Secretaria Municipal de Educação Subsecretaria de Ação Pedagógica Coordenadoria de Educação Especial Roteiro para investigação do comportamento adaptativo



Baixar 4,74 Mb.
Página35/40
Encontro15.09.2018
Tamanho4,74 Mb.
1   ...   32   33   34   35   36   37   38   39   40

3) USO COMUNITÁRIO





Av.Inicial

1°Bm

2°Bm

3°Bm

4°Bm

1-A família e a comunidade acreditam na sua potencialidade

N

N

N







2-Demonstra ingenuidade ao lidar com outras pessoas

AV

AV

AV







3-Faz pequenas compras sozinho próximo de casa

AV

AV

AV







4-Faz compras em supermercado ou shopping

N

N

N

N

N

5-Vai ao médico ou terapia somente acompanhado

S

S

S

S

S

6-Vai ao médico ou terapia a pé, sozinho

N

N

N

N

N

7-Vai ao médico ou terapia utilizando ônibus ou metrô

N

N

N

N

N

9-Freqüenta playground ou parquinho sozinho

N

N

N

N

N

11-Freqüenta ensino regular

S

S

S

S

S

12-Freqüenta instituição

N

N

N

N

N

13-Freqüenta classe especial em escola regular

N

N

N

N

N

14-Gosta de ir a lanchonetes

S

S

S

S

S

15-É capaz de escolher seu próprio lanche na lanchonete

S

S

S

S

S

16-É totalmente dependente para lanchar em público

N

N

N

N

N

17-É independente no lanche

S

S

S

S

S

18-Gosta de ir ao cinema

S

S

S

S

S

19-É capaz de concentrar-se no filme, quando o mesmo for apropriado a sua idade e interesse

S

S

S

S

S

20-Freqüenta alguma atividade desportiva sozinho

N

N

N

N

N

21-Participa de celebrações religiosas junto à família e à comunidade

N

N

N

N

N

22-Reconhece a rua onde mora

S

S

S

S

S

23-Reconhece a sua casa

S

S

S

S

S

24-Sai de casa somente acompanhado

AV

AV

AV







25-Reconhece através de cores ou símbolos os ônibus

AV

AV

AV







26-Reconhece através de leitura os meios de transportes

N

N

N

N

N

27-Reconhece os ônibus ou os meios de transportes que deva utilizar para chegar a casa

N

N

N







28-Apresenta dificuldade para permanecer em um coletivo

N

N

N







29-Demonstra alegria ao andar de ônibus, trem ou metrô

S

S

S







30-Demonstra medo ou pânico ao andar de coletivo

N

N

N







31-Sai de casa sozinha sem utilizar meio de transporte

AV

AV

AV







32-Sai de casa sozinho utilizando algum meio de transporte

AV

AV

AV







33-Reconhece símbolos que identificam lugares, como banheiro Masc/Fem , refeitório

S

S

S

S

S




Aval.Inicial



DESCREVA INFORMAÇÕES QUE CONSIDERE

NECESSÁRIAS:




APOIOS /SUPORTES/ACESSIBILIDADE AO CURRÍCULO




A aluna apresenta condições de sair de casa porém ainda é insegura para fazer isso sozinha.













1° Bim

Apresenta medo ao atravessar a rua e demonstra insegurança.

Sua vida familiar a limita nesta questão.



















2°Bim

Apesar da idade ainda é ingênua nesta questão.

A família pode contribuir muito em seu avanço nesta questão.



















3°Bim

























4°Bim






OBSERVAÇÕES GERAIS:



A aluna possui um grande atraso social, com muitos irmãos e uma vida de extrema pobreza vinda do trabalho do lixão, gerando baixa autoestima e insegurança da aluna que apesar de fazer comida e ajudar a cuidar do lar onde vive, a questão da higiene pessoal é precária e parece sem importância para toda a família que até pouco tempo nem banheiro tinha.

Vale destacar que todos os irmãos, com apenas uma exceção, possuem assim como ela atraso no desenvolvimento acadêmico, assim como discriminação por parte dos colegas devido a questões de higiene pessoal.

A escola com o apoio da SME conseguiu um emprego para esta mãe, mas a questão do descaso com os filhos não mudou.





Duque de Caxias,______/______/_______


Professora da SR/CE: Shirley A. Cabral Professor (a) ER: Camile
Profissional ELO: Raquel OE) Diretor: Marcelo de Jesus Pereira
Responsável:_______________________________________________
Coordenação de Educação Especial: ____________________________

Referências Bibliográficas:


AAMR. Retardo mental: definição, classificação e sistemas de apoio/ American Associationon Mental Retardation. Tradução Magda França Lopes- 10ªed- Porto Alegre: Artmed, 2006.

FERNANDES,E O modelo multifatorial da Associação Americana de Retardo mental aplicado a estudos de caso de portadores da síndrome de Williams. Anais do 10o Congresso Nacional da Federação Nacional das Sociedades Pestalozzi-O Portador de Deficiência e os Desafios da Atualidade. NOTABENE Editora, 2002.

___________Estudo de caso descritivo da implantação do Paradigma da Associação Americana de Retardo Mental na Comunidade de Barro Branco. Tese de Doutorado. Instituto Fernandes Figueira/ FIOCRUZ, 2000.

________ A revisão do conceito de retardo mental pela Associação Americana de Retardo Mental: possibilidades de convergência teórica com o paradigma da escola inclusiva. In: Anais do III Congresso Íbero – Americano de Educação Especial. Foz do Iguaçu: Ministério da Educação e do Desporto, pp 198 –200, 1998.

__________________ Educação para todos – saúde para todos: a urgência da adoção de um paradigma multidisciplinar nas políticas públicas de atenção a pessoas portadoras de deficiências. In:Benjamin Constant / MEC, ano 5, n. 14, p. 3- 10. Rio de Janeiro: IBCENTRO, 1999.

___________________O modelo multifatorial da Associação Americana de Retardo mental aplicado a estudos de caso de portadores da síndrome de Williams. Anais do 10o Congresso Nacional da Federação Nacional das Sociedades Pestalozzi-O Portador de Deficiência e os Desafios da Atualidade. NOTABENE Editora, 2002.

FERNANDES,E.M; CORREA,M .Processo de ensino-aprendizagem do aluno com necessidades especiais- Deficiência Mental. Rio de Janeiro: UNIRIO,2008,384p.

LUCKASSON,R et. alli.Mental Retardation: definition, classification, and systems of supports– worbook. Washington: American Association on Mental Retardation, 1992.

____________________. The changing conception of mental retardation:implications for the field. In: Mental Retardation, vol. 32, no 3, june,pp 181 – 193, 1994.

_______________________.Mental Retardation: definition, classification, and systems ofsupports – worbook. Washington: American Association on Mental Retardation, 2002.

_________________________et al. The Renaming of Mental Retardation: Undestanding the Change to the Term Intellectual Disability. In Intelectual and Developmental Disabilities. Vol 45, mumber2: 116-124, april, 2007.

Secretaria Municipal de Educação

Subsecretaria de Ação Pedagógica

Coordenadoria de Educação Especial
Roteiro para investigação do comportamento adaptativo
Por que avaliar o comportamento adaptativo?
Avaliar e acompanhar o comportamento adaptativo de nossos alunos é fundamental no processo de inclusão educacional. Para os educandos com necessidades especiais esta etapa do processo educativo é muito importante para seu sucesso. De acordo com Luckasson e colaboradores (2002), o comportamento adaptativo pode ser definido como um conjunto de habilidades sociais, conceituais e práticas adquiridas pela pessoa para corresponder às demandas da vida cotidiana. Geralmente os alunos aprendem estas habilidades nos ambientes naturais onde vivem, ou seja, em casa, na escola e na comunidade; porém educandos com necessidades especiais necessitarão de atividades planejadas, com objetivos e metas pedagógicas para que desenvolvam estas competências.

Para aquisição das habilidades sociais todas as pessoas necessitam de apoios diferenciados de acordo com sua idade, competências e ambientes sociais. Os apoios são recursos e estratégias que visam promover o desenvolvimento, a educação, os interesses e o bem estar de uma pessoa, melhorando o seu funcionamento individual. A Associação Americana de Deficiência Intelectual tem sinalizado que reconhecer os tipos de apoios que pessoas com deficiência intelectual necessitam ao longo de seu desenvolvimento é mais importante do que simplesmente se diagnosticar o nível de deficiência. Os apoios devem ocorrer de forma regular em ambientes integrados e serem oferecidos no espaço onde a pessoa vive, estuda, trabalha e se diverte. Eles podem envolver desde o próprio indivíduo, familiares, professores, profissionais de saúde ou ajudas técnicas.

A ficha de avaliação do comportamento adaptativo serve como material para melhor observação de seu (a) aluno(a), no sentido de situar o(a) mesmo(a) diante do esperado para sua faixa etária, auxiliar no planejamento de atividades pedagógicas, bem como na reavaliação das mesmas. Auxiliará também na proposição de acessibilidades ao currículos na interlocução com outras áreas para garantia do sistema de suportes e apoios, sejam eles dentro da comunidade escolar, na família, na saúde ou nas ações da comunidade.
Coordenadoria de Educação Especial


Ficha de Identificação
Unidade Escolar: E. M. Márcio Fiat

Nome do aluno: Agatha de Souza dos Santos DN: 09/ 06/ 1996

Professor de SR: Shirley A. Cabral Turma: 501 Turno:

Professor do Ensino Regular: Keli Série: 5º AE

OBS: A aluna não possui laudo conclusivo, mas apresenta visivelmente traços de Deficiência Intelectual.

ANO: 2011




Legenda:

Sim ( S)

Não (N)

Às vezes (AV)






  1. HABILIDADE CONCEITUAL


1) COMUNICAÇÃO:


Av.Inicial


1°Bm

2°Bm

3°Bm



4°Bm

1-É capaz de comunicar-se por expressões faciais

S

S

S

S

S

2-Comunica-se por movimentos corporais

S

S

S

S

S

3-Comunica-se exclusivamente por movimentos corporais

N

N

N

N

N

4-Comunica-se exclusivamente por expressões faciais

N

N

N

N

N

5-Comunica-se através de toques

S

S

S

S

S

6-Comunica-se exclusivamente por toques

N

N

N

N

N

7- Rejeita toques e contatos físicos

AV

N

N

N

N

8- Reconhece as emoções em relação ao outro nas interações

AV

S

S

S

S

9-Expressa suas emoções em relação ao outro nas interações

AV

AV

AV

AV

AV

10-É capaz de entender e aceitar solicitações/ordens

AV

S

S

S

S

11-Compreende cumprimentos

S

S

S

S

S

12-Tem compreensão de “limites”

AV

AV

AV

AV

AV

13-Utiliza-se da LIBRAS ( Língua Brasileira de Sinais).

N

N

N

N

N

14-Utiliza-se da fala para se comunicar

S

S

S

S

S

15-Consegue se comunicar com clareza

AV

AV

AV

AV

AV

16-Apresenta ecolalia

AV

AV

AV

AV

AV

17-Sua fala é monossilábica com frequência

N

N

N

N

N

18-Apresenta pouco vocabulário

N

N

N

N

N

19-Apresenta boa articulação na comunicação oral

N

N

N

N

N

20-Sua fala é robotizada

N

N

N

N

N

21-Apresenta mutismo

N

N

N

N

N

22-Se interessa por ouvir histórias

AV

AV

AV

AV

AV

23-Consegue recontar histórias ouvidas

AV

AV

AV

AV

AV

24-Consegue ler utilizando-se de leitura incidental (leitura de símbolos)

S

S

S

S

S

25-Relata fatos do cotidiano com clareza

AV

AV

AV

AV

AV


Aval.Inical



DESCREVA INFORMAÇÕES QUE CONSIDERE

NECESSÁRIAS:




APOIOS /SUPORTES/ACESSIBILIDADE AO CURRÍCULO




A aluna é muito inocente e costuma misturar assuntos.













1°Bim

A aluna não completa assuntos.

Não se sente discriminada é aceita pelos colegas e o trabalho de interação é bem viável.



















2°Bim

A aluna se comunica com paradas nas frases e com frequência mistura assuntos.

Vale destacar que a aluna possui um significativo atraso no seu desenvolvimento tornando-se muito ingênua.



















3°Bim

























4°Bim








1   ...   32   33   34   35   36   37   38   39   40


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal