Trabalho de fte2 Disco rigido



Baixar 115,78 Kb.
Encontro03.07.2017
Tamanho115,78 Kb.
Trabalho de fte2

Disco rigido



Trabalho realizado por:



Introdução

Neste trabalho sobre o disco rígido vamos tentar abordar a história do disco rígido e a sua evolução até aos nossos dias e ver qual é o futuro dos discos rígidos.

Índice


  • Disco rígido -------------------------------------------------

  • A função do disco rígido -----------------------------------

  • A evolução do disco rígido ---------------------------------

  • Bibliografia -------------------------------------------------

  • Conclusão ------------------------------------------------------


Disco Rígido

O Disco Rígido é um sistema de armazenamento de alta capacidade, que por não ser volátil, ou seja, não se apaga quando o computador e desligado, é destinado ao armazenamento de arquivos e programas. Apesar de não parecer à primeira vista, o disco rígido é um dos componentes que compõe um computador que envolve mais tecnologia. Todos os programas e arquivos são armazenados no disco rígido, também chamado de HD (Hard Disk) ou Winchester. A capacidade do disco rígido determina a quantidade de arquivos e programas que será possível armazenar. O disco rígido também exerce uma grande influência sobre a performance global do equipamento, já que determina o tempo de carregamento dos programas e de abertura e salvamento de arquivos. O disco rígido é acomodado no gabinete e ligado à placa mãe através de um cabo.

Os dados mesmo são armazenados no disco rígido. É nele que ficam guardados programas e dados enquanto não estão em uso, ou quando o computador é desligado. O disco rígido armazena os dados em discos magnéticos que mantêm a gravação por vários anos. Os discos giram a uma grande velocidade e um conjunto de cabeças de leitura, instaladas em um braço móvel faz o trabalho de gravar ou de acesso aos dados em qualquer posição nos discos. Junto com o CD-ROM, o disco rígido é um dos poucos componentes mecânicos ainda usados nos computadores actuais e, justamente por isso, é o que normalmente dura menos tempo (em média de três a cinco anos de uso contínuo) e que inspira mais cuidados. Os discos magnéticos dos discos rígidos s são selados, pois a superfície magnética onde são armazenados os dados é extremamente fina e sensível. Qualquer grão de poeira que chegasse os discos poderia causar danos à superfície, devido à enorme velocidade de rotação dos discos. Fotos em que o disco rígido aparece aberto são apenas ilustrativas, no mundo real ele é apenas uma caixa fechada sem tanta graça. Apesar disso, é importante notar que os discos rígidos não são fechados hermeticamente, muito menos a vácuo, como muitos pensam. Um pequeno filtro permite que o ar entra e saia, fazendo com que a pressão interna seja sempre igual à do ambiente. O ar é essencial para o funcionamento do disco rígido, já que ele é necessário para criar o "colchão de ar" que evita que as cabeças de leitura toquem os discos. Tradicionalmente, o sistema operacional era sempre instalado no DR antes de poder ser usado. Enquanto está a trabalhar, o sistema precisa frequentemente modificar arquivos e configurações, o que seria impossível num CD-ROM, já que os dados gravados nele não podem ser alterados. Isso mudou com o aparecimento do Knoppix, Kurumin e outras distribuições Linux que rodam directamente do CD-ROM. Neste caso, um conjunto de modificações "enganam" o sistema, fazendo com que ele use a maior parte dos arquivos (os que não precisam ser alterados) a partir do CD-ROM, e o restante (os que realmente precisam ser alterados) a partir da memória RAM. Isto tem algumas limitações: as configurações são perdidas ao desligar pois tudo é armazenado na memória RAM, cujo conteúdo é sempre perdido ao desligar o computador.

A função do disco rígido



Disco rígido é a parte do computador onde são armazenadas as informações, ou seja, é a "memória permanente" propriamente dita (não confundir com "memória RAM"). É caracterizado como memória física, não - volátil, que é aquela na qual as informações não são perdidas quando o computador é desligado.
A evolução do disco rígido
A tecnologia de armazenamento de dados em discos magnéticos sofreu uma grande evolução desde o aparecimento do modelo Ramac 305 pela IBM, com capacidade de 5mb. E, por mais de 20 anos, as consideráveis inovações partiram quase que praticamente da IBM. No entanto, alguns fabricantes criaram produtos independentes das linhas IBM, como a Control Data, com a série SMD, a Amplex, a Calcomp e a CII-Honeywell Bull.
Historicamente os discos rígidos podem ser divididos em três gerações, conhecidas pelo número do produto IBM que lançou a tecnologia: 2314(início dos anos 60), 3330 (fim dos anos 60 e início dos anos 70) e 3340 ou winchester (1973).
Essa denominação deve-se ao facto de a unidade de gravação ter originalmente dois módulos (em analogia com a arma de dois canos calibre 30/30).
No início dos anos 70, a tecnologia tinha chegado a alguns limites. A distância entre a cabeça de gravação/leitura e a superfície do disco (factor preponderante para se aumentar a densidade de gravação e, portanto, a relação capacidade/custos estava limitada a 0,78 um. Com a distância menor, uma pequena partícula de fumaça de cigarro, que é dez vezes superior a essa medida, poderia danificar a cabeça ou os dados gravados.
Em 1973, com a tecnologia Winchester, a IBM introduziu uma série de inovações que permitiram consideravelmente o número de "choques de cabeçote" (head crashes) e, por outro lado, aumentar as densidades de gravação tanto de trilhas como de bits. Isso foi conseguido com aperfeiçoamentos nas tecnologias de cabeças de leitura/gravação, no mecanismo de posicionamento das cabeças e na diminuição da espessura da camada magnetizável do disco. Além disso, o disco, a cabeça e o mecanismo de posicionamento e o eixo motor do disco passaram a ficar em ambiente hermeticamente fechado. A tecnologia Winchester, inicialmente, só estava disponível para os grandes sistemas. Mas, em 1978, a IBM anunciou uma unidade de 8 polegadas para sistemas de pequeno porte.
Novos aperfeiçoamentos introduzidos pela IBM em seus sistemas de discos aumentaram ainda mais a densidade de gravação. As séries 3370 e 3380 (lançadas, respectivamente, em 1979 e 1981) utilizavam a tecnologia de cabeça de filme fino (thin film head). Feitas por métodos semelhantes aos usados na fabricação de semicondutores, as cabeças de filme fino permitiam registrar informações a uma densidade de 25 mil bits por polegada (quatro vezes mais que o disco SMD da Control Data), trabalhando sobre um suporte magnético adaptado. Além da IBM, outros fabricantes como a Ampex, a C II - Honey Bull e Applied Magnetics Corporation desenvolveram cabeças com essa tecnologia.
O aumento da densidade de informações para 25 mil bits por polegada não poderia existir sem uma evolução nos suportes magnéticos. Em 1982, era lançada uma nova geração de mídias que substituía o prato de alumínio com óxido férirco por um disco coberto por uma camada metálica de cobalto ou cromo.

Bibliografia

http://www.guiadohardware.net/termos/disco-rigido

http://www.google.pt/search?hl=pt-PT&q=a+evolu%C3%A7ao+do+disco+rigido&aq=f&aqi=&aql=&oq=&gs_rfai=

http://blogsdamarta.blogspot.com/2009/01/para-que-serve-o-disco-rigido.html

Fonte: Livro "Memórias do Computador" de Vera Dantas/ Sónia Aguiar



Conclusão

Neste trabalho falamos sobre a história a evolução e as funções do disco rígido e do que ele necessita para funcionar correctamente.


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal