N.º 162 Destaque



Baixar 2.55 Mb.
Página2/4
Encontro29.10.2017
Tamanho2.55 Mb.
1   2   3   4

Institucional

Academia discute futuro da formação avançada na celebração do seu 5º aniversário

Conferência reuniu a nata deste setor num total superior a 200 pessoas

​A Academia Galp Energia realizou ontem, no auditório da Torre A, em Lisboa, a conferência comemorativa do seu 5.º aniversário. Sob o tema “O Futuro da Formação Avançada nas Organizações”, este evento reuniu cerca de 200 convidados de universidades, escolas de gestão e empresas, de diferentes setores e contextos para discutir a formação corporativa e apontar tendências e perspetivas para o futuro.

A educação e formação corporativa apresentam-se hoje como uma das mais importantes ferramentas para as organizações alcançarem a competitividade, promoverem o alinhamento estratégico e cultural, e também para o desenvolvimento de talentos. Por estas razões, nos últimos anos temos assistido ao fenómeno de expansão das universidades corporativas em empresas multinacionais.

 

A conferência teve início com uma intervenção do Presidente Executivo da Galp Energia, Carlos Gomes da Silva, que abordou a estratégia da Empresa e o seu papel no espaço lusófono, apresentando a Academia Galp Energia como um importante elemento para a concretização da agenda estratégica a nível de Capital Humano, perspetivando também o futuro da formação avançada na Empresa.



 

O contributo dos especialistas

 

A primeira oradora, Maria Manuel Seabra da Costa, da PwC, centrou a sua apresentação na gestão do talento nas organizações, focando o que as empresas procuram e qual o papel do indivíduo e da empresa no desenvolvimento individual e no desempenho organizacional.



 

Seguiu-se um painel de discussão constituído por seis especialistas nestes domínios, no qual cada orador expôs e partilhou a sua visão sobre o tema.

 

Em representação das universidades e escolas de gestão, Francisco Veloso, Diretor da Católica-Lisbon, destacou os desafios e oportunidades para a formação avançada e as competências críticas para o futuro, apresentando um caso de sucesso da Siemens. Ramon O´Callaghan, Dean da Porto Business School, retratou o presente e perspetivou o futuro da educação corporativa no contexto internacional, com especial enfoque no papel das instituições académicas enquanto parceiras das empresas, na tecnologia e na importância do desenvolvimento de competências multidisciplinares. Sebastião Feyo de Azevedo, Reitor da Universidade do Porto, apresentou a abordagem académica ao conceito de formação avançada e reiterou a importância da variável formação e desenvolvimento para a geração Millennials, finalizando com a apresentação de alguns desafios tecnológicos. 



 

Já num enquadramento empresarial, Pedro Ramos, Administrador Executivo da Groundforce, lançou a pergunta “o que está a mudar nas empresas?”, colocando em evidência a forma como a formação avançada responde a estas mudanças. Sandra Brito Pereira, Head of Global Learning da Jerónimo Martins, olhou para o futuro e apresentou as cinco principais tendências na área, bem como o modelo que o Grupo Jerónimo Martins adotou no sentido de dar resposta aos desafios do seu negócio.

 

Este painel foi moderado por Carlos Ribeiro, Partner da Performance and Development, que deu especial enfoque à necessidade das empresas fazerem um diagnóstico da situação atual, pois só assim poderão definir os caminhos que as levarão à consecução dos objetivos. Referiu também que os ciclos de gestão são cada vez mais curtos e que os planos de formação não podem continuar associados a esses processos anuais, que por vezes estão também desfasados no tempo.



 

A conferência terminou com a intervenção de Rui Luz, Partner do Hay Group, que partilhou com os presentes as mudanças que estão a ocorrer a um ritmo acelerado no mundo e que, por sua vez, provocam mudanças na forma como se olha e se gere talento e formação. Apresentou também alguns dados de estudos recentes.



 

Veja aqui as apresentações completas.


 

 
02/07/2015



Galp 20-20-20 premeia projetos de eficiência energética

Sustentabilidade e inovação foram os fatores-chave para escolha dos vencedores

A Galp Energia atribuiu ontem os prémios aos projetos de eficiência energética com maior sustentabilidade e inovação, desenvolvidos no âmbito do programa Galp 20-20-20, o maior programa nacional de bolsas académicas na área da eficiência energética.

Os trabalhos de investigação premiados foram desenvolvidos por alunos da Universidade de Aveiro (UA), da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) e do Instituto Superior Técnico (IST), e estudam as melhores maneiras de obter eficiência energética em empresas, públicas e privadas, dos mais diversos setores. Englobam, entre outros, o setor hoteleiro, com um modelo de eficiência energética; o setor de embalagens, com o desenvolvimento de uma aplicação informática de apoio à certificação energética; o setor dos transportes, com a otimização da frota a gás natural e o setor da indústria alimentar para animais, com a poupança energética e redução de emissões de CO2, projeto onde três das nove medidas propostas já estão a ser implementadas.

Os projetos de investigação têm como base auditorias às empresas com o intuito de racionalizar o seu sistema energético, identificar e recomendar oportunidades de melhoria e, sempre que possível, conceber ferramentas de apoio à gestão energética. Os trabalhos são coordenados por uma tripla tutoria: um professor da universidade-membro do Galp 20-20-20 (UA, FEUP e IST), um tutor da entidade participante e um tutor da Galp Energia.

A sétima edição de entrega de prémios decorreu na sede da Galp Energia e contou com as presenças de Paulo Calau, da DGEG, de Sandro Pereira, Diretor da Agência da Energia, do Presidente Executivo da Galp Energia, Carlos Gomes da Silva, bem como os responsáveis da Universidade de Aveiro, do Instituto Superior Técnico e da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.

 

Trabalhos premiados:

Universidade de Aveiro

s Lugar: Tiago Alexandre Aguiar Couchinho (Químicos Industriais, Tema: Auditoria Energética a uma Instalação de Arrefecimento Industrial)

 

2º Lugar: Emanuel Delgado (CS- Coelho da Silva, S.A- Fábrica IV, Tema: Recuperação de Calor Residual de um Forno de Cozedura Cerâmica)



 

s Lugar: Catarina Valga (Grupo Salvador Caetano, Tema: Análise energética de edifícios de serviços: casos de estudo no Grupo Salvador Caetano)

 

Instituto Superior Técnico

1º Lugar: Francisco João Barreto Carmona (Carris, Tema: Afetação optimizada da frota a gás natural da CARRIS)

 

2º Lugar: Pedro Miguel Simões de Oliveira (Rações Valouro, Tema: O aumento da eficiência energética na indústria alimentar para animais: caso Valouro)



 

3º Lugar: Andreia Filipa Gamboa (ETE-Empresa de Tráfego e Estiva, S.A., Tema: Avaliação Energética, Ambiental e Económica de Medidas para Diminuição de Emissões em Navios de Carga)

 

Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

1º Lugar: Artur Filipe Baptista Silva (DST Solar, Tema: Desenvolvimento de um Modelo ESCO Aplicado a um Hotel)

 

2º Lugar: Gustavo de Figueiredo Oliveira (Europac, Tema: Aplicação Informática de apoio à Certificação Energética)



 

s Lugar: Eduarda Pereira Correia (Moda21, Tema: Determinação de Consumos Energéticos Específicos da Moda 21)



 

02/07/2015



Filipe Silva almoça com alunos do FormAG

CFO apontou os temas mais relevantes para o futuro da Empresa

​O Administrador Executivo e CFO da Galp Energia, Filipe Silva, encontrou-se no passado dia 23 de junho com os alunos da turma N23T3 (nível 3) do curso de Formação Avançada em Gestão (FormAG), realizando um almoço temático com objetivo de materializar e partilhar os principais desafios da Empresa.

No início da sua intervenção, Filipe Silva solicitou aos presentes que lhe colocassem todas as questões que tivessem no âmbito dos domínios que, de facto, se constituem como relevantes no presente e para o futuro da Galp Energia, o que permitiu explorar temas como o Brasil e a Petrobras, Angola e a Sonangol, a presença em Moçambique, o espaço lusófono, a envolvente estratégica de Espanha, a distribuição e a comercialização de Oil&Gas e a necessária eficiência, o futuro da refinação e, claro, a envolvente financeira e os desafios associados, acima de tudo na criação de valor e na rentabilidade dos negócios.


A intervenção foi finalizada com uma abordagem à cultura organizacional que a Galp Energia deve ambicionar e de que forma o talento deve estar associado à meritocracia.
O almoço temático, que decorreu num ambiente descontraído e informal, contou ainda com a presença do Professor João César da Neves, da Católica-Lisbon, que nesse dia assegurou o módulo de Teoria e Política Económica.
 

02/07/2015


Associação Internacional de Produtores Oil & Gas publica relatório

"Benchmarking" de "standards" e especificações técnicas

Em 2013 o Comité de Normas da Associação Internacional de Produtores Oil & Gas (IGOP) renovou o estudo elaborado em 2008 com a finalidade de avaliar, junto dos seus associados, eventuais alterações na estratégia de desenvolvimento de normas e especificações técnicas, bem como padrões e tendências de utilização das mesmas.

Breves conclusões do estudo:



  • A tendência para se utilizar normas externas está a aumentar. Os resultados de 2013 mostram que as normas ISO e ASTM foram os dois grupos de standards mais referenciados.

  • A grande quantidade de especificações/normas internas exige recursos consideráveis para as desenvolver e gerir por forma a mantê-las atuais e com a utilidade esperada.

  • Devem ser tomadas ações para envolver e obter a participação de mais empresas na elaboração de normas externas.

  • O esforço de desenvolvimento de normas externas deveria ser intensificado e o desenvolvimento de especificações/normas internas deveria diminuir proporcionalmente.

  • Verifica-se que tendencialmente as grandes empresas têm (muito) mais especificações do que as empresas de menor dimensão, embora desenvolvam as mesmas tarefas (tipo de atividade). Em princípio, e independentemente da dimensão das empresas num mesmo setor, o nível de especificações deveria ser equivalente.

  • Verificou-se que quase todas as empresas recorrem a um comité para aprovação de especificações/normas internas.

  • Naturalmente, as especificações/normas internas são desenvolvidas pelos próprios quadros da empresa (em conjunto com responsáveis de linha ou uma estrutura composta por responsáveis de gestão para a sua aprovação).

  • Revelou-se que existe uma grande variedade quanto à obrigatoriedade de aplicação das especificações nos projetos ou operações das empresas (aplicação voluntária versus obrigatória).

Deverão ser desenvolvidos trabalhos adicionais, por um lado, para minimizar o número e volume das especificações internas das empresas e por outro, para incrementar o número e qualidade de normas externas.

Os resultados deste estudo de benchmark encontram-se resumidos no relatório da IOGP recentemente publicado e disponível aqui.



02/07/2015


Gas & Power

Planos Energia3 reforçam descontos e deixam de estar indexados à tarifa regulada

Poupanças podem atingir os 190 euros por ano para família típica que tenha gás e eletricidade

O Plano Energia3 oferece, desde ontem, descontos de 50% sobre os termos fixos de eletricidade e gás natural, de 12 cêntimos por litro de combustível e de 5% nas garrafas de GPL adquiridas nas lojas Continente.


A oferta que vigorava desde o final da promoção de lançamento oferecia descontos de 25% na eletricidade quando contratada isoladamente e 30% nos termos fixos das duas energias ao contratar eletricidade e gás natural.
O desconto de 50% aplica-se agora aos preços Galp Energia, e não sobre as tarifas transitórias que, fruto do Decreto-Lei 15/2015, tiveram de ser descontinuadas enquanto indexante, para todas as comercializadoras, a partir de 1 de julho.
Na eletricidade, o preço associado à Potência Contratada passa a variar anualmente com base no IPC (Índice de Preços no Consumidor) e o preço associado à Energia pode variar semestralmente, de acordo com a evolução dos preços médios a que as comercializadoras adquirem a eletricidade no MIBEL (Mercado Ibérico de Energia Elétrica).
Já no gás natural, o preço associado ao Termo Fixo passa a variar anualmente, também com base no IPC, e o Termo Variável pode variar trimestralmente, com base na evolução do Brent (cotação internacional que condiciona os preços de referência para aquisição de gás natural nos mercados internacionais) e da taxa de câmbio Euro/Dólar.
Com esta nova fórmula reforçada, o Plano Energia3 consolida a sua posição como a melhor proposta no mercado da energia, com poupanças potenciais que ascendem a mais de 150 Euros/ano (família típica sem filhos e sem gás natural) e mais de 190 Euros/ano (família típica com filhos e gás natural).
Comparando apenas as componentes eletricidade e gás natural (isto é, retirando os benefícios em combustível e GPL) o plano Energia3 reforça a sua competitividade no mercado da energia, ficando 27€ abaixo da fatura anual do principal concorrente na eletricidade e 35€ na fatura conjunta de eletricidade e gás natural (considerando o consumo do cliente médio na tarifa simples).
Se pretender aderir a este plano, poderá fazê-lo através do número 808 020 025 ou da página da Energia3 na Internet, em www.energia3.pt.
 

02/07/2015 




Energia3 presente nas festas do Continente

Agora com 50% de desconto na eletricidade e gás natural

​A Galp Energia associou-se às 15 festas que o Continente está a fazer por todo o país através da colocação de stands para a contratação de clientes de eletricidade e gás natural no Plano Energia3.

O primeiro evento teve lugar no sábado passado no Parque Eduardo VII, em Lisboa, e juntou muitos milhares de pessoas, já que o programa era aliciante: a quinta Continente com animais e culturas do campo em plena cidade, música ao vivo, showcookings apresentados por Chefs conhecidos, deliciosas propostas das Food Trucks, muitos divertimentos e animação (cinema, insufláveis, ateliers para os mais jovens, megaescorrega de água), atividades circenses, labirinto feito de palha, trampolins e, para fechar, um concerto do Tony Carreira, tudo isto com cobertura em direto da TVI.

A Galp Energia esteve presente com três stands onde divulgou o Plano Energia3, procurando promover novas contratações para este plano agora reforçado com descontos de 50% nos termos fixos (quer para clientes apenas de eletricidade, quer para fornecimento conjunto de eletricidade e gás natural). As poupanças potenciais com o Energia3 ultrapassam os 150 Euros/ano para um cliente típico.

As festas vão-se repetir-se por:



  Vila Nova de Famalicão a 10 de julho;

  Lagos a 12 de julho;

  Marco de Canavezes a 18 de julho;

  Vila Real a 1 de agosto;

  Caldas da Rainha a 2 de agosto;

  Ovar a 9 de agosto;

  Portimão a 12 de agosto;

  Esposende a 13 de agosto;

  Reguengos de Monsaraz a 16 de agosto;

  Bragança a 21 de agosto;

  Braga a 28 de agosto;

  Vila Praia de Âncora a 11 de Setembro;

  Porto a 19 de Setembro. 



02/07/2015


Baixar 2.55 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
Dispõe sobre
reunião ordinária
Serviço público
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Relatório técnico
Universidade estadual
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
espírito santo
pregão eletrônico
Curriculum vitae
Sequência didática
Quarta feira
prefeito municipal
distrito federal
conselho municipal
língua portuguesa
nossa senhora
educaçÃo secretaria
segunda feira
Pregão presencial
recursos humanos
Terça feira
educaçÃO ciência
agricultura familiar