Moinhos de água 3 Moinhos de vento 6 Sistemas tradicionais de moagem 8 operaçÃo dos moinhos de vento 9 glossário de termos e expressões da gíria dos moinhos de vento 11 Moinho de maré 13 Noras 15



Baixar 2.85 Mb.
Página2/18
Encontro03.11.2017
Tamanho2.85 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   18
Moinhos de vento



  • Como funciona?

Os moinhos de vento foram inventados na Pérsia no século V para bombear água para irrigação. Os mecanismos básicos de um moinho de vento não mudaram desde então: o vento atinge uma hélice que ao movimentar-se gira um eixo que impulsiona uma bomba, uma moenda ou, em tempos mais modernos, um gerador de electricidade. As hélices de uma turbina de vento são diferentes das lâminas dos antigos moinhos porque são mais aerodinâmicas e eficientes. Seu movimento activa um eixo que está conectado ao gerador de electricidade.

  • Benefícios e desvantagens:

A fonte eólica, como a nuclear, também não emite gases responsáveis pelo aquecimento global e sua tecnologia pode ser instalada em locais isolados. Porém, é um sistema intermitente (se não tem vento, não tem energia) que necessita de uma complementação. Seja através de uma outra Central de outro tipo, seja pelo armazenamento da energia produzida em baterias. O custo desta forma de geração ainda é muito alto principalmente devido a sua baixa eficiência.

Muitos ambientalistas questionam a poluição sonora provocada pelo movimento das hélices e os transtornos causados aos pássaros em migração. Além disso, os sistemas que utilizam baterias, também sofrem com o problema da deposição adequada deste material (fonte de ácidos e metais pesados altamente poluentes e nocivos ao meio ambiente) quando de sua substituição, principalmente se instalados em locais isolados.






Hélice giratória

Turbina

Para percebermos como se construía um moinho de vento, temos que nos situar no fim da Idade Média, bem antes da industrialização, quando muitos dos actuais princípios eram desconhecidos. Senão vejamos: o papel era um bem raro; o sistema métrico, tal como hoje é usado, não existia; o cimento era feito com outros materiais; os sistemas construtivos eram outros e os materiais, obviamente também. Deste modo, e condicionados por alguma incerteza, vamos abordar alguns temas que estarão na base da construção dos moinhos, de modo a poderem ser melhor entendidos e preservados.

A construção de moinhos de vento até aos séculos XVI/XVII era radicalmente diferente da que hoje se pratica. Em termos práticos podemos considerar que a forma associada aos moinhos de vento tal como os conhecemos hoje, data do Séc. XVII, tendo as velas triangulares sido introduzidas no Séc. XVIII. Os conhecimentos eram transmitidos principalmente de forma prática no decurso de grandes obras como, por exemplo, palácios, igrejas e mosteiros. Nestas obras os mestres transmitiam os seus ensinamentos aos seus aprendizes e, eventualmente, futuros substitutos. Daqui se infere que a formação prática e teórica dos mestres e artífices era muito boa, por ser resultado da sua participação em trabalhos de grande dimensão e complexidade.

Considerando que a transmissão desses conhecimentos era feita de modo tradicional, atento o empirismo do saber, a formação era lenta e consistia em percorrer uma escala de aperfeiçoamento que ia desde o servente, passando pelo aprendiz, pelo oficial, até chegar ao mestre, como teoricamente ainda hoje acontece com os misteres de pedreiro ou carpinteiro, entre outros.

Por outro lado, formação e conhecimentos passavam de pais para filhos, uma vez que estes desde cedo começavam a ajudar, aprendendo consequentemente o mesmo ofício. Este processo era habitual ainda há pouquíssimos anos com os mestres carpinteiros de moinhos conhecidos.

Sistemas tradicionais de moagem

A evolução dos sistemas de moagem está directamente ligada à evolução tecnológica e ao domínio e utilização de variadas fontes de energia. Assim, nos sistemas tradicionais de moagem começamos por assistir à utilização da energia muscular (do homem ou dos animais), depois da água (cursos de água e marés) e posteriormente, do vento. Esta última fonte de energia é a utilizada pelos moinhos de vento, os quais são caracterizados por uma construção básica que alberga o sistema de moagem (as mós e os componentes relacionados) e que suporta o sistema motor e de captação de vento (as varas e as velas ou pás, etc.).

Como a direcção do vento é variável, é necessário que o sistema de captação do vento ou o moinho no seu todo possam rodar em torno de um eixo de forma a permitir a utilização eficiente da fonte de energia eólica. Assim há:



 

 

 Moinhos de poste rodando a maior parte da sua estrutura sobre um poste

 Moinhos de torre em que roda apenas o capelo

 

 

 Moinhos giratórios em que o todo roda (sobre duas rodas) em torno de um eixo excêntrico cravado no solo

 Moinhos de armação ou do tipo americano

 De forma simples podemos referir que o vento faz rodar as velas ou pás (quaisquer que sejam as suas formas) que estão solidárias com um eixo de rotação e uma roda dentada e é esta que, engrenando num carreto, faz girar a mó.

OPERAÇÃO DOS MOINHOS DE VENTO

Na sucessão de acontecimentos que fizeram, no fundo, a história do pão, temos, portanto, a existência de toda uma série de engenhos que permitem, inclusivamente, caracterizar as etapas da evolução humana (do ponto de vista técnico, social e cultural).

O moinho de vento, por utilizar a energia eólica e sendo esta de orientação muito diversa, possui um sistema que permite rodar o capelo de forma a poder apanhar o vento, qualquer que seja a sua orientação.




Baixar 2.85 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   18




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
Dispõe sobre
reunião ordinária
Serviço público
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Relatório técnico
Universidade estadual
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
espírito santo
pregão eletrônico
Curriculum vitae
Sequência didática
Quarta feira
prefeito municipal
distrito federal
conselho municipal
língua portuguesa
nossa senhora
educaçÃo secretaria
segunda feira
Pregão presencial
recursos humanos
Terça feira
educaçÃO ciência
agricultura familiar