Rosa de Ouro 50 anos



Baixar 45,18 Kb.
Encontro07.02.2017
Tamanho45,18 Kb.
Rosa de Ouro – 50 anos”: Sesc celebra meio século do espetáculo que mudou a história do samba com Hermínio Bello de Carvalho

 

No Teatro Sesc Ginástico, Áurea Martins, Mariana Baltar, Marcos Sacramento e outros talentos do samba cantam em homenagem a Clementina de Jesus e Paulinho da Viola

            

“Rosa de Ouro – 50 anos” é uma homenagem do Sesc ao espetáculo idealizado pelo poeta, produtor musical e diretor Hermínio Bello de Carvalho, que representou um divisor de águas na Música Popular Brasileira ao apresentar pela primeira vez em um teatro da Zona Sul carioca o samba do morro, que era completamente marginalizado à época, os anos 60. Era 18 de março de 1965, no Teatro Jovem - bairro de Botafogo. Um inusitado show de samba quando as rádios e a televisão valorizavam ritmos americanos, italianos, latinos e bossa nova. Ficaria em cartaz por um mês, mas acabou se prolongando por um ano e depois circulou por todo o país, apresentando ao Brasil o talento de Elton Medeiros, Nelson Sargento, Paulinho da Viola, Anescarzinho do Salgueiro, Jair do Cavaquinho, Clementina de Jesus e Aracy Cortes, que resgataram compositores como Paulo da Portela, Nelson Cavaquinho, Cartola, Henrique Vogeler, Lamartine Babo, Sinhô e Ismael Silva. Agora, para celebrar meio século desta revolução cultural na história da MPB, o Sesc idealizou o projeto “Rosa de Ouro – 50 anos”, que estreia dia 12/5 (terça), às 19h, no Teatro Sesc Ginástico, a preços populares, entre R$5 e R$20. A homenagem continua nos dias 13/5 (quarta), 19/5 (terça) e 20/5 (quarta). Nestes quatro dias, o produtor Hermínio Bello de Carvalho, que criou o “Rosa de Ouro” há 50 anos e compôs a canção-título do espetáculo, revive o projeto histórico ao comandar o evento no ano em que completa oito décadas de idade. No palco, apresentações musicais de sambistas contemporâneos, como Nilze Carvalho, Mariana Baltar, Áurea Martins, Ana Costa e Marcos Sacramento, entre outros, que interpretam grandes clássicos do samba de todos os tempos.

 

- Há 50 anos, Hermínio plantou uma “rosa de ouro” que ainda germina na MPB. O Sesc celebra esse  projeto através de novos talentos do samba, que cresceram admirando artistas como Clementina de Jesus e Paulinho da Viola. Nesses shows, eles reverenciam seus ídolos - explica Leila Dantas, analista de música do Sesc.



 

            O projeto revitaliza a história da música brasileira e apresenta além dos shows, conversas mediadas pela jornalista Ana Claudia de Souza e exibição de imagens, fotos e depoimentos. Tudo sob a direção artística de Gustavo Guenzburger. Na direção musical, arranjos e interpretação musical, o Grupo Samba de Fato, com Alfredo Del-Penho (voz e violão), Pedro Amorim (voz e bandolim), Pedro Miranda (voz e percussão) e Paulino Dias (voz e percussão).

 

- É muito importante o que o Sesc está fazendo ao resgatar a memória da música brasileira. O Brasil é um país que não conserva sua história. Estou muito honrado em fazer parte de um projeto desse porte – ressalta Pedro Miranda, compositor e músico do Grupo Samba de Fato.



 

Na estreia, dia 12/5, Áurea Martins, renomada sambista que em 1960 cantava em programas de auditório na Rádio Nacional, se apresenta com Mariana Baltar, expoente no cenário do samba carioca. Ambas interpretam clássicos, como “Senhora Rainha”, “Samba de Fato” e “Pranto do Poeta”. Todos os dias os espetáculos iniciam e encerram com a canção tema, “Rosa de Ouro”. No início de cada show também será executada a música “Tempo de Rosa”, obra inédita de Pedro Amorim feita especialmente para o projeto, que será uma espécie de abre alas do evento.

 

- É motivo de muita honra e alegria fazer parte de um projeto que celebra os 50 anos de um show de extrema relevância para a história da música. Felicidade ainda maior é dividir o palco com Hermínio e Aurea, dois grandes ídolos, sob a direção musical dos bambas do Grupo Samba de Fato. Diante desse convite, só mesmo parafraseando Wilson das Neves: “ô, sorte!”– exalta Mariana Baltar.



           

No segundo dia do evento, 13/5 (quarta), o show será de Nilze Carvalho e Luiza Dionizio. Nilze, cantora, instrumentista e compositora de carreira internacional, divide o palco com Luiza, artista que concorreu ao 21º Prêmio da Música Brasileira na categoria Melhor Cantora de Samba e Melhor Cantora Pelo Voto Popular.

 

No terceiro dia de shows - 19/5 (terça) -, uma homenagem póstuma às talentosas Clementina de Jesus e Aracy Cortes, as vozes femininas que fizeram o “Rosa de Ouro”. Quem sobe ao palco para este tributo são as cantoras Ana Costa e Glória Bomfim. Grande personalidade do gênero, Glória é considerada uma das vozes mais expressivas do samba na atualidade. Representante da cultura dos terreiros de candomblé, ela impressiona ao interpretar suas raízes. Ana Costa, por sua vez, é afilhada musical de Martinho da Vila e criou o grupo de samba Roda de Saia.



           

Para fechar o “Rosa de Ouro – 50 anos”, Hermínio conversa sobre grandes talentos do samba antes do início dos shows de Nina Wirti e Marcos Sacramento. Neste dia – 20/05, quarta -, além do Grupo Samba de Fato, Thiago da Serrinha também sobe ao palco do Teatro Sesc Ginástico para uma grande homenagem a Paulinho da Viola, um dos autores do samba “Rosa de Ouro”. Cinquenta anos atrás, o cantor e compositor começava a carreira como integrante de influentes grupos de samba no início deste movimento artístico, como A Voz do Morro e Os cinco Crioulos.

 

Hermínio Bello de Carvalho (palestrante) - Poeta, produtor, diretor de espetáculos, compositor e cronista. Aos 80 anos de idade, sempre foi reconhecido como um importante ativista cultural. Foi um dos responsáveis pelo sucesso de Clementina de Jesus, reunindo-a com o violonista Turíbio Santos e fazendo-a estrela do musical "Rosa de Ouro", título homônimo da célebre canção que compôs com Paulinho da Viola e Élton Medeiros. Hermínio tem composições com outros parceiros ilustres, como Cartola, Carlos Cachaça, Pixinguinha, Baden Powell, D. Ivone Lara, Sueli Costa, Martinho da Vila e Zé Ketti.

 

Grupo Samba de Fato (direção Musical, arranjos e interpretação musical) - Grupo carioca integrado por Alfredo Del-Penho (voz e violão), Pedro Amorim (voz e bandolim), Pedro Miranda (voz e percussão), Paulino Dias (voz e percussão). Lançou CD com Cristina Buarque com 30 canções inéditas, fez show de lançamento do CD “O samba informal de Mauro Duarte” no projeto “Plataforma”, realizado pelo Sesc Pompeia, em São Paulo. Participou da série “MPB na ABL”, na qual realizou sete shows na Academia Brasileira de Letras, com convidados como Monarco, Marcos Sacramento e Zé Renato. Foi o primeiro grupo a se apresentar no projeto “CCBB na Orla”, evento cultural gratuito promovido pelo Banco do Brasil na orla da Praia de Copacabana.

 

Programação:

Dia 12/05 (terça):

Rosa de Ouro – 50 anos” – Teatro Sesc Ginástico

Debate - Origens do Rosa: o Zicartola e o ambiente musical do Rio em 1965

Show de Mariana Baltar e Áurea Martins

 

Dia 13/05 (quarta):

Rosa de Ouro – 50 anos” – Teatro Sesc Ginástico

Debate - Popular e erudito: o formato mágico do “Rosa de Ouro”

Show de Nilze Carvalho e Luiza Dionizio

 

Dia 19/05 (terça):

Rosa de Ouro – 50 anos” – Teatro Sesc Ginástico

Debate - Clementina de Jesus e Araci Cortes: as vozes femininas do “Rosa de Ouro”

Show de Ana Costa e Glória Bomfim

 

Dia 20/05 (quarta):

Rosa de Ouro – 50 anos” – Teatro Sesc Ginástico

Debate - Talentos (re)conhecidos: as revelações do “Rosa de Ouro”

Show de Nina Wirti e Marcos Sacramento

 

Repertório:

Dia 12/5 - terça

1.         Rosa de ouro (Élton Medeiros / Paulinho da Viola / Hermínio Bello de Carvalho) / Quatro crioulos (Élton Medeiros / Joacyr Santana)

2.        Tempo de Rosa (Pedro Amorim) / Feliz Aniversário (Villa-Lobos / Manuel Bandeira)

3.        Cidade mulher (Paulo da Portela)

4.        Pam pam pam (Paulo da Portela)

5.        Quitandeiro (Paulo da Portela / Monarco)

6.        Batuque na cozinha (João da Bahiana)

7.        Senhora Rainha (Villa-Lobos / Hermínio Bello de Carvalho)

8.        Mundo melhor (Pixinguinha / Vinícius de Moraes) – Mariana Baltar

9.        Linda flor (Henrique Vogeler / Luís Peixoto / Marques Porto) – Mariana Baltar

10.     Samba de Fato (Pixinguinha / Cícero de Almeida)

11.     Pranto de poeta (Nelson Cavaquinho / Guilherme de Brito) / O sol nascerá (Cartola / Elton Medeiros)

12.     Minha vontade (Chatim) – Áurea Martins

13.     Benguelê (Pixinguinha / Gastão Viana) – Áurea Martins

14.     Yaô (Pixinguinha / Gastão Viana)

15.     Rosa de Ouro (Élton Medeiros / Paulinho da Viola / Hermínio Bello de Carvalho) – Todos juntos

 

Dia 13/5 - quarta

1.        Rosa de ouro (Élton Medeiros / Paulinho da Viola / Hermínio Bello de Carvalho) / Quatro crioulos (Élton Medeiros / Joacyr Santana)

2.        Tempo de Rosa (Pedro Amorim) / Feliz Aniversário (Villa-Lobos / Manuel Bandeira)

3.        Aos pés da cruz (Marino Pinto / Zé da Zilda)

4.        Calo de estimação (Zé da Zilda / José Thadeu)

5.        Império do samba (Zé da Zilda / Zilda do Zé)

6.        Batuque na cozinha (João da Bahiana)

7.        Senhora Rainha (Villa-Lobos / Hermínio Bello de Carvalho)

8.        Carinhoso (Pixinguinha / João de Barro) – Nilze Carvalho

9.        Linda flor (Henrique Vogeler / Luís Peixoto / Marques Porto) – Nilze Carvalho

10.     Samba de Fato (Pixinguinha / Cícero de Almeida)

11.     Pranto de poeta (Nelson Cavaquinho / Guilherme de Brito) / O sol nascerá (Cartola / Elton Medeiros)

12.     O lenço (Monarco / Francisco Santana) – Luiza Dionizio

13.     Benguelê (Pixinguinha / Gastão Viana) – Luiza Dionizio

14.     Yaô (Pixinguinha / Gastão Viana)

15.     Rosa de ouro (Élton Medeiros / Paulinho da Viola / Hermínio Bello de Carvalho) – Todos juntos

 

Dia 19/5 - terça

1.        Rosa de ouro  (Élton Medeiros / Paulinho da Viola / Hermínio Bello de Carvalho) / Quatro crioulos (Élton Medeiros / Joacyr Santana)

2.        Tempo de Rosa (Pedro Amorim) / Feliz Aniversário (Villa-Lobos / Manuel Bandeira)

3.        Que samba bom (Geraldo Pereira / Arnaldo Passos)

4.        Escurinho (Geraldo Pereira) / Escurinha (Geraldo Pereira / Arnaldo Passos)

5.        Sem compromisso (Geraldo Pereira / Nelson Trigueiro)

6.        Batuque na cozinha (João da Bahiana)

7.        Senhora Rainha (Villa-Lobos / Hermínio Bello de Carvalho)

8.        Fala baixinho (Pixinguinha / Hermínio Bello de Carvalho) – Ana Costa

9.        Linda flor (Henrique Vogeler / Luís Peixoto / Marques Porto) – Ana Costa

10.     Samba de Fato (Pixinguinha / Cícero de Almeida)

11.     Pranto de poeta (Nelson Cavaquinho / Guilherme de Brito) / O sol nascerá (Cartola / Elton Medeiros)

12.     Benguelê (Pixinguinha / Gastão Viana) – Glória Bomfim

13.     Caboclo Guaracy (Paulo Cesar Pinheiro) – Glória Bomfim

14.     Yaô (Pixinguinha / Gastão Viana)

15.     Rosa de ouro (Élton Medeiros / Paulinho da Viola / Hermínio Bello de Carvalho) – Todos juntos

 

Dia 20/5 - quarta

1.        Rosa de ouro (Élton Medeiros / Paulinho da Viola / Hermínio Bello de Carvalho) / Quatro crioulos (Élton Medeiros / Joacyr Santana)

2.        Tempo de Rosa (Pedro Amorim) / Feliz Aniversário (Villa-Lobos / Manuel Bandeira)

3.        O que será de mim (Ismael Silva / Nilton Bastos / Francisco Alves)

4.        Com a vida que pediste a Deus (Ismael Silva)

5.        Se você jurar (Ismael Silva / Nilton Bastos / Francisco Alves)

6.        Batuque na cozinha (João da Bahiana)

7.        Senhora Rainha (Villa-Lobos / Hermínio Bello de Carvalho)

8.        Isso é que é viver (Pixinguinha / Hermínio Bello de Carvalho) – Nina Wirti

9.        Linda flor (Henrique Vogeler / Luís Peixoto / Marques Porto) – Nina Wirti

10.     Samba de Fato (Pixinguinha / Cícero de Almeida)

11.     Pranto de poeta (Nelson Cavaquinho / Guilherme de Brito) / O sol nascerá (Cartola / Elton Medeiros)

12.     Festa da Penha (Cartola / Asobert) – Marcos Sacramento

13.     Benguelê (Pixinguinha / Gastão Viana) – Marcos Sacramento

14.     Yaô (Pixinguinha / Gastão Viana)

Rosa de ouro (Élton Medeiros / Paulinho da Viola / Hermínio Bello de Carvalho) – Todos juntos

 

Serviço 

Rosa de Ouro – 50 anos”

Dias 12, 13, 19 e 20 de maio



Teatro Sesc Ginástico

Endereço: Avenida Graça Aranha, 187, Centro.

Tel.: (21) 2279-4027

Horário: 19 h.

Preço: R$5 (comerciários), R$10 (estudantes e idosos) e R$20.

Classificação: 12 anos

Duração: 120 minutos.

Capacidade: 513 lugares.

 

Roteiro dos debates:

Dia 12/05 - Origens do Rosa: o Zicartola e o ambiente musical do Rio em 1965

Para começar as conversas de “Rosa de Ouro – 50 anos, vamos voltar ao início de tudo, antes da criação do espetáculo. No primeiro show do projeto, o bate-papo com Hermínio Bello de Carvalho será em torno de um momento de grande efervescência cultural no Rio, onde tudo convergia para um endereço: o Zicartola, polo cultural, gastronômico e musical, ponto de encontro criado pelo compositor Cartola e sua mulher, Zica, que funcionou no Centro do Rio por apenas dois anos, promovendo o encontro dos nomes mais importantes do samba carioca. Conforme depoimento do Hermínio no livro “Zicartola”, de Maurício Barros de Castro, a concentração no Zicartola foi razão da existência tanto do musical “Opinião” - que estreou em dezembro de 1964 lançando Maria Bethânia -, quanto da própria Clementina, que no mesmo mês estreou no Teatro Jovem. Este show resultou no “Rosa de Ouro” em 1965.

 

Dia 13/05 – Popular e erudito: o formato mágico do “Rosa de Ouro”

Inovador e emocionante, o show “Rosa de Ouro” estreou no ano seguinte ao Golpe Militar, em um delicado momento de repressão cultural. Nesta época, o Brasil conhecia nomes importantes do samba tradicional que também incluíam no repertório o erudito Villa Lobos. Morro e asfalto, erudito e popular. Essas contradições eram ferramentas do show. Além dos músicos ao vivo no palco, exibiu depoimentos, projetando numa tela no centro do palco, voz e imagem que interagiam com o repertório do espetáculo. Um show de interatividade e vanguarda. Neste segundo dia, o bate-papo com Hermínio gira em torno dessa mistura que fez do espetáculo um marco na música brasileira.  

 

Dia 19/05 - Clementina de Jesus e Araci Cortes: as vozes femininas do “Rosa de Ouro”

Em 1965, aos 63 anos de idade, Hermínio Bello de Carvalho lançou uma das mais autênticas e talentosas cantoras brasileiras: Clementina de Jesus. E possibilitou o reencontro com o público de uma das maiores estrelas do teatro de revista, Araci Cortes, que fizera muito sucesso nos teatros da Praça Tiradentes nos anos 20 e 30. No terceiro show, a conversa com Hermínio será sobre as vozes femininas que marcaram o espetáculo.



 

Dia 20/05 – Talentos (re)conhecidos: as revelações do “Rosa de Ouro”

Conhecidos nas rodas de samba da cidade, Elton Medeiros, Anescarzinho do Salgueiro, Nelson Sargento, Jair do Cavaquinho, e o então iniciante Paulinho da Viola formavam o grupo Cinco Crioulos. Aos 63 anos, Clementina de Jesus era uma revelação e a veterana Araci Cortes, uma redescoberta. Era mais uma das muitas ideias de Hermínio, de que “talento e qualidade são atemporais”, como escreve Alexandre Pavan, no livro “Timoneiros – Perfil biográfico de Hermínio Bello de Carvalho”. No último show de “Rosa de Ouro – 50 anos”, Hermínio conversa sobre a importância do show histórico na carreira de todos os artistas que participaram do espetáculo.


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal