Sacramentinas 300 anos



Baixar 38,36 Kb.
Encontro31.12.2016
Tamanho38,36 Kb.





SACRAMENTINAS - 2013

PROJETO “Sacramentinas 300 ANOS”





Nascimento

Pierre Vigne nasceu em Privas, em uma família de comerciantes têxteis, num momento ainda profundamente marcado pelo rescalco de Guerras Religiosas do século passado entre católicos e protestantes. Ele recebeu uma educação de um bom nível. No final da adolescência, acabou reconhecendo a importância da Eucaristia em sua vida e entrou em 1690 para o seminário Sulpician de Viviers.



O padre

Pierre Vigne foi ordenado sacerdote em 18 de setembro de 1694 em Bourg-Saint-ANDEOL e foi enviado para Vigário em Saint-Agreve. Ele pregava muito bem e sempre estava próximo de seus paroquianos.


O missionário


No entanto, sentiu-se chamado para outro lugar, ele queria ser um missionário especialmente entre os pobres, modestos. Em 1700, entrou para os Lazaristas de Lyon onde recebeu uma sólida educação em missões populares de acolhimento aos pobres. Começou a viajar para cidades e vilas a fim de evangelizar as pessoas.

Em 1706, deixa os Lazaristas e torna-se um missionário itinerante. Assim, percorreu por mais de trinta anos as ruas de Vivarais, de Dauphiné, de Forez, Herault, até Alta Saboia e Haute-Garonne. Ele confessou, celebrou missas e pregou a adoração e veneração à Maria, seguindo o exemplo de São Francisco Régis.


A Via Crucis de Boucieu


Em 1712, Pierre Vigne, chega a Boucieu-le-Roi. Ele imediatamente ama a cidade cuja topografia o fez pensar em Jerusalém.

Em 1714, edifica uma Via Crucis apelidada de Le Grand Voyage, com 30 estações, de acordo com o caminho seguido por Jesus em sua Paixão de Ceia na Páscoa. A Via Crucis ainda é seguida pelos habitantes do lugar. De março a junho de 1715, pregou em Burzet, e surge a oportunidade de restaurar uma Via Crucis já existente.





SACRAMENTINAS - Um jeito de SER AMAR e SERVIR.





A Congregação das Irmãs do Santíssimo Sacramento


Pierre Vigne se estabelece em Boucieu-le-Roi que se tornou seu local de residência entre as duas missões.

Em 1713, uma menina, em Nozières, veio a Pierre Vigne pedir conselhos sobre uma possível vocação. Em seguida, a partir de 1715, Pierre Vigne reúne sete jovens e outras que tomaram o nome de Irmãs do Santíssimo Sacramento.

Em 30 de novembro de 1715, na igreja de Boucieu-le-Roi, coloca a cruz e o hábito religioso, convidando-as a adorar Jesus presente na Eucaristia e viver fraternalmente juntas. Era lhes confiada a tarefa de ensinar jovens, o que estabeleceu escolas constituidas pelas irmãs. Elas também foram incumbidas de acompanhar os peregrinos na Via Crucis, para que elas pudessem ajudá-los a rezar e meditar.

Logo, a pequena congregação cresceu e se mudou para o castelo BOUCIEU, uma antiga fortaleza acima da vila.

As primeiras Irmãs do Santíssimo Sacramento pronunciaram seus votos em 8 de setembro de 1722. De lá, a congregação cresceu e atingiu Dauphiné.

A Revolução Francesa dispersa as irmãs, que continuaram, clandestinamente, suas obras de caridade. Em 1804 na cidade de Romans, a congregação pode se reorganizar.

Em 1906, as Irmãs do Santíssimo Sacramento saem de Romans e vão para Valence, onde estão até hoje. Atualmente, 44 comunidades da Congregação estão localizadas:


  • Na Europa (França, Itália, Inglaterra, Irlanda, Espanha),

  • América Latina (Brasil),

  • E desde 2004, na África (Tanzânia).

Suas obras


Apesar de uma vida plena a serviço de Deus, Padre Vigne escreveu vários livros: regras de vida, as obras de espiritualidade, bem como “méditations sur le plus beau livre qui est Jésus Christ souffrant et mourant sur la Croix.’’

Beatificação


Pierre Vigne foi beatificado pelo Papa João Paulo II no dia 3 de outubro de 2004.
Foi beatificado ao mesmo tempo que:


  • Marie-Joseph Cassant,

  • Anna Katharina Emmerick,

  • Maria Ludovica De Angelis,

  • Charles d'Autriche.

Referências Bibliográficas:

PIERRE VIGNE. 2015. Disponivel em .


Acesso em 14/julho/1



O missionário

No entanto, sentiu-se chamado para outro lugar, ele queria ser um missionário especialmente entre os pobres, modestos. Em 1700, entrou para os Lazaristas de Lyon onde recebeu uma sólida educação em missões populares de acolhimento aos pobres. Começou a viajar para cidades e vilas a fim de evangelizar as pessoas.

Em 1706, deixa os Lazaristas e torna-se um missionário itinerante. Assim, percorreu por mais de trinta anos as ruas de Vivarais, de Dauphiné, de Forez, Herault, até Alta Saboia e Haute-Garonne.

Via Sacra, Caminho de Vida Boucieu-le-Roi

Em 1712, Pierre Vigne contempla a localidade de Boucieu-le-Roi e pensa em Jerusalém. No espírito deste padre cheio de iniciativa, nasce uma ideia: implantar nesta paisagem, não a habitual “Via sacra” de catorze estações, mas todo um percurso espiritual, chamando-a “Viagem ao Calvário”.

Este percurso começa com a Ultima Ceia, na noite de quinta-feira Santa, continua com a Paixão de Cristo e sua Ressurreição, terminando com a descida do Espírito Santo, no Pentecostes.

A Eucaristia como Centro

A Eucaristia é o centro da Evangelização. Em suas missões, Pierre Vigne mostra o quanto ela está no coração de toda vida cristã. Porque está profundamente no coração de sua própria vida, não é de admirar que ele seja associado aos Padres do Santíssimo Sacramento de Monsenhor d’Authier de Sisgaud. Com eles, descobre a alegria do louvor eucarístico. Aliás, é o único “herdeiro” de seus Hinos e do Terço do SS. Sacramento, que transmitiu às Irmãs.



A Congregação das religiosas do SS. Sacramento

Constituída por sete religiosas, a congregação se dedicou à educação, catequese, pobres e enfermos. Cada vez mais foi aumentando o número de jovens que se consagra a Deus, e, em 1740, contava centena de religiosas. Com o tempo, a política anticlerical rebelou a perseguição religiosa, e as irmãs do SS. Sacramentinas tiveram de abandonar suas casas, e esconder-se para fugir do flagelo da guerra.

Primeiro renascimento Em 1804, sob o regime de Napoleão, a congregação se reconstitui. De 1852 a 1897, ou seja, durante quarenta e cinco anos, Me. São Jose Bouvaret dirige o instituto. Novas casas são fundadas na Itália e na Inglaterra. O instituto e as constituições são aprovadas pela Santa Sé.

Terceira República

Sob o ministério de combes, as leis obrigam as religiosas a fechar quase todas as suas escolas, todavia, o Instituto não foi dissolvido, e Combes a beneficia com o título de ‘’congregação autorizada’’ para o serviço dos enfermos. Todas as irmãs, sem trabalhos, chegam a Valence onde se acham em uma comunidade e um pensionato. Valence torna-se então, a Casa Mãe.

Passados anos, quando voltou à paz, cinco Irmãs se reencontraram e restauram a Congregação. Mais tarde em França, houve novas perseguições. Foi quando as Irmãs aceitaram o convite de Dom Jerônimo Tomé da Silva, arcebispo de Salvador, na Bahia, para virem trabalhar no Brasil.

-3-


Arriscar com coragem: Romanas 1804 – 1903

A exemplo de seu fundador, Pierre Vigne, as cinco irmãs que recomeçam então dão prova de muita coragem e de muita fé. Com sabedoria e firmeza Sœur Saint Philippe Benoît emprega todas as suas energias em reunir as irmãs e em dar um novo vigor a congregação, fortemente marcada pelas sequelas nefastas da Revolução.

Próximas de um povo que muito sofreu, as Irmãs são apreciadas pela missão que assumem: pequenas escolas gratuitas, asilos e hospitais, assistência aos doentes a domicílio.


  • 1826: Neste mesmo ano foi aberta a escola de Boucieu

  • 1869: Em setembro, é fundada a primeira comunidade na Itália.

  • 1874: A congregação abre uma casa na Inglaterra

  • 1885: Leão XIII aprova definitivamente as constituições. Doravante a congregação é de direito pontifício.

  • 1901: As leis francesas de laicização interdizem, na sua maioria, as atividades das Congregações Religiosas. As Irmãs são, então, expulsas de 56 escolas e hospitais.

A grande partida

Em 1903, o começo de uma grande aventura. Um apelo vem de Feira de Santana, no Brasil, para onde foi enviada a Irmã São Felix Baudet com quatro companheiras.

Em seguida, foram implantados na região, importantes colégios tendo anexa, a cada um deles, uma escola mais próspera da Congregação.

Hoje, as Religiosas brasileiras estenderam seu campo de apostolado às obras sociais. Elas formam a Região mais próspera da Congregação.



Durante os últimos trinta anos, as Irmãs do SS.Sacramento estabeleceram-se na Irlanda e na Espanha. Segundo o Concílio e os Capítulos de atualização, elas aprofundaram sua vida eucarística, fonte de esperança da igreja hoje. Na fidelidade às intenções do fundador, elas adaptaram sua vida religiosa e seu serviço apostólico, as atuais orientações da igreja, renovando, assim, a vitalidade e o entusiasmo missionário da Congregação.


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal