Comemoração do 500o Aniversário da Reforma



Baixar 70.5 Kb.
Encontro28.02.2017
Tamanho70.5 Kb.
CELEBRAÇÃO ECUMÉNICA

Introdução ao culto

Reconciliação — É o amor de Cristo que nos impele 
(cf. 2 Coríntios 5,14-20)


Comemoração do 500o Aniversário da Reforma

As Igrejas na Alemanha decidiram comemorar este aniversário como uma Christusfest (uma celebração ecumênica de Cristo). A Reforma foi a ocasião de um foco renovado na salvação pela graça através da fé em Jesus Cristo. Alegramo-nos pela salvação de Deus centrada na cruz de Cristo, que supera divisões e nos atrai para a união. Nesta celebração abertamente confessamos e pedimos perdão pelos pecados de divisão que se seguiram à Reforma. O culto celebrará Cristo e seus atos de reconciliação, que tocam o coração dos cristãos divididos para que se tornem embaixadores de Cristo como ministros de reconciliação.



Os conteúdos da celebração

O tema “Reconciliação - é o amor de Cristo que nos impele” nos leva a celebrar a irrevogável reconciliação que temos recebido pela fé em Jesus Cristo. O amor de Cristo se torna a força impulsionadora que nos leva além das nossas divisões na direção de atos de reconciliação.

Com salmos e canções nos reunimos em nome de Jesus louvando a Deus por suas maravilhosas obras. Confessamos nossos pecados de divisão e fazemos nosso pedido de perdão. A proclamação da Palavra ilumina a ação reconciliadora de Cristo como “aquele que morreu por todos” (v 14). Os fiéis respondem a essa boa nova aceitando o chamado para serem ministros de reconciliação.

Ações simbólicas na celebração

O muro

Em 1989 houve a queda do Muro de Berlin, que começou com o Movimento de Oração pela Paz na República Democrática Alemã (GDR - Alemanha oriental), no qual as pessoas colocavam velas em janelas e portas e oravam por liberdade. Horst Sindermann, um membro da liderança da GDR até 1989, observou que “tínhamos planejado tudo. Estávamos preparados para tudo, menos para velas e orações”. Por isso a divisão dos cristãos e a reconciliação que buscamos é representada pela construção e derrubada de um muro. Isso pode ser um símbolo de esperança para qualquer situação em que a divisão parece insuperável. Assim, a construção de um muro simbólico na confissão dos pecados, a presença visível desse muro durante a proclamação da Palavra e, finalmente, o desmonte desse muro para formar uma cruz como símbolo de esperança, dão-nos coragem de abordar essas terríveis divisões e de superá-las com a ajuda de Deus.



Orientações/Material: Construindo e derrubando o Muro

Divisão devida a nosso pecado”: depois de uma breve introdução alguns membros da congregação vão construir um muro de separação representando os pecados e a divisão que confessamos. O muro fica exposto durante o culto até a parte que tem como título “Responder na fé - viver em reconciliação”. Nesse ponto as pedras serão removidas do muro e colocadas na forma de uma cruz.

Dependendo do tamanho do espaço celebrativo, os seguintes materiais serão necessários para essa ação simbólica: 12 caixas do mesmo tamanho (por exemplo: caixas de sapato ou de transporte de outros materiais), cobertas com papel de embrulho para formar as “pedras”. No lado da frente de cada caixa, coloca-se um rótulo (falta de amor; ódio e desprezo; acusações falsas; discriminação; perseguição; quebra de comunhão; intolerância; guerras religiosas; divisão; abuso de poder; isolamento; orgulho). À medida que cada pecado é mencionado, a pedra é colocada para formar o muro. Depois de um momento de silêncio, o colocador de pedras faz um pedido de perdão, ao qual a congregação responde “perdoa os nossos pecados, assim como perdoamos aqueles que pecam contra nós.”

Depois da proclamação da Palavra de Deus, concluída com a homilia, vem uma prece pela reconciliação. À medida que o muro vai sendo desmantelado e as pedras vão sendo colocadas na forma da cruz, um canto de reconciliação ou um hino de glória pela cruz é cantado.

Para celebrações em grupos pequenos, uma alternativa litúrgica pode ser aumentar o espaço ou a substituição do muro por testemunhos pessoais. Esses testemunhos na primeira parte devem abordar situações que tenham sido dolorosas para outros. Na segunda parte, que diz respeito à resposta de fé, podem ser relatadas histórias sobre reconciliação e atos de cura.

Velas

Após o Credo, são oferecidas quatro preces de intercessão. Depois de cada pedido, três pessoas acendem suas velas a partir de uma fonte central de luz (um círio pascal, por exemplo) e permanecem de pé ao redor da cruz até a parte que tem o título “comissão que vem de Cristo”. Depois dessa parte, as doze pessoas passam a luz pela congregação até que cada participante tenha sua vela acesa. O culto se conclui com bênção e envio.



Roteiro do culto

D: Dirigente
A:
 Assembléia
L:
 Leitor

I. Reunidos em nome de Jesus

Hinos para a reunião (serão escolhidos em cada local)

Entrada em procissão com a Bíblia

Abertura

D: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo

A: Amém

D: A graça e a paz de Deus, que nos reconciliou consigo pelo Cristo estejam com todos. (2 Coríntios 5,18)

A: E contigo também.

Palavras de introdução

D: Caros irmãos e irmãs em Cristo, este ano muitos cristãos e Igrejas estarão comemorando o aniversário da Reforma. São Paulo nos recorda que Deus nos reconciliou através de Cristo e que o amor de Cristo nos impele a ser ministros da reconciliação. Adoremos e louvemos a Deus juntos na unidade do Espírito Santo!

Salmo 98 (cantado) ou um hino de louvor

II. Divididos por nossos pecados (confissão)

Convite à confissão

D: No curso da história, tem havido muitos movimentos de renovação na Igreja, que está sempre necessitada de uma conversão mais profunda a seu Mestre, Jesus Cristo. Às vezes esses movimentos têm levado a indesejáveis divisões. Esse fato contradiz o que Jesus pede ao Pai em João 17,23: “que eles cheguem à unidade perfeita e, assim, o mundo possa conhecer que tu me enviaste e os amaste como tu me amaste.” Confessemos nossos pecados e oremos por perdão e cura das feridas que resultaram de nossas divisões. Ao mencionarmos esses pecados veremos como eles se tornam um muro que nos divide.

Silêncio

D: Oremos: Deus e Pai do céu, viemos a ti em nome de Jesus. Experimentamos renovação através do teu Santo Espírito, e ainda assim construímos muros que nos dividem, muros que prejudicam a comunidade e a unidade. Trazemos diante de ti agora as pedras com que construímos nossos muros e te pedimos perdão e cura.

A: Amém.

À medida que cada pecado é nomeado, a pedra correspondente é trazida para construir o muro. Depois de um momento de silêncio, o portador da pedra (L) faz a prece por perdão e a comunidade responde “perdoa nossos pecados, assim como perdoamos aqueles que pecam contra nós”.

D: Uma pedra em nosso muro é “falta de amor”

A pedra com o rótulo “falta de amor” é colocada.

L1: Deus de toda graça, o amor de Cristo nos impele a pedir perdão por todas as ocasiões em que falhamos no amor. Humildemente pedimos:

A: Perdoa os nossos pecados, assim como perdoamos aqueles que pecam contra nós.

D: Uma pedra em nosso muro é “ódio e desprezo”.

A pedra com o rótulo “ódio e desprezo” é colocada.

L 2: Deus de toda graça, o amor de Cristo nos impele a pedir perdão por nosso ódio e desprezo de uns com os outros. Humildemente pedimos:

A: Perdoa os nossos pecados, assim como perdoamos aqueles que pecam contra nós.

D: Uma pedra em nosso muro é “falsa acusação”.

A pedra com o rótulo “falsa acusação” é colocada.

L 3: Deus de toda graça, o amor de Cristo nos impele a pedir perdão por denunciar e falsamente acusar uns aos outros. Humildemente pedimos:

A: Perdoa os nossos pecados, assim como perdoamos aqueles que pecam contra nós.

D: Uma pedra em nosso muro é “discriminação”.

A pedra com o rótulo “discriminação” é colocada.

L 4: Deus de toda graça, o amor de Cristo nos impele a pedir perdão por todas as formas de preconceito e discriminação de uns para outros. Humildemente pedimos:

A: Perdoa os nossos pecados, assim como perdoamos aqueles que pecam contra nós.

Resposta cantada: Senhor, perdoa-nos. 
Comissões locais escolhem suas próprias respostas cantadas.

D: Uma pedra em nosso muro é “perseguição”.

A pedra com o rótulo “perseguição” é colocada.

L 5: Deus de toda graça, o amor de Cristo nos impele a pedir perdão por perseguir e torturar uns aos outros. Humildemente pedimos:

A: Perdoa os nossos pecados, assim como perdoamos aqueles que pecam contra nós.

D: Uma pedra em nosso muro é “quebra de comunhão”.

A pedra com o rótulo “quebra de comunhão” é colocada.

L 6: Deus de toda graça, o amor de Cristo nos impele a pedir perdão por perpetuar a quebra de comunhão entre nossas Igrejas. Humildemente pedimos:

A: Perdoa os nossos pecados, assim como perdoamos aqueles que pecam contra nós.

D: Uma pedra em nosso muro é “intolerância”.

A pedra com o rótulo “intolerância” é colocada.

L 7: Deus de toda graça, o amor de Cristo nos impele a pedir perdão por banir nossos irmãos e irmãs de nossa terra natal comum no passado e por atos de intolerância religiosa dos tempos de hoje. Humildemente pedimos:

A: Perdoa os nossos pecados, assim como perdoamos aqueles que pecam contra nós.

D: Uma pedra em nosso muro são as “guerras religiosas”.

A pedra com o rótulo “guerras religiosas” é colocada.

L 8: Deus de toda graça, o amor de Cristo nos impele a pedir perdão por todas as guerras que promovemos uns contra os outros em seu nome. Humildemente pedimos:

A: Perdoa os nossos pecados, assim como perdoamos aqueles que pecam contra nós.

Resposta cantada: Senhor, perdoa-nos.

D: Uma pedra em nosso muro é “divisão”.

A pedra com o rótulo “divisão” é colocada

L 9: Deus de toda graça, o amor de Cristo nos impele a pedir perdão por vivermos nossa vida cristã em divisão uns com os outros e desviados de nosso chamado comum para a cura de toda criação. Humildemente pedimos:

A: Perdoa os nossos pecados, assim como perdoamos aqueles que pecam contra nós.

D: Uma pedra em nosso muro é “abuso de poder”.

A pedra com o rótulo “abuso de poder” é colocada.

L 10: Deus de toda graça, o amor de Cristo nos impele a pedir perdão por nosso abuso de poder. Humildemente pedimos:

A: Perdoa os nossos pecados, assim como perdoamos aqueles que pecam contra nós.

D: Uma pedra em nosso muro é “isolamento”.

A pedra com o rótulo “isolamento” é colocada.

L 11: Deus de toda graça, o amor de Cristo nos impele a pedir perdão pelas vezes em que nos temos isolado de nossos irmãos e irmãs cristãos e das comunidades em que vivemos. Humildemente pedimos:

A: Perdoa os nossos pecados, assim como perdoamos aqueles que pecam contra nós.

D: Uma pedra em nosso muro é “orgulho”.

A pedra com o rótulo “orgulho” é colocada.

L 12: Deus de toda graça, o amor de Cristo nos impele a pedir perdão por nosso orgulho. Humildemente pedimos:

A: Perdoa os nossos pecados, assim como perdoamos aqueles que pecam contra nós.

Resposta cantada: Senhor, perdoa-nos.

D: Oremos: Senhor, nosso Deus, olha para este muro que temos construído, que nos separa de ti e uns dos outros entre nós. Perdoa os nossos pecados. Cura-nos. Ajuda-nos a vencer todos os muros de divisão e torna-nos um em Ti.

A: Amém.

Hino/Canto/Música para meditação

III. Reconciliemo-nos com Deus – Ouçamos a Palavra de Deus

Primeira leitura: Ezequiel 36,25-27
Salmo responsorial:
 18,25-32 (cantado)

Coro: Eu te amo, Senhor, minha força.

D: Então o Senhor me retribuiu segundo a minha justiça,
Segundo a pureza que viu em minhas mãos.
Com o fiel és fiel, com o homem íntegro, integro
Com o puro és puro, com o perverso, astuto

Coro: Eu te amo, Senhor, minha força.

D: Transformas em vencedor um povo humilhado 
E humilhas o olhar altaneiro dos orgulhosos.
Fazes luzir minha lâmpada. O Senhor meu Deus ilumina minhas trevas.
É contigo que transponho o fosso, é com meu Deus que atravesso a muralha.

Coro: Eu te amo, Senhor, minha força.

D: Deste Deus, o caminho é perfeito, a palavra do Senhor deu suas provas.
Ele é o escudo de todos que o têm como refúgio.
Quem, pois, é deus senão o Senhor? Quem, pois, é a Rocha, senão o nosso Deus?

Coro: Eu te amo, Senhor, minha força.

Segunda leitura: 2 Coríntios 5,14-20
Aleluia
 (canto)

Leitura do Evangelho: Lucas 15,11-24
Aleluia (canto)

Homilia

IV. Resposta na fé – Vivamos reconciliados

Enquanto o muro é desmantelado e as pedras são colocadas na forma de uma cruz, entoa-se um canto de reconciliação ou um hino de glorificação da cruz.

D: Oremos: Generoso Deus e Pai do Céu, temos escutado tua Palavra que diz que nos reconciliaste contigo através de teu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor. Pelo poder do Espírito Santo, transforma nossos corações de pedra. Ajuda-nos a agir como ministros de reconciliação e cura as divisões de nossas Igrejas para que possamos servir melhor como instrumentos de tua paz no mundo.
A: Amém.


A paz

D: A paz do Senhor esteja sempre convosco.
Ofereçamos uns aos outros um sinal de paz..

Hino/Canto

(Coleta das ofertas)

V. Resposta na fé – Proclamemos a reconciliação

Credo (ecumênico)

Preces de intercessão

Depois de cada pedido, três pessoas acendem suas velas numa fonte central de luz – por exemplo: um círio pascal – e permanecem de pé ao redor da cruz até a parte que tem o título de “Comissão que vem de Cristo”.

L 1: Todo poderoso Deus, enviaste teu Filho Jesus Cristo para reconciliar contigo o mundo. Nós te louvamos por aqueles que enviaste no poder do Espírito para pregar o Evangelho às nações. Agradecemos por ter em todas as partes do mundo uma comunidade de amor que foi reunida com preces e trabalhos, e porque em todos os lugares teus servos proclamam teu nome. Que o teu Espírito desperte em toda comunidade uma fome e sede de unidade no teu amor. Oremos ao Senhor:

Resposta (falada ou cantada): Senhor, escuta a nossa prece.
Com tempo suficiente para que os encarregados possam acender suas velas no círio pascal.

L 2: Generoso Deus, oramos por nossas Igrejas. Enche-as com toda verdade e paz. Onde a fé estiver corrompida, purifica-a; onde as pessoas se extraviam, redireciona seus caminhos; onde falham na proclamação do Evangelho, reforma-as; onde testemunham o que é certo, fortalece-as; onde estiverem passando necessidades, dá-lhes o que precisam; e onde estão divididas, restabelece a união. Oremos ao Senhor:

Resposta (falada ou cantada): Senhor, escuta a nossa prece.
Com tempo suficiente para que os encarregados possam acender suas velas no círio pascal.

L 3: Deus Criador, nos fizeste à tua imagem e nos redimiste por Jesus Cristo, teu Filho. Olha por toda a família humana com compaixão; retira a arrogância e o ódio que infectam nossos corações; derruba os muros que nos separam; torna-nos unidos em laços de amor. E, mesmo em nossas fraquezas, age para realizar teus projetos na terra, para que todos os povos e nações possam te servir em harmonia ao redor de teu trono celestial. Oremos ao Senhor:

Resposta (falada ou cantada): Senhor, escuta a nossa prece.
Com tempo suficiente para que os encarregados possam acender suas velas no círio pascal.

L 4: Santo Espírito, Doador da Vida, fomos criados para sermos plenos em Ti e para partilhar esta vida na terra com nossos irmãos e irmãs. Desperta em cada um de nós tua compaixão e amor. Dá-nos força e coragem para trabalhar pela justiça onde estivermos, para criar paz dentro de nossas famílias, para confortar os doentes e os que estão morrendo e para partilhar tudo que temos com aqueles que estão carentes do necessário. Pela transformação de todo coração humano, oremos ao Senhor:

Resposta (falada ou cantada): Senhor, escuta a nossa prece.
Com tempo suficiente para que os encarregados possam acender suas velas no círio pascal.

A Oração do Senhor (Pai Nosso, versão ecumênica)

Pai nosso, que estás nos céus, 


santificado seja o teu nome, venha o teu Reino, 
seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. 
O pão nosso de cada dia nos dá hoje, 
perdoa-nos as nossas ofensas, 
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. 
E não nos deixes cair em tentação, 
mas livra-nos do mal.

Pois teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. Amém.



VI. Embaixadores de Cristo – Ministros de reconciliação

Comissão que nos vem de Cristo

Os doze fazem passar as velas por toda a congregação até que cada pessoa tenha uma vela acesa.

D: Uma vela acesa é um símbolo profundamente humano: ilumina a escuridão, cria calor humano, segurança e comunidade. Simboliza Cristo, a luz do mundo. Como embaixadores de Cristo carregaremos esta luz para o mundo, para os lugares escuros onde brigas, discordâncias e divisões impedem nosso testemunho conjunto. Que a luz de Cristo promova reconciliação em nossos pensamentos, palavras e ações.

Recebam a Luz de Cristo e levem-na para as partes escuras do nosso mundo! Sejam ministros da reconciliação! Sejam embaixadores de Cristo!

Bênção e Envio

D: A Ti clamamos, muito misericordioso Deus: 
Que todos os que buscam reconciliação sintam a tua ajuda para que possam proclamar teus grandiosos atos de Amor! Isso te pedimos em nome de teu Filho, Jesus Cristo nosso Senhor. 
A: Amém.


D: Que a bênção de Deus todo poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo, venha sobre vós e permaneça convosco para sempre. 
A: Amém.


D: Ide na paz de Deus
A: Graças a Deus.


Hino/Canto: escolhido pela comissão local de planejamento.

Baixar 70.5 Kb.

Compartilhe com seus amigos:




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
reunião ordinária
Dispõe sobre
Serviço público
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Universidade estadual
Relatório técnico
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
pregão eletrônico
Curriculum vitae
espírito santo
Sequência didática
Quarta feira
conselho municipal
prefeito municipal
distrito federal
língua portuguesa
nossa senhora
educaçÃo secretaria
Pregão presencial
segunda feira
recursos humanos
educaçÃO ciência
Terça feira
agricultura familiar