Universidade estadual de campinas unicamp faculdade de tecnologia ft



Baixar 14,95 Kb.
Encontro12.08.2017
Tamanho14,95 Kb.
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

UNICAMP – FACULDADE DE TECNOLOGIA – FT

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MEIO AMBIENTE E DES. SUSTENTÁVEL

Visita Técnica SANASA

Estação de Tratamento de Esgoto - Piçarrão

Limeira/SP 03/03/12

Aluno: Elislady Regina Catalano Vieira

Prof. Renato Roceto

Limeira-SP

24 de março de 2012

INTRODUÇÃO

Visita técnica SANASA, estação de tratamento de efluente Piçarrão, Pq. Santa Barbara – Campinas.

Visita orientada pelo professor Renato Roceto, aulas do curso de especialização em Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, FT UNICAMP, com a coordenação da Prof.Dra. Maria Ap. de Carvalho de Medeiros .

Ao chegarmos na estação fomos recebidos pelo prof. Renato que nos orientou durante toda a visita e nos mostrou todas as etapas o tratamento.

A estação tem capacidade de tratar o esgoto e 200 mil pessoas por dia,em uma extensão de 20 km, na região sul de campinas, recebe também o chorume do aterro sanitário e aproximadamente 100 caminhões esgota foça.

OBJETIVO

O objetivo desta visita foi conhecer a SANASA de Campinas, Estação de Tratamento de Efluente, PIÇARRÃO, e receber informações de como é feito o tratamento de efluente desde o momento de sua chegada na estação até o momento de descarte no rio, com os teores de produtos químicos exatos para que não cheguem a causar danos a saúde publica e nem a vida aquática.



FUNCIONAMNETO DA ESTAÇÃO

O esgoto domestico chega por uma tubulação de 1,20 de diâmetro, que ao chegar tem 2 canais onde possui um cesto de retenção de resíduos:

GRADEAMENTO – onde faz a retenção inicial de sólidos com uma grade de 4cm de diâmetro, neste local a limpeza é feita duas vezes por dia, e o esgoto passa para o poço de sucção com 10m de profundidade com bombas que mandam o efluente para:

GRADEAMENTO FINO – o efluente após passar pela casa de bombas vem para este gradeamento que tem sérios problemas devido as pedras que travam o gradeamento.

CAIXA DE AREIA - Chega aproximadamente 5m³ de areia por dia que é sedimentada por gravitação, após é retirada e levada para o aterro.

CALHA DE PARSHAN – mede a vazão da água.

CAIXA DIVISORA DE VAZÃO ( RAFAS) – possui 8 sub divisões e faz o controle anaeróbio.

REATOR UASB - o efluente vem da estação por gravidade para ser distribuído em quatro módulos de reatores, 1/3 do efluente sobe entra em uma caixa de distribuição central, que distribui para toda área do reator, no fundo passa pela manta de lodo, nessa parte o material orgânico fica retido, formando a manta de lodo ( filtro), o material orgânico é removido e transferido uma parte em massa e uma outra em gás metano. A medida que a manta vai aumentando tem que abrir a descarga por 15 minutos para descartar o lodo que vai por uma canaleta e vai para o tratamento de lodo.

Ao retirar o lodo tem 70% de carga orgânica ( etapa anaeróbia) o ph nessa faze tem que se manter em 7, para que isso ocorra tem que manter a alcalinidade.

TANQUE DE AERAÇÃO - possui vários sopradores que são iguais a compressores que pega o ar atmosférico e injeta no sistema de aeração.

CASA DE BOMBA – bombeia o efluente para entrada do gradeamento.

LODO ATIVADO – são substancias orgânicas juntamente com microorganismo que se depositaram ao longo do tempo ou seja, é onde haverá uma grande quantidade de microorganismo que vai consumir a matéria orgânica durante o processo de tratamento.

CENTRIFUGA – separa o solido do liquido, o liquido volta para o tratamento e os sólidos são despejados em uma caçamba que quando cheia é levada para o aterro sanitário

CONCLUSOES

A visita foi muito aproveitada por todos, podemos acompanhar funcionamento da estação e conhecer mais sobre o assunto que é de grande importância.

Em todo entorno da estação á Eucaliptos plantados, para poder diminuir o odor da estação e também foi implantado um tanques de lavamento ( 5 no total), que succionam o gás para ser feito a lavação com hipoclorito de sódio com um ph em torno de 10.

Dessa forma o odor foi amenizado bastante não causando incomodo nenhum aos morados do bairro ao redor.

A estação é muito bem cuidada e pude observar que os funcionários gostam bastante do que fazem e entendem bastante sobre o assunto.

A SANASA possui 24 estações operando em Campinas e mais 3 estações em construção.



BIBLIOGRAFIA

Não possui, todas as informações foram anotadas no dia da visita e não fiz nenhuma pesquisa.


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal