Ambientação: capela semi-escura, com as velas da coroa de natal acesas Material necessário



Baixar 81.98 Kb.
Encontro06.11.2017
Tamanho81.98 Kb.
#37840
Celebração do perdão

Centro de catequese de sábado

Cascais, 12 de Dezembro de 2009

Ambientação: capela semi-escura, com as velas da coroa de natal acesas
Material necessário: micro portátil, folhas brancas com a palavra obrigado, leitor de CD, CD com música festiva, capa preta, túnica branca, palavras para colocar junto do altar

Cântico: “Em nome do Pai”
Em nome do Pai, em nome do Filho,

em nome do Espírito Santo, estamos aqui.
Para louvar e agradecer, bendizer e adorar

Estamos aqui Senhor, ao teu dispor

Para louvar e agradecer, bendizer e adorar

E aclamar Deus trino de amor



Introdução
Todos os dias nos encontramos com Jesus, quando escutamos a sua palavra, na oração, quando vamos à eucaristia, no encontro com os amigos, os pais, os professores, na rua quando nos encontramos com as pessoas, na natureza quando admiramos tudo o que Deus criou: o mar, a areia, os animais, as árvores, as flores, … tantas coisas mais que poderíamos dizer. Mas hoje vamo-nos encontrar com Jesus de uma forma diferente, é um encontro com o seu perdão no sacramento da reconciliação. Por isso estamos em festa porque celebramos o Amor de Deus por nós.

Com atenção escutemos a sua palavra.



Texto bíblico – lc 15,11-24
Jesus continuou: «Um homem tinha dois filhos. O filho mais novo disse ao pai: "Pai, dá-me a parte da herança que me cabe". E o pai dividiu os bens entre eles. Poucos dias depois, o filho mais novo juntou o que era seu e partiu para um lugar distante. E aí esbanjou tudo numa vida desenfreada. Quando tinha gasto tudo o que possuía, houve uma grande fome nessa região e ele começou a passar necessidade. Então foi pedir trabalho a um homem do lugar, que o mandou para os seus campos cuidar dos porcos. O rapaz queria matar a fome com a vianda que os porcos comiam, mas nem isso lhe davam. Então, caindo em si, disse: "Quantos empregados do meu pai têm pão com fartura, e eu aqui a morrer de fome... Vou levantar-me, vou ter com meu pai e dizer-lhe: Pai, pequei contra Deus e contra ti; já não mereço que me chamem teu filho. Trata-me como um dos teus empregados". Então levantou-se e foi ter com o pai. Quando ainda estava longe, o pai avistou-o e teve compaixão. Correu ao seu encontro, abraçou-o e cobriu-o de beijos. Então o filho disse: "Pai, pequei contra Deus e contra ti; já não mereço que me chamem teu filho". Mas o pai disse aos empregados: "Depressa, trazei a melhor túnica para vestir o meu filho. E colocai-lhe um anel no dedo e sandálias nos pés. Pegai no novilho gordo e matai-o. Vamos fazer um banquete. Porque este meu filho estava morto e tornou a viver; estava perdido e foi encontrado". E começaram a festa.
Comentário dialogado ao texto bíblico
Encenação
Um jovem caminha pela coxia central com uma capa preta colocada pelas costas e por baixo tem uma túnica branca. Entretanto, uma voz proclama o seguinte texto:
Às vezes andamos como cegos na escuridão, não vemos nada, não percebemos que fazer o bem alegra o coração, faz-nos felizes e parecidos com Jesus.
(Cada palavra a negrito é apresentada à assembleia, em cartolina, quando proclamada pelo leitor)


  • Somos egoístas, só pensamos em nós;

  • Esquecemo-nos de falar com Deus;

  • Deixamos de ser amigos dos pais, não respeitamos os professores;

  • Enganamos os outros, mentimos;

  • Quando vemos que alguém precisa de ajuda e viramos as costas para não ver;

  • Às vezes temos vergonha de fazer o bem porque os nossos amigos, nos vão criticar;

  • Para não ficarmos fora do grupo gozamos com o colega que está a ter dificuldade em adaptar-se na escola, ou porque é tímido;

  • Recusamos ajudar e partilhar com os outros;

  • Quando achamos que somos melhores que os outros temos dificuldade em perdoar e/ou desculpar.

Cântico: Perdoa-nos, Senhor os nossos pecados;

À tua casa queremos voltar,

À tua casa queremos voltar.


Mas quando abrimos o nosso coração a Jesus Ele ajuda-nos a perceber que é melhor fazer o bem e como o filho pródigo pedir perdão. Jesus vem ao nosso encontro como o pai da parábola, dá-nos um grande abraço e faz uma festa. (acendem-se as luzes e coloca-se uma música que crie ambiente de alegria)
Convite a cada um a ficar em silêncio e pensar naquilo que quer pedir perdão a Jesus, para depois com todos celebrar a alegria de sentir o perdão, o carinho de Deus. Como símbolo desta alegria cada um, no final da sua confissão, vai colocar uma folha branca com a palavra “obrigado” junto do presépio que está a ser construído ao longo do tempo de advento.
Cântico: “Que bom é o Senhor”
Oh! Que bom é o Senhor!

Oh! Que bom é o Senhor!

Oh! Que bom é o Senhor!

Eu nunca esquecerei

O que Ele fez por mim.


  1. É Ele quem salva:

Que bom é o Senhor!

É Ele quem salva:

Que bom é o senhor!

É Ele quem salva:



Que bom é o Senhor!

Eu nunca esquecerei o que Ele fez por mim.

Baixar 81.98 Kb.

Compartilhe com seus amigos:




©bemvin.org 2022
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino médio
ensino fundamental
concurso público
catarina município
Serviço público
Dispõe sobre
reunião ordinária
câmara municipal
público federal
processo licitatório
Processo seletivo
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
Universidade estadual
ensino superior
Relatório técnico
técnico científico
Conselho municipal
direitos humanos
Curriculum vitae
científico período
espírito santo
língua portuguesa
Sequência didática
pregão eletrônico
distrito federal
Quarta feira
conselho municipal
prefeito municipal
educaçÃo secretaria
nossa senhora
segunda feira
Pregão presencial
educaçÃO ciência
Terça feira
agricultura familiar
educaçÃo profissional