Igreja vidas para cristo



Baixar 0.83 Mb.
Página15/17
Encontro06.11.2017
Tamanho0.83 Mb.
#37859
1   ...   9   10   11   12   13   14   15   16   17

PARA ESTUDO ADICIONAL


A doutrina da ressurreição dos mortos que temos estudado e a doutrina do juízo eterno que estudaremos no próximo capítulo são concernentes aos acontecimentos futuros. Os acontecimentos futuros são profetizados na Palavra de Deus. Embora estes acontecimentos não tenham acontecido ainda, Deus tem dado conhecimento de Seus planos futuros através da Profecia.

Há muito sobre os eventos futuros que não é revelado na Palavra de Deus. O que é revelado tem sido interpretado de várias maneiras pelos estudantes da Bíblia. Não é necessário entender todas as muitas interpretações da Profecia bíblica dada pelos homens. Muitas destas interpretações centralizam-se num determinado momento de certos eventos proféticos ou detalhes específicos destes eventos.

O que é importante para a edificação da fé Cristã é um entendimento geral do que a Bíblia diz que acontecerá.

Veja um esboço destes importantes acontecimentos:

I. A Bíblia ensina que o Senhor retornará à terra para os crentes.

Jesus prometeu a Seus seguidores:

...pois vou preparar-vos lugar. E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos recebereis para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também” (João 14:2-3).





  1. O Arrebatamento: 1 Tessalonicenses 4:13-18 dá melhores detalhes sobre a volta de Cristo aos crentes. Este retorno é chamado de arrebatamento:



    1. O Senhor mesmo descerá dos céus. (Versículo 16)



    1. Haverá uma ressurreição dos mortos em Cristo. (Versículo 16)



    1. Haverá um arrebatamento, que significa "o ato de transportar uma pessoa de um lugar para outro". O vivos que ficarem serão arrebatados para o encontro do Senhor. (Versículo 17).



    1. Haverá um encontro entre os crentes que morreram e os que ficarem vivos, e todos serão reunidos com o Senhor. (Versículo 17).



  1. A Tribulação: A Bíblia fala de um tempo terrível na terra que é chamado de tribulação.



    1. A tribulação durará cerca de 42 meses ou 1.260 dias. (Daniel 9:24-27).



    1. Será um tempo realmente difícil. Tem havido tempos muito difíceis no mundo, mas três coisas diferenciarão esta tribulação dos outros tempos de dificuldades.

      1. Primeiro, será mundial e não apenas em um determinado local.

(Apocalipse 3:10)

      1. Segundo, as pessoas perceberão que o fim do mundo está perto.

(Apocalipse 6:16)

      1. Terceiro, a intensidade do tormento será maior do que jamais foi visto. (Mateus 24:4-14)



    1. Sua descrição: Há uma série de julgamentos de Deus na terra durante a tribulação. Estes são descritos em Apocalipse capítulos 6, 8-9, e 16 e Mateus 24:4-14.



    1. A razão para a tribulação: A maldade do homem deve ser punida, Satanás derrotado, e Jesus reconhecido como o Senhor de toda a humanidade. Isto completa o plano de Deus mencionado em Efésios 1:8-9.



  1. O Tempo do Arrebatamento:

Algumas pessoas acreditam que o arrebatamento ocorrerá antes da tribulação e que os crentes não experimentarão este tempo terrível na terra. Outros acreditam que o arrebatamento acontecerá no meio deste período. Outros ainda acreditam que o arrebatamento acontecerá no fim da tribulação.

A interpretação mais comum é que o arrebatamento dos crentes acontecerá antes da tribulação ter início. Os diferentes pontos de vistas sobre o tempo do arrebatamento resulta de várias interpretações da informação profética dadas nas Escrituras. O que é mais importante é saber que você é um verdadeiro crente e que estará preparado para ir com Jesus no arrebatamento quando este ocorrer.



  1. O Milênio:

O Milênio é um período de 1.000 anos após a tribulação durante o qual Jesus governará a terra com justiça (Zacarias 14:9; Daniel 7:14). A cidade de Jerusalém será o centro deste governo (Isaías 2:3). Este período terminará quando Satanás comandar a última revolta contra Deus (Apocalipse 20:7-9). Deus mandará fogo do Céu e terminará a batalha. Satanás será jogado no lago de fogo para toda a eternidade (Apocalipse 20:10).





  1. Julgamento:

Toda criatura será julgada por Deus. Isto é conhecido como o Juízo Eterno. É o último dos princípios básicos de Hebreus 6:1-3 e é discutido no próximo capítulo. Os que morrerem como incrédulos ressuscitarão para encarar o julgamento. Porque não se arrependeram de seus pecados e não aceitaram Jesus como Salvador, eles serão condenados para a eternidade no inferno. (Apocalipse 20:12-15). Os crentes fiéis que se arrependeram de seus pecados e aceitaram Jesus como Salvador passarão a eternidade no Céu na presença de Deus. (Apocalipse 21).




Capítulo Dez

O Julgamento Eterno




OBJETIVOS:

Ao completar este capítulo você será capaz de:





  • Escrever o Versículo-Chave de memória.

  • Definir a palavra "julgamento".

  • Explicar porque o julgamento é necessário.

  • Identificar quem julgará no juízo final.

  • Identificar quem será julgado no juízo final.

  • Explicar os princípios governantes no juízo final.



VERSÍCULO-CHAVE:

Porque o SENHOR é o nosso juiz, o SENHOR é o nosso legislador, o SENHOR é o nosso rei” (Isaías 33:22).




INTRODUÇÃO


O julgamento eterno é o último dos seis princípios básicos da fé Cristã.

No Antigo Testamento a palavra "julgamento" é usada de dois modos. Um refere-se aos estatutos, testemunhos, e leis de Deus. O outro diz respeito ao julgamento de Deus sobre os homens e as nações. O último significado é como a palavra "julgamento" é usada no Novo Testamento. É este significado que é usado neste capítulo.


DEFINIÇÃO


O termo "julgar" significa separar ou fazer diferença entre. Isto inclui levar a julgamento, examinar evidências, determinar culpa ou inocência, e decidir a pena para o delito. O julgamento eterno é o grande e último julgamento falado na Bíblia e que determina o destino final de todas as almas.




OS JUÍZES




DEUS É O JUIZ:

Porque o SENHOR é o nosso juiz” (Isaías 32:22).

Deus julga o comportamento pecaminoso da humanidade. A verdadeira vontade de Deus não é julgar, mas sim que todos os homens venham a conhecer Jesus Cristo (João 3:17; 2 Pedro 3:9).

A vontade de Deus é que todos os homens se arrependam. Os que não se arrependerem serão julgados (Atos 17:30-31).



JESUS CRISTO:

Deus deu a Jesus a autoridade para julgar:

E o Pai a ninguém julga, mas ao Filho confiou todo julgamento. E lhe deu autoridade para julgar...” (João 5:22,27).

OS SANTOS:

No julgamento final os crentes fiéis ajudarão a julgar o mundo:

Ou não sabeis que os santos hão de julgar o mundo?” (1 Coríntios 6:2-3).

A palavra "santos" neste versículo significa todo verdadeiro crente. Eles ajudarão a julgar o "mundo" [os injustos].




A BASE DO JULGAMENTO


A base ou o padrão do julgamento pelo qual seremos julgados é a Palavra de Deus:

Se alguém ouvir as minhas palavras e não as guardar, eu não o julgo; porque eu não vim para julgar o mundo, e sim para salvá-lo. Quem me rejeita e não recebe as minhas palavras tem quem o julgue; a própria palavra que tenho preferido, essa o julgará no último dia” (João 12:47-48).

Não seremos julgados por padrões, crenças, ou tradições do homem. Não seremos julgados por bases de organizações ou regras denominacionais. A base pela qual seremos julgados está fixada na Palavra de Deus:

Pra sempre, ó SENHOR, está firmada a tua palavra no céu” (Salmos 119:89).


A RAZÃO PARA O JULGAMENTO


A Bíblia revela que o julgamento é necessário por causa do pecado contra a lei de Deus, a maldade, a injustiça, a incredulidade, a transgressão, e as más ações. Embora sejam palavras diferentes, são todas palavras que se relacionam com o pecado:



PECADO CONTRA A LEI DE DEUS:

...todos os que com lei pecaram mediante lei serão julgados” (Romanos 2:12).



MALDADE:

Ora, os céus que agora existem e a terra, pela mesma palavra, têm sido entesourados para fogo, estando reservados para o Dia do juízo e destruição dos homens ímpios” (2 Pedro 3:7).



INJUSTIÇA:

Porque o Senhor sabe livrar da provação os piedosos e reservar, sob castigo, os injustos para o Dia do juízo” (2 Pedro 2:9).



INCREDULIDADE:

Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus” (João 3:18).



TRANSGRESSÃO:

Pois assim como, por uma só ofensa [transgressão] veio o juízo sobre todos os homens...” (Romanos 5:18).



MÁS AÇÕES:

O julgamento é este: que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más” (João 3:19).




OS PRINCÍPIOS DO JULGAMENTO DIVINO


Os princípios terrenos de julgamento variam de nação para nação. Os padrões podem variar de Estado para Estado dentro da nação e de cidade para cidade. Os princípios terrenos de julgamento e punição variam porque as pessoas interpretam certos atos de diferentes modos. O mesmo ato interpretado como errado em uma cultura pode ser aceitável em outra. Por exemplo, matar uma vaca na América é visto como natural, onde a vaca é usada para alimento. Porém na Índia, a vaca é considerada sagrada por muitas pessoas.

O julgamento do homem varia de acordo com os padrões dos que julgam. Mas os princípios do julgamento de Deus não mudam. Deus julga...

COM BASE NA SUA PALAVRA:

Para sempre, ó SENHOR, está firmada a tua palavra no céu” (Salmos 119:89).



DE ACORDO COM O CONHECIMENTO:

Homens e nações serão julgados de acordo com o conhecimento de Deus que lhes foi dado. Jesus disse que alguns seriam julgados mais severamente dos que os da cidade de Sodoma, Gomorra, Nínive, Tiro, e Sidom. Estas eram cidades ímpias, mencionadas no Antigo Testamento, que Deus julgou e puniu.

A razão de Jesus pronunciar julgamento mais severo em algumas cidades no Novo Testamento foi porque estas cidades tinham mais conhecimento de Deus. O próprio Jesus tinha ministrado nestas cidades e executou obras poderosas de cura e libertação. Mesmo assim, as pessoas destas cidades não se arrependeram. Jesus preveniu:

Ai de ti, Corazim! Ai de ti, Betsaida! Porque, se em Tiro e em Sidom se tivessem operado os milagres que em vós se fizeram, há muito que elas se teriam arrependido com pano de saco e cinza. E, contudo, vos digo: no Dia do juízo, haverá menos rigor para Tiro e Sidom do que para vós outras. Tu, Cafarnaum, elevar-te-ás, porventura, até ao céu? Descerás até ao inferno; porque, se em Sodoma se tivessem operado os milagres que em ti se fizeram, teria ela permanecido até ao dia de hoje. Digo-vos, porém, que menos rigor haverá, no Dia do juízo, para com a terra de Sodoma do que para contigo” (Mateus 11:21-24).

Ninivitas se levantarão, no juízo, com esta geração e a condenarão; porque se arrependeram com a pregação de Jonas. E eis aqui está quem é maior do que Jonas” (Mateus 12:41).

Uma revelação geral de Deus é dada a todos os homens através do milagre da criação (Romanos 1:20).

Este entendimento geral de Deus dado a todos os homens através da criação é o padrão básico pelo qual os homens serão julgados. Os que recebem revelação adicional ao ouvir a Palavra de Deus serão julgados por seu grau mais elevado de conhecimento.

INDIVIDUALMENTE:

Cada pessoa será julgada individualmente:

A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniqüidade do pai, nem o pai, a iniqüidade do filho; a justiça do justo ficará sobre ele, e a perversidade do perverso cairá sobre este” (Ezequiel 18:20).

O julgamento determinando o destino eterno não será baseado em grupos de pessoas. Será individual.



DE ACORDO COM A VERDADE:

Paulo escreveu:

Bem sabemos que o juízo de Deus é segundo a verdade...” (Romanos 2:2).

COM BASE NA CONDUTA PESSOAL:

Cada um de nós ficará na presença do trono de Cristo e seremos julgados de acordo com nossas ações, ou de acordo com nossas obras (1 Coríntios 5:10; Romanos 2:6; 1 Pedro 1:17; Apocalipse 20:12).

Deus vê o coração, não a aparência externa (1 Samuel 16:7).

SEM PARCIALIDADE:

O julgamento eterno será sem parcialidade. Isto significa sem favor especial. As pessoas não serão julgadas com base em suas riquezas, posição social, nacionalidade, ou educação.

...o Pai...que julga sem acepção de pessoas” (1 Pedro 1:17).

Fazer acepção de pessoas significa ser influenciado em julgamento por algum fator externo como aparência, relacionamento, posição, riqueza, etc.

O julgamento de Deus não é influenciado por nenhuma destas coisas:

...porque o SENHOR não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o SENHOR, o coração” (1 Samuel 16:7).



DE ACORDO COM A LEI:

...e todos os que com lei pecaram mediante lei serão julgados” (Romanos 2:12).



DE ACORDO COM A JUSTIÇA:

Ele Mesmo julga o mundo com justiça” (Salmos 9:8).

...julgará o mundo com justiça e os povos, consoante a sua fidelidade” (Salmos 96:13).

DE ACORDO COM OS ATOS E PENSAMENTOS:

No dia em que Deus, por meio de Cristo Jesus, julgar os segredos dos homens, de conformidade com o meu evangelho” (Romanos 2:16).






Baixar 0.83 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   9   10   11   12   13   14   15   16   17




©bemvin.org 2022
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino médio
ensino fundamental
concurso público
catarina município
Serviço público
Dispõe sobre
reunião ordinária
câmara municipal
público federal
processo licitatório
Processo seletivo
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
Universidade estadual
ensino superior
Relatório técnico
técnico científico
Conselho municipal
direitos humanos
Curriculum vitae
científico período
espírito santo
língua portuguesa
Sequência didática
pregão eletrônico
distrito federal
Quarta feira
conselho municipal
prefeito municipal
educaçÃo secretaria
nossa senhora
segunda feira
Pregão presencial
educaçÃO ciência
Terça feira
agricultura familiar
educaçÃo profissional