Escola “sem” partido


partidoblog.wordpress.com/2016/06/03/o-odio-aos-professo-



Baixar 1.01 Mb.
Pdf preview
Página7/28
Encontro05.08.2020
Tamanho1.01 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   ...   28
res/>. Acesso em: 15/9/2016.
3  Para conhecer melhor esses projetos e acompanhar a sua tramitação, ver: sempartidoblog.wordpress.com/vigiando-os-projetos-de-lei/>. Acesso em: 15/9/2016.
* Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professor Adjunto da 
Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense (UFF).

36
ESCOLA “SEM” PARTIDO
Talvez o mais importante de tudo seja uma disputa pela opinião pública, o 
debate no espaço público, e como essas ideias estão ganhando força dentre 
alguns segmentos da sociedade civil. É nesse aspecto que eu quero focar, 
na análise do discurso do Escola sem Partido, identificando e discutindo 
seus principais elementos. Com essa finalidade, começo afirmando que esse 
discurso se apresenta como uma nova configuração, que junta elementos 
antigos e novos. Argumentarei que essa chave de leitura do fenômeno 
educacional tem quatro características principais: primeiro, uma concep-
ção de escolarização; segundo, uma desqualificação do professor; terceiro, 
estratégias discursivas fascistas; e, por último, a defesa do poder total dos 
pais sobre os seus filhos.
Vou pautar minha fala agora nesses quatro elementos, pensando esse 
discurso de uma maneira mais ampla e analisando como ele é incorporado 
nos projetos de lei inspirados na atuação deste movimento.
A CONCEPÇÃO DE ESCOLARIZAÇÃO
O primeiro deles: a concepção de escolarização. E notem que eu não falei 
concepção de educação e sim de escolarização. Por quê? Nós temos uma pri-
meira característica dessa concepção que é a afirmação de que o professor não 
é educador. Eu vou usar muito aqui o site do Escola sem Partido
4
 e sua página 
de Facebook.
5
 O site tem uma “biblioteca politicamente incorreta”, na qual 
eles indicam apenas quatro livros: os dois últimos são os guias politicamente 
incorretos da história do Brasil e da América Latina, mas o primeiro da lista 
é o livro Professor não é educador (de autoria de Armindo Moreira). Qual é 
a tese desse livro? Uma dissociação entre o ato de educar e o ato de instruir.  
O ato de educar seria responsabilidade da família e da religião; então o professor 
teria que se limitar a instruir, o que no discurso do Escola sem Partido equi-
vale a transmitir conhecimento neutro, sem mobilizar valores e sem discutir 
a realidade do aluno. Vou mostrar mais dados para corroborar essa leitura.
A segunda característica da concepção de escolarização: não se pode 
falar sobre a realidade do aluno. O Programa Escola sem Partido – agora 
falo do Projeto de Lei usando como referência o PL n° 867/2015,
6
 que está 
4  Disponível em: . Acesso em: 15/9/2016.
5  Disponível em: . Acesso em: 15/9/2016.
6 A ficha de tramitação do projeto para conferir o seu inteiro teor encontra-se disponível em: 
.  
Acesso em: 15/9/2016.

37
GAUDÊNCIO FRIGOTTO
tramitando na Câmara dos Deputados – se propõe a proibir a prática da 
doutrinação política e ideológica em sala de aula no seu terceiro artigo. Em 
nenhum momento do projeto, eles definem o que seria essa tal “doutrinação 
política e ideológica”, o que já é um elemento de inconstitucionalidade: como 
proibir uma prática sem defini-la claramente? Mas, se nós formos no site
nós encontramos uma definição bem clara. Lá encontramos dois ícones: um 
é “Flagrando o doutrinador”,
7
 o qual eu vou ler alguns elementos com vocês, 
e “Planeje a sua denúncia”,
8
 no qual ele explica para o aluno como fazer a sua 
denúncia anotando o dia, o horário, e coisas assim. Então, o texto flagrando 
o doutrinador não passa de uma lista de atividades às quais o aluno deve ficar 
atento para reconhecer o professor doutrinador.
Temos aqui uma definição do que seria essa prática: “você pode estar 
sendo vítima de doutrinação ideológica quando seu professor se desvia fre-
quentemente da matéria objeto da disciplina para assuntos relacionados ao 
noticiário político ou internacional”. Uma dissociação entre o que é a matéria 
e o que está acontecendo no mundo, na realidade do aluno. A afirmativa de 
que o professor não poderia discutir essa realidade, ele teria que se ater à sua 
matéria – e nós sabemos que isso na prática é impossível, porque dialogar com 
a realidade do aluno é um princípio educacional estabelecido para tornar o 
ensino das disciplinas significativo. “Adota ou indica livros e publicações de 
autores identificados com determinada corrente ideológica”: eu sempre faço o 
mesmo desafio – gostaria que alguém me indicasse um livro que não é identi-
ficado com uma corrente ideológica. Mas eles operam com outra dissociação 
questionável entre ideologia e neutralidade. Terceiro: “impõe a leitura de textos”, 
“mostra apenas um dos lados”, o professor de novo como um manipulador. E 
se essa é a definição, eu tenho dito isso e insisto aqui novamente, nós temos 
que problematizar o discurso deles.
A terceira, e última, característica dessa concepção de escolarização é 
a proibição de mobilizar valores de qualquer natureza. Para corroborar essa 
minha leitura, trago uma transcrição de uma fala do coordenador do movi-
mento Escola sem Partido em um debate que aconteceu no canal GloboNews:
Um Estado que é laico deve ser neutro com relação a todas religiões. 
Acontece que as religiões têm a sua moralidade. A religião cristã, 
por exemplo, tem os dez mandamentos, que é um código moral 
do cristianismo, certo? Se o Estado que é laico puder usar o seu 
7  Disponível em:
Baixar 1.01 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   ...   28




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
reunião ordinária
Dispõe sobre
Serviço público
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Universidade estadual
Relatório técnico
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
pregão eletrônico
Curriculum vitae
espírito santo
Sequência didática
Quarta feira
conselho municipal
prefeito municipal
distrito federal
língua portuguesa
nossa senhora
educaçÃo secretaria
Pregão presencial
segunda feira
recursos humanos
educaçÃO ciência
Terça feira
agricultura familiar