Escola “sem” partido



Baixar 1.01 Mb.
Pdf preview
Página15/28
Encontro05.08.2020
Tamanho1.01 Mb.
1   ...   11   12   13   14   15   16   17   18   ...   28
. Acesso 
em: 29/7/2016.
24  Grupo fundado em 2004 por Marcelo Reis para combater a pedofilia na internet e que recente-
mente abraçou a bandeira do impeachment. Seu foco é a saída do PT do governo e suas posições em 
relação a temas como o aborto e a legalização da maconha são ultraconservadoras.
25  Disponível em: . Acesso em: 29/7/2016.
26  Disponível em: -silva-ao-programa-educashow/>. Acesso em: 28/7/2016.
27  Nas Comissões de Educação da Câmara dos Deputados, Câmara Municipal de Goiânia e Câmara 
Municipal de Curitiba.

57
GAUDÊNCIO FRIGOTTO
Outro referenciado no sítio do Escola sem Partido é Luís Lopes Diniz 
Filho, professor de geografia da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Tal 
qual Nagib, importante notar que Diniz Filho também é autor do Imil, o que, 
segundo a ARS, poderia reforçar o entendimento de existência de vínculo 
entre as instituições. Em seus livros, o professor acusa a ideologização dos 
livros didáticos de Geografia. É autor do blog “Tomatadas”, inspirado no livro 
de Leandro Narloch, “Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil”, e 
faz críticas aos livros didáticos na área da Geografia para o ensino superior
centrada na suposição de que tais livros teriam certo viés ideológico anticapi-
talista que, segundo ele, é a posição hegemônica nas universidades brasileiras. 
Nas audiências públicas,
28
 ele age como representante do Escola sem Partido 
especializado na área de ciências sociais para aportar evidências da doutrinação 
através do programa do livro didático. Todas as críticas são fundamentadas 
em livros de sua própria autoria.
29
 
Outros atores, que não aparecem relacionados no site do Escola sem Par-
tido, mas que participam com frequência nas audiências, são: Ana Caroline 
Campagnolo e Bráulio Porto de Matos.
Campagnolo é professora de História em escolas públicas e privadas de 
Santa Catarina e idealizadora do canal “VLogoteca”, que tem “como objetivo 
apresentar resenhas e sugestões de livros que ‘não são indicados na faculdade’”.
30
 
Também é seguidora de Olavo de Carvalho, segundo ela mesma reconhece 
numa entrevista publicada em seu blog, declara-se protestante calvinista e 
antifeminista. Tem acompanhado algumas audiências públicas e também 
palestras sobre doutrinação ideológica nas escolas. Nelas, é apresentada 
como “educadora”, fato que serve para conferir-lhe legitimidade em relação 
à pluralidade do espaço. Adolfo Sachsida, em seu canal na rede social Youtu-
be,
31
 refere-se a Campagnolo como uma “das grandes líderes do movimento 
conservador”. Campagnolo é muito ativa nas redes sociais, tendo mais de  
22 mil seguidores no Facebook, onde expressa sua simpatia pela mobilização 
pró-impeachment, pelo antipetismo e também pelo Deputado conservador 
Marcel Van Hattem (PP/RS).
28  Como na Audiência Pública realizada em 24/3/2015, na Comissão de Educação da Câmara dos 
Deputados. 
29  “Por uma crítica da geografia crítica” e “Fundamentos epistemológicos da geografia”.
30  Entre os autores recomendados, estão: Olavo de Carvalho, Russell Kirk, Edmund Burke, Hayek e 
Von Mises, entre outros. Recentemente sorteou o livro A verdade sufocada, do Coronel Carlos Alber-
to Brilhante Ustra, chefe do Doi-Codi e do II Exército no período da ditadura brasileira.
31  Disponível em: . Acesso em: 1/8/2016.

58
ESCOLA “SEM” PARTIDO
Porto de Matos é Professor de Sociologia do Departamento de Educação 
da Universidade de Brasília (UnB) e supostamente é o vice-presidente do Escola 
sem Partido.
32
 Tem atuado em várias audiências públicas também como espe-
cialista no tema da doutrinação e seus textos são citados como referências.
33
 
Porto de Matos e Da Silva participaram do debate da Comissão de Educação 
na Câmara de Deputados sobre Base Nacional Comum Curricular (BNCC),
34
 
na mesa de Ciências Humanas. 
Retomando a ideia da perspectiva das redes de afiliação (Wassermann e 
Faust, 2013), é importante advertir que a reiterada coincidência na participação 
dos citados personagens em entidades como o Foro de Brasília, Instituto Liberal 
e espaços como audiências públicas e outros, pode-se interpretar como uma 
forte evidência da existência de uma estrutura que resulta útil para atingir o 
fim específico que é inserir a pauta do Escola sem Partido na agenda pública. 
Pode-se observar a dinâmica da participação dos atores, por exemplo, em 
quatro eventos listados.
35
 Importante ressaltar que os eventos 1 e 2, realizados 
no âmbito da Câmara dos Deputados, foram convocados respectivamente 
pelos deputados Izalci e Rogério Marinho, ambos do PSDB.
Outros vínculos, desta vez políticos, também não podem ser desprezados. 
Ao realizar uma rápida análise dos deputados e vereadores que estão entre os 
autores dos projetos de lei que contemplam os ditames do Escola sem Partido
veremos coincidências que nos permitem afirmar a conexão entre eles e, no 
mínimo, relativizar o propalado discurso de apartidarismo da iniciativa.
32  O professor da Universidade Federal Fluminense (UFF) Fernando Penna, durante um debate com 
Nagib no Canal Futura, em 19/7/2016, fez alusão a Porto de Matos também com vice da associação 
Escola sem Partido. Já no site do Escola sem Partido, Porto de Matos é citado apenas como colabo-
rador.
33  Ele destina o espaço de boa parte de seus trabalhos para demonstrar como a doutrinação começa 
nas faculdades de pedagogia com imposição de uma espécie de curriculum “marxista-freiriano”.
34  O debate foi convocado por Rogerio Marinho (PSDB/RN) e Dorinha Seabra Rezende (DEM/
TO). Marinho é autor do PL n° 1.411/2015, que busca tornar crime o que denomina de “assédio 
ideológico”.
35  Evento 1: Audiência Pública da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados sobre Dou-
trinação nas Escolas, convocada por Izalci Lucas (PSDB), em 24/3/2015. Evento 2: Audiência Pú-
blica da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados sobre Assédio Ideológico nas Escolas, 
convocada por Rogério Marinho (PSDB), em 6/10/2015; Marinho é autor do PL n° 1.411/2015, que 
busca tornar crime o “assédio ideológico”. Evento 3: Debate da Comissão de Educação na Câmara 
dos Deputados sobre BNCC, em 31/5/2016, convocado por Rogério Marinho (PSDB) e Dorinha 
Seabra Rezende (DEM). Evento 4: I Congresso Nacional sobre Doutrinação Política e Ideológica nas 
Escolas, em 24/7/2014, Brasília, organizado pelo Escola sem Partido em parceria com a Federação 
Nacional das Escolas Particulares (Fenep). 

59
GAUDÊNCIO FRIGOTTO
Quadro 1
PARTICIPAÇÃO EM AUDIÊNCIAS E OUTROS EVENTOS
36
Deputado/a
Evento 1
Evento 2
Evento 3
Evento 4
Miguel Nagib
×
×
×
Diniz Filho
×
×
Orley Da Silva
×
Braúlio de Matos
×
×
×
×
Ana Caroline Campganolo
×
×
A primeira e mais gritante de todas as conexões é que todos os parlamen-
tares, sem exceção, defendem o afastamento da Presidente Dilma Rousseff.  
Outra conexão que salta aos olhos é a ligação dos autores dos PL com setores 
evangélicos, notadamente as igrejas neopentecostais. Por exemplo, podemos 
citar Carlos Bolsonaro, Vereador do Rio de Janeiro, filho de Jair Bolsonaro
37
 
e irmão de Flávio Bolsonaro. Carlos apresentou o PL nº 867/2014
38
 para 
incluir o Escola sem Partido na educação municipal carioca. Seu irmão, 
Flávio Bolsonaro, Deputado Estadual fluminense, também apresentou PL 
com o mesmo intuito, estabelecer os princípios do Escola sem Partido nas 
escolas do Estado do Rio de Janeiro. O vínculo com os evangélicos do clã 
Bolsonaro
39
 se fortaleceu recentemente quando todos trocaram o Partido 
Progressista pelo Partido Social Cristão (PSC), presidido pelo Pastor Everaldo, 
da Assembleia de Deus, e que foi candidato à Presidência da República nas 
eleições de 2014.
Também integrante da bancada evangélica, o já citado Deputado Izalci 
(PSDB/DF) é um outro exemplo que nos permite ligar o Escola sem Partido 
aos evangélicos. Izalci é autor do PL nº 867/2015, que busca incluir o Escola 
sem Partido nas Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Além dele, o De-
putado Federal Erivelton Santana (PSC/BA), que propôs o PL n° 7.180/2014, 
apensado ao PL n° 867/2015, por conter proposta semelhante, igualmente 
pertence à chamada bancada evangélica. Além do já citado Bolsonaro, o 
36  Informações extraídas dos sites:
Baixar 1.01 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   11   12   13   14   15   16   17   18   ...   28




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
reunião ordinária
Dispõe sobre
Serviço público
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Universidade estadual
Relatório técnico
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
pregão eletrônico
Curriculum vitae
espírito santo
Sequência didática
Quarta feira
conselho municipal
prefeito municipal
distrito federal
língua portuguesa
nossa senhora
educaçÃo secretaria
Pregão presencial
segunda feira
recursos humanos
educaçÃO ciência
Terça feira
agricultura familiar