Livro de resumos/ book of abstracts



Baixar 0.69 Mb.
Página5/5
Encontro30.10.2016
Tamanho0.69 Mb.
1   2   3   4   5

POSTERS




P001A aquisição de libras em crianças surdas e o início da alfabetização (PT)


Maaz, Iracema de Souza Fortes

Brasil, Prefeitura Municipal de São Paulo

Palavras-chave/Keywords: Lingua de Sinais; Surdez; Aquisição de Lingua

Resumo/Abstract: A maior parte das crianças surdas chega à escola não tendo como comunicar-se efetivamente, com a ausência de uma língua adquirida. Sem o conhecimento da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), expressam atitudes apenas alguns gestos aprendidos no convívio familiar. Esses gestos servirão para o léxico gestual que corresponde ao léxico auditivo não linguístico em crianças ouvintes A criança surda descobrirá no ambiente escolar a possibilidade de adquirir a Libras em contextos linguísticos que envolvem usos sociais reais na intervenção com os interlocutores proficientes nessa língua. Essa aquisição promove a abertura para entender o mundo e se fazer entender, bem como a possibilidade de interagir com o outro. As situações didáticas devem proporcionar às crianças atividades que promovam a interação sociolinguística através de diálogo, roda de conversa, contos pelo professor e recontos pelos alunos, cantigas, brincadeiras infantis, jogos utilizando o alfabeto digital, sinais, configuração de mão, histórias em Libras (DVD). O processo de letramento de uma criança surda envolve não apenas a apropriação do sistema de escrita e as praticas de leitura e escrita pois envolve este aprendizado em uma segunda língua, a Língua Portuguesa, na modalidade escrita. As situações que envolvem esse aprendizado precisam ser vivenciadas primeiramente em Libras para que possibilitem a construção de significados simbólicos e socioculturais.

Bionota /Bionote: Graduada em Pedagogia com licenciatura focalizada para atuação em Educação Especial e Surdez pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP, 1988). Também graduada em Língua e Literatura Portuguesa pela PUC-SP (1999). Atualmente sou professora titular de Educação Infantil do Ensino Fundamental I, do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio da Prefeitura Municipal de São Paulo. Sou proficiente em Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), língua na qual me comunico como língua de instrução docente nos três âmbitos da docência com alunos surdos. Sou especialista em Arteterapia pela UNIP, tendo focalizado em meu trabalho monográfico, a questão da identidade surda.

P003Roteiro Turístico Acessível na cidade de Braga direcionado para a população com deficiência visual (PT)


Anacleto, Sandra Contente

Portugal, Universidade do Minho

Palavras-chave/Keywords: Destinos Turísticos; Turismo Acessível; Deficiência Visual; Inclusão; Braga

Resumo/Abstract: A conceção deste roteiro requer a compreensão do conceito de turismo acessível, o conhecimento das necessidades especiais da população com deficiência visual, ter presente a legislação que vigora em Portugal no domínio da deficiência visual, e um conhecimento sobre experiências nacionais e internacionais que se têm realizado neste âmbito. Os objetivos principais da investigação em curso são promover um roteiro adequado para este público-alvo, potenciar o turismo acessível na cidade de Braga, e contribuir para uma cidade mais acessível e inclusiva. Segundo Deville (2009, p. 39) “o conceito de “Turismo para Todos” ou de “Turismo Acessível” reconhece que qualquer pessoa deve poder usar os equipamentos e serviços turísticos e que é necessário proporcionar uma oferta de serviços e atividades orientadas para os gostos e preferências de pessoas que tenham um conjunto de limitações a que podem corresponder necessidades e exigências diferentes de outros segmentos da procura”. Tendo presentes as necessidades especiais da população com deficiência visual, torna-se evidente que a sua condição exige requisitos e meios adequados para que possa usufruir e apreciar o património turístico de Braga, com autonomia, dignidade, condições de igualdade e segurança. São exemplos de alguns meios, a utilização do sistema Braille, tecnologias da informação acessíveis, áudio-descrição, sinalética adequada e pavimento táctil. A conceção do roteiro implica a participação de agentes relacionados com o turismo, associações comerciais, entidades locais e orgãos do governo. Requer a articulação e parceria com locais de interesse turístico, com o fim de determinar estratégias e atividades de forma adequada para a população deficiente visual. Torna-se também importante a participação da própria comunidade, no sentido de a sensibilizar para a questão da deficiência. Por último, a colaboração e apoio da Associação de Deficientes Visuais do Distrito de Braga, permitirá testar e avaliar o roteiro definido.

Bionota /Bionote: Sandra Contente Anacleto – Licenciada em Geografia (via ensino) pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Docente desde 1999 até à atualidade, tendo lecionado a disciplina de geografia em diferentes anos de escolaridade e exercido cargos inerentes à sua função. Frequenta o mestrado de Património e Turismo Cultural da Universidade do Minho, tendo como orientadora na execução do projeto a Doutora Paula Remoaldo.

P004A produção de conteúdos inclusivos: sensibilização e formação de utilizadores num contexto universitário (PT)


Marçal, Bruno; Célia Pinto; Denise Santos

Portugal, ISCTE-IUL – Instituto Universitária de Lisboa

Palavras-chave/Keywords: Inclusão; Formação; Produção de conteúdos; Necessidades Educativas Especiais; Responsabilidade Social e Sustentabilidade

Resumo/Abstract: A Na primeira edição da INCLUDiT tivemos a oportunidade de apresentar uma comunicação na qual foi descrito o percurso desenvolvido pelo ISCTE-IUL no domínio do apoio a alunos com Necessidades Educativas Especiais - NEE, com particular destaque para o trabalho realizado pela Biblioteca da instituição, nunca perdendo de vista a interação da mesma com os restantes serviços internos. Enunciámos igualmente um conjunto de iniciativas que pretendíamos desenvolver entre as quais se destaca a produção de conteúdos digitais mais inclusivos e a sensibilização de toda a comunidade para esta questão. O poster que nos propomos apresentar visa, por um lado, dar a conhecer um conjunto de boas práticas para a elaboração de documentos digitais que cumpram as regras de acessibilidade e a forma como pretendemos partilhar esse conhecimento junto da comunidade ISCTE-IUL, nomeadamente, os produtos, canais e estratégias de comunicação a seguir. Igualmente importante é o desafio de rentabilizar o esforço despendido na produção dos conteúdos fazendo uso de plataformas de preservação digital como são os casos do Repositório ISCTE-IUL e da aplicação de e-learning, possibilitando uma reutilização e partilha dos mesmos pelos alunos com NEE. Em paralelo, contextualizando a nossa ação, pretendemos igualmente transmitir uma mensagem muito clara de que a criação de boas condições de trabalho para todos os alunos que chegam ao ISCTE-IUL, respeitando o princípio da igualdade e evitando uma política meramente assistencialista, é uma prioridade institucional. Podemos neste campo referir a constituição de um grupo de trabalho em Responsabilidade Social e Sustentabilidade que organizou recentemente a 1ª Edição da Semana da Responsabilidade Social Universitária, ou mesmo, o reforço de parcerias e protocolos com instituições estratégicas, como é o caso da Fundação PT que, por via da disponibilização de financiamento, equipamentos, serviços ou mesmo de know how, nos permitem dar uma resposta mais eficaz às necessidades dos nossos utilizadores.

Bionota /Bionote: Bruno Marçal: Licenciado em Ciências da Educação pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, conta com diversas certificações Microsoft nomeadamente MCSE – Microsoft Certified Systems Engineer e MCDBA – Microsoft Certified Database Administrator, trabalhou vários anos como administrador de sistemas no ISCTE-IUL – Instituto Universitário de Lisboa e exerce atualmente funções na Biblioteca da instituição fundamentalmente na componente tecnológica e dos sistemas de informação.

P007Accessible elearning: 7 years of experience and research (EN)


Francisco, Manuela, Joana Mineiro & Cláudio Esperança

Unidade de Ensino a Distância, Instituto Politécnico de Leiria

Palavras-chave/Keywords: Accessible eLearning; LMS; content; training

Resumo/Abstract: The 7 years’ experience of the distance learning unit (UED) of IPLeiria, allowed us to outline a accessible eLearning strategy that is still undergoing maturation. We have faced some challenges that compelled us to rework processes and questioning each option. We tested the model "User-center model" within the EU4ALL project which concluded that this model is not effective because it requires extensive and complex form. We opted for a standard profile in LMS where each user can control some graphics features and opt for the content it deems most appropriate. Proposing initially multi-format contents and received positive feedback from the students, the production of these contents is costly, requires time for the preparation of different formats and requires a team of specialized personnel and different technology. So, we decided to provide textual content following the WCAG recommendations, video content hosted on youtube and give relevance to the learning community, betting into collaborative activities for the individual knowledge construction. Being essential to sensitize the learning community to the different user profiles and their specific requirements - derived from physical, sensory, mental conditions or technological issues - the UED promote training about virtual accessible environments and free accessible online collaborative tools. So, seeking to ensure the accessibility of distance learning and eLearning, the UED sustains a distance sign interpretation service; performs accessibility tests of Web tools and platforms used in eLearning; promotes the creation of content accordance with WCAG 2.0; sensitizes the academic community (professors and students) for using PDF format according to the accessibility features and the use of accessible tools: eXelearning, wikis, youtube, some social networks and some Moodle resources. We recommend pedagogical strategies that promote an asynchronous interaction and if it´s necessary, a few synchronous moments using the communication tools: BigBlueButton or Skype. Having not yet defined an accessible e-learning model, our approach is nearing the pluralism, betting on diversity of student profiles, diversity of habitats and diversity of tools-as long as you're guaranteed accessibility for those using the tool and for those who enjoy the result obtained with the tool.
Bionota /Bionote: Manuela Francisco has a degree in Interior Design, Master degree in eLearning pedagogy of the Open University, with dissertation “Contributions to an inclusive online education: study applied to blindness and low vision cases”. She is currently doing a PhD in the area of distance education and eLearning, developing a study on parametric description of the images for an inclusive eLearning. She works as an Instructional Designer and e-tutor at the Instituto Politécnico de Leiria. She also teaches in online courses at the Open University.

P008ESTM (+) Inclusiva: dinamização de ações inclusivas na comunidade (PT)


Sebastião, Maria Paula

Portugal, Escola Superior de Turismo e Tecnologias do Mar, Instituto Politécnico de Leiria

Palavras-chave/Keywords: Inclusão; Comunidade; ESTM; Peniche

Resumo/Abstract: Enquadrado no Ano Europeu dos Cidadãos e no IPL (+) Inclusivo, a Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar (ESTM) promoveu um conjunto de iniciativas durante o ano letivo 2012/2013, em colaboração com a Rede Social da Câmara Municipal de Peniche entre outras entidades associadas à questão da Cidadania e Solidariedade entre Gerações. Este conjunto de boas práticas que envolveu a comunidade académica da ESTM e a população de Peniche é analisado e documentado na presente trabalho.

P009Estudos Culturais, género e discursos de poder (PT)


Maia, Sara Vidal

Portugal, Universidade de Aveiro/ CECS, Universidade do Minho

Palavras-chave/Keywords: Estudos Culturais, género, discursos de poder

Resumo/Abstract: Os Estudos Culturais aproximam as ciências sociais e as humanas, desenvolvendo as primeiras análises verdadeiramente culturais do mundo contemporâneo. Inicialmente reconhecidos pelo seu interesse na análise da cultura popular e de massas, os Estudos Culturais facilmente se estenderam a outras áreas de estudo como, por exemplo, as análises do poder, do discurso, da identidade e das minorias (onde encaixam as diferenças de género). A particularidade dos Estudos Culturais reside no seu caráter multidisciplinar, na medida em que procuram analisar diversas áreas de estudo dentro das práticas culturais inerentes ao contexto social. Este poster procura dar a conhecer as potencialidades dos Estudos Culturais em valorizar a discussão acerca das relações de poder que circulam entre o género feminino e o género masculino, utilizando para isso o quadro teórico e epistemológico dos Estudos Culturais.

Bionota /Bionote: Doutoranda em Estudos Culturais, UA/UM; Mestre em Gestão e Planeamento em Turismo pela UA; Licenciada em História da Arte pela UC; Bolseira de doutoramento FCT, no domínio das Ciências da Comunicação e Informação; Investigadora do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS) da UM.

P010Plural&Singular – a “incluir” desde 3 de dezembro de 2012 (PT)


Plural&Singular - órgão de comunicação social dedicado à temática da deficiência.

Palavras-chave/Keywords: Deficiência, Comunicação, Inclusão

Resumo/Abstract: A Plural&Singular é um órgão de comunicação digital dedicado à temática da deficiência que se desdobra em duas vertentes: uma revista trimestral e um site para colmatar a lacuna temporal entre as edições digitais. Arrancou em dezembro de 2012, simbolicamente no dia 3, Dia Internacional das Pessoas com Deficiência. Além de oferecer reportagens da equipa editorial - Sofia Pires, Paula Fernandes Teixeira e Catarina de Castro Abreu - a revista contém rubricas permanentes de entidades e pessoas ligadas à área da deficiência. A finalidade principal deste projeto é colocar a temática da deficiência na rota da comunicação diária, nacional, lusófona e internacional transpondo as barreiras das diversas deficiências.

Bionota /Bionote: A Plural&Singular é um órgão de comunicação digital dedicado à temática da deficiência que se desdobra em duas vertentes: uma revista trimestral e um site para colmatar a lacuna temporal entre as edições digitais. Arrancou em dezembro de 2012, simbolicamente no dia 3, Dia Internacional das Pessoas com Deficiência. Além de oferecer reportagens da equipa editorial - Sofia Pires, Paula Fernandes Teixeira e Catarina de Castro Abreu - a revista contém rubricas permanentes de entidades e pessoas ligadas à área da deficiência. A finalidade principal deste projeto é colocar a temática da deficiência na rota da comunicação diária, nacional, lusófona e internacional transpondo as barreiras das diversas deficiências.

P012Uso de infográficos no ensino de acessibilidade em design e arquitetura (PT)


Cardoso, Eduardo & Tânia Luísa Koltermann da Silva

Brasil, UFRGS - Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Palavras-chave/Keywords: acessibilidade; infografia; educação; design; arquitetura;

Resumo/Abstract: O presente trabalho apresenta os resultados obtidos na transposição de informações textuais e normativas em infográficos aplicados ao ensino de acessibilidade nos cursos de graduação em design visual, design de produto e arquitetura da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Estes infográficos foram desenvolvidos pelo Núcleo de Design Gráfico Ambiental – NDGA da mesma Universidade e podem ser utilizados tanto para aplicação didática quanto para difusão cultural. O emprego deste recurso visa condensar uma grande quantidade de informação em pouco espaço, de forma extremamente atrativa e de fácil uso.

Bionota /Bionote: Graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2003), Especialista em Tecnologia Computacional Aplicada ao Projeto pela UFRGS (2007), Mestre em Design - UFRGS (2009) e Doutorando em Design (UFRGS). Experiência Profissional na área de Design do ponto-de-venda, design de exposição e Sinalização. Experiência em Pesquisa na área de Simulação Computacional em Design de Produto, Acessibilidade em Sinalização e Design de Exposição. Experiência Acadêmica na área de Tecnologia Computacional e Modelagem Tridimensional, Expressão Gráfica, Projeto Visual e Projeto de Produto, como professor do Departamento de Design e Expressão Gráfica nos Cursos de Graduação em Design Visual e Design de Produto da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS. Atualmente coordena o Núcleo Interdisciplinar Pró-Cultura Acessível da Pró-Reitoria de Extensão da UFRGS.

P013Atividades para todos (PT)


Alves, Daniela, Paula Pimentel & Sandra Ribeiro

Câmara Municipal do Porto, Pelouro da Educação, Organização e Planeamento.

Palavras-chave/Keywords: Enriquecimento Curricular; Necessidades Educativas Especiais; Educação; Inclusão Social; Atividade Física e Desportiva

Resumo/Abstract: O Atividades para Todos insere-se no programa Porto de Atividades que desenvolve as atividades de enriquecimento curricular no concelho do Porto com o objetivo de garantir a todos os alunos e de forma gratuita um conjunto de aprendizagens enriquecedoras do currículo, promovendo a articulação entre o funcionamento da escola e o fornecimento de respostas de apoio às famílias.

Bionota /Bionote: Equipa de tecnicos superiores (áreas de Serviço Social e Educação Social)da Câmara Municipal do Porto a exercer funções na área da Educação há cerce de 10 anos com trabalho especifico no Porto de Atividades desde a conceção inicial do Programa em 2006.

P016An empirical approach to analyze the impact of gender on consumers brand relationship (EN)


Raut, Umesh Ramchandra

Portugal, Faculty of Economics (FEP), University of Porto-Portugal

Palavras-chave/Keywords: Brand; gender; brand loyalty; brand relationship; young consumers

Resumo/Abstract: The construct of brand relationship attract to not only today’s marketer but also many branding researchers. Every marketer wants to build deep and lasting relationship between consumers and their brands. Marketers know that the demographics of consumer are playing a vital role in the formulation of marketing strategies and decision making of consumers. The previous research of branding suggests that, the role of gender shows a positive impact on brand relationship development process. The objective of present study is to analyze the impact of gender on consumers brand relationship amongst young consumers. For achieving this objective we select appropriate sample from population for investigation of tentative hypothesis. Findings of this study offer significant implications for the marketers and branding researcher.

Bionota /Bionote: I am pursuing my doctoral degree in Brand Management from University of Pune-India. From last three years am working in the area of brand relationship management, retail management and international business management. I have been completed my master from University of Pune-India in marketing management and international business management. I qualify one of the prestigious exam in academic field ‘NET’ (National eligibility Test). I am awarded as ‘Junior Research Fellow’ (JRF) from University grand commission-India. I have been selected for doctoral fellowship award by Erasmus Mundus-European Commission and University of Porto-Portugal. I have been published five papers in international journals and many paper presented in national and international conference. Currently I am working as Doctoral Mobility Student with University of Porto-Portugal. My technical skills and competences are IBM- SPSS-20, AMOS-20, and EVIEWS-8.

LIVROS / BOOKS




B001: MANUAL ESCOLAR “BRIDGES” 11º ano (PT)


Simões, Celeste & Helena Oliveira

Portugal, Editora SEBENTA/Leya

Palavras-chave/Keywords: inclusão, educação inclusiva; NEE; manuais escolares; ensino secundário

Resumo/Abstract: Dando continuidade ao trabalho já desenvolvido para o 10.º ano, o manual escolar Bridges 11 apresenta-se como um projeto inclusivo, promotor de uma educação inclusiva. Não só se mantêm as pontes e ligações entre as várias áreas do saber, pessoas e culturas e se incitam os/as jovens a agir de forma consciente, eficaz e ativa na sociedade, mas também se procuram estabelecer pontes para um futuro melhor e mais participado por todos os seus intervenientes. No Bridges não excluímos públicos nem temáticas e optámos por uma abordagem globalizante, respeitadora do novo modelo social multicultural, que cada vez mais se assume como tendência atual. A nova secção do Bridges 11, as fichas para alunos com Necessidades Educativas Especiais, foi elaborada tendo em conta o princípio da inclusão educativa, pelo que este recurso foi elaborado de forma a poder ser utilizado por todos/as os/as alunos/as em geral, não agindo como diferenciador de públicos.

Bionota /Bionote: é licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Ingleses e Alemães, pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e tem uma pós-graduação em Estudos de Tradução pela mesma Faculdade. Presentemente encontra-se a preparar a defesa da tese de doutoramento na mesma área. É docente de Inglês há mais de 20 anos, tendo desempenhado funções de Orientadora de Estágio. É membro da Direção da APPI (Associação Portuguesa de Professores de Inglês), apresenta regularmente sessões nos Congressos e Seminários promovidos por esta associação, e já escreveu diversos artigos para as suas publicações, bem como para a revista online do British Council, In English Digital. É coautora do manual de inglês do 10.º ano, Bridges 10, e do manual Bridges 11, para o 11.º ano de escolaridade, ambos da editora Sebenta/Leya.

B002: Todos Iguais, todos animais (PT)


Gonçalves, Liliana dos Santos

Portugal, Instituto Politécnico de Leiria

Palavras-chave/Keywords: livro multiformato; necessidades educativas especiais; trabalho em equipa

Resumo/Abstract: O livro multiformato “Todos Diferentes, Todos Animais” tem texto da autoria de Liliana Gonçalves, design e ilustrações de Leonel Brites e tradução e adaptação para pictogramas de Célia Sousa. Este livro resultou do envolvimento de um conjunto de colaboradores de vários serviços do Instituto Politécnico de Leiria, aos quais se juntaram outros colaboradores externos à instituição, tendo sido publicado com o apoio da Fundação Caixa Agrícola de Leiria. A inclusão é aceitar a diferença com normalidade e o conteúdo narrativo da obra, aborda um conjunto de elementos que pretendem sensibilizar para esta questão. Assim, este livro é apresentado em diferentes formatos: braille, relevo, interpretação em Língua Gestual Portuguesa e em Símbolos Pictográficos para a Comunicação, transformando-o num instrumento inclusivo e essencial para desenvolver atividades de leitura envolvendo crianças com necessidades educativas especiais ou crianças em idade pré-escolar. Esta adaptação tem como objetivo promover a participação ativa da criança, através do manuseamento das diferentes versões. Pretende tocar simultaneamente o lúdico e o didático, podendo servir de estímulo a atitudes mais inclusivas e à criação de conteúdos acessíveis a crianças com necessidades especiais. O livro impresso é composto pela história original e pela sua versão pictográfica, possuindo ainda um código QR que remete para www.todosdiferentes.ipleiria.pt, sítio onde o mesmo é disponibilizado nas versões audiolivro/vídeolivro em Língua Gestual Portuguesa. “Todos Diferentes, Todos Animais” pretende ser um apelo à criação de livros em formato alternativo e um exemplo de como um livro multiformato se pode “abrir” a novos leitores e a novas leituras.

Bionota /Bionote: Liliana Gonçalves é bibliotecária no Gabinete de Atividades Culturais e Formação do Utilizador nos Serviços de Documentação do Instituto Politécnico de Leiria, instituição em que trabalha desde 2000. Possui um curso profissional em Biblioteconomia e Documentação, é licenciada em Turismo e Património e Pós Graduada em Ciências da Informação e Documentação. Tem dinamizado ações de formação em contexto biblioteconómico e de animação do livro e da leitura. Desde 2000 que tem efetuado trabalhos de narração e animação do livro e da leitura em bibliotecas, escolas, livrarias, museus e serviços educativos.

B003: Projetar para Todos (PT)


Pessegueiro, Mário

Portugal, Atelier de Arquitetura Mário Pessegueiro, S. João da Madeira

Palavras-chave/Keywords: livro multiformato; necessidades educativas especiais; trabalho em equipa

Resumo/Abstract: Um livro que aborda o tema da mobilidade e acessibilidade de deficientes físicos nas cidades propondo soluções e boas práticas por forma a tornar os espaços mais acessíveis e humanizados. Uma contribuição para a melhoria da mobilidade das cidades portuguesas e do seu património urbanístico. Um livro que vai de encontro a uma vontade que tem ganho relevância em tornar as cidades mais acessíveis e mais humanas e que contribui com uma visão mais abrangente e mesmo histórica sobre a importância que a Acessibilidade e Desenho Universal tem vindo a ter na sociedade em que vivemos. O livro tem um conteúdo técnico e rigoroso, sempre privilegiando o desenho como melhor forma de comunicação. São apresentados diversos exemplos internacionais de boas experiências na implantação do desenho inclusivo em espaços urbanos. Figuram casos concretos em cidades espanholas como Madrid, Vigo, Astorga, Ávila, Salamanca, e outras cidades como Paris, Buenos Aires, Pittsburgh, Amesterdão, Singapura. Público alvo: útil a arquitetos e a todos aqueles que de uma maneira ou outra intervêm nas transformações da cidade e dos edifícios.

Bionota /Bionote: Mário Pessegueiro, arquitecto, nasceu no Porto em 1959 e trabalha em arquitectura nas mais diversas áreas.Para além do desenho de peças de Autor em mobiliário e objectos de design, Interessa-se desde muito cedo pela interpretação e abordagem das paisagens urbanas procurando transmitir as especificidades e personalidades através do desenho.

WORKSHOPS




BP027: O potencial do powerpoint para a criação de produtos de apoio para crianças com NEE / Motivando com "Accionadores" na Educação (PT)


Pereira, Ana Sofia

Portugal, Instituto Politécnico de Leiria, Mestrado de Educação Especial

Palavras-chave/Keywords: Interatividade; Autonomia; Motivação; Contrução; Aprender-fazendo

Resumo/Abstract: No início do sec. XXI assistimos a uma incessante e rápida evolução tecnológica, a qual tem uma estreita relação com a informação e comunicação. São notáveis os benefícios que esta vertiginosa evolução tem proporcionado ao ser humano em geral. Atualmente, está fora de questão imaginar um mundo sem tecnologias. Aliás, muitos questionam-se como é que se conseguia viver sem elas, apesar da existência de povos que ainda conseguem subsistir sem bens essenciais, como água, luz, gás e, até, tecnologia. Na educação, o fenómeno Tecnologia é um agente facilitador da aprendizagem, no caso de alunos com NEE, poderá favorecer a inclusão na escola regular, a qual se rege por princípios orientadores como adaptabilidade, acessibilidade, integração e inclusão social. Apesar da evolução dos recursos tecnológicos e da baixa de preços que estes têm vindo a sofrer, ainda se torna dispendioso o acesso às Tecnologias de Apoio para pessoas com deficiência. O acesso ao computador multimédia, com ligação à Internet permite a cidadãos com NEE potenciar o acesso ao conhecimento e superar as barreiras físicas e sociais, bem como, aceder a uma panóplia de informações que, de outra forma, seria mais difícil. O potencial das TIC é cada vez mais notável, promovendo um novo padrão de sociedade, que poderá facilitar a integração de pessoas com deficiência na vida ativa. Se por um lado, as TIC facilitam a comunicação, que poderá estar limitada por uma deficiência, por outro, as barreiras espaciais atenuam-se. Nesta comunicação apresenta-se uma técnica pouco divulgada e pouco utilizada de utilização do Microsoft PowerPoint, os “Accionadores”. Estes são botões especiais que têm associadas ações que permitem a interatividade para além do movimento sequencial de objetos e textos. Com os “Accionadores” podem-se criar materiais que as pessoas podem utilizar autonomamente, como um jogo, sem haver necessidade de um narrador/apresentador. Os alunospodem clicar à medida que avançam na apresentação, dentro do mesmo diapositivo podem responder a desafios construindo o seu conhecimento, podem aprender-fazendo, de forma autónoma, mais interessante e motivadora do que a tradicional.

Bionota /Bionote: Bacharel em Ciências da Computação (1996) – Instituto Politécnico da Guarda – Estágio integrado para a conclusão do Bacharelato de Ciências da Computação, em virtude de ter ganho uma bolsa de estudo no âmbito do Programa Erasmus: Université de Pau et des Pays de l Adour - Institut Universitaire de Technologie, Bayonne, França e Institut National de la Recherche Agronomique Paris - Grignon, França.CESE em Engenharia Informática Equivalência à Licenciatura em Engenharia Informática (1999), Instituto Politécnico da Guarda. Projeto de CESE: Método dos Elementos Finitos para o cálculo da descarga elétrica numa chapa circular. Mestrado em Multimédia em Educação, Universidade de Aveiro em parceria com ESECS, IPLeira – Título da Dissertação: Integração dos quadros interactivos multimédia em contexto educativo, estudo de caso numa escola de Leiria. Frequência do o 2º Semestre do Mestrado de Educação Especial na ESECS, IPLeiria. Professora no Agrupamento de Escolas Caranguejeira – Santa Catarina da Serra, Leiria.

BP028: Validação dos EKUI CARDS - EKUI – Linha de Material lúdico/didáctico: Equidade no acesso a uma comunicação universal e acessível a todos. (PT)


LEQUE, Associação

Portugal, Alfândega da Fé

Palavras-chave/Keywords: Comunicação, Educação, Saúde e bem-estar, Tecnologias

Resumo/Abstract: Muitos são os estudos, nacionais e internacionais, que sustentam que as barreiras à comunicação e aprendizagem deflagram inevitavelmente na iliteracia das populações. A não alfabetização inviabiliza o acesso ao emprego e à inclusão Social, pondo em causa a Saúde Mental, medida como a Qualidade de Vida cognitiva e emocional de milhões de pessoas em todo o mundo. Em Portugal falamos de crianças, jovens e adultos com baixos níveis de funcionalidade e autonomia, ao nível da comunicação e literacia, o que se traduz numa sobrecarga às famílias e ao Estado Social. Segundo o INE, existem mais de 90 mil crianças/jovens com algum tipo de deficiência ou incapacidade, e mais de 500 mil pessoas analfabetas ou que necessitam de intervenção ao nível da saúde e comunicação, a este número acrescem ainda as famílias e instituições. Os gastos com a doença mental são esmagadores no nosso país. Pelo exposto, percebemos que diversos quadros clínicos podem por em causa a Saúde Mental das populações, impedindo-as de aprender ou comunicar. Mas serão apenas este grupo restrito de indivíduos a terem acesso condicionado a uma comunicação interpessoal universal e a uma aprendizagem diversificada? A comunicação/aprendizagem em Portugal é para todos/as? A inclusão existe sem comunicação? Na sociedade actual é determinante apostar na educação e reabilitação precoces, como estratégia de prevenção da saúde e inclusão social. Esta aposta na reabilitação das populações terá de ser a baixo custo e de acesso fácil a TODA a população. Numa análise de mercado deparamo-nos com uma lacuna no nosso país: Material de educação/reabilitação promotor de uma linguagem/comunicação universal, acessível a todos/as e inclusivo. É o que propomos através do EKUI. A marca EKUI - Equidade; Knowledge; Universalidade e Inclusão - representa uma linha de material lúdico/didáctico inclusivo, com uma linguagem universal e acessível a TODA a população (com leitura em Braille, Língua Gestual Portuguesa e Componente Fonética). O ADN da marca EKUI destaca-se por garantir a equidade no acesso a bens e serviços de educação e reabilitação, nas áreas da comunicação acessível, aprendizagem, literacia/alfabetização e na componente lúdica.

Bionota /Bionote: A Associação LEQUE é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, sem fins lucrativos, constituída em 03/06/2009, com a denominação de LEQUE - ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS. Está registada como IPSS desde 27/07/2010, com a inscrição 69/10, a fls, 57 verso e 58, do livro n.º 13 das Associações de Solidariedade Social. Está sediada em Alfândega da Fé, desde Setembro de 2010. Temos até ao momento cerca de 180 famílias associadas. MISSÃO: Promoção da qualidade de vida de pessoas com necessidades especiais (deficiência) e suas famílias.



Baixar 0.69 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
Dispõe sobre
reunião ordinária
Serviço público
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Relatório técnico
Universidade estadual
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
espírito santo
pregão eletrônico
Curriculum vitae
Sequência didática
Quarta feira
prefeito municipal
distrito federal
conselho municipal
língua portuguesa
nossa senhora
educaçÃo secretaria
segunda feira
Pregão presencial
recursos humanos
Terça feira
educaçÃO ciência
agricultura familiar