O amor nunca morre Camila Sampaio Pelo espírito Ronaldo Sinopse


- Que maravilha, dona Eulália! Fico muito feliz!



Baixar 498.1 Kb.
Página5/8
Encontro29.10.2017
Tamanho498.1 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8

- Que maravilha, dona Eulália! Fico muito feliz!

- Que bom, porque agora preciso te contar a parte triste, Cecília.

Infelizmente Sofia está me autorizando a te contar que Mariana contratou uma pessoa para fazer uso de magia contra você, pois acreditava que você e Carlos poderiam traí-la. Esse trabalho de magia foi contratado por ela há cerca de uma semana, quando você começou a se sentir mal.

- Mas não pode ser! Mariana não faria isso comigo!

- Sei que é difícil de acreditar. Mas quando as pessoas estão confusas

como ela está, é comum que isso aconteça. Sofia pede que você a perdoe por isso- Vou agora te dar um passe e fazer dialimetria, que é uma forma de cura que atua diretamente nos corpos sutis. Assim sua tontura irá melhorar mais rápido. Vamos passar à sala ao lado, para eu ter a ajuda da minha equipe.

Ciça ficou totalmente renovada com a ajuda de dona Eulália. Ela decidiu sair dali e seguir direto para a casa de Mariana, pois queria encerrar aquele assunto ali mesmo. Afinal, não devia nada para ninguém e tinha o coração cheio de amor pela amiga. Aquele mal entendido não poderia continuar, por mais doloroso que fosse, o confronto se fazia necessário naquele momento, para o bem de todos.

- Você se sente pronta para confrontá-la dessa forma direta? – perguntou Dona Eulália.

- Ah, nessas horas a força vem nem sei de onde. Eu preciso fazer isso, em nome de todos os anos de amizade sólida e bonita que construímos nesta vida.

- Está bem. Só busque explicar tudo a ela em detalhes. Por causa da série de obsessões, ela está com muita confusão mental e tende a distorcer tudo que você falar. Lembre-se, você está entrando no meio de uma verdadeira guerra astral ao mexer com os interesses de Athor. Aliás, acho que nem comentei: todas as quatro vidas passadas já estão afloradas.

- Pode deixar, dona Eulália, não vou fazer nenhuma besteira

- Que Jesus te acompanhe, minha filha

Capítulo 24

Confronto

- Boa noite, Mari, boa noite, Carlos – disse Ciça, bem séria.

- Oi, querida, tudo bom?

- Agora está tudo bem sim, mas nós precisamos conversar. Considerando a seriedade do assunto, achei melhor não deixar para depois. Carlos estranhou o tom, mas como sabia que Ciça estava voltando do atendimento com dona Eulália, já imaginava tratar-se de alguma novidade astral. Mariana empalideceu e começou a pensar se era possível que Ciça soubesse de algo. Foram todos para a sala.

- Bom, como sou amiga de vocês há séculos, literalmente falando, decidi ir direto ao assunto. Mari, soube hoje de uma vida passada que temos em comum e que tem colaborado muito para a sua doença. Para ser breve, nessa vida passada nós duas nos apaixonamos pelo mesmo homem, que hoje é o Carlos, e ele acabou

ficando comigo. Por isso vim hoje ajudar vocês, e como madrinha de casamento. Carlos engoliu em seco, já prevendo a síncope que viria em seguida.

- Sua vagabunda, ordinária! Você tem coragem de vir na minha casa me falar que está se deitando com meu marido? Quem você pensa que é?

Mariana já foi olhando em volta para conseguir algum objeto, queria tacar

algo em sua rival.

- Mari, nem vou perder meu tempo ficando magoada ou irritada com você, porque sei que você está fora de si. Então vamos lá, aos fatos: é verdade. Na vida passada eu realmente deitei com seu marido. Mas ele não era nem seu marido e nem meu quando isso aconteceu. Você, que chamava Katy, foi prometida em casamento a ele. Só que antes disso nós já estávamos juntos. Eu só tomei a atitude que tomei porque estava grávida dele. Mas nunca esperei que você fosse se matar, tanto que nunca fui feliz. Essa foi a história que vi hoje no atendimento, mas que lá dentro de mim eu já conhecia há muito tempo. Eu sempre carreguei comigo essa culpa, como se eu não fosse digna de ser feliz. Mariana continuava se contorcendo, mas foi se acalmando nos braços de Carlos.

- Hoje, que vi você casar com Carlos e ser feliz, nunca senti qualquer inveja de você, nem qualquer atração pelo Carlos. Sempre vi vocês como um casal de irmãos queridos, a quem sempre desejei o bem e a felicidade. Por isso, fiquei super chateada e chocada ao saber que você foi fazer magia para amarrar o Carlos e mantê-lo longe de mim.

- Sua desgraçada! Você não tem direito de tentar me colocar contra meu marido de novo!

- Mariana, como você teve coragem de fazer isso? Você não sabe que eu te amo? – disse Carlos, escandalizado.

- Ela sabe – disse Ciça. Nem adianta se irritar com essa parte, Carlos. Graças a Deus buscamos amparo com dona Eulália e isso nos afetou o mínimo possível. Essa magia foi feita há uma semana. E claro, já foi desfeita hoje.

- Como assim, desfeita? O que é isso? Eu paguei por ela! Você quer é me ver na cama, destruída, para ficar com ele!

- Eu não quero o marido de ninguém, Mariana, muito menos o seu. E você devia ter se informado melhor sobre como funciona essa coisa de magia. Você sabia que tudo que você faz volta três vezes contra você? Você sabia que havia entidades de plantão atrás de mim e do Carlos? Que eu estava com essas tonturas por causa disso?

- Mentira!

- Antes fosse mentira. Eu nem me incomodo de ter passado mal um pouco, se servir para você entender as consequências dos seus atos. Mari, pelo amor de Deus, entende de uma vez! Eu e o Carlos te amamos! A gente nunca faria nada de mal contra você! Aliás, nem precisa, você mesma já tá se destruindo sozinha, amiga!

Carlos deixou uma lágrima cair de seu rosto, enquanto Mariana caía em

um pranto sentido. Aos poucos, conforme ela se acalmou, o trio conseguiu se abraçar e liberar toda aquela energia negativa contida. Uma onda maravilhosa de amor invadiu a sala.

- Ciça, acho muito legal você ter vindo aqui contar tudo para ela – disse Carlos. Como estamos todos muito nervosos, acho que seria melhor Mariana ir deitar e conversamos mais outro dia.

Ciça foi para casa se sentindo bem, realmente foi necessário ter aquela

conversa, afinal o que Mari tinha feito era muito grave.

Capítulo 25

Raiva

Os ânimos se acalmaram, Ciça foi embora, Mariana foi dormir. Carlos

ficou ainda algum tempo meditando sobre o que aconteceu e absolutamente chocado com tudo aquilo.

Quem também não estava nada satisfeito era Athor. A intervenção de dona Eulália não estava incluída nos seus planos, aquilo atrasaria muito sua operação.

Sofia não teve outro remédio: teve que ir avisar dona Eulália sobre a

mudança nos planos de Athor

Sofia encontrou Eulália na sua meditação matinal, o que ajudou a forma

de contato.



- Bom dia, dona Eulália, tudo bom com a senhora?

- Olá, Sofia! Que prazer recebê-la! Pena que não posso convidá-la para uma xícara de chá…

- Ah…risos… não é preciso. Estou aqui para informá-la sobre a reunião que Athor teve com os cinco magos.

- Ele vai se juntar às equipes que já me atacam, não é?

- Sim. E vai usar a raiva. Já tem usado lá na casa de Mariana e feito

verdadeiros estragos. Muito triste de assistir.

- Nossa, Sofia, isso é lamentável. Queria tanto que tivesse algo que eu pudesse fazer além de esperar pelo livre arbítrio de Mariana…

- Eu tive uma ideia pouco convencional, mas preciso da ajuda da

senhora. Já obtive permissão astral para assim proceder.

- Ah, você pode contar comigo para o que for! No que posso ser útil?

- A senhora precisa falar com eles. Eu irei falar através da senhora.

- É pra já. Não vou esperar nem um minuto.

- Boa tarde, Mariana. Eu sou Eulália. Já queria te conhecer há muito

tempo. Posso entrar?

Dona Eulália recebeu de volta um olhar furioso. Como já esperava por

aquilo, apenas sorriu. Era hora da tão esperada conversa.

Capítulo 26

Mais ajuda

- Era só o que me faltava, a senhora aparecer com a maior cara de pau na minha casa. Como se já não bastasse querer jogar todos que amo contra mim, ainda vem aqui?

- Você tem razão, Mariana, é mal educado da minha parte ter vindo sem ser convidada por você. Eu apenas vim porque fui convidada pela sua mentora espiritual, Sofia.

Mariana calou, pensativa.



- Vou fazer o seguinte: como nem vim aqui por mim, vim apenas

transmitir uma mensagem, vou dar passagem para Sofia conversar com você. Eu nem costumo visitar a casa de atendidos, mas como Sofia insistiu e eu sei que o caso é grave, abri essa exceção. Você pode ouvi-la por alguns minutos? Tire a conclusão que quiser depois.

- Tá, já que não tem jeito... Pelo que sei da senhora, não irá embora

enquanto não der o tal recado.

- Vamos começar então.

Dona Eulália se concentrou, deu um suspiro. A sala logo se encheu de

uma harmonia como aquela casa não via há muito tempo.

Antes de deixar Sofia falar, dona Eulália fez algumas preces. A oração de

São Francisco trouxe amor e caridade. A Prece dos Aprendizes trouxe conexão com as fraternidades do espaço. O Pai Nosso trouxe a benção do mestre Jesus. Toda a equipe astral de Eulália, especialmente pretos velhos, veio fazer a faxina espiritual da casa, que estava impregnada de energias pra lá de negativas. Athor não teve escolha, foi obrigado a se retirar e tirar todas as imantações que tinha feito no local. Dona Eulália viu todo o movimento e apenas sorriu respeitosa para ele.

- Essa velha está acabando com a minha paciência! Vamos lá, desfaçam tudo, que remédio... Dias de trabalho desperdiçados... Mas ela me paga! Depois daquela preparação Sofia pode falar. Estava ansiosa e feliz por tudo ter dado certo e buscou escolher as melhores palavras, as que mais causariam impacto positivo sobre sua protegida:

- “Mariana querida, Carlos amigo, cá estou. Sou sua mentora, protetora e amiga de muitos séculos, me chamo Sofia. Pedi para dona Eulália vir aqui porque preciso te explicar o que está acontecendo. Meus superiores me deram autorização para fazer essa última intervenção, daqui em diante tudo será definido pelo seu livre arbítrio. Como já tinha sido programado para essa encarnação, você está passando por um momento de grande provação. Veio para essa vida vencer a tendência suicida, que ainda assola a sua alma. Por quatro encarnações você tirou a sua vida. Agora todas as quatro estão te influenciando para que você repita a mesma atitude. Elas se chamam Suzette, Emir, Katy e Athor. Se você buscar o caminho do bem e da luz, terá todo o apoio necessário. Dona Eulália irá te atender e te dar todo o suporte. Se você escolher o caminho das trevas, vai cortar os pulsos, conforme a ideia que você tem alimentado por tantos dias. Estarei ao seu lado, seja qual for a sua escolha. Mas lembre-se: essa é uma oportunidade única de quitar todos os seus débitos de passado em relação a esse assunto e ter uma vida harmônica. A razão principal de ter pedido essa conversa é que as vidas passadas e os obsessores estão usando a raiva que eles têm provocado em todos vocês para concretizar seus planos. Carlos, meu amigo, por favor: suspenda toda e qualquer briga. Faça a sua parte. E você, minha querida, espero que ouça esse apelo de quem te ama tanto. Você é uma pessoa maravilhosa, muito querida. Tenho certeza que vencerá essa batalha. Guarde sempre com você o meu amor!”

Carlos ficou emocionado. Mariana não podia dizer que era indiferente, ela sentia naquelas palavras uma saudade, um sentimento indefinido de algo muito bom e positivo



Já me vou, boa tarde!

- Viu, Mari, o quanto você é amada? E não é só por mim!

- Ah Carlos, deixa de besteira, ela até é legal, mas não é para tanto. Você que é muito palerma!

A visita de dona Eulália deixou Mariana pensativa.

Era estranho pensar no quase acidente de carro, parece que tinha passado séculos desde então. E, ao mesmo tempo, ela mal conseguia se lembrar do que tinha feito no dia anterior. Começou a ficar preocupada: será que estava enlouquecendo? Decidiu ligar para dona Eulália, ela já devia estar de volta em casa.

Precisava saber mais.



- Olá, Mariana, que honra receber um telefonema seu.

- Dona Eulália, desculpe como a tratei. A senhora pode conversar um pouco comigo?

- Quanto tempo quiser, minha filha. Não tenho compromissos hoje.

- Não entendo como a senhora pode me tratar bem depois do que fiz.

- Mariana, eu sou vidente, sei que não foi você que falou comigo daquela forma, e que você ainda não tem a sua mediunidade educada.

- O que está acontecendo comigo?

- Você está sendo atacada por quatro vidas passadas nas quais cometeu suicídio. Expliquei tudo melhor a Carlos, peça para ele te contar com detalhes.

Capítulo 27

Dor na alma

Seria mesmo verdade que as suas próprias vidas passadas estivessem

fazendo aquilo com ela? Mas por que? Sentia que nunca seria boa o bastante. Claro que ela sabia que o suicídio era errado e teria consequências. Às vezes pensava que seria até melhor, pois lá pelo menos estaria fora do alcance de seus queridos familiares e amigos, e o que os olhos não veem o coração não sente. Carlos poderia casar de novo e ser feliz, os meninos seriam criados pela nova madrasta. E ela poderia sofrer em paz, sem cobranças, sem ninguém querendo que ela melhorasse logo. Mas um outro lado, mais sábio, dizia que aquilo não adiantaria.

- Maldita hora que você ouviu aquela mulher, que só atrapalhou a gente! (Athor)

Eram sempre cinco vozes. Uma apoiava, as outras quatro atacavam. Mas dessa vez o ataque sem querer deu uma boa ideia:



- Dona Eulália! Só ela pode me ajudar!

Pegou as chaves do carro e correu para lá.

Athor deu um grande suspiro:

Capítulo 28

Intensificam-se os ataques

- Não é possível, não acredito que ela esteja indo lá! – esbravejou Athor. Sofia viu que o caso era grave e correu para perto de dona Eulália.

- Dona Eulália, eles estão tramando um acidente de carro! Mariana finalmente aceitou ajuda e está vindo te procurar! Por favor, interceda!

- Acho que o melhor é tentar impedi-la de sair de casa.

- Carlos, por favor, corra atrás de Mariana. Não deixe ela sair.

- Meu amor, dona Eulália acabou de ligar e pediu para eu não deixar você sair. Volte comigo, quero ver o que ela vai fazer.

Quando voltou ao telefone dona Eulália estava aflitíssima. Ela iria reunir um grupo de médiuns e todos iriam até lá.


Em prece, e muito assustado, Carlos ficou aguardando ansiosamente a

chegada de dona Eulália. Daquela vez tinha sido por bem pouco!



Capítulo 29

Um caso

Dona Eulália rapidamente chamou um trio de confiança e foram todos

para a casa de Mariana. Ainda não tinha esquecido o que acontecera com Cibele.

Quando recebeu um jovem chamado Mauro.



- Estou vindo aqui por causa da minha mãe, Cibele. Ela está em depressão muito profunda e anda tendo ideias suicidas.

- Tudo bem, vamos fazer o que for possível. No caso de Cibele, o número de vidas passadas suicidas era bem maior que o de Mariana: quinze. Cibele já tinha tentado se matar duas vezes, suas crises eram bem agudas. Ela parecia totalmente determinada a morrer.

Uma noite, pela enésima vez, teve que recusar um convite de amigos da faculdade. Mauro perdeu muitas amizades assim. Ele nem podia se divertir como os jovens da sua idade, tinha que estar sempre preocupado com o bem estar da mãe. A separação do marido tinha abalado muito Cibele. Ela foi trocada por outra moça mais nova. Como amava profundamente o marido, a dor da perda foi a principal responsável pelas vidas que afloraram. Cibele achava que caso fizesse algo contra a própria vida seu marido voltaria, movido pela culpa. Um dia dona Eulália recebeu uma ligação do rapaz, desesperado.



- Dona Eulália, não sei mais o que fazer. Ela está trancada no banheiro e não abre de jeito nenhum.

- Meu filho, estou saindo para uma festa de casamento. Peça ajuda ao porteiro do prédio, pode ser?

O menino desligou correndo. No dia seguinte chegou a notícia: Cibele tinha tomado uma overdose de remédios e morrido.

Dona Eulália ficou abaladíssima. E logo recebeu uma comunicação dos

mentores da casa:

- Eulália, sabemos o fardo pesado que é ser dirigente. Mas daqui em diante tenha claro o seguinte: ou tenha disposição 24 horas para socorrer, ou não aceite mais nenhum caso de suicida. Você não é obrigada a aceitar o trabalho, mas se aceitar precisa ir até o fim.

Daquele dia em diante buscou atender Cibele incansavelmente no astral,

até ela ser retirada do vale dos suicidas. E o caso de Mariana estava sendo a chance dela se redimir.

A própria Cibele prometeu colaborar com o caso.

Assim que dona Eulália e os médiuns chegaram na casa de Mariana,

Cibele se manifestoue e contou sua história a Mariana.

- Espero que você vença essa fase difícil, e seja muito feliz!

- Deus sempre ampara quem busca pela própria melhora.

- Deve ter sido triste perder Cibele...

- Sim, ela era uma moça muito especial.

Observando essa cena específica, Athor teve uma idéia.



Capítulo 30

Carlos desconfia

- Um momento, por favor – disse Carlos.

- Não quero em nada ser desrespeitoso com a senhora. Mas essa tal de Cibele se matou a seus cuidados?

- Infelizmente foi uma fatalidade.

- Mauro, o tratamento de dona Eulália ajudou sua mãe?

- Não. Mas porque ela não queria ajuda e estava totalmente determinada a cometer o suicídio.

- Se você tivesse outro ente querido nessa situação, confiaria 100% em entregar o caso a Dona Eulália?

- Não sei. Apesar de amar muito dona Eulália e de entender porque ela agiu daquela maneira comigo, demorei bastante para digerir a mágoa de tudo que aconteceu. Talvez tivesse ressalvas sim.

- Dona Eulália, não duvido do seu método nem da senhora. Mas não quero que o tratamento se inicie hoje. Preciso pensar mais um pouco.

- Quem me garante que a ansiedade gerada pela culpa que sente não vai atrapalhar a sua forma de pensar. Por enquanto não autorizo o tratamento. A essa altura não sei mais quem está sendo atendido aqui, Mariana, Cibele ou dona Eulália!

Eulália percebeu a manobra de Athor. Não era mais Carlos quem estava falando.



- Meu filho, caso escolha continuar seu tratamento comigo, estarei

esperando de braços abertos. Também rezarei sempre por vocês. Tenham um bom dia.

Sofia, acompanhando a cena no astral, chorava. Athor estava praticamente incorporado em Carlos, tomando aquela decisão por ele.



- Ah Agenor, chegamos tão perto!

- Querida Sofia, não desanime.

- Não posso deixar as trevas de Athor me atingirem ela pensava.

Por sua tela mental, ela observava Carlos, que parecia exausto.

Sofia aproveitou a brecha e mandou pensamentos para ele:

- Carlos, não desista, meu amigo! Não deixe as trevas vencerem! Continue apoiando seu amor, ela te ama e esse sentimento dará forças para superar toda essa desgraça! Nós estamos aqui rezando por vocês!

Depois que Carlos dormiu, Mariana decidiu procurar Ciça e contar o que aconteceu.



Capítulo 31

As trevas vencem uma partida

No dia seguinte, depois de toda a confusão, Mariana estava tranquila até

então, tendo um dia agradável com o marido. De repente a tristeza e o desespero voltaram.

- Meu amor, estou sentindo tudo de novo.

- Precisamos manter a calma. Talvez seja bom eu procurar outra casa de Apometria.

Enquanto eles se arrumavam, Athor gritava ordens:



- Todas as entidades terceirizadas, sigam agora para meu palácio, que é magnetizado e protegido. Vamos deixar ela só tomar um passe, isso não afetará muito profundamente nosso trabalho.

Saindo do centro, Mariana já se sentia melhor.

Durante a noite Artor levou Carlos e Mariana a visitarem alguns lugares do umbral. Mariana acordou como se um caminhão tivesse passado por cima dela. Estava gripada, indisposta, tossindo e espirrando. Como desde a semana anterior ela estava retomado suas atividades foi trabalhar mesmo assim, mas se sentia péssima. Carlos teve uma pequena dor de cabeça, mas como ele não era o alvo, para ele as energias maléficas tinham menos efeito.

Embora os sintomas estivessem mais leves, o peso continuava

acompanhando Mariana, sem trégua. Carlos estava realmente ficando bem pouco otimista, já que a situação estava assim durante os últimos seis meses.

- Oi, Carlos, como estão as coisas?

- Oi, Ciça…

- Você parece bem cansado.

- Estou mesmo. Você soube do que aconteceu aqui com dona Eulália semanas atrás?

- Soube sim.

- O que você acha?

- Eu acho que você foi vítima de ataque das trevas. Não havia por que impedir o atendimento, dona Eulália é de confiança e veio até aqui só para ajudar vocês.

Carlos se perguntava sobre o que fazer dali em diante, especialmente se Mariana não reagisse. Um dia, dona Lúcia puxou conversa:



- Seu Carlos, tenha fé, aos poucos as coisas vão se normalizar.

- Sofia me pediu para dar um recado.

- Pediu para o senhor ficar atento a suas intuições. Ela está o tempo todo ajudando, e nem sempre as coisas saem como esperávamos, mas é a lei divina agindo através dos humanos e de seu livre arbítrio.

Dona Lúcia sabia que ele precisava voltar ao trabalho de dona Eulália,

mas achou que já tinha falado o suficiente por enquanto. Hora de esperar.

Capítulo 32

Confusão

Dona Eulália ficou muito abatida. Sofia não cansava de consolá-la:



- Fique calma, dona Eulália, Carlos só precisa de um tempo.

- Eu sei, Sofia. Mas já me sentia muito culpada pelo que aconteceu a

Cibele.

Pensando em tudo que passou dona Eulália sabendo em qual centro espírita o casal estava indo, fez contato com o dirigente de lá. O chefe Seu Antônio, a recebeu para uma conversa.



- Dona Eulália, como sou amigo de Carlos e observo a situação de perto não me engano, sei que Mariana não está melhorando.

- Antônio, foi justamente isso que fui estudar Apometria. Ela não se propõe a ser melhor nem pior que nada, é só uma técnica e tem que ser usada com base doutrinária por trás. No meu caso trabalho com base Espírita, tem também casas que trabalham com base na Umbanda, Budismo, Teosofia, ou mesmo com uma postura Universalista.

- Quando surgiu a Apometria?

- O primeiro livro foi lançado em 1987, mas já existiam 20 anos de


Baixar 498.1 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
Dispõe sobre
reunião ordinária
Serviço público
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Relatório técnico
Universidade estadual
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
espírito santo
pregão eletrônico
Curriculum vitae
Sequência didática
Quarta feira
prefeito municipal
distrito federal
conselho municipal
língua portuguesa
nossa senhora
educaçÃo secretaria
segunda feira
Pregão presencial
recursos humanos
Terça feira
educaçÃO ciência
agricultura familiar