Rosário vocacional



Baixar 95,31 Kb.
Encontro02.08.2017
Tamanho95,31 Kb.
SEMANA DE ORAÇÃO

PELAS VOCAÇÕES

4 a 11 de maio de 2014

ROSÁRIO


VOCACIONAL

MISTÉRIOS DO ROSÁRIO


Comissão Episcopal Vocações e Ministérios

ROSÁRIO VOCACIONAL
NOTA INTRODUTÓRIA

Deus chama para escolhas definitivas, Ele tem um projeto para cada um: descobri-lo, responder à própria vocação é caminhar para a realização feliz de si mesmo” (Papa Francisco).

Que privilégio e que responsabilidade podermos rezar juntos a graça da vocação! Que privilégio e que responsabilidade querermos dar-lhe resposta! Não há felicidade humana profunda sem fidelidade à vocação pessoal e o Mundo precisa que dela, o Mundo precisa do meu SIM, da minha felicidade!

Entregamos a Maria, neste Rosário, todos os jovens, todos os que os acompanham na caminhada vocacional, todas as famílias e todos nós, a cuja porta Deus um dia bateu, para que, por intercessão d’Aquela que é para nós ícone de discípula e de mestra, saibamos viver com fidelidade, fortaleza e alegria o Mistério de Salvação que é cada vocação cristã.



MISTÉRIOS GOZOSOS

Pensar em vocação é, antes de mais, olhar para Aquele que é a Fonte, o Protagonista de toda e qualquer vocação: DEUS! É ouvir e guardar no coração aquelas palavras dirigidas ao Profeta: “Antes de te formar no seio materno, Eu te escolhi.” (Jer 1, 5) “Tu és Meu!” (Is 43, 1)

Deus AMA-ME! E porque me ama, ESCOLHE-ME, QUER-ME! Só quem sente em si mesmo - e no mais profundo de si mesmo - este convite único e irrepetível do Amor e ao Amor pode penetrar no Mistério da Vocação; que, ao seu “SIM”, passa a ser o Mistério e a aventura da sua vocação e da sua vida.

Sintamos sobre nós o olhar complacente d’Aquela que é o exemplo e modelo de toda a vocação, da minha vocação - Maria! Deixemo-la aproximar-Se; deixemos que Ela nos fale e nos faça entrar nesse profundo mistério que é o sabermo-nos chamados e, como Ela, responder SIM!33



1º Mistério - A Anunciação a Nossa Senhora:

O SIM de Maria a Deus.

Salvé, ó cheia de graça, o Senhor está contigo! Maria perturbou-SE… Não temas! O Espírito Santo virá sobre Ti!... Eis a escrava do Senhor. Faça-se em mim, segundo a tua palavra”. (conf. Lc 1)

Cada um de nós é fruto de um pensamento de Deus e é desejado e necessário” (Bento XVI). Maria é assim. A sua história é profundamente humana. No seu coração jovem e generoso, acalentava sonhos, ideais, projetos. Ela conhece o que trago dentro de mim; e não só conhece, mas compreende-o. Eis que um dia, Deus bate à sua porta e apresenta-lhe um sonho novo, um projeto novo, diferente dos seus. E Maria perturba-se, pois quando Deus entra de verdade na nossa vida, perturba… Deus é sempre surpreendente… Como Maria é grande na sua resposta! Teve a audácia de dizer SIM a Deus, e isto na obscuridade, sem ter as respostas ou as seguranças todas. Disse SIM e nunca mais voltou atrás! Trocou o seu plano pelo de Deus… E ficámos todos a ganhar!

Estou também eu disposto a apostar a minha vida no sonho de Deus, para bem da Humanidade? Há espaço em mim para Deus entrar? Compreendo a grandeza da minha vocação?



2º Mistério - A Visitação de Nossa Senhora a sua prima Isabel:

O SIM de Maria aos irmãos.

Maria pôs-se a caminho e dirigiu-Se apressadamente para as montanhas. “Donde me é dado que venha ter comigo a mãe do meu Senhor? A minha alma glorifica ao Senhor porque pôs os olhos na humildade da Sua serva…” (conf. Lc 1)

Tudo o que não se dá, perde-se” (B. Teresa de Calcutá). Maravilhosa “lei divina” que Maria cumpriu na perfeição! É que este “Tudo” e este “Dar” não dizem (só) respeito às coisas. O que está em causa sou EU. Deus, ao tocar o coração de Maria, deu-Se todo e Maria não poderia responder de outra forma. “O Amor atrai o Amor” (Sta. Teresa de Jesus) e ao Tudo de Deus em favor dos Homens, Maria responde igualmente com a oferta de Si aos irmãos, concretizada no serviço humilde àqueles que Deus colocou no Seu caminho. Sabendo que Deus fez n’Ela maravilhas e que tal tesouro não pode ficar “enterrado”, deixou-Se arder em tal grau de caridade que Se esqueceu completamente de Si mesma para “ em tudo amar e servir” (Sto Inácio de Loyola).

Meditações - Mistérios Gozosos34

Semana das Vocações

Vejo a minha vida e a minha vocação cristã como um serviço aos irmãos? O que me faz correr? Que faço de realmente gratuito pelos outros?



3º Mistério - O nascimento de Jesus em Belém:

O SIM de Maria a Jesus.

Quando eles ali se encontravam, completaram-se os dias de Ela dar à luz e teve o Seu Filho primogénito, que envolveu em panos e recostou numa manjedoura, por não haver lugar para eles na hospedaria”. (conf. Lc 2)

O próprio Deus desceu para permanecer connosco. Jesus fez-Se um de nós” (Papa Francisco). Este é o Mistério a que Maria teve de dar novo SIM. O Anjo havia-lhe dito que ia ser mãe do Messias, do Salvador. Ela sentiu em Si toda a grandeza do chamamento e, sobretudo, toda a omnipotência amorosa de Deus, o Deus fiel, que não esquece o Seu povo nem falha no que prometeu. Disse SIM… E eis que o Filho de Deus chega revestido de pobreza, de dependência, de fraqueza; para nos elevar, Ele aniquilou-Se. Maria sentiu em si este contraste entre grandeza e pequenez que tantas vezes sentimos ao toque de Deus. Jesus é diferente, é Deus, e quis vir ensinar-nos o jeito de Deus ser. Nós queremos subir; e Ele diz-nos que devemos primeiro baixar…

Como acolho eu Jesus? - Escandalizo-me? Envergonho-me? Creio que Ele é o Senhor e entrego-me a Ele? Procuro ser como Ele foi? Preocupo-me mais com a glória de Deus ou com a minha?



4º Mistério - A apresentação de Jesus no Templo:

O SIM de Maria à Lei.

Quando se cumpriu o tempo da sua purificação, segundo a Lei de Moisés, levaram-n’O a Jerusalém para O apresentarem ao Senhor”. (conf. Lc 2)

Maria tinha a consciência de ser parte do Povo de Deus, o povo que Deus tinha desposado, amado com amor eterno. Nele tinha sido criada e aí a sua vida ganhava sentido. Na sua humildade, sabia que se caminha para Deus pelos irmãos, os outros chamados, em obediência à lei de Deus.

Hoje, o Povo de Deus é a Igreja. A Igreja que, através dos Sacramentos, da proclamação da Palavra, dos seus preceitos, do acompanhamento espiritual, se torna Mãe. Preciso de nascer de novo, cada dia, na Igreja, minha mãe. Preciso de amar a Igreja, rezar por ela, perceber que o meu SIM a Deus é um SIM à Igreja, levando‑nos a viver em 35

Igreja, para a Igreja e, assim, em benefício de toda a humanidade. Cada um de nós precisa de perceber que “a minha alegria está em seguir as vossas ordens” (Sl 118, 72) porque só Deus é a fonte da verdadeira alegria. “Escolher Cristo supõe caminhar num só caminho, nunca em dois simultaneamente” (Frei Roger).

Com que frequência me abeiro dos Sacramentos, em especial da Eucaristia e da Reconciliação? Conheço e esforço-me por seguir os mandamentos de Deus? Tenho consciência de que toda a Igreja precisa do meu SIM generoso?



5º Mistério - A perda e o encontro de Jesus em Jerusalém:

O SIM de Maria à Cruz.

O menino ficou em Jerusalém sem que seus pais o soubessem. “Filho, porque nos fizeste isto? Olha que teu pai e eu andávamos aflitos à tua procura!” “Porque me procuráveis? Não sabíeis que devia estar em casa de Meu Pai?” (conf. Lc 2)

O Pai e a Sua vontade - eis o absoluto da vida de Jesus. Eis o Seu centro; o Seu alimento. Jesus foi certamente o primeiro a cantar em Seu coração “Só Deus basta” e a vivê-lo radicalmente até às últimas consequências. Quem se atreve a amar deste modo terá de aceitar o que Maria neste mistério aceitou - o dom da Cruz. Não há, nem pode haver, cristão algum sem cruz. Seguir a Cristo não é fácil, não é cómodo. É aceitar caminhar muitas vezes na escuridão, guardando pedaços de vida que não compreendemos no coração, como Maria. “Tu que aspiras a seguir o Senhor, não temas entrar numa Páscoa com Cristo. Ficar suspenso na Sua confiança, é o amor no estado puro” (Frei Roger). Precisamos de aprender a fiar-nos em Deus e a não ter medo do sofrimento - o que não custa, tem pouco valor… “Faz com que o Senhor escreva a tua história e que tu deixes que Ele a escreva” (Papa Francisco).

Estou disposto a arriscar a minha vida em Deus? Confio n’Ele e na Sua Palavra? É Ele que tem o primeiro lugar na minha vida? Aceito ruturas afetivas e efetivas para ser fiel ao Seu chamamento?

Meditações - Mistérios Gozosos36

Semana das Vocações



MISTÉRIOS DOLOROSOS

Segue-Me!” (Mt 9, 9) A minha vocação é responder com a vida a este apelo de Jesus. Apelo constante; incessante; desinstalação permanente: “Vem!” “Segue-Me!” E ao meu primeiro movimento de resposta: “Bom Mestre, que devo fazer?” (Mc 10, 17), Jesus não cede a facilidades, não recua um passo naquilo que foi a vocação que Ele próprio recebeu do Pai e da qual nos quer fazer participantes: Ninguém tem mais amor do que quem dá a vida” (Jo 15, 13). Deus é Amor e a minha vocação é ser perfeito no Amor, sabendo que “amar é dar tudo e dar-se a si mesmo” (Sta. Teresa do Menino Jesus). “Quem não está apaixonado não convence ninguém” (Papa Francisco) e não há amor verdadeiro sem lágrimas… Viver com paixão a Paixão do meu Salvador “que me amou e Se entregou por mim” (Gl 2,20) é o que faz de mim semente que não quer ficar só mas que quer dar o salto para o MAIS do Amor, para um Amor maior. Cada Cruz da minha vida é um MAIS (+) ao Amor. E “no amor pode-se sempre ir mais longe”(B. Isabel da Trindade)

Andemos juntos, Senhor! Por onde fores tenho de ir, por onde passares tenho de passar!” (Sta. Teresa de Jesus)

1º Mistério - A agonia de Jesus no Horto:

O MAIS da Obediência.

A Minha alma está numa tristeza morta, ficai aqui e vigiai. Caiu por terra e orou para que, se possível, passasse d’Ele aquela hora. Mas não se faça o que Eu quero e sim o que Tu queres”. (conf. Mt 26)

Como Jesus nos aparece tão humano neste momento da Sua vida! Jesus sentiu tristeza, sentiu angústia, sentiu medo… Sentiu o silêncio do Pai, precisamente ao chegar a hora de completar a obra que Ele Lhe confiara. Jesus precisou de rezar horas a fio para ter luz para discernir a vontade do Pai e ter força para a cumprir - Jesus sofreu na obediência, “no abandono total do Eu ao Tu do Pai, chamado Abbá” (Bento XVI). Obediência que revela a luta de amor do coração de Jesus: Jesus quis obedecer porque amava tanto que não podia deixar de o fazer. A vontade de Deus foi a Sua paixão, a paixão de todos os Santos. A vontade de Deus, a minha vocação, deve ser a minha paixão, o meu paraíso (Sta. Paula Frassinetti). Estou disposto a isto?

Senhor, faz com que não tenha receio de nada, porque tudo aquilo que acontece será unicamente a Tua vontade. Senhor, faz com que não deseje nada, porque nada é mais 37



desejável que a tua vontade. Senhor, faz com que eu não desanime com nada porque em tudo está a tua vontade”. (Chiara Lubich)

2º Mistério - A flagelação de Jesus:

O MAIS da Vontade.

Pilatos mandou levar Jesus e flagelá-l’O”. (conf. Jo 19)

Pilatos tinha afirmado, por três vezes, que Jesus estava inocente. No entanto, a pressão da multidão, o medo de perder o poder, fizeram-no mandar flagelar Jesus. Tormento indizível, cruel… e injusto, que Jesus quis suportar “sem abrir a boca”. Tinha feito a Sua entrega a Deus, o Seu coração estava íntegro, decidido; podiam despedaçar-Lhe o corpo - Ele não desviaria o rosto. Rosto que, contorcido pela dor, jamais perdeu a paz, o Seu olhar jamais conheceu o ódio, a condenação. Tinha aceitado salvar o mundo pelo Amor; e amou até ao fim. “A capacidade de sofrer por amor à verdade é medida de humanidade” (Bento XVI). Hoje, talvez neste momento, há muitos irmãos que são perseguidos, são torturados, morrem por serem cristãos, pela decisão firme de seguirem a Cristo sem “volta atrás”. Como lido eu com a dor que me vem deste mesmo seguimento? Estou pronto a ser testemunha?

Para Ti, Senhor, todo o meu coração, todos os seus afetos, todos os seus carinhos, todas as suas delicadezas… Mata-me antes que Te negue alguma coisa que queiras de mim. Senhor, por Tua Mãe, pelas Tuas almas, dá-me esta graça…” (Pe. Pedro Arrupe, sj)



3º Mistério - Jesus é coroado de espinhos:

O MAIS da Humildade.

Revestiram-n’O de um manto de púrpura e puseram-Lhe uma coroa de espinhos. Depois começaram a saudá-l’O: “Salvé, ó Rei dos Judeus!” Batiam-lhe na cabeça com uma cana, cuspiam sobre Ele e, dobrando os joelhos, prostravam-se diante d’Ele”. (conf. Mc 15)

Imaginemos por um momento esta cena evangélica e coloquemo-nos diante do Mestre abismado na humilhação, por amor de nós. Que me diz Ele?

Há em todo o ser humano uma tendência para a exterioridade - gostamos do brilho, dos aplausos, da boa imagem. Sta Teresa do Menino Jesus dizia que “a única coisa que não é invejada é o último lugar”; certamente teria razão. O saber calar frente

Meditações - Mistérios Dolorosos38

Semana das Vocações

a uma indelicadeza; o trabalhar sem esperar reconhecimento e honras; o escolher para si o pior, o mais difícil, por amor; o rezar por quem nos magoa; o dar e pedir perdão e reconhecer-me e aceitar-me débil e pecador… “Só quem se humilha, unido a Jesus, descobre a verdadeira vida. Nós temos medo disto, por pensar que os outros saiam vencedores; mas é assim o caminho” (Papa Francisco). Precisamos de aprender a descer dos nossos “tronos” e ir libertando o nosso coração para responder Àquele que o comprou por grande preço (1 Cor 6, 20).

Senhor, não se eleva soberbo o meu coração, nem se elevam altivos os meus olhos. Não ambiciono grandezas, nem coisas superiores a mim. Antes fico sossegado e tranquilo, como criança ao colo da mãe”. (Sl 130)



4º Mistério - Jesus carrega a sua Cruz a caminho do Calvário:

O MAIS da Fé.

Levaram-n’O, então, para O crucificar. Para Lhe levar a cruz requisitaram um homem que passava por ali ao voltar dos campos.” (conf. Mc 15)

Jesus desfalece; está irreconhecível… No entanto, há algo n’Ele que continua a atrair, a chamar… A prova são todos esses homens e mulheres que não tiverem medo do aparente fracasso, da dor, e correram generosamente a abraçar a cruz de Jesus que reconheceram nas suas vidas. Irmãos nossos que viveram em profunda fé, cativados por Jesus abraçado à cruz. “Não compreendeste a Minha Cruz? Toda a Minha vida desejei o teu amor. Tu já experimentaste muitas coisas, no teu desejo de seres feliz. Porque é que não experimentas abrir-Me o teu coração, agora mesmo, mais do que antes? Abre-Me, porque tenho sede de ti…” (B. Teresa de Calcutá). Abre-Me! Dá o salto da fé! Atreve-te a “amar a Deus, que é deixar, por Deus, tudo o que não é Deus” (S. João da Cruz)! Que vou responder?

Deixa-me, Senhor, seguir cegamente os caminhos que são os Teus; não vou procurar compreender as Tuas vias. Se, no silêncio, Tu me chamas à oferta, ajuda-me a responder, faz com que eu feche os olhos a tudo o que é meu, a fim de que, por fim morta para mim mesma, eu não viva que por Ti!...” (Sta. Teresa Benedita da Cruz).39



5º Mistério - Crucifixão e Morte de Jesus:

O MAIS da Esperança.

Quando chegaram ao lugar chamado Calvário, crucificaram-n’O a Ele e aos malfeitores. “Tudo está consumado.” E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.” (conf. Lc 23)

Na morte de Jesus os opostos tocam-se. Jesus entregou o espírito e eu recebi vida nova. Olhos humanos veem morte e fracasso, olhos cristãos veem Vida, força e glória. Tudo se deu, mas na verdade tudo se ganhou. Semeou-se em lágrimas, mas floriu a alegria sem fim e a paz.

A Paixão é fruto de uma total liberdade de Jesus em relação aos outros, ao esperado, às expetativas, às normas. É um ir contra tudo o que os outros estão à espera, por uma fidelidade total e única ao Pai e à Sua vontade - isto deve valer para mim” (Papa Francisco). Isto faz-me diferente e único. Esta é a minha vocação: “Para mim, viver é Cristo e morrer é lucro” (Fl 1, 21), sempre, a cada instante, em cada gesto, em cada escolha. “Tu que aspiras a viver perigosamente por causa de Cristo, perguntar-te-às todos os dias o que Ele quis dizer ao afirmar: “Quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á”. E um dia vais compreender o significado deste absoluto” (Frei Roger).

Quereria, Jesus meu, suprir o que o mundo não faz…, quereria amar a Tua bendita cruz com toda a ânsia (…), o tesouro que encerram as Tuas chagas, os Teus espinhos, a Tua sede…, a Tua agonia, a Tua morte, a Tua cruz… que poucos, Senhor, Te seguem ao Calvário…” (S. Rafael Arnaiz Báron).

MISTÉRIOS LUMINOSOS

No dia do nosso Batismo foi colocada em nós uma semente de vida nova, foi-nos oferecida de graça, pelo Sangue de Jesus, a santidade em gérmen, que, com a graça de Deus e o meu SIM ativo, me há-de fazer chegar “à estatura do Homem perfeito, Cristo” (Ef 4,13) Nessa mesma altura foi-me destinada uma vocação particular, na Igreja e na Humanidade. Uma vocação única e irrepetível à qual ninguém, exceto eu, pode dar resposta. A Providência de Deus vela por ela e a Sua Misericórdia ampara a fraqueza da minha resposta; mas sem a minha abertura e entrega à Graça todos esses dons ficarão inativos e o Mundo ficará mais pobre…

Meditações - Mistérios Luminosos40

Semana das Vocações

“O povo que andava nas trevas viu uma grande luz” (Is 9,2) A Luz única e verdadeira é Cristo; mas ainda há uma parte do Mundo que não conhece esta Luz, que continua a definhar na escuridão da morte sem ter quem lhe leve a luz da esperança e o calor de umas mãos amigas. Preciso de responder todos os dias à vocação que me foi dada para ser esta Luz e receber nas zonas escuras que levo dentro a luz que Cristo colocou no Irmão para dissipar as minhas trevas.

1º Mistério - O Batismo de Jesus:

LUZ pela proximidade.

Então, veio Jesus da Galileia ao Jordão... para ser baptizado por ele... Uma vez batizado, Jesus saiu da água e eis que se rasgaram os céus, e viu o Espírito de Deus descer como uma pomba... E uma voz vinda do Céu dizia: “Este é o meu Filho muito amado...”” (conf. Mt 3)

Jesus começa a Sua vida pública com (mais) um gesto profundo de humildade: Ele, “que não conhecera pecado” (2 Cor 5,21), vai colocar-Se na fila dos pecadores.

Deixar que Jesus venha hoje bem junto de mim, deixá-l’O olhar-me, tornar-Se próximo da minha fragilidade, do meu pecado, dos meus medos… deixar-me amar por Ele, aqui e agora, e ouvir então a voz do Pai que me chama “Bem-amado” e deixar-me possuir pelo Espírito que desce sobre mim. É assim que Jesus faz sempre, porque “é próprio do amor abaixar-se” (Sta. Teresa do Menino Jesus) e depois “unir e igualar entre si os que se amam” (S. João da Cruz), isto é, torna-me santo. Jesus precisa desta minha santidade porque será ela, por sua vez, que transbordará para outros que, até sem o saberem, estão sedentos dela. “Sair de si mesmo para se unir aos outros faz bem. A humanidade perderá por cada opção egoísta que fizermos” (Papa Francisco) Por isso, abandona-te, dá-te. Aí encontras a cura das tuas feridas e dos teus irmãos - n’Ele curamo-nos uns aos outros” (Frei Roger).

Estou consciente de que a minha vida e a minha vocação são um ser para os outros? Que os outros precisam do meu SIM? Que me torno mais Divino à medida que vou sendo mais humano?

2º Mistério - As bodas de Caná:

LUZ pela intercessão.

Como viesse a faltar o vinho, a mãe de Jesus disse-Lhe: “Não têm vinho”. E aos serventes: “Fazei tudo o que Ele vos disser”.41

Não basta estar fisicamente próximo, é preciso abrir o coração nessa proximidade, como Maria. Ela vive com disponibilidade interior, por isso percebe as necessidades dos outros; e, porque ama, não consegue ficar parada, descobre sempre novas formas de entrar em ação. Não é por isso que a sentimos tanto como nossa Mãe? Pois também cada um de nós tem uma maternidade/paternidade espiritual a descobrir. E a primeira maneira de a viver é pela oração, pelo ir a Jesus.

A oração é sempre fecunda e toda a salvação, toda a Vida nova de Jesus, vem por meio dela: “Há um paralelo surpreendente entre o convite da Mãe, nas bodas de Caná, para a vida pública e o convite do Pai para a morte pública. Num e noutro caso triunfou a obediência; em Caná a água foi transformada em vinho, no Calvário o vinho foi convertido em Sangue” (Fulton Sheen). À Palavra, Jesus opera o milagre; Jesus antecipa a sua Hora. Jesus não resiste a uma oração sincera, a oração de um coração que ama.

Rezamos pelo Igreja? Por toda a Igreja? Pelos nossos irmãos, que não conhecemos, em todo o mundo? Dizemos ao Senhor: “São os teus, são os nossos… protege-os!”? (Papa Francisco) Apercebo-me de que ser intercessor é parte da minha vocação?

3º Mistério - Anúncio do Reino:

LUZ pelo anúncio.

Jesus foi para a Galileia e proclamava o evangelho de Deus, dizendo: “Completou-se o tempo e o Reino de Deus está próximo: arrependei-vos e acreditai no Evangelho”. (conf. Mc 1)

S. Paulo diz que, se o mundo não quis reconhecer Deus, Deus não desistiu, resolveu salvá-lo “pela loucura da pregação” (1 Cor 1, 21). Esta foi também a “loucura” de Jesus, gastou a Sua vida para anunciar o Reino do Pai, em palavras e obras. Nos nossos dias continua a ser assim que o Reino cresce. Eu e tu somos “novos Cristos”, “chamados para iluminar e comunicar vida”. “Alguém poderia pensar: “eu não tenho nenhuma preparação especial, como posso ir anunciar o Evangelho?” Deus responde com as mesmas palavras dirigidas ao profeta Jeremias: “Não tenhas medo, pois Eu estou contigo para te defender!” Quando vamos anunciar Cristo, Ele mesmo vai à nossa frente e nos guia” (Papa Francisco). Tal como o coração de S. Francisco Xavier viveu abrasado nesse desejo de levar Jesus até à China, também o meu tem de viver essa paixão de levar Jesus a esse meio em que vivo, que é a “minha China”.

Meditações - Mistérios Luminosos42

Semana das Vocações

O amor, se é verdadeiro nunca está ocioso” (Sta. Teresa de Jesus). Que me está ele a dizer que devo fazer, no aqui e agora em que vivo? Os meus gestos e as minhas palavras deixam transparecer Cristo? O que preciso mudar, para me parecer mais a Ele?



4º Mistério - Transfiguração de Jesus:

LUZ pela oração.

Jesus subiu a um monte para orar. Enquanto orava, o aspeto do seu rosto modificou-se e as suas vestes tornaram-se de uma brancura fulgurante. E dois homens conversavam com Ele: Moisés e Elias, os quais, aparecendo rodeados de glória, falavam da sua morte que ia acontecer em Jesrusalém”. (conf. Lc 9)

Ao convidar alguns dos discípulos a uma maior intimidade com Ele, Jesus revela-lhes o “Seu segredo” - Jesus reza! A vida do Mestre só se compreende a partir da oração, aquela oração que é “estar muitas vezes a sós com Quem sabemos nos ama” (Sta. Teresa de Jesus). Oração que é encontro, partilha; que faz com que as coisas de um sejam do outro e o meu “eu” se perca num “nós” que lhe dá o seu sentido pleno. N’Ele descubro-me e, descobrindo-me, quero dar-me mais a Ele, pois o coração anda inquieto enquanto não O possui (Sto. Agostinho). E assim como o aspeto de Jesus se foi alterando, assim também a minha vida se vai alterando neste fogo onde o ouro que sou se vai purificando e onde me é confiada uma missão, a minha Páscoa. Preciso de viver assim, pois também a mim está pedido que no Coração da Igreja eu seja o Amor (Sta. Teresa do Menino Jesus), eu seja um orante.

Reservo no meu dia alguns espaços para estar a sós com Jesus? Consigo desarmar-me diante d’Ele, olhá-l’O nos olhos e deixar que Ele me desafie a mais? Procuro ajuda para crescer na minha vida de oração?



5º Mistério - Instituição da Eucaristia:

LUZ pela vida oferecida.

Isto é o meu corpo, que vai ser entregue por vós... Este cálice é a nova Aliança no meu sangue, que vai ser derramado por vós.” (conf. Lc 22)

Jesus não se contentou com fazer-Se Homem como nós, quis baixar-Se ainda mais. Não quis dar-Se só uma vez; quis permanecer nesse ato de total oferta de Si mesmo, usando uma matéria tão simples e tão banal como o pão e o vinho, sem se 43

deter em dignidades, prestígios, sucesso. Quis dar-Se sempre e para sempre, e em cada Eucaristia Ele volta a encarnar e a entregar-Se, cumprindo a Sua promessa: “Eu estarei convosco até ao fim dos tempos” (Mt 28, 20); sim, “ter-Me-ás por inteiro e por completo. Ficarei perto de ti, em ti; virei ao teu coração, inteiramente Salvador, inteiramente Cristo, Deus e Homem em toda a Minha plenitude, pelo prodigioso poder do Meu corpo e do Meu sangue” (B. John Henry Newman). É o Mestre da entrega… Foi este o caminho que escolheu para criar “os novos céus e a nova terra” (2 Pe 3,13) e a todos os que chama convida a isto: entrega-te, como Eu me entreguei!

Estou disposto a oferecer-me com Jesus e como Jesus, para que o mundo tenha vida em abundância? Como? Que me pede Ele? Vou ao Sacrário pedir luz, força, amor, para seguir esse apelo que Jesus me faz?

MISTÉRIOS GLORIOSOS

A vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo, que é a vossa vida, se manifestar, também vós vos haveis de manifestar com Ele na glória”. (Cl 3, 3-4)

Em todo o coração humano há uma sede infinita de glória, de felicidade. É por ela que lutamos, trabalhamos, nos levantamos cada manhã. É a nossa vocação única e universal: Deus gravou-a no nosso coração porque é ela “o Mistério escondido desde os tempos antigos e agora manifestado” (Cl 1, 26), o grande tesouro que Ele quer conceder-nos. É ela o fim, o sentido profundo da vida que me foi dada, como foi também o princípio de tudo. Não há verdadeira vocação cristã que não jorre da Páscoa de Jesus Cristo, da seiva nova, do fogo que Ele veio trazer à terra, e que não tenda para ela. A descoberta e a vivência da vocação é, em si mesma, um mistério de plenitude e alegria porque é deixarmo-nos invadir por Deus que é Alegria infinita” (Sta. Teresa de Jesus dos Andes). Se eu deixar, Deus quer fazer em mim maravilhas!...

Oh almas criadas para tão grandes coisas e a elas chamadas!, que fazeis? Em que vos detendes?” (S. João da Cruz)



1º Mistério - A Ressurreição de Jesus:

A ALEGRIA do encontro.

Mulher, porque choras? Quem procuras?... Não me detenhas, pois ainda não subi para o Pai; mas vai ter com os meus irmãos...” (conf. Jo 20)

Meditações - Mistérios Gloriosos44

Semana das Vocações

No início do ser cristão não está uma ideia mas o encontro com uma pessoa, Jesus Cristo” (Bento XVI), morto e ressuscitado. A nossa história pessoal está permeada por estes momentos de encontro com o Cristo pascal que Se revela e vem ao encontro das nossas lágrimas, das nossas esperanças, da nossa sede de amor. “Quando eu Vos procurei, já Vós antes me havíeis encontrado e incutido em mim o desejo de Vos procurar”, exclamou um dia Santo Agostinho ao comprovar na história da sua vocação como tudo foi iniciativa divina. Não somos nós que O escolhemos, é Ele que nos escolhe e nos enche o coração da alegria do encontro, alegria contagiante, que cresce na medida em que é partilhada. “Não nos ardia o coração quando Ele nos falava pelo caminho?” (Lc 24, 32)

Que me diz Ele? A Maria Madalena mandou-a avisar os discípulos; os discípulos de Emaús voltaram para Jerusalém… e eu, que passo me pede Ele? Aonde me leva a alegria de ser amado e escolhido por Cristo?



2º Mistério - A Ascensão de Jesus ao Céu:

A ALEGRIA do envio.

Ide, pois, e fazei discípulos de todos os povos, batizando-os e ensinando-os a cumprir tudo quanto vos mandei. E sabei que Eu estarei sempre convosco”. (conf. Mt 28)

Depois de Jesus ressuscitado ter ido ao encontro dos Seus discípulos, os ter reunido e confirmado na fé, eis que chega a hora de subir deste mundo para o Pai. É o Senhor da Vida e da História, a Sua ressurreição tornou o Reino de Deus presente já neste mundo; mas Ele continua a querer servir-Se de nós para o fazer crescer e estender-se a toda a humanidade. Esta foi a missão que todos recebemos e é por ela que estamos aqui.

Ide, sem medo, para servir. Atenção! Jesus não disse: se quiserem, se tiverem tempo, vão; mas disse: Ide e fazei discípulos entre todas as nações. É uma ordem, sim; mas não nasce da vontade de domínio, da vontade de poder. Nasce da força do amor” (Papa Francisco), que nos leva permanentemente a sair de nós mesmos mas, ao mesmo tempo, nos abre as portas da mais profunda alegria. “Não deixemos que nos roubem a alegria da evangelização!” (Papa Francisco)

Estou interiormente disponível para seguir o mandato do Senhor? O que me prende ainda? Sinto-me discípulo do Senhor, Seu enviado? 45

3º Mistério - A descida do Espírito Santo:

A ALEGRIA de Deus.

Viram então aparecer umas línguas à maneira de fogo, que se iam dividindo, e poisou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo”. (conf. Act 2)

Com a Sua Páscoa, Jesus dá-nos o maior de todos os dons - dá-nos a possibilidade de “ser Deus”, de entrar na intimidade divina, de mergulhar nessa comunicação eterna de amor que une o Pai e o Filho. Este Amor é o Espírito Santo. É Ele o selo com que foi marcada a minha fronte (Ap 7,3); é a paz e a alegria que Jesus disse que ninguém me poderia tirar (Jo 14); é “aquela força interior que harmoniza os corações com o coração de Cristo e os leva a amar os irmãos como Ele os amou” (Bento XVI); é a força misteriosa que sustém na fidelidade ao SIM, mesmo no meio da luta e do sofrimento, como dizia o profeta Jeremias: “Havia um fogo dentro dos meus ossos. Queria contê-lo… mas não podia!” (Jer 20, 9); é o que intercede por mim com gemidos inefáveis (Rm 8, 26) porque não pode desistir de mim, nunca.

Oh fogo consumidor, Espírito de Amor!, descei sobre mim, para que se faça na minha alma como que uma encarnação do Verbo e eu seja para Ele uma humanidade de acréscimo na qual renove todo o Seu Mistério!” (B. Isabel da Trindade). Aqui está o desejo mais profundo do meu ser, porque, apesar de toda a minha fragilidade, quero ser de Deus!

Rezo ao Espírito Santo? Entrego-me a Ele? Quero, de verdade, que em mim se realize todo o mistério de Jesus?

4º Mistério - A Assunção de Nossa Senhora ao Céu:

A PLENITUDE da nossa vocação.

Àqueles que de antemão conheceu, também os predestinou. E àqueles que predestinou também os chamou; e àqueles que chamou também os justificou; e àqueles que justificou também os glorificou”. (conf. Rm 8)

Maria tinha decidido dizer sempre SIM a Deus e toda a sua vida foi um longo e continuado SIM. Ela compreendeu que não bastava dizê-lo uma vez, no princípio, mas que a todo o instante era preciso cantar no coração: “Eu sou de Deus!” para conseguir viver essa entrega. Porque Deus vai sempre desafiando a um passo mais; “e para Deus sobe-se, descendo” (Sta. Teresa de Jesus)… Maria foi elevada ao mais alto do Céu porque, na Terra, nunca se importou de descer e Deus pôde operar n’Ela aquilo que S. João da Cruz dirá: “Abati-me tanto, tanto, que fui tão alto, tão alto” que

Meditações - Mistérios Gloriosos46

Semana das Vocações

alcancei a Deus e me uni a Ele por Amor. Maria conhece “o peso eterno de glória” (2 Cor 4, 17) que nos está reservado e não cessa de nos atrair para ele. “Caminha diante de nós e sempre nos confirma na fé, na vocação e na missão” (Papa Francisco).

Peço-lhe ajuda, rezo-lhe? Consagro-me a Nossa Senhora e ao seu Coração Imaculado para que ela me envolva na sua Pureza? Procuro imitá-l’a na sua vida humilde e pobre para que Deus me faça um dia gozar com ela da glória que me destinou?

5º Mistério - A Coroação de Nossa Senhora como Rainha do Céu e da Terra:

A GRANDEZA da nossa vocação.

Apareceu no céu um grande sinal: uma Mulher vestida de sol, com a lua debaixo dos pés e com uma coroa de doze estrelas na cabeça”. (conf. Ap 12)

Maria é verdadeira Mãe de Deus e esposa do Espírito Santo. Assim é, quase diríamos por direito, Rainha” (Irmã Lúcia), pois Deus, que “nunca se deixa vencer em generosidade” (Sta. Teresa do Menino Jesus) não deixa de recompensar aqueles que tudo deixam por seu amor. Mais ainda, Deus alegra-Se e rejubila com a glória dos Seus escolhidos, não descansa enquanto não os exalta. “É impossível, quando eles fazem o que é de sua parte, que Deus deixe de fazer o que é da Sua; Ele está como o sol sobre as almas para Se lhes comunicar” (S. João da Cruz) e as Suas delícias continuam a ser estar com os filhos dos homens (Pr 8,31). O Santo Padre diz-nos que “toda a vocação exige um êxodo de si mesmo para centrar a própria existência em Cristo e no Seu Evangelho” mas, ao mesmo tempo, não cessa de nos apontar a meta deste caminho de renúncia e despojamento: “Nós, cristãos, não somos escolhidos pelo Senhor para coisas pequenas; ide sempre mais além, rumo às coisas grandes. Jogai a vida por grandes ideiais!”

Estou disposto a isto - a jogar a vida por Jesus e pelo Seu Evangelho? Faço a minha parte? Quero ser santo?



ORAÇÃO FINAL

Santa Maria, Mãe de Deus, vós destes ao mundo a luz verdadeira, Jesus, Vosso Filho - Filho de Deus. Entregastes-vos completamente ao chamamento de Deus e, assim, vos tornastes fonte da bondade que d’Ele brota. Mostrai-nos Jesus. Guiai-nos para Ele. Ensinai-nos a conhecê-l’O e a amá-l’O para podermos, também nós, tornar-nos capazes do verdadeiro amor e ser fontes de água viva no meio de um mundo sequioso (Bento XVI, Deus Caritas est).


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal