ConfederaçÃo cooperliga de futebol de salão ccfs



Baixar 47.03 Kb.
Encontro19.07.2017
Tamanho47.03 Kb.






CONFEDERAÇÃO COOPERLIGA

DE FUTEBOL DE SALÃO - CCFS

FUNDADA EM 01 DE OUTUBRO DE 2015

L I V R O

DE R E G R A S

COOPERLIGA

2 0 1 5

APROVADO PELA CCFS (CONFEDERAÇÃO COOPERLIGA DE FUTEBOL DE SALÃO)

PRESIDÊNCIA

PRESIDENTE:

RAFAEL MONTEIRO FARIAS ROCHA

VICE-PRESIDENTE DE ADMINISTRAÇÃO:

WILLIAN /DANIEL /CRISPIM

ÍNDICE

REGRA 01 - QUADRA DE JOGO.................................................................. 2

REGRA 02 - A BOLA .................................................................................. 2

REGRA 03 - NÚMERO DE ATLETAS ............................................................ 2

REGRA 04 - EQUIPAMENTOS .................................................................... 2

REGRA 05 - DURAÇÃO DA PARTIDA........................................................... 2

REGRA 06 - FALTAS E INCORREÇÕES ....................................................... 2,4

REGRA 07 – ESTRUTURA DA COMPETIÇÃO FETSIVAL ................................. 4

REGRA 08 – ESTRUTURA DA COMPETIÇÃO LIGA......................................... 4

REGRA 09 – ESTRUTURA DA COMPETIÇÃO COPA........................................4
























REGRA - QUADRA DE JOGO

  1. Quadra escolhida pela organização.

REGRA - A BOLA

  1. Bola escolhida pela organização.

REGRA - NÚMERO DE ATLETAS

  1. Quantidade mínima de atletas para começar a partida por time, são 4 (quatro jogadores), sendo obrigatório 1 (um) goleiro.

  2. Sem limites para quantidade de jogadores inscritos na competição.

REGRA – EQUIPAMENTOS

  1. Uniformes (camisa, calsão) idênticos, meião necessita ser da mesma cor.

  2. Caneleira

  3. Tornozeleira e fitas podem ser utilizadas por cima do meião.

REGRA - DURAÇÃO DA PARTIDA

  1. 40 minutos corridos,divididos em 2 tempos de 20 minutos, com pausa do cronometro apenas em solicitação de tempo ou em caso de lesões em que o jogador necessite de atendimento.

REGRA - FALTAS E INCORREÇÕES

  1. As faltas e incorreções serão penalizadas com:

  1. Tiro Livre Direto; b) Tiro Livre Indireto.



  1. Será concedido um tiro livre direto em favor da equipe adversária quando um jogador cometer uma das seguintes infrações contra jogador adversário, de maneira que os árbitros julguem imprudente, temerária ou com uso de força excessiva:

  1. Dar ou tentar dar pontapé em adversário; b) Calçar o adversário, isto é, derrubar ou tentar fazê-lo usando as pernas, agachando-se na frente ou por trás dele; c) Pular ou atirar-se sobre o adversário; d) Trancar o adversário por trás ou de maneira violenta e perigosa; e) Bater, tentar bater ou lançar uma cusparada em adversário; f) Segurar um adversário com as mãos ou impedi-lo de ação com qualquer parte do braço; g) Empurrar o adversário; h) Trancar o adversário com o ombro; i) O jogador que deliberadamente segurar ou desviar a bola, carregá-la, batê-la ou impulsioná-la com a mão ou braço, excetuando-se o goleiro dentro de sua área penal; j) Projetar-se ao solo, deliberadamente, de maneira deslizante, e com uso dos pés tentar tirar a bola que esteja sendo jogada ou de posse do adversário, levando perigo para o mesmo; k) Sendo o goleiro, com a bola em jogo, ao arremessar a mesma com as mãos, ultrapassa o limite da área penal, com a bola ainda em seu poder; l) Praticar qualquer jogada, sem visar o adversário, mas involuntariamente atingi-lo.



  1. Será concedido um tiro livre indireto em favor de uma equipe quando um jogador adversário cometer uma das seguintes infrações:

  1. O goleiro com a bola em jogo:

1. Controla a bola com suas mãos dentro de sua área penal ou fica de posse em sua meia quadra de jogo por mais de 04 (quatro) segundos;

2. Toca ou controla a bola com suas mãos, dentro de sua área penal, depois que um companheiro tenha passado a bola deliberadamente com o pé;

3. Toca ou controla a bola com as mãos vinda diretamente de um tiro lateral, de canto, direto e indireto, cobrado por um companheiro;

4. Após haver tocado na bola em qualquer parte da quadra ou arremessando-a com as mãos ou movimentando-a com os pés volta a recebê-la de um companheiro de equipe em sua meia quadra de jogo, de forma intencional, sem que a bola tenha sido jogada ou tocada, por um adversário. O ato de receber a bola de um companheiro na quadra adversária e conduzi-la para sua meia quadra será considerada como segunda devolução e deverá ser punida com tiro livre indireto. Na quadra de ataque poderá receber normalmente a bola. Se o goleiro defender a bola parcialmente, não será considerado como primeiro toque e o companheiro poderá devolver ao goleiro, sem que tenha sido jogada ou tocada em um atleta adversário. Se, depois de ficar de posse ou controle da bola, não poderá tocar na mesma na sua meia quadra de defesa, sem que esta tenha sido jogada ou tocada por um adversário. b) Qualquer jogador que:

1. Jogar perigosamente, mesmo sem contato físico com o goleiro, ao tentar tirar a bola das mãos deste após a mesma ter sido agarrada e estar retida em suas mãos;

2. Quando sem a posse ou domínio da bola, obstruir, intencionalmente, um adversário de maneira a formar um obstáculo em sua progressão;

3. Obstruir a jogada, prender a bola com os pés ou evitar com o corpo sua movimentação, estando caído, exceto se for o goleiro, dentro de sua área penal;

4. Tocar na bola, em jogo, quando não esteja devidamente equipado, exceto o jogador que, na disputa da bola perder qualquer equipamento, podendo prosseguir no lance enquanto estiver de posse da bola;

5. Usar expressão verbal ou vocal para enganar jogador adversário, fingindo ser seu companheiro de equipe ou acenar com as mãos próximas ao rosto do adversário e tirar vantagem do lance;

6. Ficar parado na frente do goleiro adversário com o propósito de obstruir sua visão e dificultar a sua ação ou movimentos;

7. Levantar os pés para chutar para trás (bicicleta) ou chutar com o calcanhar e, levando perigo ao adversário próximo à jogada sem atingi-lo;

8. Impedir que o goleiro lance a bola com as mãos; 9. Passar por traz da meta adversária no momento da cobrança de qualquer infração ou colocação de bola em jogo tentando ludibriar os árbitros e adversários;

10. Cometer contra um companheiro uma das 10 (dez) infrações punidas com tiro livre direto.

PUNIÇÃO:

  1. Nestas faltas, a equipe infratora será punida com a cobrança de um tiro livre indireto a ser executado pelo adversário no local onde ocorreu a infração, se cometida fora da área penal do infrator. Se cometida dentro da área penal do infrator, o tiro livre indireto deverá ser executado sobre a linha da área penal, no ponto mais próximo do local onde ocorreu a infração;

  2. Estas faltas não são anotadas como acumulativas para a equipe e serão punidas com tiros livres indiretos durante toda a partida.

ESTRUTURA DA COMPETIÇÃO (FESTIVAL)

  1. CHAVEMEAMENTO:

  1. Sorteio com representante dos clubes, presente no local marcado ou não.

  2. Ordem de chaveamento será na sequencia do sorteio (primeiro sorteado , time1 segundo sorteado time2, etc..)



  1. EMPATES:

  1. Jogos do time 1 e 2, 3 e 4, em caso de empate pênaltis alternados em prorrogação.

  2. Vencedores dos jogos 1 e 2 terão vantagem do empate no segundo jogo, pelo fato de já terem jogando um jogo no dia.

  3. Empates em qualquer outra partida será terá disputa de pênalti alternados sem prorrogação.

  4. Vencedores dos jogos 1 e 2 perderão a vantagem após passar para a próxima fase e em caso de empate terá disputa de pênalti alternados em prorrogação.



ESTRUTURA DA COMPETIÇÃO (LIGA)

  1. CHAVEMANETO

  1. Sorteio com representante dos clubes, presente no local marcado ou não.

  2. Ordem de chaveamento será na sequencia do sorteio (GRUPO A primeiro, posteriormente GRUPO B, primeiro sorteado time1 segundo sorteado time2, etc..)

  3. Os dois primeiros melhores colocados de cada grupo irão enfrentar os dois segundos melhores de cada grupo.

  1. PONTOS

  1. Grupo: Vitoria 3, Empate 1, Derrota 0.

  1. FINAIS

  1. Nenhum time possui a vantagem do empate, em caso de empate terá disputa de pênalti alternados sem prorrogação.

ESTRUTURA DA COMPETIÇÃO (COPA)

  1. CHAVEMANETO

  1. Os MELHORES das competições anteriores serão os primeiros a ocupar as vagas.

  2. As vagas que sobrarem serão completadas por ordem de chegada.

RESTANTE DAS REGRAS SERÃO INLCUSAS POSTERIORMENTE.

Baixar 47.03 Kb.

Compartilhe com seus amigos:




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
Dispõe sobre
reunião ordinária
Serviço público
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Relatório técnico
Universidade estadual
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
espírito santo
pregão eletrônico
Curriculum vitae
Sequência didática
Quarta feira
prefeito municipal
distrito federal
conselho municipal
língua portuguesa
nossa senhora
educaçÃo secretaria
segunda feira
Pregão presencial
recursos humanos
Terça feira
educaçÃO ciência
agricultura familiar