Trilha historica / natural da resex



Baixar 60,97 Kb.
Encontro14.09.2017
Tamanho60,97 Kb.
TRILHA HISTORICA / NATURAL DA RESEX
1 - Ponto de saída da trilha, BODEGA - Loja de economia solidária onde vende os produtos da comunidade e de outras comunidades da região do Jaguaribe.

2 - Praia Nos anos 1870 - A estrada de Aracati até Fortaleza passava pela praia como indicam os trilhos dos carro de boi. Os velhos contam que antigamente tinha um manguezal.

3 - Palhoça Comunitária - O restaurante da comunidade foi construído em 1993 e era o ponto de encontro. Em 2001 o mar levou.

4 - Jangada Comunitária - SOS Sobrevivência A Jangada SOS Sobrevivência virou símbolo de luta da comunidade, em memória da viagem de protesta ao Rio de Janeiro em 1993. A jangada comunitária parou de pescar e aguarda de fazer parte do acervo do espaço da memória da comunidade, o barraco serve para guardar material dos catamarã´s.

5 - Porto dos catamarã - catamarã Esperança O catamarã é a versão moderna de barcos de pesca a vela, os primeiros 2 vieram do Maranhão e mais 5 foram construídos no estaleiro de barcos da comunidade.

6 - As tartarugas marinhas - No mar é área de alimentação da tartaruga verde e na praia é lugar de desova de tartarugas pente. Encalhe de tartarugas mortas devido a pesca com redes.

Encalhe de 2 peixe boi bebê, que foram salvos e estão no centro de recuperação na Ilha de Itamaracá Cadastro de tartarugas.

7 - Cruz do Zé Dantas - O Zé Dantas, filho do fundador “Caboclo”

foi encontrado morto na praia em 1985. Ele estava pescando na praia e quando o Seu Maran encontrou, ele estava com uru e sem a tarrafa.

8 - Porto dos botinhos do Córrego do Sal - O porto de jangadas pequenos dos pescadores do Córrego do Sal.

9 - Cruz do Padre Lima - Há muitos anos o Padre Palhano Lima estava celebrando missa na Paripueira e quando foi levantar a hóstia deu uma dor na barriga, disse que se não pudesse celebrar a missa era melhor Deus tirar ele logo. Foi, tomou banho de mar e morreu afogado.

10 - Cemitério dos anjos - As comunidades de Prainha e Campestre começaram fazer caminhadas com o santo até a cruz, e também enterraram anjos neste local.

11 - Barra do Córrego do Sal - Quando a lagoa do Córrego do Sal enche o pessoal abre para deixar o rio fluir, alguns peixes que da água doce e do mar precisam desta ajuda da natureza para reproduzir, Camurim e outros.

12 - Os 5 coqueiros logomarca da Prainha - O viajante chegando a pés primeiro avista os 5 coqueiros, em 2008 um raio queimou 1 deles ficaram só 4.

13 – Existem mais de 100 espécies de peixes no mar da Prainha, com 40 tipos sendo comercializados, e ainda tem lagosta vermelha e verde e camarão rosa e branco. Lista dos peixes que são capturados na Prainha.

14 - Os pássaros na praia - Encontramos vários tipos de aves marinhos – maçaricos - e na época chuvosa quando se formam lagoas, garças. Os Urubus limpam a praia de cadáveres de peixes.

15 - As garrafas do SODIS No caminho da trilha - Vemos as garrafas de PET que os moradores usam para desinfetar a água para beber. Importância da água e a necessidade de proteger o lenços freático.

16 - Centro Comunitário - O centro comunitário é outro símbolo da resistência da comunidade. Foi construído em mutirão e o lugar de muitos eventos da comunidade como os Seminários.





©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal