Universidade federal de campina grande centro de humanidades



Baixar 43,86 Kb.
Encontro26.01.2017
Tamanho43,86 Kb.





UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE

CENTRO DE HUMANIDADES

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS

ESTUDOS ESPECIAIS I: ANTROPOLOGIA E PERFORMANCE
PROF: RODRIGO DE AZEREDO GRÜNEWALD

PERÍODO: 2013 / 2

4 CRÉDITOS

EMENTA: Performance como objeto da antropologia. A relação da antropologia com dramaturgia. Performance no cotidiano e nas artes. Rito e performance. Temas e autores referenciais nos estudos antropológicos sobre performance. Performance verbal. Corpo e performance. Performance e identidade. Performance e Religiosidades. Usos políticos da performance.

OBJETIVO: Trabalhar correntes clássicas e atuais do pensamento antropológico sobre o tema da performance em termos teóricos e em suas várias aplicabilidades práticas.

PARTE I - Abertura

1ª Sessão: Introdução à disciplina

2ª Sessão: Relembrando
MAUSS, M. 1981. “A Prece”. In: M. Mauss. Ensaios de Sociologia. São Paulo: Perspectiva. [1909].

VAN GENNEP, A. 1978. Os Ritos de Passagem. Petrópolis: Vozes. [1909].

LÉVI-STRAUSS, L. 1975 “O Feiticeiro e sua Magia”. In: Antropologia Estrutural. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro. [1949].

LÉVI-STRAUSS, L. 1975 “A Eficácia Simbólica”. In: Antropologia Estrutural. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro. [1949].

TURNER, V. 1974. O Processo Ritual: estrutura e anti-estrutura. Petróplois: Vozes. [1969].

TURNER, V. 2008. Dramas, Campos e Metáforas: ação simbólica na sociedade humana. Niterói: EDUFF. [1974].


Textos de apoio:

LANGDON, E. J. 2007. “Rito como Conceito Chave para a Compreensão de Processos Sociais”. In: Antropologia em Primeira Mão, 97.

SILVA, R. A. 2005. “Entre ‘Artes’ e ‘Ciências’: a noção de performance e drama no campo das ciências sociais”. In: Horizontes Antropológicos, 24.

DAWSEY, J C. 2005. “O Teatro dos ‘Bóias-Frias’: repensando a antropología da performance”. In: Horizontes Antropológicos, 24.



3ª Sessão: O palco, a encenação e o turismo
GOFFMAN, E. 1985. A Representação do Eu na Vida Cotidiana. Petrópolis: Vozes. [1959].

MACCANNELL, D. 1973. “Staged Authenticity”. In: American Journal of Sociology, 79 (4).

VAN DEN BERGHE, P. L. & KEYES, C. F. 1984. “Introduction: tourism and re-created ethnicity”. In: Annals of Tourism Research, 11.

GRÜNEWALD, R. 2013. “Turismo Pataxó: da renovação identitária à profissionalização das reservas”. Trabalho digitalizado apresentado na Mesa Redonda: Turismo, identidades e relações interétnicas em Terras Indígenas, no âmbito do 1º Colóquio Turismo em Terras Indígenas (1º CTURTI). Goiânia: UFG.

PICARD, M. s/d. “’Cultural Tourism’ in Bali: cultural performances as tourist attraction”. Versão digitalizada e revisada de trabalho apresentado no International Workshop on Indonesian Studies, Balinese State and Society: historical textual and anthropological approaches. Leiden. [1986].

EDENSOR, T. 2001. “Performing Tourism, Staging Tourism: (re)producing tourist space and practice”. In: Tourist Studies, 1 (1).



PARTE 2: Estudos e Teorias em Performance: Explorando Autores
4ª Sessão: Schechner e Schieffelin
SCHECHNER, R. 1988. Performance Theory. London and New York: Routledge. [1977].

SCHECHNER, R. 1993. The Future of Ritual: writings on culture and performance. London and New York: Routledge. [1983].

SCHIEFFELIN, E. 2005. The Sorrow of the Lonely and the Burning of the Dancers. New Yoirk: Palgrave Macmillan [1976].

SCHIEFFELIN, E. 1985. “Performance and the Cultural Construction of Reality”. In: American Ethnologist, 12 (4).


Textos de apoio:

SCHECHNER, R. 2002. Performance Studies: an introduction. London and New York: Routledge.

KOROM, F. 2013. “The Anthropology of Performance: an introduction”. In: The Anthropology of Performance: a reader. Wiley-Blackwell.

POLO MÜLLER, R. 2005. “Ritual, Schechner e Performance”. In: Horizontes Antropológicos, 24.



5ª Sessão: Turner
TURNER, V. 1982. From Ritual to Theatre. New York: PAJ.

TURNER, V. 1987. The Anthropology of Performance. New York: PAJ.



6ª Sessão: Geertz
GEERTZ, C. 1978. “Uma Descrição Densa: por uma teoria interpretativa da cultura”. In: A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: Zahar. [1973]

GEERTZ, C. 1978. “Um Jogo Absorvente: Notas sobre a Briga de Galos Balinesa”. In: A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: Zahar. [1973].

GEERTZ, C. 1991. “Afirmação Política: espetáculo e cerimônia”. In: Negara: o Estado-Teatro no século XIX. Lisboa: Difel. [1980].

7ª Sessão: Bauman e Briggs

BAUMAN, R. 2013. “The La Have Island General Store: sociability and verbal art in a Nova Scotia community”. In: Korom, F. (Ed.). The Anthropology of Performance: a reader. Wiley-Blackwell. [1972].

BAUMAN, R. 1975. “Verbal Arts as Performance”. In: American Anthropologist, 77 (2).

BAUMAN, R. e BRIGGS, C. 1990. “Poetics and Performance as Critical Perspectives on Language and Social Life”. In: Annual Review of Anthropology, 19.

BRIGGS, C. 1996. “The Politics of Discursive Authority in Research on the ‘Invention of Tradition’”. In: Cultural Anthropology. 11 (4).
Texto de apoio:

LANGDON, E. J. 2007. “Performance e sua Diversidade como Paradigma Analítico: a contribuição da abordagem de Bauman e Briggs”. In: Antropologia em Primeira Mão, 94. Florianópolis:PPGAS/UFSC.



8ª Sessão: Bruner

BRUNER, E. 2005. “Introduction: Travel Stories Told and Retold”. In: Culture on Tour: ethnographies of travel. Chicago: The University of Chicago Press.

BRUNER, E. & KIRSHENBLATT-GIMBLETT, B. 1994. “Maasai on the Lawn: tourist realism in East Africa”. Cultural Anthropology, 9 (4).

BRUNER, E. 2004. “The Maasai and the Lion King: authenticity, nationalism, and globalization in African tourism”. In: Gmelch, S. (ed.). Tourists and Tourism: a reader. Long Grove: Waveland Press. [2001].

BRUNER, E. 2004. “Tourism in the Balinese Borderzone”. In: Gmelch, S. (ed.). Tourists and Tourism: a reader. Long Grove: Waveland Press. [1996].
Texto de apoio:

SILVERMAN, H. 2005. “Introduction: Performance, Tourism, and Ethnographic Practice: an exploration of the work of Edward M. Bruner”. In: Anthropology and Humanism, 30 (2).



PARTE 3: Explorando Temas
9ª Sessão: Performance, Experiência e Etnografia

BRUNER, E. 1986. “Experience and Its Expressions”. In: Turner, V. & Bruner, E. (eds.) The Anthropology of Experience. Urbana and Chicago: University of Illinois Press.

TURNER, V. 1986. “Dewey, Dilthey, and Drama: an essay in the Anthropology of Experience”. In: Turner, V. & Bruner, E. (eds.) The Anthropology of Experience. Urbana and Chicago: University of Illinois Press.

SCHECHNER, R. 1986. “Magnitudes of Performance”. In: Turner, V. & Bruner, E. (eds.) The Anthropology of Experience. Urbana and Chicago: University of Illinois Press.

CLIFFORD, J. 1998. “Sobre a Alegoria Etnográfica”. In: A Experiência Etnográfica: antropologia e literatura no século XX. Rio de Janeiro: UFRJ. [1986].

TURNER, E. 1987. “Performing Ethnography”. In: Turner, V. (ed.) The Anthropology of Performance. New York: PAJ.


Texto de apoio:

DAWSEY, J. C. 2005. “Victor Turner e a Antropologia da Experiência”. In: Cadernos de Campo, 13.

DAWSEY, J. C. 2006. “O Teatro em Aparecida: a santa e o lobisomem”. In: Mana, 12 (1).



10ª Sessão: Performance, Embodiment e Espiritualidade
GILL. S. D. 2013. “Prayer as Person: the performative force in Navajo prayer acts”. In: Korom, F. (Ed.). The Anthropology of Performance: a reader. Wiley-Blackwell. [1977].

CSORDAS, T. 1997. “Prophecy and the Performance of Metaphor”. In: American Anthropologist, 99 (2).

TURNER, J. 2011. “Embodiment, Balinese Dance Theatre, and the Ethnographer’s Predicament”. In: Performance and Spirituality, 2 (1).

GRITZNER, K. 2011. “Derrida, Theatre de Complicite, and the Question of a ‘Holy Theatre’”. In: Performance and Spirituality, 2 (1).

HAMMER, A. 2012. “Researching Spiritual Performance”. In: Performance and Spirituality, 3 (1).

11ª Sessão: Performance e Religiosidades no Brasil
PACHECO, G. 2004. Brinquedo de Cura: um estudo sobre a pajelança maranhense. Tese de Doutorado em Antropologia Social – PPGAS/MN/UFRJ.

SOUZA, M. 2006. Pretos-velhos: oráculos, crença e magia entre os cariocas. Tese de Doutorado em Ciências Sociais – IFCS/UFRJ.



12 Sessão: Performance e Produção (Inter)Cultural
MITCHELL, J. C. 1971. “The Kalela dance”. The Rhodes – Livingstone Papers no.27. Manchester: Manchester University Press. [1956].

MYERS, F. 1994. “Culture-Making: performing aboriginality at the Asia Society Gallery”. In: American Ethnologist, 21 (4).

CAMPOS, C. R. 2007. “Performance Ritual: arte e tradição xavante”. In: Trabalho digitalizado apresentado no16° Encontro Nacional da Associação Nacional de Pesquisadores de Artes Plásticas (ANPAP) - Dinâmicas Epistemológicas em Artes Visuais. Florianópolis.

13ª Sessão: Performance e Experiências de Etnicidade entre Índios e Quilombolas do Nordeste
FRENCH, J. H. 2002. “Dancing for Land: law-making and cultural performance in Northeastern Brazil”. In: POLAR, 25 (1).

BARBOSA, W. de D. 2005. “O Toré (e o Praiá) entre os Kambiwá e os Pipipã: performances, improvisações e disputas culturais”. In: Grünewald, R. (Org.). Toré: regime encantado do índio do nordeste. Recife: Massanga.

MOTA, C. N. 2005. “Performance e Significações do Toré: o caso dos Xocó e Kariri-Xocó”. ”. In: Grünewald, R. (Org.). Toré: regime encantado do índio do nordeste. Recife: Massanga.

ALBUQUERQUE, M. A. 2011. O Regime Imagético Pankararu: tradução intercultural na cidade de São Paulo. Tese de Doutorado, PPGAS/UFSC.



14ª Sessão: Debate crítico sobre o tema da Performance

15ª Sessão: Discussão sobre as propostas de trabalhos da disciplina e avaliação do curso

OBSERVAÇÃO: Os livros e teses que estão inseridos de forma integral na bibliografia do curso terão capítulos selecionados para as leituras para as relativas sessões.


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal