, respeitando os interesses e necessidades dos produtores e trabalhadores rurais, o perfil profissional da ocupação demandada pelo mercado de trabalho e utilizando múltiplas estratégias metodológicas e pedagógicas para o alcance. Dentro das diretrizes ainda está prevista a divulgação ampla e irrestrita dos serviços, a certificação dos participantes dos processos educativos, e o intercâmbio técnico-educacional visando à aquisição e o compartilhamento de expertises e ação conjunta.
O público do SENAR são as pessoas do meio rural associadas, direta ou indiretamente, aos processos produtivos agrossilvipastoris e as turmas são compostas por participantes com idade compatível com a natureza do curso e respeitando-se a legislação vigente, primando pela adesão daquelas que pretendam exercer atividades no meio rural.

A Administração Central em Brasília oferece suporte administrativo, metodológico, pedagógico e jurídico, além de realizar a interface com os órgãos federais, instituições nacionais e internacionais ligadas à educação e ao trabalho. Irradia, também, experiências exitosas das e para as Administrações Regionais, uma em cada estado, que oferecem ao público, em todo o Brasil, ações de FPR voltadas para quase 200 profissões do meio rural e atividades de PS em áreas como educação, saúde, artesanato, cultura, esporte e lazer, que visam a desenvolver competências pessoais que contribuam para o avanço socioeconômico dos cidadãos do campo.


Cada Administração Regional do SENAR oferece ao seu público uma oferta educativa variada, específica e definida em planejamento anual de trabalho, composto com base nas necessidades de FPR e PS dos municípios e do estado.

A fim de viabilizar a execução dos eventos da FPR e PS, por não disporem de instalações físicas ou centros de treinamentos próprios, com a exceção de Bahia e Paraná, as Administrações Regionais do SENAR estabelecem parcerias com entidades; Sindicatos Rurais; Associações de Produtores; Entidades de Classe Organizadas; Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, Órgãos de assistência técnica e outros, que possam ajudá-las a alcançar a clientela de maneira abrangente e efetiva no maior número possível de municípios do país e estabelecer os cenários pedagógicos para a realização da oferta formativa. Essas entidades, por seu poder de atuação como lideranças locais e junto aos seus associados de modo geral, atingem a capilaridade almejada pela Instituição e contribuem para o processo de levantamento de necessidades locais de capacitação profissional e promoção social além de realizar a mobilização e composição das turmas. O processo de escolha, capacitação e acompanhamento das entidades parceiras é criterioso e constante, para que se mantenham os níveis de qualidade dos serviços educativos prestados.

Diversos agentes atuam no processo de planejamento, operacionalização e avaliação da ação educativa do SENAR. São os Superintendentes e as equipes técnicas das Administrações Regionais, os supervisores, os instrutores e os mobilizadores. Cada um possui importantes funções específicas, que se complementam para atender às necessidades do público do SENAR com qualidade.

O agente “Mobilizador” atua de forma efetiva junto ao público da Instituição e tem atribuições específicas que se referem ao levantamento de necessidades, à seleção de pessoas e composição de turmas, além da preparação do cenário educativo.

O agente “Supervisor” tem a importante função de ser o elo entre os demais agentes, a Instituição e os parceiros, atuando de forma educativa, preventiva e corretiva.

O agente “Instrutor” é o mediador do conhecimento e da prática profissional junto aos participantes dos eventos. São profissionais multidisciplinares, como agrônomos, veterinários, zootecnistas, técnicos agrícolas, artesãos, profissionais da saúde, etc., que são selecionados por cada Administração Regional e passam por um processo de cadastramento, credenciamento, formação e supervisão.

As vertentes de trabalho do SENAR; a FPR e a PS constituem-se em processos educativos que contam com a participação desses diversos agentes e que são realizados mediante um planejamento estratégico que vislumbra as necessidades do mercado de trabalho, as expectativas profissionais e sociais do público alvo e a missão do SENAR.

Para o SENAR, o Processo da FPR e da PS representa um conjunto de procedimentos de planejamento, operacionalização e avaliação ordenados e que orientam a realização das ações das duas vertentes. Constitui um roteiro de trabalho da organização, permitindo, assim, uma visão ampla das atividades desenvolvidas em todas as suas etapas e fases.

O Processo considera a missão, os princípios e as diretrizes do SENAR; as políticas nacionais de desenvolvimento socioeconômico, como também as políticas nacionais, estaduais, municipais, institucionais e as recomendações internacionais; a legislação vigente concernente ao mundo da educação e do trabalho, os recursos financeiros, os materiais e o contingente humano da organização como entradas do processo. Além disso, vale-se das experiências vivenciadas anteriormente pela organização para retroalimentar as etapas, fases e atividades realizadas ao longo do processo.

A FPR, vertente onde se situa a oferta dos cursos do PRONATEC, é definida como um processo educativo e democrático que considera o mundo em permanente processo de mudança. Vincula-se diretamente ao universo do trabalho e está associada à informação e à orientação profissional, centrada, portanto, em ocupações reconhecidas no mercado de trabalho rural para a definição das ofertas educativas que devem ser adequadas ao nível tecnológico destas ocupações. Possui identidade e características próprias, objetivos profissionalizantes e conteúdos ocupacionais centrados no processo de trabalho, resultando, por consequência, em ganhos e aumento de produtividade para o produtor e trabalhador rural.


Para ofertar os cursos, o SENAR desenvolve e dissemina metodologia educacional própria, baseada em princípios pedagógicos e andragógicos, referentes à educação de adultos, considerando as especificidades das populações do campo, e que primam por estratégias que aliam teoria e prática e a experiência do educando à do educador, fazendo com que o participante contextualize e aplique de forma efetiva e eficaz as suas competências nos exercícios laborais e na vida em sociedade.
Para as ações do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego-PRONATEC, criado em 26 de outubro de 2011 por meio da Lei 12.513, o público do SENAR será constituído pelas pessoas cadastradas pelas entidades demandantes. A legislação prevê cursos de formação inicial e continuada (FIC) ou qualificação profissional, que constitui a atual oferta da Instituição, além de cursos de educação profissional técnica de nível médio. O PRONATEC atenderá prioritariamente as pessoas que se encontram em situação de fragilidade socioeconômica, para quem a qualificação

profissional pode aumentar a possibilidade de colocação no mercado de trabalho e, em consequência, melhorar as condições de vida. Pela legislação, o referido público é formado por estudantes do ensino médio da rede pública (inclusive de educação de jovens e adultos), trabalhadores (inclusive agricultores familiares, silvicultores, aquicultores, extrativistas e pescadores), beneficiários dos programas federais de transferência de renda (Bolsa Família e Benefício de Prestação Continuada) e estudantes que tenham cursado o ensino médio completo em escola da rede pública ou em instituições privadas na condição de bolsista integral.


O SENAR aderiu ao PRONATEC em dezembro de 2011 e desde o início da execução das vagas pactuadas, em de 2012, capacitou quase 20.000 pessoas. Em 2013, foram 38.000 vagas, e para 2014 a meta é oferecer 80.000 vagas – por status de aprovação pelos parceiros demandantes, em cursos distribuídos nos seguintes eixos tecnológicos:

  • Recursos Naturais

  • Produção Alimentícia

  • Controle e Processos Industriais

  • Informação e Comunicação

  • Gestão e Negócios

  • Turismo, Hospitalidade e Lazer

  • Produção Cultural e Design

  • Infraestrutura

Desta forma, a Instituição cumpre a função de levar ao público que está inserido ou vislumbra inserir-se nos processos produtivos agrossilvipastoris, as informações e vivências práticas necessárias para que possam fazê-lo com efetiva capacidade de geração de renda, qualidade de vida e desenvolvimento profissional e pessoal.

GUIA FIC – 3ª EDIÇÃO

PRONATEC SENAR – 2013

Bolsa Formação Trabalhador – Portfólio de Cursos de Formação Inicial e Continuada - FIC



Eixo Tecnológico: Produção Alimentícia

PRODUTOR DE EMBUTIDOS E DEFUMADOS

Carga Horária: 160 horas

Escolaridade Mínima: Ensino Fundamental II incompleto

Ementa: Prepara instalações, utensílios, vasilhames e equipamentos para a fabricação de embutidos e transforma a matéria prima. Atua na moagem da carne, no congelamento, no armazenamento, no descongelamento, na formulação, no embutimento e na maturação, obtendo vários tipos de produtos embutidos e defumados.

Referencial Classificação Brasileira de Ocupações – CBO para a composição do Projeto Pedagógico

CBO – Família Ocupacional 8481 – Trabalhadores artesanais na conservação de alimentos

Títulos: 8481-05 - Defumador de carnes e pescados

  1. Dados de Identificação do curso

Denominação do curso: Produtor de Embutidos e Defumados

Local de oferta: Sindicatos Rurais, Escolas Municipais de ensino fundamental e Estaduais de Ensino Médio, CRAS (Centros de Referência e Assistência Social), Prefeituras Municipais, Associações de Pais e Mestres, Empresas de Viveiros e de produção de mudas, propriedades rurais, cooperativas, etc.

Modalidade: presencial

Turno(s) de oferta: manhã, tarde e noite

Nº de vagas disponíveis: Conforme pactuação em vigor no SISTEC na data.

de alunos por turma: De 12 a 18, em média. A depender do curso. Mensurar de acordo com a idade dos participantes, periculosidade dos procedimentos, etc.

Carga horária total: 160 horas

Data de elaboração do projeto: Setembro de 2013

  1. Apresentação do Curso

O curso voltado para formar o Produtor de Embutidos e Defumados visa trabalhar as competências básicas, específicas e de gestão necessárias à realização, com pró-atividade, autonomia, segurança e qualidade, das atividades inerentes ao exercício da referida profissão. Tais atividades dizem respeito à preparação das instalações, utensílios, vasilhames e equipamentos para a fabricação de embutidos e transformação da matéria prima, atuando na moagem da carne, no congelamento, no armazenamento, no descongelamento, na formulação, no embutimento e na maturação, obtendo vários tipos de produtos embutidos e defumados.

A programação deve abranger todas as principais competências da ocupação possibilitando que o participante conjugue conhecimento e prática, mas respeitar os limites de profundidade de conteúdo, uma vez que se trata de qualificação básica, que abre caminhos para ofertas formativas complementares.


Competências que deverão ser evidenciadas ao final da capacitação em ordem de prioridade:

  • Competências técnicas

  • Competências de educação permanente

  • Competências sociais e interpessoais

  • Valores humanísticos




  1. Caracterização dos locais de realização:

Como o SENAR não dispõe de Escolas ou Centros de Treinamentos próprios, o local de realização das aulas práticas e teóricas dos cursos é acordado com os parceiros demandantes, propriedades rurais credenciadas e outros espaços cedidos para a realização no próprio local de trabalho das aulas, que poderão acontecer em Sindicatos Rurais, Escolas Municipais de ensino fundamental e Estaduais de Ensino Médio, CRAS (Centros de Referência e Assistência Social), Prefeitura, Associações de Pais e Mestres, Empresas produtoras de sementes e mudas, Propriedades rurais de pessoas físicas ou jurídicas, Cooperativas, Associações etc.



  1. Justificativa para a realização do curso

A origem dos defumados está localizada no tempo em que o homem sentiu necessidade de conservar a carne por longos períodos de tempo. Descobriram dessa forma dois métodos, como a salga e a defumação.

Assim a salga era aplicada à carne de porco e à carne de vaca e a defumação aplicada à carne de porco e às aves.

Os aperfeiçoamentos desta técnica levaram inclusive a defumar os alimentos com diferentes tipos de lenha, pois descobriram que esta modificava o sabor dos alimentos tornando-os, em alguns casos, ainda mais saborosos.

A defumação é um método de cozimento lento pela presença indireta de fogo.

O processo de defumação de alimentos pode ser feito a quente, para carnes como de suíno, de bovino, de peixe e de ave, com utilização de fogo e fumaça.

A fumaça tem um efeito conservante que, associado ao calor, resulta na redução da umidade, essencial no controle do desenvolvimento de microrganismos. Muitos componentes da fumaça têm efeito bactericida e desinfetante. Ainda há na fumaça o efeito dos fenóis que, por ser antioxidativo, inibem a oxidação das gorduras e evitam o sabor de ranço.

A matéria-prima para fabricar embutidos e defumados deve ser proveniente de animais saudáveis, descansados no pré-abate e abatido em local limpo e higiênico, ou seja, a peça para defumação deve ser adquirida em locais que vendam carne inspecionada e que esse produto seja manipulado de forma adequada.

Diante do exposto, o curso de Produtor de Embutidos e Defumados de educação profissional de Formação Inicial e Continuada – FIC se justifica pela importância do tema na economia brasileira e como uma oportunidade de atualização e formação de profissionais qualificados, favorecendo, dentre outros, os estudantes do ensino médio da rede pública, os trabalhadores e beneficiários dos programas federais de transferência de renda.

Nessa perspectiva, o SENAR propõe-se a oferecer o curso de Produtor de Embutidos e Defumados, por entender que contribuirá para a busca/aquisição do primeiro emprego, a elevação da escolaridade e o empreendimento próprio dessas pessoas, bem como para a formação humana integral e com o desenvolvimento socioeconômico da região articulado à missão e objetivos do SENAR.

Fonte: http://www.beefpoint.com.br

Embasamento CBO

CBO Família 8481 – Trabalhadores Artesanais na Conservação de Alimentos

Títulos

8481-05 - Defumador de carnes e pescados



Descrição sumária de acordo com a classificação brasileira de ocupações – CBO

Preparam local de trabalho para processamento de alimentos, inspecionando ambiente, organizando e higienizando equipamentos e utensílios. Preparam máquinas para processamento de alimentos, selecionando, acoplando e desacoplando peças e utensílios, testando e regulando máquinas. Preparam fornos, matérias-primas e ingredientes. Processam produtos alimentícios, misturando, salgando e lavando carnes, embutindo e cozendo salsichas. Embalam e armazenam produtos alimentícios. Trabalham em conformidade a normas e procedimentos técnicos e de qualidade, segurança, higiene, saúde e preservação ambiental.



Formação e experiência de acordo com a Classificação Brasileira de Ocupações – CBO

Para o exercício dessas ocupações requer-se a quarta série do ensino fundamental e prática profissional no posto de trabalho. O pleno desempenho das atividades ocorre com aproximadamente um ano de experiência profissional. A(s) ocupação(ões) elencada(s) nesta família ocupacional, demandam formação profissional para efeitos do cálculo do número de aprendizes a serem contratados pelos estabelecimentos, nos termos do artigo 429 da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, exceto os casos previstos no art. 10 do decreto 5.598/2005.



Condições gerais de exercício de acordo com a Classificação Brasileira de Ocupações – CBO

Atuam na fabricação de produtos alimentares como empregados com carteira assinada. O trabalho é individual, sob supervisão ocasional, em ambiente fechado e no horário diurno. Podem desenvolver suas atividades por conta própria ou como autônomos (como ocorre com o salsicheiro) com total autonomia em relação às condições de trabalho.



  1. Objetivo Geral do Curso:

Transformar matéria prima obtendo vários tipos de produtos embutidos e defumados.


  1. Objetivos Específicos:




Objetivos específicos

Atividades

  1. Demonstrar competências básicas para o mundo do trabalho




  • Demonstrar atitudes éticas e Cidadãs

  • Relações trabalhistas, documentos pessoais, direitos e deveres do cidadão

  • Demonstrar bom Relacionamento interpessoal

  • Utilizar Comunicação adequada nas variadas oportunidades de convivência.

  • Desenvolver hábitos de convívio comunitário.

  • Demonstrar boas relações profissionais e sociais no mundo do trabalho.

  • Buscar informações que favoreçam o desenvolvimento profissional.

  • Demonstrar paciência

  • Demonstrar habilidade manual

  • Dar provas de higiene

  • Atuar com persistência

  • Manter atenção concentrada

  • Planejar ações como recurso para o alcance de objetivos.

  • Desenvolver hábitos e atitudes para a preservação ambiental interferência humana no meio ambiente.

  • Desenvolver habilidade empreendedoras

  1. Preparar o local de trabalho para processamento de alimentos, de acordo com as boas práticas de fabricação.




  • Inspecionar o ambiente

  • Registrar irregularidades

  • Solicitar ação corretiva e preventiva

  • Higienizar o ambiente

  • Higienizar equipamentos e utensílios

  • Organizar os utensílios

  1. Preparar as máquinas para processamento de alimentos, de acordo com as boas práticas de fabricação.

  • Selecionar peças e utensílios

  • Acoplar peças e utensílios

  • Acionar as máquinas

  • Testar as máquinas

  • Regular as máquinas

  • Desacoplar peças e utensílios

  1. Preparar o forno, de acordo com as boas práticas de fabricação.

  • Limpar o forno

  • Verificar utensílios

  • Verificar válvulas

  • Aquecer o forno

  • Controlar temperatura de aquecimento do forno

  1. Preparar matéria-prima e ingredientes, de acordo com as boas práticas de fabricação.

  • Definir carnes, pescados e ingredientes

  • Requisitar carnes, pescados e ingredientes

  • Receber carnes, pescados e ingredientes

  • Verificar data de validade

  • Verificar aspectos físicos e sensoriais

  • Limpar carnes e pescados

  • Triturar carnes

  • Pesar carnes, pescados e ingredientes

  1. Processar produto, de acordo com as boas práticas de fabricação.

  • Misturar carnes e ingredientes

  • Embutir salsichas e linguiças

  • Amarrar e cortar salsichas e linguiças

  • Cozer salsichas e linguiças

  • Salgar carnes e pescados

  • Lavar carnes, pescados e embutidos

  • Extrair o ar dos embutidos

  • Desidratar pescados

  • Colocar nas varetas

  • Colocar na estufa ou forno

  • Tingir os embutidos

  1. Embalar produto (salsichas, linguiças, carnes e pescados), de acordo com as boas práticas de fabricação.

  • Requisitar material para embalagem

  • Realizar controle de qualidade de salsichas, linguiças, carnes e pescados

  • Pesar salsichas, linguiças, carnes e pescados

  • Grampear salsichas, linguiças, carnes e pescados

  • Fechar a vácuo salsichas, linguiças, carnes e pescados

  • Colocar data de fabricação, validade e lote

  • Ensacar salsichas, linguiças, carnes e pescados

  • Encaixotar salsichas, linguiças, carnes e pescados

  1. Armazenar produto, de acordo com as boas práticas de fabricação.

  • Colocar salsichas, linguiças, carnes e pescados na câmara fria

  • Colocar salsichas, linguiças, carnes e pescados na câmara de congelamento

  • Manter salsichas, linguiças, carnes e pescados em temperatura ambiente

  • Empilhar salsichas, linguiças, carnes e pescados

  • Colocar salsichas, linguiças, carnes e pescados em cabides

  • Monitorar temperatura das câmaras

  1. Conhecer sobre as leis referentes à atividade utilizando meios indicados no plano instrucional e de acordo com as competências recomendadas.

  • NR31; Legislação de sanidade, portarias federais e estaduais; Instruções Normativas;

  • Legislação referente ao meio ambiente.





Baixar 248.4 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
Dispõe sobre
reunião ordinária
Serviço público
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Relatório técnico
Universidade estadual
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
espírito santo
pregão eletrônico
Curriculum vitae
Sequência didática
Quarta feira
prefeito municipal
distrito federal
conselho municipal
língua portuguesa
nossa senhora
educaçÃo secretaria
segunda feira
Pregão presencial
recursos humanos
Terça feira
educaçÃO ciência
agricultura familiar