Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social Disciplina – C



Baixar 35,12 Kb.
Encontro06.02.2017
Tamanho35,12 Kb.
Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes

Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais

Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social

Disciplina – Culturas Populares: velhas e novas questões

Carga horária: 60 h – 4 créditos – 2013.1



Professor – Luiz Assunção

OBJETIVO:

A proposta do curso é oferecer uma série de leituras que possibilite uma reflexão conceitual sobre a temática da cultura popular a partir de uma perspectiva que recupere as discussões clássicas e o processo sócio-histórico dessas reflexões, como abordagens elaboradas para pensar questões que se constituem no mundo contemporâneo.



18/03 – Culturas populares, velhas e novas. Apresentação da proposta do curso e organização das atividades

SARLO, Beatriz. Culturas populares, velhas e novas. In: SARLO, B. Cenas da vida pós-moderna: intelectuais, arte e vídeo cultura na Argentina. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2000.

ASSUNÇÃO, Luiz. Nos mares das tradições. In: ASSUNÇÃO, L. Um barco: experiências etnográficas e diálogos com as culturas populares. Natal: EDUFRN, 2012.

25/03 – A descoberta do povo

BURKE, Peter. Cultura popular na Idade Moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

THOMPSON, E. P. Costumes em comum. Estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

ORTIZ, Renato. Românticos e folcloristas: cultura popular. São Paulo: Olho D’Água, 1995.

KUPER, Adam. Cultura: a visão dos antropólogos. Bauru: EDUSC, 2002.

01/04 - A cultura popular na perspectiva dos folcloristas

CASCUDO, Luís da Câmara. Folclore do Brasil. Natal: Fundação José Augusto, 1980.

ALMEIDA, Renato. A inteligência do folclore. Rio de Janeiro: Ed. Americana; Brasília: INL, 1974.

FERNANDES, Florestan. O folclore em questão. São Paulo: Hucitec, 1978.

QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. Sociologia e folclore: a dança de S. Gonçalo num povoado bahiano. Salvador: Livraria Progresso Editora, 1958 (Coleção de Estudos Sociais – 1).

VILHENA, Luís Rodolfo. Projeto e Missão: o movimento folclórico brasileiro 1947-1964. Rio de Janeiro: FUNARTE; Fundação Getúlio Vargas, 1997.



08/04 – Sobre as lealdades e as certezas tradicionais

CASCUDO, Luís da Câmara. Tradição, ciência do povo: pesquisa na cultura popular do Brasil. São Paulo: Perspectiva, 1971.

LENCLUD, Gérard. La tradition n’est plus ce qu’elle était… Sur les notions de tradition et de société traditionnelle en ethnologie. Terrain, n. 9, p. 110-23.

HALL, Stuart. Notas sobre a desconstrução do popular. In: HALL, S. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Ed. UFMG; Brasília: UNESCO, 2003.



15/04 – Gramsci e a idéia de culturas subalternas

GRAMSCI, Antônio. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

_____. Literatura e vida nacional. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978. (Observações sobre o folclore).

CHAUI, Marilena. Cultura e democracia: o discurso competente e outras falas. São Paulo: Ed. Cortez, 2000.

MARTINS, José de Souza. Caminhada no chão da noite. São Paulo: HUCITEC, 1998 (Cap. IV – Dilemas sobre as classes subalternas na idade da razão).

22/04 - A tradição dos cultural studies

HALL, Stuart. Estudos culturais: dois paradigmas. In: HALL, S. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Ed. UFMG; Brasília: UNESCO, 2003.

_____. Para Allon White: metáforas de transformação. In: HALL, S. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Ed. UFMG; Brasília: UNESCO, 2003.

WILLIAMS, Raymond. O campo e a cidade na história e na literatura. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.



29/04 - A teoria das mediações e dos hibridismos culturais

MARTÍN-BARBERO, Jesús. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1997.

CANCLINI, Nestor Garcia. As culturas populares no capitalismo. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1983.

_____. Culturas Híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: EDUSP, 1997.



06/05 – Redes, fluxos, circulação: a cultura como atividade e intercâmbios

CERTEAU, Michel de. A cultura no plural. Campinas: Ed. Papirus, 1995.

_____. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

GINZBURG, Carlo. O queijo e os vermes. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

HANNERZ, Ulf. Fluxos, fronteiras, híbridos: palavras-chave da antropologia transnacional. Rio de Janeiro: Mana 3(1); 7-39, 1997.

13/05 – A cultura das bordas

FERREIRA, Jerusa Pires. Cultura das bordas: edição, comunicação, leitura. Cotia: Ateliê Editorial, 2010.

_____. O livro de São Cipriano: uma legenda de massas. São Paulo: Ed. Perspectiva, 1992.

MUCHEMBLED, R. Culture populaire et culture des élites. Paris : Flammarion, 1978.



20/05 – Tradição, oralidade e poética

FINNEGAN, Ruth. Oral Poetry: its nature; significance and social context. Cambridge: Cambridge Press, 1992.

ZUNTHOR, Paul. Oral Poetry.An introduction. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1990.

_____. Introdução à poesia oral. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2010.



27/05 – Cultura e política ou quando discursos (e práticas) da tradição (re)afirmam construções identitárias, de poder e autoridade

CAPONE, Stefania. A busca da África no candomblé: tradição e poder no Brasil. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria; Pallas, 2004.

ARRUTI, José Mauricio. De como a cultura se faz política e vice-versa: sobre religiões, festas, negritudes e indianidades no Nordeste contemporâneo. Rio de Janeiro: FUNART; UERJ, 2002.

FABIAN, Johanes. Moments of freedom: anthropology and popular culture. The University Press of Virginia, 1998.



03/06– Leituras de monografias e a reflexão sobre as cultuas populares a partir de enfoques temáticos como tradição, oralidade, patrimônio, espetáculo, identidade, política.

ABREU, Martha. O império do divino: festas religiosas e cultura popular no Rio de Janeiro, 1830-1900. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; São Paulo: FAPESP, 1999.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Os deuses do povo: um estudo sobre a religião popular. São Paulo: Brasiliense, 1980.

BITTER, Daniel. A bandeira e a máscara: a circulação de objetos rituais nas olias de reis. Rio de Janeiro: 7 Letras; IPHAN-CNFCP, 2010.

CANDIDO, Antonio. Os parceiros do Rio Bonito: estudo sobre o caipira paulista e a transformação dos seus meios de vida. São Paulo: Livraria Duas Cidades, 1979.

COSTA, Antonio Maurício Dias da. Festa na cidade: o circuito bregueiro de Belém do Pará. Belém: EDUEPA, 2009.

FERNANDES, Frederico Augusto Garcia. Entre histórias e tererés: o ouvir da literatua pantaneira. São Paulo: Ed. UNESP, 2002.

FERNANDES, José Guilherme dos Santos. O boi de máscaras: festa, trabalho e memória na cultura popular do Boi Tinga de São Caetano de Odivelas, Pará. Belém: EDUFPA, 2007.

FERREIRA, Jerusa Pires. Cavalaria em cordel: o passo das águas mortas. São Paulo: HUCITEC, 1993.

MENEZES, Renata de Castro. A dinâmica do sagrado: rituais, sociabilidade e santidade num convento do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Relume Dumará; Núcleo de Antropologia da Política-UFRJ, 2004.



METODOLOGIA: Aulas expositivas; estudo e discussão dos textos indicados.

AVALIAÇÃO: Leitura obrigatória dos textos indicados; participação nas discussões em sala de aula; apresentação de seminário com entrega de resenha; realização de um trabalho final.

TRABALHO FINAL: Produzir um texto que aborde reflexões conceituais trabalhadas durante o curso, estabelecendo conexões com o trabalho de pesquisa em andamento.


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal