Texto já antigo. Agora mais ou menos editado



Baixar 76,81 Kb.
Página1/3
Encontro13.12.2016
Tamanho76,81 Kb.
  1   2   3
Olá;
Texto já antigo. Agora mais ou menos editado;
___________________________________

Uma discussão sobre a infalibilidade bíblica.

De: x.......... 2007@... com.br. Assunto: Contradições na Bíblia. Por marinho Lopes.
Para: .......... brasil@...grupos.com.br. Data: Sexta - feira, 17 de Setembro de 2010

Eu havia postado o texto: “Contradições na Bíblia” em uma lista de discussão na NET.


Tal texto suscitou muito debate entre os participantes. Mas como o fanatismo, o proselitismo e o
corporativismo religioso estão em todos os lugares, haveria eu de debater com
um pastor. Em resposta a minha postagem, ele postou sua posição, bem elaborada.
Porém, sem base científica alguma e sobejamente fanática. 

Um dia após, fiz minha réplica, dividindo o texto dele e introduzindo minha visão crítica


sobre o mesmo. Tal debate, que guardo carinhosamente em minhas pastas virtuais,
aqui insiro. Porém, creio salutar, destacar o apoio que tal pastor, recebeu de um prosélito,
maravilhado com tal exegese:

Prosélito: - Certíssimo meu caro professor R... Outras coisas poderiam ser mostradas


aqui como sendo "contraditórias" pelos nossos adversários. Porém, se
fizerem uma análise sem preconceitos religiosos verão que a Bíblia é um todo
coerente. Ainda que as traduções sejam várias, a essência prevalece. Podemos
partir da perspectiva de Deus ou da perspectiva Humana (a qual sempre apostará
na contradição e na derrota da Fé) na busca do entendimento divino. Valeu pela
sua pequena, mas precisa demonstração.
Abraços fraternos... X, irmão em Jesus.

O autor: - Em que pese o termo “Adversário”, apontem-me nesta


lista de liberdade, igualdade e fraternidade, quem o é. Ressalto que o Sublime
Nazareno, esteve com prostitutas, bêbados e cobradores. Morreu entre malfeitores,
sem jamais ser tão pejorativo como vocês estão sendo. E, qual a razão, de se esperar 11    meses para questionamentos? Vocês fizeram um “conclave” de pastores? Ou foram estudar a bíblia para o debate?
Qual dos milhares de versões também? A católica, a de Jerusalém, a da criança,
a da vitória financeira, a da mulher, a da família etc.? Notem que respondo imediatamente.
Não por ser um religioso fanático, ou mesmo um exegeta, doutor da igreja, teólogo, pastor, bispo,
missionário, apóstolo, profeta, homem de Deus, enviado dos céus ou outros
títulos patéticos, falsos, estapafúrdios, grosseiros, porém tão chamativos e
enganadores em voga...

Não sei o que vocês entendem por contradições.


E creio que não conhecem o terreno em que pisam, tentando
defender fanaticamente o indefensável. Mas creio que seja interessante, mostrar
se há ou não contradição nas passagens em que Moisés falava com Deus face a
face, como se amigo fosse (Ex 33; 11) e em outra em que o próprio Deus afirma
que homem nenhum poderia ver sua face e que Moisés só o veria pelas costas (Ex
33; 20) e, ainda mais no NT, em que João afirma que nenhum mortal jamais
viu a DEUS (I Jo 4; 12). 

Quem é Javé, quem é Adonai e quem é Eloim? Será Deus ou deuses?


E isto sem falar no poderoso Senhor da Guerra, ou o
Senhor dos exércitos? Há teorias Javistas e Eloistas? O que é dogma?
Fé cega? O que quer dizer; A letra que mata e o espírito que vivifica?
Como podemos conciliar; Qual pai cujo filho lhe pedisse pão para mitigar
a fome e este lhe desse uma serpente, com; E amou tanto o mundo,
que deu seu filho unigênito para a salvação deste?
E não é mesmo que Jesus confirmou;
Até quando estarei entre vós oh raça de víboras...
Vocês falam em preconceito religioso e eu pergunto:
O preconceito não está na própria religião cristã?
Por que Católicos Romanos, Anglicanos e Ortodoxos?
Vocês já viram judeus subdivididos
em sua fé? Ou muçulmanos e budistas romanos, anglicanos, protestantes,
calvinistas, luteranos e toda parafernália patética em que se tornou o
cristianismo? E o que dizer da pretendida união que Lutero pregou e desmoronou
como castelos de areia, ao sabor das ondas, perdendo-se nos MILHÕES de
denominações evangélicas, conforme o último senso da ONU? E cada uma delas,
guardiã única da verdadeira “verdade”? Se Jesus afirmou, que um reino dividido
em dois não se sustenta, o que será de vocês, que dividiram Cristo em milhões
de seitas?

Falar em Evangélicos, não seria preconceituoso o próprio termo para se


distinguirem dos demais cristãos? Vocês são preconceituosos?
Eu sou cristão, por posição e não por imposição.
Por posição, pois, que a doutrina do Nazareno, para mim é a síntese de todas as
grandes verdades imorredouras das hostes celestiais. Mas o que fizeram os
homens e o que ainda fazem, com a excelsa mensagem de Jesus?

Ao agredir-nos com seu preconceito, eu pergunto:


Onde ficará o mandamento: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amo”?Se,
vocês se referiram aos maçons como “adversários”, consultem a história e verão
que em São Paulo - SP, na loja AMIZADE, no ano de 1858, o Venerável Mestre – um
sacerdote católico por nome de Fortunato Gonçalves Pereira de Andrade - cedeu
um espaço no Templo do Grande Oriente para que os protestantes fizessem o seu
culto, dirigindo-se ao Nazareno. Era a dificuldade que a Igreja Católica
impunha aos "dissidentes". E estes foram recebidos por um maçom
padre, como “irmãos” em Cristo, sendo agraciados com tal espaço para as suas
preces. Impossível tal fato? Lógico que sim, sob a ótica dos fanáticos, dos ignorantes
e dos segregacionistas. Um padre - sacerdote católico - atuando como dirigente
de uma loja maçônica, que a Igreja sempre perseguiu desde Inácio de Loiola? E
ainda, recebendo protestantes como irmãos em Cristo? Realmente, ali naquele
espaço se encontraram antagonistas, que sob a égide do Cristo, cultuaram a
liberdade, a igualdade e a fraternidade, unos em um só sentimento; Filhos do
Altíssimo. Mas o nobre sentimento de união fica restrito as suas convicções
podres, segregacionistas, não aos maçons que em suas oficinas não cultuam
religião alguma, respeitando a todas, desde que seus membros reconheçam o
Grande Arquiteto do Universo como único Deus. E não os deuses imaginários que
vocês cultuam cujos relatos bíblicos fariam corar por incompetência,
benevolência e inocência os maiores assassinos e carrascos sanguinolentos na
história da humanidade.

Consultem para maiores esclarecimentos e reflexões, a majestática obra;


“A Maçonaria e o Cristianismo” laureada com menção honrosa, pela
Academia de Letras de São Paulo, concebida pelo eminente Jorge Buarque de Lyra. 
Quem é o autor? Nada mais, nada menos, que um
ministro presbiteriano, que quando a concebeu, galgava o 30º degrau da íngreme
escada de Jacó.

Este é o agradecimento, que recebe a maçonaria dos ditos “crentes” fanáticos.


Basta ler o Estatuto da Igreja Presbiteriana, para ver ali, a perseguição,
 o preconceito, a bastardia dos
cegos, perdidos em sua letra que mata e, matando o espírito que vivifica. Abordar
atacando o que não se vive ou conhece, é atirar-se no campo do ridículo, do patético
e imponderável. Onde estava a sua Igreja, a sua fé, quando da abolição,
trabalhada no silêncio das lojas maçônicas e logo depois promulgada? Onde
estava tal igreja, qualquer delas, quando a maçonaria fizera Soberano Grão
Mestre, o Imperador para a independência da Pátria?

Vocês estão querendo aprisionar Deus


num templo, como faziam Moisés, Josué e David os carniceiros de Javé, que por
onde passavam a tudo que tinha fôlego destruía. Desde animais, plantas, homens,
crianças e por piedade poupava as virgens para a diversão da soldadesca (Num.
31; 17-25). E depois, construíam um tabernáculo com os despojos de suas vítimas
para o seu Deus sanguinário. Afinal, foi assim que determinara o Senhor dos
Exércitos, o Deus cruel e assassino num ato de infanticídio, parricídio e
genocídio.

O Salmo 136/137; 9 é de muitíssima beleza; “Feliz daquele que pegar teus


filhos e rebentá-los contra o rochedo”.  Muito divinamente inspirado - só se for pelo capeta
mesmo – Aliás, coloquem como um decalque na porta de suas geladeiras. Ficará
além de uma mensagem filosófica, muito bonito como adorno.  E, que alguém
não rebente seus filhos é meu desejo, contrariando o deus assassino e a
“sagrada bíblia” que vocês defendem em sua fé cega e absurda. Como também, não
gostaria de vê-los – seus filhos - mendigando nas calçadas, sem o pai, pois,
ficaram órfãos como reza o salmo 108/109, e outro homem lhe ocupou o lugar, o
leito, a mulher e os bens...

Quanto ao texto do pastor, postado pelo prosélito:

Pastor: - É bom conhecer e relembrar a seguinte verdade:
nenhum filósofo, lógico, matemático, ou teólogo, nenhum cientista ou qualquer
outra pessoa, no passado ou no presente, jamais encontrou uma única contradição
nas páginas da Bíblia.

O autor: - Deus promete a Josias (rei de Judá por 31 anos) que seria levado em paz a sepultura (2 Rs


22; 20) mas Josias foi morto em combate contra o rei do Egito (2 Rs 23; 29). A
respeito do fratricídio de Caim; Fugitivo e vagabundo serás na terra (Gen 4; 17),
foi Caim para Node onde constituiu família e até construiu uma cidade (Gen
4; 17). Só não se sabe, onde conseguira a esposa, pois Eva era a única mulher.
E para que Caim construiu uma cidade para duas pessoas somente? Brincar de
esconde - esconde com a mulher, ocultando-se por trás de casebres, esquinas e
vielas? E se ele casou, deveria ter um sogro? Quem era então o sogro dele?
Seria o próprio pai? Já naquela época havia incesto, pois há relatos até de
pedofilia no sagrado livro que você defende. O que você como pastor diria a
seus filhos sobre a bacanal de Lot com as filhas? Ou de Abrão tentando
assassinar o único filho que tinha? Maravilhosos exemplos de respeito à vida e
de amor para com os filhos...

Pastor: - Fizeram-se e fazem-se tentativas de mostrar que a


Bíblia é inexata e contraditória, às vezes querendo fazer com que os leitores,
seguidores e divulgadores da mensagem da Bíblia sejam vistos como desprezíveis,
ignorantes, tolos ou ridículos.
 
O autor: - Encontrei na bíblia, passagens sublimes,
outras patéticas, outras mentirosas e, pasme um verdadeiro [1]plágio
em diversas. Porém, jamais quis fazer de minha compreensão a respeito, uma
bandeira de guerra como vocês fazem sórdida e fanaticamente. Pelo contrário, procuro
esclarecer aquele que me pede, no sentido de se libertar das algemas impostas
por falsos procuradores de deus, usando como arma a Bíblia e sua infalibilidade
inexistente que estou lhe mostrando. E qual a razão da infalibilidade pastor?
Seria uma resposta a infalibilidade papal? Ou esta a aquela? Reforma religiosa,
contra reforma ou contra ataque religioso?

Pastor: - Porém, invariavelmente, as pessoas que alegam


contradições na Bíblia o que fazem é o seguinte: (1) escolhem duas ou mais
sentenças bíblicas; (2) escolhem uma interpretação incompatível ou
contraditória para essas sentenças; (3) e depois afirmam que a Bíblia é
contraditória.  

O autor: - Interessante, que quando Caim matou Abel, fugiu dos olhos do Senhor


sendo amaldiçoado. Aquele que o encontrasse o mataria.
Por isto, pois nele o Senhor um sinal para que não
o matasse. Se alguém o fosse matar, este alguém existiria além de Adão seu pai?
E coabitou ele com sua mulher...
Bom, creio então que Adão não fora o primeiro homem, e tampouco Eva a primeira
mulher. Outra coerência?

Prosélito: - O certo é que – como diz o Professor R. no seu


oportuno e feliz comentário que antecede – "a Bíblia é um todo
coerente".

O autor: - E encerraram casais de todos os animais da terra (Gen 6; 19)


numa arca de 300 côvados (198m). Quais as armadilhas que Noé usou para este fim?
Como foi capturada a onça pantaneira, o urso polar, a águia americana e o condor dos Andes?
Ou estes animais voaram até Noé, mesmo alguns não sendo alados? E se pereceu toda vida
que havia sobre a terra e sob o céu, por que nossos mares têm animais? Ou os
peixes “caminharam” para a arca também? Quanta coerência...

Pastor: - Na verdade, todas as alegadas contradições residem


na INTERPRETAÇÃO que essas pessoas decidiram escolher, quando está disponível e
acessível a todos, normalmente através do contexto ou de outras passagens
bíblicas, a interpretação compatível, não-contraditória e razoável das
passagens bíblicas que podem, à primeira vista, suscitar alguma dificuldade de
compreensão. – Deste modo, a contradição que essas pessoas alegam NÃO reside no
que a Bíblia diz, mas naquilo que ELAS, segundo a prévia interpretação
decidiram escolher. DIZEM que a Bíblia diz - mas a Bíblia realmente não diz.

O autor: - E os magos do Egito, transformaram a água do Nilo em sangue (Ex 7; 22).


Como, se Moisés já havia feito antes? (Ex 7; 20). E Deus criou a luz antes do
sol (Gên. 1; 3 e 1; 4). Como fez o dia, antes que o sol fosse criado? - Se
dissermos que não temos pecado, não existe verdade em nós (1 Jo 1; 8). Quem é
nascido de Deus não peca (1 Jo 3; 9 e 5; 18). Logo; Existe outro criador senão
Deus? Pensar não dói meu caro, não tenha medo...

Pastor: - Naturalmente, no exercício, do meu livre-arbítrio,


eu sou livre para, de um cesto de maçãs que tem à vista maçãs boas e maçãs
podres, eu querer retirar uma maçã podre. Problema meu.

O autor: - Sim, como também seria problema meu,


lhe mostrar uma garrafa e você dizer que é um copo
ou uma xícara. Seria salutar que me retirasse de tua presença, ou ficaria louco
como você, que acredita em cobra falante tentando Eva. E porque não em um deus
lutando com Israel, o espadachim em uma pinguela? (Gen 32; 22). Afinal, o
fanatismo gangrena o cérebro, embevece a razão e cega os olhos. E o pior cego,
é aquele que vendo, não quer ver...

Pastor: - Também, perante a Escritura, sou livre para


ESCOLHER uma interpretação contraditória, mas aí também o único responsável por
isso sou eu. Não poderei jogar as culpas na Bíblia ou em outras pessoas, por
isso. Às vezes, esforçando-me por conseguir a boa interpretação, eu posso ter
dificuldade em ver qual seria essa interpretação correta de certa passagem
bíblica.

O autor: - Ouviram a voz sem ver ninguém. (At 9; 7)


Ou viram a luz sem ouvir a voz? (At 22; 9). Qual afirmativa correta?
E, se não há contradições na bíblia, por que você
escolheria uma interpretação contraditória? Você segue a letra que mata, ou
vive o espírito que vivifica como asseverou Jesus? Você defende a não
contradição e diz escolher passagens contraditórias?

Pastor: - É interessante que a Bíblia contém pelo menos uma


situação igual a essa, que é a do eunuco etíope. No livro de At 8: 26 -38 esse
homem de religião judaica temente a Deus estava lendo o texto de Is 53:7, 8 e
estava tendo dificuldade na interpretação dessa passagem bíblica. O
evangelizador Filipe abordou-o e informou-o de uma interpretação de Is 53:7 e 8
diferente da interpretação que os líderes religiosos do judaísmo lhe propuseram
e que ele tinha aceitado até ali. Esse homem instruído, membro do Governo da Etiópia,
humildemente aceitou a interpretação proposta pelo evangelizador Filipe, com um
resultado muito feliz. Agora, depois desta introdução, é o momento de, como
prometido, passar à alegada contradição entre II Tim 3: 16 e 5:12 e II Cor
11:17). Desta vez, utilizarei a versão bíblica de Ferreira de Almeida.

O autor: Um escravo instruído? Em uma época que somente nobres tinham acesso as letras?


A escravidão por si só é uma vergonha que maculou a humanidade, caro pastor.
Aliás, um dos filhos de Noé por ter pele negra – Canaã ou Cam - justificou a
afirmativa da Igreja defendendo a escravidão. Noé o amaldiçoou por ter visto o
filho ao pai despido depois de uma carraspana alcoólica (Gen 9; 25). Ele
deveria servir eternamente seus outros dois irmãos – Sem e Jafet - cuja pele
não era negra. Muito humana tal atitude? Você sabia que sob a ótica cristã, há
poucos séculos, negros e índios não tinham alma? E muito menos as mulheres? Pois,
Eva não recebeu o “sopro divino” do deus bíblico. Foi criada a partir de uma
costela...

Pastor: - Temos, pois, de um lado, o texto de II Timóteo


3:16: "Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para
doutrina, para redarguição, para correição, e para instrução em justiça."
Do outro lado, temos I Coríntios 5:12, que reza: "Porque, que tenho eu
também que julgar dos que estão de fora? Não julgais vós dos que estão de
dentro?" e II Coríntios 11:17), que reza: "O que digo, não o digo
segundo o Senhor; senão como por loucura, neste firme fundamento de
gloriação." Focando o ponto que interessa para a nossa análise, haveria
contradição se I Coríntios 5:12 ou II Coríntios 11:17 dissessem "uma parte
da Escritura não é divinamente inspirada" ou algo semelhante, como
"este texto da Escritura não é divinamente inspirado" ou "esta
declaração da Escritura não é divinamente inspirada" ou "esta palavra
da Escritura não é divinamente inspirada". A expressão "divinamente
inspirada" é a tradução da palavra grega "theopneustos", palavra
que significa "soprado por Deus" ou "insuflado por Deus".
Sendo o criador da mente humana, Deus, de diversas formas, certamente tem a
capacidade para dirigir a mente humana e fazê-la produzir por escrito o que ele
entender que deve ser assim colocado. Ser a Escritura inspirada por Deus
significa que os "santos homens de Deus a falaram" (II Pedro 1: 21) e
registraram apenas aquilo que Deus quis e não registraram aquilo que Deus não
quis, de modo que o resultado final é "a palavra de Deus" (I
Tessalonicenses 2: 13) divinamente inspirada ou "soprada por Deus". Deus é o autor desse livro.

O autor: - Mas, creio realmente na infalibilidade da Bíblia e de seu autor, que você diz ser Deus.


Por isto mesmo, como estou precisando de um dinheiro, posso vender minha filha
adolescente como escrava, pois, assim permite o Levítico? Quem sabe matar a
minha mulher que trabalha aos sábados e isto é proibido. Pior ainda, ela usa
roupas de tecidos diferentes, calcinha e sutiãs de lycra, calças de jeans e blusas
de algodão.   E isto também é proibido.  Não tem jeito não, se eu não matá-la, estou
desobedecendo ao deus (d) e ele pode punir- me com uma saraivada de pedras. Ou
quem sabe, como bondoso pai remeter a minha alma ao fogo do inferno
eternamente. E você pastor, poderia em sua bondade e sabedoria, cometer tal ato
para mim? Eu sou um homem temente a Deus, e devo guardar os Seus mandamentos,
embora em conformidade com o Levítico deva eu matá-la, levando – a aos anciãos
ou sacerdotes ou juízes ou religiosos como você hoje, para que seja apedrejada
até que morra. Mas prefiro eu obedecer ao mandamento: “Não Matarás”. Por isso,
eu seria apedrejado juntamente com a mãe de meus filhos?  Afinal, de qualquer maneira, eu estaria
desobedecendo ao deus bíblico. Se a matar, será uma afronta ao mandamento “Não
Matarás” e se não matá-la, estarei desobedecendo as leis estabelecidas no
Levítico, que conforme você é também a lei de Deus. E se não há contradição nessas
leis, há então um Deus contraditório Creio muito em sua sabedoria e em sua fé,
assim gostaria de sua sábia posição. Help me please priest!

Pastor: - Mas ser "divinamente inspirada" não


significa que toda a palavra, toda a expressão, toda a frase ou toda a
declaração contida na Bíblia seja da
autoria do próprio Deus.

O autor: - Não entendi.No parágrafo anterior você afirmou que Deus era o autor e agora não?


Isto é também contradição, ou não? Senão bíblica, seria sua, caro pastor? Perdoa-me,
mas coitado de seu rebanho... Cegos seguindo um cego.

Pastor: - Na verdade ele fez registrar declarações de


terceiros, e, em alguns casos, permitiu-se usar a primeira pessoa — dizendo
"eu", por exemplo — e deixando ao critério do escritor a escolha
concreta de palavras, desde que apropriadas. Vejamos: Nem toda a palavra, toda
a expressão, toda a frase ou toda a declaração contida na Bíblia é da autoria
do próprio Deus porque o próprio Deus decidiu coisa diferente e inspirou os seus
escritores a registrar o assunto como ele queria. Assim a Bíblia contém
palavras, expressões, frases e declarações da autoria de homens e de anjos
rebeldes, opositores e inimigos de Deus.

O autor: - Que Deus esquisito, ignorante e estúpido seria esse, que como autor de tal livro,


permitiu tais aberrações literárias? Só nos falta uma edição bíblica com a
assinatura Dele e com os direitos autorais protegidos por lei. E não há de ver,
que a IURD, consagrou um dizimista com um diploma assinado pelo próprio senhor
Jesus? E você pastor, paga o seu dízimo para quem? Verifique meu caro...
 
Pastor: - Por exemplo, a Bíblia contém as palavras,
expressões, frases e declarações do arrogante do Faraó, tais como registradas
em Êxodo 5:2, — citando a já referida tradução de João Ferreira de Almeida—:
"Quem é Jeová, cuja voz eu ouvirei para deixar ir a Israel? Não conheço a
Jeová, nem tão-pouco deixarei ir a Israel".

O autor: - Você poderia me dizer o nome do tal faraó? Incoerente,


é que Moises precisamente cita o nome de reis, de juízes e outras personagens.
Porque não cita o nome de Merneptah,
seu co-irmão, cuja coroa do alto e baixo Egito Moisés queria? Certamente Moisés
não fora Rei do Egito, mas fora Faraó dos Judeus (trocadilho proposital).
Aliás, em uma versão bíblica católica moderna, em nota de roda-pé, está
inserido que em escavações recentes, encontraram uma estela de Merneptah onde
se lê: “Hoje vencemos os Israelitas”.
Pastor continue lendo sua bíblia, mas não fuja de informações tão disponíveis.
Leia jornais, estude outros temas. Volte à realidade.
Consulte também o; “Livro Egípcio dos Mortos”
e lá não verás que tal drama - o êxodo hebreu - se aconteceu, não mereceu
destaque, por ser tão insignificante. E estude também um pouco de mitologia
pastor. Quem sabe você verá, no [2]dilúvio
de Deucalião, filho de Prometeu, um paralelo com o dilúvio de Noé. E outra arca
que fora parar no cume do Himalaia após outro dilúvio mitológico, será que tem
correlação com o monte Ararat?

Pastor: - A Bíblia até contém palavras, expressões, frases e


declarações do próprio Satanás, mentindo a respeito de Deus, ao dizer a Eva
coisas como "não morrereis. Porque Deus sabe, que no dia em que comerdes
dele, se abrirão vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal"
(Gênesis 3:1-5), ou tentando Jesus com palavras, expressões, frases e
declarações (Mateus 4:1-10) tais como "Se tu és Filho de Deus, diz que
estas pedras se façam pães", "Se tu és Filho de Deus, lança-te
abaixo, porque está escrito, que a seus Anjos mandará acerca de ti, e nas mãos
te tomarão, para que nunca com teu pé tropeces em pedra alguma"

O autor: - Interessante, mas Ele foi crucificado, cuspido, maltratado, ofendido e depois morto!


Onde estavam os tais anjos? Correram apavorados ou bateram asas em bando como
andorinhas para o céu? E você caro pastor, nada conhece de mitologia. O deus
  1   2   3


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal