1º rally vale da cerveja regulamento da prova cidade definiçÃo arto 1o–o bvc – Blumenau Vintage Club



Baixar 115.41 Kb.
Encontro03.11.2017
Tamanho115.41 Kb.
RALLY VALE DA CERVEJA

REGULAMENTO DA PROVA CIDADE

DEFINIÇÃO

Arto 1o–O BVC – Blumenau Vintage Club organiza o 1º Rally Vale da Cerveja,na modalidade Rally de Regularidade, com caráter cultural e histórico, destinado a Carros Clássicos. O 1º Rally Vale da Cervejaterá uma única prova e será regido pelo presente Regulamento.

Arto2o- O Regulamento do 1º Rally Vale da Cerveja será disponibilizado no site doBVC:http://www.blumenauvintageclub.com.br

Parágrafo Único– O BVC reserva-se no direito de alterar o presente Regulamento a qualquer momento, por julgar necessário ou por razões alheias à sua vontade. Neste caso, as alterações serão disponibilizadas e levadas ao conhecimento de todos interessados, imediatamente quando da ocorrência.

Arto3o- Toda Prova do 1º Rally Vale da Cerveja será acompanhada pelo CTP - Comitê Técnico de Prova, constituído pelos:

  1. Diretor Esportivo da FBVA;

  2. Diretor de Prova do Clube Anfitrião; e

  3. Presidente do BVC.

Parágrafo Primeiro– No caso de impossibilidade da presença do Diretor Esportivo da FBVA, este designará o seu representante.

Parágrafo Segundo – Cabe ao Diretor de Prova fazer cumprir o presente Regulamento e toda a legislação pertinente.

INSCRICÃO E EQUIPES

Arto4o– Todo competidor deve preencher e assinar a Ficha de Inscrição de Prova do 1º Rally Vale da Cerveja(modelo em anexo ao presente Regulamento).

Parágrafo Primeiro– Todo competidor inscrito no 1º Rally Vale da Cerveja submete-se automaticamente e sem restrições ao presente Regulamento.

Parágrafo Segundo– O Diretor de Prova não poderá participar da Prova da qual é Diretor.

Arto5oOs competidores de cada carro são limitados ao Piloto e ao Navegador declarados na Ficha de Inscrição.

Parágrafo Primeiro–O Piloto obrigatoriamente deve possuir carteira de habilitação válida para dirigir no Brasil.

Parágrafo Segundo- O carro não pode conter em seu interior pessoas além do Piloto e Navegador, bem como animais,salvo autorizado pelo CTP.

Arto6oA confirmação da Inscrição de uma Equipe no 1º Rally Vale da Cerveja está condicionada à aprovação na Vistoria Técnica e Documental onde serão confrontadas as informações contidas na ficha de inscrição.

Parágrafo Primeiro – A Vistoria Técnica inclui, mas não se restringe a:

  1. Equipamentos e itens obrigatório do carro como macaco (original ou não), chave de roda (original ou não) e triângulo refletivo;

  2. Pleno funcionamento dos acessórios de iluminação do carro, originais da época de fabricação ou obrigatórios pela Legislação, como faróis, luzes de freio, etc.

Parágrafo Segundo – A Vistoria Documental inclui, mas não se restringe a:

  1. Certificados, registros, licenciamentos, seguros etc. válidos e atualizados do carro;

  2. Carteira de habilitação válida do piloto.

Arto7o - A substituição de carro, Piloto ou Navegador só poderá ocorrer antes da Verificação Técnica e Documental da Prova. Após tal verificação, somente poderá ser realizada substituições (carro, Piloto ou Navegador) mediante autorização expressa do CTP.

Arto8oO Clube Anfitrião contratará Seguro de Responsabilidade Civil contra Terceiros, cujo prêmio está incluído na Taxa de Inscrição da Prova.

Parágrafo Primeiro - Não se consideram como terceiros, para efeitos deste Seguro, a Equipe incluindo o carro, o Piloto, o Navegador e demais eventuais ocupantes do carro.

Parágrafo Segundo - Este seguro terá validade restrita:

  1. À Duração da prova;

  2. Às Equipes que efetivamente largaram e participam da Prova conforme estabelece o presente Regulamento.

CARROS ADMITIDOS

Arto9o– No 1º Rally Vale da Cerveja serão admitidos Carros pré-guerra (até 1945), Clássicos (de 1946 a 1970) , vintages (de 1971 a 1987) e novos vintages (de a988 a 1997).

Parágrafo primeiro - Não será admitido motocicleta, veículo comercial, caminhão,van de qualquer espécie.

Paragrafo segundo -Poderão ser admitidos na prova mediante aprovação do CTP outro tipo de veículo não mencionado acima.

Arto10o– Todos instrumentos do veículo incluindo velocímetro, odômetro e tacômetro, devem ser os originais de aparência, mecanismo e funcionamento.

Parágrafo Primeiro – Todo instrumento não original presente no carro, mesmo que não conectado, deve ser declarado na Ficha de Inscrição e pode ser coberto ou lacrado, a critério do CTP.

Parágrafo Segundo - Conversão entre milhas e quilômetros de velocímetro ou odômetro, modificações de odômetro prevendo uma casa decimal de quilômetro/milha e odômetro parcial com zerador poderão ser aceitos,mediante aprovação do CTP, desde que sejam declarados pelos competidores na Ficha de Inscrição, que preservem as mesmas escalas e possuam a aparente originalidade do veículo e do instrumento.

Parágrafo Terceiro - O velocímetro e tacômetro do carro (se existirem) devem manter exclusivamente as marcações originais dos instrumentos, não sendo permitidas marcações adicionais interna ou externamente em tais instrumentos.

Arto11o- Acessórios disponíveis na época da fabricação do carro tais como rodas esportivas, faróis auxiliares, kits de carburação, etc., desde que não descaracterizem o carro, poderão ser aceitos mediante aprovação do CTP.

Parágrafo Único - O bloco do motor obrigatoriamente deverá ser de especificação original do carro.

Arto12o- Preparações da época da fabricação do carro bem como Carro Histórico ou Carro Homenagem a um Carro Histórico poderão ser aceitas mediante aprovação do CTP.

Arto13o- Acessórios especiais de segurança e não disponíveis como acessórios da época de fabricação do carro como pneus radiais e espelhos retrovisores, poderão ser aceitos mediante aprovação do CTP.

Parágrafo Único–No caso do carro não possuir como acessório original cinto de segurança, estes além de permitidos são incentivados.

Arto14o- O carro deverá obrigatoriamente possuir certificado de registro e licenciamento válidos e atualizados expedidos pelos órgãos oficiais brasileiros.

Parágrafo primeiro – O clube anfitrião poderá, se assim desejar, admitir na Prova carro que possua certificado de registro e licenciamento atualizados no estrangeiro, bem como Carta Verde, mediante aprovação do CTP.

Parágrafo segundo – A critério do CTP, a qualquer momento durante a Prova, a Verificação Técnica e Documental pode ser novamente solicitada.

CATEGORIAS DOS CARROS

Arto15oOs Carros admitidos no 1º Rally Vale da Cerveja para cada Equipe serão classificados nas seguintes Categorias, conforme o ano de fabricação:

- Pré-guerra: fabricados até 1945;

-Clássicos:fabricados entre 1946 e 1970;

- Vintages:fabricados entre 1971 e 1987 (mínimo de 30 anos);

- Novos vintages:fabricados entre 1988e 1997 (mínimo de 20 anos)



MODALIDADES DOS EQUIPAMENTOS DE NAVEGAÇÃO

Arto16oNa Inscrição para o 1º Rally Vale da Cerveja, cada Equipe deve especificar na Ficha de Inscrição a Modalidade dos Equipamentos de Navegação escolhida. Os equipamentos e instrumentos de navegação de Rally permitidos em cada uma das seguintes Modalidades são (equipamentos e instrumentos não citados não são permitidos):

I - Modalidade Clássica:

  • Cronômetros mecânicos ou digitais;

  • Planilhas pré-impressas (papel) de aferição, recuperação ou similares;

  • Calculadora 04 (quatro) operações (não programável);

II - Modalidade Avançada:

  • Cronômetros de quaisquer tipos;

  • Planilhas de aferição, recuperação ou similares inclusive em formato digital;

  • Calculadoras de quaisquer tipos;

  • Notebooks, tablets, smartphones ou similares;

Arto17oEm qualquer das Modalidades é expressamente proibido que os equipamentos ou instrumentos de navegação sejam conectados de alguma forma ao veículo ou extra-veículo, salvo em caso único e exclusivo para fornecimento de energia dos mesmos.

Parágrafo Primeiro – É expressamente proibido o uso de equipamentos que utilizem sinais de celulares, GPS, radiofrequência ou outros, incluindo equipamentos do tipo RallyNav, Totem ou similares.

Parágrafo Segundo – É proibido ao longo da Prova a comunicação com o exterior do automóvel, seja via rádio, telefone celular ou qualquer outro meio, exceto em casos de emergência ou força maior e, neste caso, a Equipe deve comunicar e justificar tal fato ao CTP na primeira oportunidade. Cabe ao CTP acatar ou não a justificativa.

Arto18oEm qualquer das Modalidades é expressamente proibido quaisquer formas adicionais de medição de distância, velocidade e tempos, automáticas ou não, como equipamentos de medição laser e sensores de rotação, bem como quaisquer artifícios que permitam tais medições ou aumento de precisão das medições como fitas métricas, elevação do veículo para rotação de rodas ou de odômetro, etc.

Arto19o– O Livro de Bordoda Prova (planilha) conterá, para cada dia, todos os horários, trechos, distâncias, velocidades e indicações necessárias para o bom andamento da Prova. O Livro de Bordo será composto basicamente por:

  1. Deslocamentos: trechos sem cronometragem;

  2. Pernas (legs) ou Zonas Controladas: são trechos controlados e com médias de velocidade imposta (uma ou mais por perna) nas quais serão contabilizados pontos perdidos por PCPosto de Cronometragem, para efeito de pontuação e classificação na Prova;

  3. Trecho de Aferição: trecho de deslocamento em formato de uma perna, mas sem contabilizar pontos, para permitir aferição dos instrumentos e equipamentos dos competidores;

  4. Neutralizados: locais onde os competidores tem tempo determinado para refeições, descanso, abastecimentos, etc.

Arto 20o– o Horário Oficial da Prova deve obedecer a hora brasileira, marcada para a cidade de Brasília (Brasil UTC−3, www.horariodebrasilia.org/) estabelecida pela Divisão Serviço da Hora (DSHO) do Observatório Nacional Hora Legal Brasileira:http://www.horariodebrasilia.org

Parágrafo Único - Um Relógio Padrão, aferido pela Hora Oficial da Prova, será exibido de forma acessível e clara a todos os participantes pelo menos uma hora antes daLargada da Prova a qual corresponde ao horário oficial de largada da primeira Equipe.

Arto21o– O Livro de Bordo deverá ser disponibilizado em formato eletrônico universal em site amplamente divulgado e acessível a todos os participantes pelo menos 48 (quarenta e oito)horas antes da Largada da Prova.

Parágrafo Único – O Livro de Bordo não poderá ser disponibilizado em formatos específicos (não universais) objetivando entradas de dados para equipamentos ou softwares de navegação.

Arto21o– Observações relevantes,revisões ou correções de informações do Livro de Bordo poderão ser objeto de informação em Anexo ao Livro de Bordo antes da largada da Prova.

Parágrafo Primeiro – Observações relevantes,revisões ou correções de última hora do Livro de Bordo poderão ser passadas verbalmente no briefing antes da Largada da Prova e serão consideradas Anexo ao Livro de Bordo.

Parágrafo Segundo – Ao longo da Prova, no caso de situações de força maior como bloqueio ou desvio não previsto de rodovia e consultando o CTP, ajustes ou pequenas revisões do Livro de Bordo poderão ser passadas verbalmente quando possívele serão consideradas Anexo ao Livro de Bordo.

Arto 22o– A medição de distância das pernas e dos deslocamentos do Livro de Bordo, será sempre realizada com o mesmo Equipamento Oficial de Medição e Aferição(e, se for o caso,sempre com a mesma calibrageme aferição).

Arto23o– No Livro de Bordo, oTrecho de Aferição será, preferencialmente em rodovia aberta e no itinerário da Prova, mas obrigatoriamente antes da primeira perna da Prova, e objetiva permitir que as Equipes possam aferir e calibrar o odômetro e o velocímetro.

Arto24o–As velocidadesmédias impostas ou sugeridasem qualquer trecho ao longo da Prova sempre respeitará a sinalização indicada bem como todos os limites estipulados pelas autoridades rodoviárias ou urbanas.

Arto 25o – A Numeração da Equipe para o 1º Rally Vale da Cerveja corresponde à Ordem de Largada na Prova, cabendo preferencialmente aos carros mais antigos a numeração mais baixa.

Parágrafo primeiro– Numerações e correspondentes ordens de largada poderão não respeitar a antiguidade dos carros caso o Clube Anfitrião opte por valorizar outros objetivos como homenagem a alguma marca de carros ou congregar perfis de participantes, mas sempre mediante aprovação do CTP.

Parágrafo segundo– No caso de ocarro da Equipe já possuir uma numeração de Carro Histórico(como por exemplo, carro de competição histórico) ou de Carro Homenagem (a um determinado Carro Histórico)a critério do CTP poderá ser mantida esta numeração. Neste caso, a Ordem de Largada será mantida como prevista (embora eventualmente não usada) na Numeração da Equipe.

Arto26o– Quando da Largada da Prova, a Largada de cada Equipe será realizada em Intervalos de Largada de 01 (um) minuto, sendo que existe uma correspondência direta entre a Numeração da Equipe e o Minuto de Largadada Equipe.

PONTUAÇÃO, CLASSIFICAÇÃO E PREMIAÇÃO

Arto 27o– A Pontuação do 1º Rally Vale da Cerveja adotará o Sistema de Soma de Pontos Perdidos nos PCs(Postos de Cronometragens) de todas as pernas.

Parágrafo Primeiro – Cada Prova terá no mínimo 40 (quarenta) PCs.

Parágrafo Segundo – Nas pernas, cada PC terá localização secreta e seguirá os seguintes parâmetros:

  1. Localizado após pelo menos duas referências exatas depois do início da correspondente perna (portanto, a referência de início da perna não poderá ser considerada para tal);

  2. Localizado a uma distância mínima de qualquer referência exata correspondendo a 30 (trinta) segundos na velocidade média imposta para o trecho específico.

Arto28o– Para cada PC, os Pontos Perdidos de uma Equipe correspondem à diferença absoluta em segundos a menor ou a maior, ou seja, adiantado ou atrasado,entre os tempos de passagem real e o ideal.

Parágrafo Único – Os Pontos Perdidos em cada PC serão limitados a 10 (dez), tanto por atraso como por adiantamento.

Arto 29o– No 1º Rally Vale da Cerveja, os Descartes de PCs se aplicam aos PCs com maior número de pontos perdidos e somente por atrasos. A quantidade de descartes será em função do número de PCs por prova e da modalidade, como segue:

  1. Básica: descarte de 20% (vinte por cento) dos PCs, sendo um mínimo de 10 (dez) PCs; em caso de necessidade de arredondamento, para mais.

  2. Avançada: descarte de 10% (dez por cento) dos PCs, sendo um mínimo de 5 (cinco) PCs.

Parágrafo Primeiro – No caso da necessidade de arredondamento do cálculo dos descartes, este será para o próximo valor inteiro.

Parágrafo Segundo – Pode ocorrer que o número de PCs descartados de um competidor seja inferior ao número de descartes previstos no caput, caso os pontos perdidos nos demais PCs (não descartados) sejam todos por adianto.

Arto 30o– A Classificação do 1º Rally Vale da Cerveja será por Categoria e, dentro da Categoria, por Equipe em ordem crescente da soma dos pontos perdidos considerando todos os PCs da prova, excluindo-se os PCs descartados.

Parágrafo Primeiro – Para efeito de totalização dos pontos perdidos dos competidores da Modalidade Avançada, será aplicado um Fator Multiplicativo (handicap) de 1,15 (um virgula quinze) sobre o total de pontos perdidos. O produto da multiplicação será o número de pontos perdidos para efeito de Classificação da Equipe na Categoria.

Arto 31o– A Classificação no 1º Rally Vale da Cerveja considerará apenas os competidores que largaram, percorreram todo o roteiro e concluíram a prova por seus próprios meios e nos horários e tolerâncias previstas.

Parágrafo Único – A critério do CTP, um competidor que sofra uma situação de emergência ou força maior, como por exemplo, falha mecânica ou atendimento a um acidente, poderá ser incluído na Classificaçãoda Prova mesmo sem cumprir todos os requisitos do caput.

Arto 32o– O Vencedor de uma Categoria no 1º Rally Vale da Cerveja será a Equipe que totalizar o menor número de pontos perdidos (desconsiderando os pontos perdidos descartados) e assim sucessivamente para as demais posições da Classificação da Categoria.

Parágrafo Segundo – Em uma Categoria, no caso de Empate entre Equipes, será considerada melhor classificada:

  1. aEquipecom o carro mais antigo;

  2. persistindo o embate e caso as Equipes sejam de modalidades distintas, a Equipe da Modalidade Básica;

  3. persistindo o empate, a equipecom o maior número de PCs com zero pontos perdidos;

  4. persistindo o empate, a Equipe com o maior número de PCs com um ponto perdido;

  5. e assim sucessivamente.

Parágrafo TerceiroNão existirá um Vencedor Geral no 1º Rally Vale da Cervejaconsiderando todas as categorias.

PATROCINADORES E ADESIVOS

Arto 33o – Os Adesivos das Numerações das Equipes terão as medidas máxima 30 cm x 30 cm e deve conter obrigatoriamente e em destaque:

  1. Identificação Oficial da Prova;

  2. Numeração da equipe.

Parágrafo Primeiro– Cada lateral do carro da Equipe participante no 1º Rally Vale da Cerveja será obrigatoriamente adesivada com a correspondente Numeração da Equipe.

Parágrafo Segundo– A critério do CTP, Carros Históricos ou Carros Homenagem poderão ser dispensados da adesivagem numérica, devendo entretanto colocar os adesivos dos patrocinadores.

PENALIDADES

Arto 34o – A critério do CTP é passível de Exclusão do1º Rally Vale da Cervejaa Equipe que:

  1. Não apresentar o carro ou os documentos necessários para a Vistoria Técnica e Documental nos locais e tempos estabelecidos ou quando solicitado pelo CTP;

  2. Tenha seu carro ou competidor reprovado na Vistoria Técnica e Documental e que não tenham sanado o(s) problema(s) até o final do prazo estipulado;

  3. Cometer qualquer ato tendente a falsear o espírito deste Regulamento;

  4. Cometer infração ao Código Trânsito Brasileiro apurada e comprovada durante a Prova;

  5. Atentar comprovadamente contra o CTP ou qualquer Comissário ou qualquer integrante da Organização;

  6. Praticar atos antidesportivos, no entender exclusivo do CTP;

  7. Bloquear a largada ou qualquer trecho da prova, impedindo qualquer outro competidor de passar, ou não dar deliberadamente a devida preferência de passagem, quando pedida por outro competidor;

  8. Fazer uso de instrumentos ou equipamentos em desacordo com a Modalidade ou o presente Regulamento.

  9. Portar instrumentos ou equipamentos não declarados, mesmo que desligados ou não conectados, e em desacordo com a Modalidade ou o presente Regulamento.

  10. Não estiver com todos os adesivos de uso obrigatório.

  11. Na aferição de resultados, o Sistema de Controle dos PCs (GPS de controle) acusar que houve infrações de trânsito graves tais como excesso de velocidade.

Arto35o – Além da Vistoria Técnica e Documental prevista no Regulamento do 1º Rally Vale da Cerveja, a critério do CTP, poderão ser realizadas Vistorias Técnicas ou Documentais a qualquer momento da Prova. A não aceitação, por parte da equipe, de submeter-se a inspeção pode acarretar em sua desclassificação.

ADIAMENTO, INTERRUPÇÃO OU CANCELAMENTO

Arto 36oO Blumenau Vintage Club reserva-se no direito de Adiar ou Cancelar a prova (total ou parcialmente) a qualquer momento, por julgar necessário ou por razões alheias à sua vontade e neste caso, o BVC não se responsabiliza por quaisquer eventuais prejuízos ou ressarcimentos.

Arto 37o– No caso de situação grave ou que inviabilize tecnicamente a continuidade da Prova como acidente ou condição climática extrema, a critério do CTP, a prova poderá ser considerada Prova Interrompida podendo ter o restante do roteiro transformado em Evento Turístico ou cancelado.

Parágrafo primeiro – Em caso de Prova Interrompida o BVC não se responsabiliza por quaisquer eventuais prejuízos ou ressarcimentos.

RESPONSABILIDADES

Arto 38o – Toda Equipe participante do1º Rally Vale da Cerveja, o faz por sua própria conta e risco e assume total responsabilidade penal e civil, por qualquer consequência, acidente ou incidente que porventura venham a causar ou envolver-se de forma direta ou indireta, ao longo de todo o período do Evento, incluindo a Prova, quer com outros participantes, quer com terceiros.

Arto39o – Toda Equipe participante do 1º Rally Vale da Cerveja isenta o Clube Anfitrião BVC e seus membros, os Patrocinadores, Organizadores e Colaboradores da Prova, de todas e quaisquer responsabilidades, ônus ou indenizações, por atos diretos ou indiretos, inclusive pelo não atendimento deste Regulamento e outras regras aplicáveis e aqui mencionadas.

Arto40o – Toda Equipe participante do 1º Rally Vale da Cerveja abstêm-se de qualquer recurso judicial por eventuais problemas derivados da organização ou desenvolvimento da Prova ou do Evento.

Arto 41o – As Equipes e seus Competidores se responsabilizam exclusivamente por quaisquer danos que possam causar às rodovias ou bens públicos ou privados.

Arto 42o –O Clube Anfitrião BVC, não se responsabiliza por acidentes, incidentes ou qualquer avaria causada pelo transporte dos carros durante a Prova ou o Evento, por qualquer via.

PROTESTOS

Arto 43o – Protestos de qualquer natureza devem ser formalizados por escrito, devidamente justificados, em até 15 (quinze) minutos depois do anúncio dos resultados (parcial ou total), oral, impresso ou publicação eletrônica (o que ocorrer primeiro), e serem dirigidos ao Diretor de Prova, acompanhados daTaxa de Protesto de R$ 2.000,00 (dois mil Reais) em moeda nacional, para cada Protesto.

Arto 44o – Decorridos 15 (quinze) minutos do recebimento do Protesto, se o protesto ou reclamação for procedente e o erro reconhecido pelo CTP, a Taxa de Protesto será devolvida ao reclamante e problema corrigido. Caso contrário, será mantida a situação e o taxa de Protesto não será devolvida.

Parágrafo Primeiro - As decisões do CTP são de caráter definitivo.

Parágrafo Segundo– Uma Taxa de Protesto não devolvida será revertida ao Clube Anfitrião.

SIGLAS

BVC – Blumenau Vintage Club

CTP - Comitê Técnico de Prova

Baixar 115.41 Kb.

Compartilhe com seus amigos:




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
Dispõe sobre
reunião ordinária
Serviço público
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Relatório técnico
Universidade estadual
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
espírito santo
pregão eletrônico
Curriculum vitae
Sequência didática
Quarta feira
prefeito municipal
distrito federal
conselho municipal
língua portuguesa
nossa senhora
educaçÃo secretaria
segunda feira
Pregão presencial
recursos humanos
Terça feira
educaçÃO ciência
agricultura familiar