Yeshua é filho biológico de yosef yeshua, Filho Biológico de Yosef Introdução



Baixar 106,75 Kb.
Encontro03.12.2017
Tamanho106,75 Kb.
YESHUA É FILHO BIOLÓGICO DE YOSEF???



Yeshua, Filho Biológico de Yosef???
Introdução:
Neste estudo trataremos de um assunto muito delicado quanto à pessoa de nosso querido Rabbi Yeshua, o Messias redentor e rei de Yisrael.

Este tema poderá gerar polêmica pelo fato de muitas pessoas absorverem os ensinamentos eclesiásticos sem conferirem devidamente no contexto bíblico geral, se o que lhe foi apresentado realmente condiz com a verdade bíblica, uma vez que não é contraditória.


Princípio básico:
As genealogias bíblicas que chamamos de “árvores genealógicas”, são provenientes da semente do varão. Isto é, do sêmen, por isso a tal árvore genética de um clã (tribo), por exemplo, contava-se através dos homens, varões e não das varoas.

Para que Yeshua seja o verdadeiro Messias, conforme a predição profética é necessário que ele seja filho carnal (descendente) de David, sendo assim, descendente carnal da tribo de Yehudah e consequentemente filho de Yosef (esposo de Miriam), caso contrário, não se cumpre nele o plano messiânico profético relatado nas profecias, inclusive nos salmos, assim como na Torah.


Genealogia de Mateus:
1)- Yeshua como filho de Yosef:

O texto em destaque abaixo oriundo do grego acostumou a ser traduzido assim:


Mateus 1:16;  “...e a Jacó nasceu José, marido de Maria, da qual nasceu Yeshua, que se chama Mashiach”



Nota: Sempre o Yosef (José) da genealogia de Matityahu(Mateus) foi apresentado, como pôde ser visto, como o MARIDO de “Maria”- Miriam. A grande questão é que quase por unanimidade entre os estudiosos se diz que o livro de Mateus foi oriundo do hebraico. Na forma aramaica (que é oriundo do hebraico) a palavra GA’BRA, usada na genealogia, pode ser tomada tanto como marido quanto pai.  Os tradutores optaram por traduzir a expressão aramaica GA’BRA calejadamente como esposo em vês de Pai, talvez devido a influencia do Yosef esposo, o que ocasionou uma tremenda contradição na genealogia em Matityahu. É importante salientar o que tudo indica, é que Miriam teve dois “Yosefs” em sua vida. Um todo mundo conhece, o seu esposo, enquanto o outro Yosef era o seu pai, que era xará de seu marido, ambos mal traduzidos como José.  Assim, quando aparece o nome Yosef na genealogia de Matityahu, a expressão aramaica GA’BRA deve ser traduzida como PAI e não ESPOSO. Esta tese é reforçada no verso dezessete com a afirmação de que o Mashiach devia aparecer depois de três sequencias de 14 gerações após Avraham (Abraão):

Mateus 1:17- “De sorte que todas as gerações, desde Avraham (Abraão) até David, são catorze gerações; e desde David até a deportação para a Bavel, catorze gerações; e desde a deportação para a Bavel até o Mashiach (Messias), catorze gerações”

Sendo assim, 14+14+14 é igual a 42, no entanto, em Mateus temos 14+14+13 sendo o equivalente a 41, faltando uma geração justamente no último bloco, onde aparece a expressão ambígua Ga’bra:
1º Lista de 14 gerações - de Avraham a David.

1º Avraham;

2º Itz’Chak;

3º Ya’akov;

4º Yehudah;

5º Peretz;

6º Hetzron;

7º Ram;


8º Amminadav;

9º Narchshon;

10º Salmom;

11º Bo’az;

12º Ovede;

13º Yshai;

14º David.
2º Lista de  14 gerações - de David ao exílio na Babilônia:

1º Sh’lomon ;

2º Rechavam;

3º Aviyah;

4º Asa;

5º Yehoshafat;



6º Yoram;

7º Uziyahu;

8º Yotam;

9º Achaz;

10º Hizkiyahu;

11º Menasheh;

12º Amon;

13º Yoshiyahu;

14º Y’khanyahu.
3º Lista de 14 gerações - do exílio na Babilônia até a Yeshua:

1º Sh’altiel;

2º Zerubavel;

3º Avihud;

4º Elyakim;

5º Azur;


6º Tzadik;

7º Yakhin;

8º Elichud;

9º El’azar;

10º Mattan;

11º Ya’akov;

12º Yosef (“esposo”) de Miriam;

13º Yeshua;

14º (?).
Comentário: De fato, se você somar no capítulo um de Matityahu (Mateus), vai encontrar 14 gerações de Avraham a David. De David a deportação babilônica, também dá 14 gerações. O erro grave é que da deportação babilônica até o Mashiach, só dá 13 gerações! Como isso é possível se no verso 17 a afirmação é de 14?
Obs: O termo correto seria tomar Yosef como (GA’BRA) pai de Miriam. Yosef era um nome muito popular em Yisrael e com certeza este era o nome também de seu pai. Por isso, dessa forma, seria contado mais um nas gerações e daria 14, solucionando a imensa contradição! Então as últimas 14 gerações antecedentes à Yeshua são:

3º Lista de 14 gerações - do exílio na Babilônia até a Yeshua:

1º Sh’altiel;

2º Zerubavel;

3º Avihud;

4º Elyakim;

5º Azur;

6º Tzadik;

7º Yakhin;

8º Elichud;

9º El’azar;

10º Mattan;

11º Ya’akov;

12º Yosef;

13º Miriam;

14º Yeshua;


Tradução correta:
Matityahu 1:16;  “...e a Ya’akov nasceu Yosef pai de  Miriam (Maria), da qual nasceu Yeshua, que se chama Mashiach (Ungido)”
O incrível é que em apenas três versículos adiante, no verso 19, quando o autor faz referencia ao esposo de Miriam, a palavra usada não foi GA’BRA e sim, BA’lA raiz de BA’AL conotando explicitamente marido, dono! Esta variante parece proposital, pois desta forma, não tem como confundir os “Yosefs”.

“...E como Yosef, seu Ba’la (esposo), era justo...”

Isto implica que a genealogia de Matityahu não é a do esposo de Miriam, mas da própria Miriam a mãe de Yeshua, fazendo de Yeshua descendência direta de David.
Desta forma, a genealogia de Matityahu deixa de pertencer à Yosef e passa a ser de Miriam. Temos a partir daí duas grandes contradições resolvidas.

Em Matityahu 1:16, o pai de Yosef é Ya’akov (Jacó). Em Lucas (3:23), o pai de Yosef é Eli. Isto somente pode ser possível não se tratando das mesmas pessoas.


Observem: Lucas 3:23;  “Ora, Yeshua, ao começar o seu ministério, tinha cerca de trinta anos; sendo (como se cuidava) filho de Yosef, filho de Eli”
Obs: Existe um pequeno ponto a ser considerado nesta passagem, isto é, nas versões mais antigas encontramos escrito entre parêntesis que Yeshua era filho de Yosef (como se cuidava ou se julgava), porém esta é uma nota particular do tradutor e não está incluída nos textos "originais". Muitos teólogos utilizam-se erroneamente do acréscimo "como se cuidava" para tentarem justificar que Yeshua era filho adotivo de Yosef, porém nem a justificativa e nem o acréscimo estão corretos, pois contradizem a ordem profética  (que Yeshua deriva da Zera/Sêmen/espermatozóide de David).
Os Ketuvim Notzerim (vulgo novo testamento) comprovam:

Lucas 4:22; “E todos lhe davam testemunho, e se admiravam das palavras de graça que saíam da sua boca; e diziam: Este não é filho de Yosef?”


Yochanan (João) 1:45;  “Felipe achou a Natan’el, e disse-lhe: Acabamos de achar aquele de quem escreveram Mosheh (Moisés) na Torah, e os profetas: Yeshua haNotzeri, ben Yosef” Yeshua  Nazareno  filho de Yosef!
Yochanan (João) 6:42  “e perguntavam: Não é Yeshua, o filho de Yosef, cujo pai e mãe nós conhecemos? Como, pois, diz agora: Desci do céu.”


2)-  Yeshua é descendente natural de David:

Matityahu 1:1;  “Livro da genealogia de Yeshua  haMashiach, filho de David, filho de Avraham.


Verso 20  “Eis que em sonho lhe apareceu um anjo de YHWH, dizendo: Yosef, filho de David”
Matityahu 9:27; “Partindo Yeshua dali, seguiram-no dois cegos, que clamavam, dizendo: Tem compaixão de nós, Filho de David”
12:23;  “E toda a multidão, maravilhada, dizia: É este, porventura, o Filho de David?”
15:22; “E eis que uma mulher cananeia, provinda daquelas cercania, clamava, dizendo: Senhor, Filho de David, tem compaixão de mim, que minha filha está horrivelmente endemoninhada”
21:9; “E as multidões, tanto as que o precediam como as que o seguiam, clamavam, dizendo: Hoshanah ao Filho de David! bendito o que vem em nome do Eterno! Hoshanah nas alturas!”
3)- Yeshua é descendente tribal de Yehudá:
:

Matityahu 1:1;  “Livro da genealogia de Yeshua  haMashiach, filho de David, filho de Avraham.


Miqueias 5:2;  “Mas tu, Beyt-lechem (Belém) Efrata, posto que pequena para estar entre os milhares de Yehudah, de ti é que me sairá aquele que há de reinar em Yisrael, e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade”
Confirmação em Matityahu 2:6 “E tu, Beit-lechem (Belém), terra de Yehudá (Judá), de modo nenhum és a menor entre as principais cidades de Yehudah; porque de ti sairá o Guia que há de apascentar o meu povo de Yisrael”
Hebreus 7:14 “Visto ser manifesto que nosso Senhor procedeu de Yehudah, tribo da qual Mosheh (Moisés) nada falou acerca de sacerdotes.”
Apocalipse 5:5 “E disse-me um dentre os anciãos: Não chores; eis que o Leão da tribo de Yehudah, a raiz (descendência) de David, venceu para abrir o livro e romper  os sete selos”
Os próprios apóstolos confirmavam a filiação carnal de Yeshua:
Shaul haShaliach nos confirma que Yeshua é filho de Yosef, descendente de David segundo a carne, vejamos:
Sha’ul (Paulo), servo do Mashiach Yeshua, chamado para ser Talmid (discípulo), separado para as Boas Novas do Eterno, o qual antes havia prometido pelos seus profetas nas Separadas Escrituras, acerca de seu Filho, que nasceu da descendência de David segundo a carne,...” (Romanos 1:1 a 3)
Se Yeshua é filho carnal de Yosef, descendente carnal de David, da tribo de Yehudá, então conclui-se que a teoria cristã está equivocada, pois o fato do Messias ser gerado pela Ruach haKodesh (Espírito Santo) não indica que ele seja filho de um pai abstrato e de mãe biológica, porém a verdade bíblica contextual nos indica que Yeshua foi gerado por Yosef de forma miraculosa com o poder da Ruach do Eterno. Se você buscar a literalidade da passagem, verá que há algo de estranho quando diz que: “A sombra de Elohim a cobriu!” Ora, a Ruach (o Espírito) não possui sombra! É evidente que esta sombra se dá por meio de algo físico que no caso, podemos deduzir que se chama Yosef. Um detalhe importante, a profecia de Isaías 7:14 diz que o Eterno daria um sinal/milagre, que uma jovem conceberia, pois a palavra almah no texto original do Tanach pode ser traduzida tanto como jovem ou virgem, então vem a pergunta: Há algum milagre em uma jovem engravidar?? Claro que não, se ela for casada, mesmo sendo jovem, tendo relações com seu marido, ela engravidará com certeza, então qual seria o sinal/milagre profetizado pelo Eterno?? A conclusão lógica é que Adonai poria o sêmen de Yosef no útero de Myriam pelo poder da Ruach do Eterno, assim ela conceberia sem que eles tivessem mantido relações, este seria o sinal ou milagre profetizado pelo Eterno, pois de outra forma, não seria possível o Messias ter nascido da semente de Yosef filho de David sem que houvesse relações entre eles, a não ser que acreditemos em mitologia grega.
Se você estudar as mitologias, em várias delas há sempre a ideia de um salvador com um pai divino e mãe humana. No Egito, por exemplo, há a concepção virginal e miraculosa de Ísis Mery. Esta não é a ideia criada por Semíramis, que engravidando de seu sacerdote diz que seu falecido filho/marido Ninrode (que naquela altura tinha sido e aclamado de Baal/Ninrode, o sol) a possuiu e a engravidou de Tamuz (que significa broto/semente)?
Myriam, a mãe de Yeshua era uma Levita?:
"Existiu, no tempo de Herodes, rei da Judeia, um sacerdote chamado Zacharyah, da ordem de Abyiah, e cuja mulher era das filhas de Aaron; e o seu nome era Isabel" (Lucas 1:5).
O que significa ser filha de Arão? Significa ser descendente de Arão, que era da tribo de Levi. Logo, Isabel era descendente de Levi e não de Judá. Miriam era prima de Isabel:
"E eis que também Isabel, tua prima (de Miriam), concebeu um filho em sua velhice; e é este o sexto mês para aquela que era chamada estéril" (Lucas 1:36).
Uma conclusão aleivosa e instantânea é concluir portanto, que MYRIAM ERA DA TRIBO DE LEVI! Será? Um exemplo de algo muito comum nos tempos bíblicos é que os filhos de Yisrael casavam-se entre si. Existe até uma Mitzvah (Mandamento) proibindo os filhos de Avraham relacionarem-se com mulheres estrangeiras. No entanto, o casamento entre os b’nei Yisrael (Filhos de Ysrael) é uma mitzvá de Elohim. Sendo assim, não havia problema algum de uma pessoa da tribo de Efraim unir-se a uma pessoa da tribo de Gad, e assim sucessivamente. E, muito diferente do que se pensa; isto não ocasiona uma miscigenação entre as tribos! Para melhor compreensão, é importante destacar que uma criança de pai gadita com mãe judia não fazia dela pertencente à tribo de Judá. Pois a criança sempre pertenceria a tribo do lado paterno. Agora, uma criança de mãe benjamita e pai judeu, fazia dela sim participante da tribo de David. Desta forma, nunca havia o problema de uma pessoa de uma tribo em Yisrael se casar com outra pertencente a uma tribo diferente. No caso da judia Myriam ser prima da levita Isabel, não faz necessariamente que ela seja pertinente a tribo de Levi. Quando as Escrituras afirmam que Isabel era filha de Aaron, realmente prova que a mesma era levita por parte de pai, porém não nos informa de qual tribo pertencia sua mãe. Assim como Miriam era judia por parte de pai e não sabemos se sua mãe era levita. Caso isso fosse verdade, Miriam, judia por parte de pai e levita por parte de mãe,  poderia ser perfeitamente prima de Isabel levita por parte de pai e judia por parte de mãe. Então não há problema de Miriam pertencer a tribo de Yehudá (Judá) e ter uma prima levita, filha de Aaron!
YESHUA VEIO EM CARNE:
Yochanan (João) 4:2 “Nisto conheceis a  Ruach (o Espírito) de Elohim: todo espírito que confessa que Yeshua haMashiach veio em carne é de Elohim”

Yochanan (João) 1:7 “Porque já muitos enganadores saíram pelo mundo, os quais não confessam que Yeshua haMashiach veio em carne. Tal é o enganador e o anti-Mashiach.


A falsa teoria do 100% D'us e 100% homem:
Existe uma tese por meio da ideia de que sendo Yeshua filho de Miriam e HaShem ao mesmo tempo, logo ele é meio humano e meio divino (um Semi-deus), logo é comum ouvirmos que Yeshua é “100% homem e ao mesmo tempo 100% deus”, no entanto esta concepção vai de encontro as Escrituras e a base que a sustenta: O Eterno é Echad (UM!), e ainda há um agravante muito mais sério ainda, se Yeshua é filho do Eterno com Miriam, então, Adonai cometeu um ADULTÉRIO com uma mulher casada!!!??? Miriam embora sendo virgem já estava comprometida(casada) com Yosef, apenas não estavam vivendo juntos por causa dos formalismos da Lei judaica sobre casamentos, qualquer relação sexual cometida por Miriam que não fosse com seu marido, seria considerado sumariamente ADULTÉRIO, nisto percebemos como o cristianismo com suas heresias destruidoras coloca Adonai como um adúltero, isso é uma blasfêmia!


“Porque há um só D’us, e um só Mediador entre D’us e os homens, o Mashiach Yeshua, homem”
  I Timóteo 2:5

Este texto é de suma importância por vários aspectos; Primeiro por fazer distinção entre D’us e Yeshua, sendo o Pai Adonai e apenas Ele como tal. Assim também Yeshua seu intermediador para com a humanidade. O segundo ponto importante a se destacar é que Yeshua recebe a enfática: HOMEM, totalmente humano sem variantes para a doutrina de 100% uma coisa e 100% outra. Esta passagem não deixa sombra de dúvidas de que Yeshua não é  o Pai muito menos D’us, mas homem.


Conclusão:
Yeshua de forma alguma se torna pecador devido simplesmente por vir da Zera (Semente = Sêmen) de David.  Por parte de Yosef, o pai biológico, Yeshua descende genealogicamente da tribo de David, e isto é crucial, pois a zerá (sêmen) do homem é que define a tribo da criança. Por parte de Miriam, a mãe biológica, Yeshua também tem parentesco com a tribo de David.

Por parte espiritual, Yeshua é Cohen Gadol (Sumo Sacerdote), o Ungido enviado pelo Eterno, segundo a ordem Atemporal de Malquitsadik (caráter espiritual) mais excelente e superior a de Aaron que é de caráter físico e temporal!

Qualquer doutrina que não seja atestada pelo Tanach (1º Aliança) deve ser taxada como herética!

  
“A Torah (os 5 livros) e ao Testemunho (as 10 Palavras ou Decálogo)! se eles (os profetas) não falarem segundo esta palavra, nunca lhes raiará a alva” (Yesha'yahu/isaías 8:20)



No Tanach, o Mashiach tem que proceder da Zera (semente) de David. Este é um fato incontestável! Não podemos conceber uma ideia puramente nova, atípico da profetizada nas Escrituras. “O Novo Testamento” adulterado por Jerônimo a pedido do papa Dâmaso (fato testificado em carta do próprio Jerônimo ao papa, segundo a Editora Paulinas Pg. 44), não pode jamais ser tomado como base totalitária para fixar doutrinas. Toda base doutrinária deve proceder do Tanach (1ª Aliança) e não o contrário disso. Assim, qualquer ideia encontrada no suposto “Novo testamento” que não encontra subsídio no Tanach deve ser observada com olhar de dúvidas e um laborioso estudo deve ser feito para se atestar o problema. Muitos pontos não entendidos na segunda Aliança se dão puramente por falta de conhecimento do Tanach, outros pontos são torções e transmutações claras e óbvias do que proferiram os profetas de Yisrael.


Créditos: Mosheh ben Shalom (Yeshua Chai)

Revisado
por Marlon troccolli 


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal