Transição dos séculos (XVII xviii XIX)



Baixar 1,76 Mb.
Página1/6
Encontro05.01.2017
Tamanho1,76 Mb.
  1   2   3   4   5   6


Transição dos séculos (XVII - XVIII - XIX)

Na primeira metade do século XVIII vemos a decadência do pensamento barroco e do pensamento religioso, o declínio da arte cortesã, para qual víamos a ascensão da burguesia e suas questões mundanas, sua arte subjetiva e a procura de pureza e a simplicidade clássica das formas. A Inglaterra da primeira metade do século XVIII caracterizava-se pela impiedade, corrupção e imoralidade, mas ainda passaria por revoluções industriais e burguesas e por um reavivamento, caminhando para a chamada idade contemporânea no final da segunda metade do século, onde viria se tornar a maior potência mundial.



Sociedade inglesa no fim do século XVIII

Cidade x Campo
Segundo o livro "O campo e a cidade" de Raymond Willians, que discute o cenário literário dos séculos XVIII e XIX desses dois espaços, o campo era associado a uma forma natural de vida, de paz, inocência e virtude simples, já a cidade era associada à ideia de centro de realizações, de saber, comunicações e luz. Também constelaram-se poderosas associações negativas: a cidade como lugar de barulho, mundanidade e ambição e o campo como lugar de atraso, ignorância e limitação. O contraste entre campo e cidade, enquanto formas de vida fundamentais, remonta à antiguidade clássica.
Praça pública, Inglaterra 1782
Embora a Inglaterra a essa altura do século já predomina-se na cidade e industrializada bem dividida entre a classe média alta e baixa, ainda havia uma grande porcentagem de população rural, na qual também dividiam-se, mesmo no campo, em classe média e baixa.

Se por um lado na cidade uma família de classe média alta era considerada aquela de prósperos negócios relacionados a comércios, tanto exterior quanto local, de grandes propriedades ou riquezas de família a gerações, com rendas anuais superiores a mil libras no campo era mais comum que uma família de situação razoável, ou classe média, fosse sustentada por um chefe de família possuidor de um presbitério, pequenas terras ou comércio local.


Ilustração de uma família passando tempo no campo, Inglaterra, 1798.



A classe baixa era composta por desempregados na área rural, que por vezes migravam para a cidade em busca de melhores condições de vida e pela classe operária resultante da revolução industrial. Já a classe alta por nobres, burguesia e ricos comerciantes.



Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6


©bemvin.org 2019
enviar mensagem

    Página principal