Manual de Primeiros Socorros 2003 Ministério da Saúde



Baixar 8.99 Mb.
Pdf preview
Página3/21
Encontro08.04.2020
Tamanho8.99 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   21
pressão arterial com o aparelho, para não induzir a diagnósticos não
autorizados após a leitura, julgamos necessário descrever de maneira
sucinta as características da pressão arterial e a sua verificação.
o
ã
ç
a
ri
p
s
e
r
e
d
s
o
p
i
T
o
ã
ç
a
ri
p
s
e
r
e
d
s
o
p
i
T
o
ã
ç
a
ri
p
s
e
r
e
d
s
o
p
i
T
o
ã
ç
a
ri
p
s
e
r
e
d
s
o
p
i
T
o
ã
ç
a
ri
p
s
e
r
e
d
s
o
p
i
T
a
i
é
n
p
u
E
a
i
é
n
p
u
E
a
i
é
n
p
u
E
a
i
é
n
p
u
E
a
i
é
n
p
u
E
s
o
t
n
e
m
i
v
o
m
r
o
p
a
s
s
e
c
o
r
p
e
s
e
u
q
o
ã
ç
a
ri
p
s
e
R
a
i
d
é
m
a
i
c
n
ê
ü
q
e
r
f
a
n
,
s
e
d
a
d
l
u
c
if
i
d
m
e
s
,
s
e
r
a
l
u
g
e
r
a
i
é
n
p
A
a
i
é
n
p
A
a
i
é
n
p
A
a
i
é
n
p
A
a
i
é
n
p
A
e
l
a
v
i
u
q
E
.
s
o
ir
ó
t
a
ri
p
s
e
r
s
o
t
n
e
m
i
v
o
m
s
o
d
a
i
c
n
ê
s
u
a
a
É
.
a
ir
ó
t
a
ri
p
s
e
r
a
d
a
r
a
p
a
a
i
é
n
p
si
D
a
i
é
n
p
si
D
a
i
é
n
p
si
D
a
i
é
n
p
si
D
a
i
é
n
p
si
D
s
o
t
n
e
m
i
v
o
m
s
o
d
o
ã
ç
u
c
e
x
e
a
n
e
d
a
d
l
u
c
if
i
D
.
s
o
ir
ó
t
a
ri
p
s
e
r
a
i
é
n
p
i
d
a
r
B
a
i
é
n
p
i
d
a
r
B
a
i
é
n
p
i
d
a
r
B
a
i
é
n
p
i
d
a
r
B
a
i
é
n
p
i
d
a
r
B
s
o
t
n
e
m
i
v
o
m
s
o
d
a
i
d
é
m
a
i
c
n
ê
ü
q
e
r
f
a
n
o
ã
ç
i
u
n
i
m
i
D
.
s
o
ir
ó
t
a
ri
p
s
e
r
a
i
é
n
p
i
u
q
a
T
a
i
é
n
p
i
u
q
a
T
a
i
é
n
p
i
u
q
a
T
a
i
é
n
p
i
u
q
a
T
a
i
é
n
p
i
u
q
a
T
.
s
o
ir
ó
t
a
ri
p
s
e
r
s
o
t
n
e
m
i
v
o
m
s
o
d
o
ã
ç
a
r
e
l
e
c
A
a
i
é
n
p
o
t
r
O
a
i
é
n
p
o
t
r
O
a
i
é
n
p
o
t
r
O
a
i
é
n
p
o
t
r
O
a
i
é
n
p
o
t
r
O
o
d
a
t
n
e
s
a
ri
p
s
e
r
ó
s
o
d
a
t
n
e
d
i
c
a
O
u
o
a
i
é
n
p
r
e
p
i
H
u
o
a
i
é
n
p
r
e
p
i
H
u
o
a
i
é
n
p
r
e
p
i
H
u
o
a
i
é
n
p
r
e
p
i
H
u
o
a
i
é
n
p
r
e
p
i
H
o
ã
ç
a
li
t
n
e
v
r
e
p
i
H
o
ã
ç
a
li
t
n
e
v
r
e
p
i
H
o
ã
ç
a
li
t
n
e
v
r
e
p
i
H
o
ã
ç
a
li
t
n
e
v
r
e
p
i
H
o
ã
ç
a
li
t
n
e
v
r
e
p
i
H
a
d
e
a
i
c
n
ê
ü
q
e
r
f
a
d
o
t
n
e
m
u
a
o
e
r
r
o
c
o
o
d
n
a
u
q
É
.
s
o
ir
ó
t
a
ri
p
s
e
r
s
o
t
n
e
m
i
v
o
m
s
o
d
e
d
a
d
i
d
n
u
f
o
r
p

26
Manual
 
de Primeiros
 Socorros
No adulto normal a pressão arterial varia da seguinte forma:
· Pressão arterial máxima ou sistólica - de 100 a 140 mm Hg
(milímetros de mercúrio).
· Pressão arterial mínima ou diastólica - de 60 a 90 mm Hg.
A pressão varia com a idade, por exemplo: uma pessoa com a idade
entre 17 a 40 anos apresenta a pressão de 140 x 90, já entre 41 a 60 anos
apresenta pressão, de 150 x 90 mm de Hg.
A pessoa com pressão arterial alta sofre de hipertensão e apresenta,
dentro de certos critérios de medição, pressão arterial mínima acima de
95 mm Hg e pressão arterial máxima acima de 160 mm Hg. A pressão
muito baixa (hipotensão) é aquela em que a pressão máxima chega a baixar
até a 80 mm Hg.
No Quadro IV apresentamos exemplos de condições que alteram a
pressão arterial:
Quadro IV - Condições que levam à alteração na pressão arterial
É importante perguntar à vítima sua pressão arterial e
passar essa informação ao profissional que for prestar o
socorro especializado.
Uma pessoa com hipertensão deverá ser mantida com a cabeça
elevada; deve ser acalmada; reduzir a ingestão de líquidos e sal e ficar sob
observação permanente até a chegada do médico. No caso do hipotenso,
deve-se promover a ingestão de líquidos com pitadas de sal, deitá-lo e
chamar um médico.
o
ã
s
s
e
r
p
a
i
u
n
i
m
i
D
o
ã
s
s
e
r
p
a
i
u
n
i
m
i
D
o
ã
s
s
e
r
p
a
i
u
n
i
m
i
D
o
ã
s
s
e
r
p
a
i
u
n
i
m
i
D
o
ã
s
s
e
r
p
a
i
u
n
i
m
i
D
o
ã
s
s
e
r
p
a
a
t
n
e
m
u
A
o
ã
s
s
e
r
p
a
a
t
n
e
m
u
A
o
ã
s
s
e
r
p
a
a
t
n
e
m
u
A
o
ã
s
s
e
r
p
a
a
t
n
e
m
u
A
o
ã
s
s
e
r
p
a
a
t
n
e
m
u
A
o
ã
ç
a
u
r
t
s
n
e
M
o
ã
t
s
e
g
i
D
o
ã
ç
a
t
s
e
G
l
a
n
o
i
c
o
m
e
o
ã
ç
a
t
i
c
x
E
o
s
u
o
p
e
R
/
o
n
o
S
s
e
õ
s
l
u
v
n
o
C
o
m
s
i
d
i
o
e
r
i
t
o
p
i
H
o
m
s
i
d
i
o
e
r
i
t
r
e
p
i
H
e
v
a
r
g
a
i
g
a
r
r
o
m
e
H
e
s
o
r
e
l
c
s
o
i
r
e
t
r
A
e
v
a
r
g
a
i
m
e
n
A
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

27
Medição   da   pressão   arterial
Posição da pessoa: Sentada, semi-sentada (reclinada) ou deitada
(esta é a melhor posição):
Material: Esfigmomanômetro e estetoscópio
Técnica:
a) Tranqüilizar a pessoa informando-a sobre a medição de pressão.
b) Braço apoiado ao mesmo nível do coração para facilitar a
localização da artéria braquial.
c) Colocar o manguito ao redor do braço, a cerca de 4 dedos da
dobra do cotovelo. Prender o manguito.
d) Fechar a saída de ar e insuflar até que o ponteiro atinja a marca
de 200 mm Hg. Pode ser necessário ir mais alto.
e) Posicionar o na artéria umeral, abaixo do manguito e ouvir se há
batimentos.
f) Abrir a saída de ar lentamente e ouvir os batimentos regulares
g) Anotar a pressão indicada pelo ponteiro que será a Pressão Arte-
rial Máxima.
h) A pressão do manguito vai baixando e o som dos batimentos
muda de nítido desaparecendo. Neste ponto deve-se anotar a Pressão
Arterial Mínima. Às vezes o ponto de Pressão Mínima coincide com o
desaparecimento do som dos batimentos.
Sinais   de   Apoio
Além dos sinais vitais do funcionamento do corpo humano, existem
outros que devem ser observados para obtenção de mais informações
sobre o estado de saúde de uma pessoa. São os sinais de apoio; sinais que
o corpo emite em função do estado de funcionamento dos órgãos vitais.
Os sinais de apoio podem ser alterados em casos de hemorragia,
parada cardíaca ou uma forte batida na cabeça, por exemplo. Os sinais de
apoio tornam-se cada vez mais evidentes com o agravamento do estado
do acidentado. Os principais sinais de apoio são:
· Dilatação e reatividade das pupilas
· Cor e umidade da pele
· Estado de consciência
· Motilidade e sensibilidade do corpo
Dilatação e Reatividade das Pupilas
A pupila é uma abertura no centro da íris - a parte colorida do olho
- e sua função principal é controlar a entrada de luz no olho para a formação
das imagens que vemos. A pupila exposta à luz se contrai. Quando há
  Capítulo I Geral

28
Manual
 
de Primeiros
 Socorros
pouca ou quase nenhuma luz a pupila se dilata, fica aberta. Quando a
pupila está totalmente dilatada, é sinal de que o cérebro não está recebendo
oxigênio, exceto no uso de colírios midriáticos ou certos envenenamentos.
A dilatação e reatividade das pupilas são um sinal de apoio importante.
Muitas alterações do organismo provocam reações nas pupilas (Quadro
V). Certas condições de "stress", tensão, medo e estados de pré-choque
também provocam consideráveis alterações nas pupilas.
Devemos observar as pupilas de uma pessoa contra a luz de uma
fonte lateral, de preferência com o ambiente escurecido. Se não for possível
deve-se olhar as pupilas contra a luz ambiente.
Quadro V - Alterações orgânicas que provocam reações nas pupilas
Cor e Umidade da Pele
A cor e a umidade da pele são também sinais de apoio muito útil no
reconhecimento do estado geral de um acidentado. Uma pessoa pode
apresentar a pele pálida, cianosada ou hiperemiada (avermelhada e quente).
A cor e a umidade da pele devem ser observadas na face e nas
extremidades dos membros, onde as alterações se manifestam primeiro
(Quadro VI). A pele pode também ficar úmida e pegajosa. Pode-se observar
estas alterações melhor no antebraço e na barriga.
Quadro VI - Alterações orgânicas que provocam modificações na
cor e umidade da pele
s
a
li
p
u
p
s
a
d
o
ã
ç
a
r
t
n
e
c
n
o
c
u
o
o
ã
ç
a
t
a
li
d
m
a
c
o
v
o
r
p
e
u
q
s
e
õ
ç
a
r
e
tl
A
s
a
li
p
u
p
s
a
d
o
ã
ç
a
r
t
n
e
c
n
o
c
u
o
o
ã
ç
a
t
a
li
d
m
a
c
o
v
o
r
p
e
u
q
s
e
õ
ç
a
r
e
tl
A
s
a
li
p
u
p
s
a
d
o
ã
ç
a
r
t
n
e
c
n
o
c
u
o
o
ã
ç
a
t
a
li
d
m
a
c
o
v
o
r
p
e
u
q
s
e
õ
ç
a
r
e
tl
A
s
a
li
p
u
p
s
a
d
o
ã
ç
a
r
t
n
e
c
n
o
c
u
o
o
ã
ç
a
t
a
li
d
m
a
c
o
v
o
r
p
e
u
q
s
e
õ
ç
a
r
e
tl
A
s
a
li
p
u
p
s
a
d
o
ã
ç
a
r
t
n
e
c
n
o
c
u
o
o
ã
ç
a
t
a
li
d
m
a
c
o
v
o
r
p
e
u
q
s
e
õ
ç
a
r
e
tl
A
s
s
e
r
t
S
e
u
q
o
h
c
e
d
o
d
a
t
s
e
e
d
a
i
c
n
ê
n
i
m
I
a
c
a
í
d
r
a
c
a
d
a
r
a
P
o
ã
ç
a
c
i
x
o
t
n
I
s
a
g
o
r
d
e
d
o
s
u
b
A
s
o
c
it
ó
i
m
u
o
s
o
c
it
á
ir
d
i
m
s
o
ir
íl
o
C
o
c
il
á
f
e
c
n
e
-
o
e
n
â
r
c
o
m
s
it
a
m
u
a
r
T
e
l
e
P
a
d
e
d
a
d
i
m
U
e
r
o
C
e
l
e
P
a
d
e
d
a
d
i
m
U
e
r
o
C
e
l
e
P
a
d
e
d
a
d
i
m
U
e
r
o
C
e
l
e
P
a
d
e
d
a
d
i
m
U
e
r
o
C
e
l
e
P
a
d
e
d
a
d
i
m
U
e
r
o
C
o
ã
ç
a
r
e
tl
A
o
ã
ç
a
r
e
tl
A
o
ã
ç
a
r
e
tl
A
o
ã
ç
a
r
e
tl
A
o
ã
ç
a
r
e
tl
A
a
ic
n
ê
rr
o
c
O
a
ic
n
ê
rr
o
c
O
a
ic
n
ê
rr
o
c
O
a
ic
n
ê
rr
o
c
O
a
ic
n
ê
rr
o
c
O
)
a
d
a
l
u
z
a
e
l
e
p
(
e
s
o
n
a
i
C
.
e
t
r
o
m
,
e
u
q
o
h
c
e
d
o
d
a
t
s
e
,
a
ir
ó
t
a
ri
p
s
e
r
-
o
i
d
r
a
c
a
d
a
r
a
p
,
o
ir
f
o
a
o
ã
ç
i
s
o
p
x
E
z
e
d
il
a
P
o
ã
s
n
e
t
a
m
e
r
t
x
e
,
o
ir
f
o
a
o
ã
ç
i
s
o
p
x
e
,
a
ir
ó
t
a
ri
p
s
e
r
-
o
i
d
r
a
c
a
d
a
r
a
p
,
a
i
g
a
r
r
o
m
e
H
.
e
u
q
o
h
c
e
d
o
d
a
t
s
e
,l
a
n
o
i
c
o
m
e
a
i
m
e
r
e
p
i
H
e
l
e
p
(
)
e
t
n
e
u
q
e
a
h
l
e
m
r
e
v
,
s
a
c
il
ó
o
c
l
a
s
a
d
i
b
e
b
e
d
o
ã
t
s
e
g
n
i
,
s
e
t
n
e
u
q
s
e
t
n
e
i
b
m
a
a
o
ã
ç
i
s
o
p
x
e
,
e
r
b
e
F
.
o
m
s
it
a
m
u
a
r
t
,
u
a
r
g
o
ri
e
m
ir
p
e
d
s
a
r
u
d
a
m
i
e
u
q
u
o
a
s
o
c
s
i
v
e
a
ir
f
e
l
e
P
a
s
o
j
a
g
e
p
e
a
d
i
m
ú
.
e
u
q
o
h
c
e
d
o
d
a
t
s
E
a
l
e
r
a
m
a
e
l
e
P
.
a
i
m
e
n
e
t
o
r
a
c
r
e
p
i
h
,
a
i
c
ír
e
t
c
I

29
Estado de Consciência
Este é outro sinal de apoio importante. A consciência plena é o estado
em que uma pessoa mantém o nível de lucidez que lhe permite perceber
normalmente o ambiente que a cerca, com todos os sentidos saudáveis
respondendo aos estímulos sensoriais.
Quando se encontra um acidentado capaz de informar com clareza
sobre o seu estado físico, pode-se dizer que esta pessoa está perfeitamente
consciente. Há, no entanto, situações em que uma pessoa pode apresentar
sinais de apreensão excessiva, olhar assustado, face contraída e medo.
Esta pessoa certamente não estará em seu pleno estado de consciência.
Uma pessoa pode estar inconsciente por desmaio, estado de choque,
estado de coma, convulsão, parada cardíaca, parada respiratória,
alcoolismo, intoxicação por drogas e uma série de outras circunstâncias
de saúde e lesão.
Na síncope e no desmaio há uma súbita e breve perda de consciência
e diminuição do tônus muscular. Já o estado de coma é caracterizado por
uma perda de consciência mais prolongada e profunda, podendo o
acidentado deixar de apresentar gradativamente reação aos estímulos
dolorosos e perda dos reflexos.
Motilidade e Sensibilidade do Corpo
Qualquer pessoa consciente que apresente dificuldade ou
incapacidade de sentir ou movimentar determinadas partes do corpo, está
obviamente fora de seu estado normal de saúde. A capacidade de mover
e sentir partes do corpo são um sinal que pode nos dar muitas informações.
Quando há incapacidade de uma pessoa consciente realizar certos
movimentos, pode-se suspeitar de uma paralisia da área que deveria ser
movimentada. A incapacidade de mover o membro superior depois de um
acidente pode indicar lesão do nervo do membro. A incapacidade de
movimento nos membros inferiores pode indicar uma lesão da medula
espinhal.
O desvio da comissura labial (canto da boca) pode estar a indicar
lesão cerebral ou de nervo periférico (facial). Pede-se à vítima que sorria.
Sua boca sorrirá torta, só de um lado.
Pedir à vítima de acidente traumático que movimente os
dedos de cada mão, a mão e os membros superiores, os
dedos de cada pé, o pé e os membros inferiores.
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
   Capítulo I Geral

Baixar 8.99 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   21




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
reunião ordinária
Dispõe sobre
Serviço público
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Relatório técnico
Universidade estadual
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
Curriculum vitae
pregão eletrônico
espírito santo
Sequência didática
Quarta feira
conselho municipal
distrito federal
prefeito municipal
língua portuguesa
nossa senhora
segunda feira
educaçÃo secretaria
Pregão presencial
recursos humanos
Terça feira
agricultura familiar
educaçÃO ciência