Questionário 1 Defina ciclo celular. R



Baixar 102.58 Kb.
Encontro22.05.2020
Tamanho102.58 Kb.
Genética Animal

PUC – Poços de Caldas/MG

Jéssica Della Roza Matias – 3º Período – Medicina Veterinária

Questionário 1

1. Defina ciclo celular.

R:Ciclos celulares são diversas modificações que ocorrem em uma célula, desde o seu surgimento, até a sua divisão em duas células filhas. Ela é dividida em fase pré-divisional (interfase) que é a preparação (funcional) e a fase divisional (fase M) que é a multiplicação (não funcional).

2. Classifique as células animais com relação à capacidade de sofrer ciclos consecutivos.

R:

Lábeis: Pouco diferenciada. Passa toda vida do organismo em divisão. Só para quando o animal vem a óbito.

Ex: Epiderme.

Estáveis: Célula que sofre o ciclo por determinado tempo, ao chegar um estímulo ela interrompe. Volta a ciclar quando ocorre uma lesão com estímulo.

Ex: Fibroblasto.

Permanentes: Se divide por determinado tempo e depois interrompe e não volta a se dividir mais.

Ex: Neurônio, célula satélite, cardiomiócitos.

3. O que é a intérfase?

R: A interfase é o período entre duas divisões celulares consecutivas. Durante ela os filamentos cromossômicos permanecem descondensados no interior do núcleo, constituindo a cromatina (complexo de DNA e proteínas que está dentro do núcleo celular das células eucarióticas). É durante a interfase que o DNA cromossômico está ativo e em produção constante de moléculas de RNA. É também durante a interfase que a célula cresce e que o DNA dos cromossomos se duplica, preparando a célula para uma próxima divisão.

Ela é subdividida em 3 partes: G1 (GAP 1), S (Síntese) e G2 (GAP 2). Existe também a parte GO (Out).



4. Quais são as subfases da intérfase?

R:A intérfase é subdividida em três partes:

G1 (GAP 1): Essa é a fase mais longa e variável no ciclo celular. É ela que antecede a duplicação do DNA cromossômico e durante ela a célula cumpre suas funções “propriamente ditas”. Existem células que não passam desse estado e permanecem nele até a sua morte. Isso acontece quando a célula não recebe estímulos para realizar sua divisão e acaba cumprindo somente o seu papel celular com o metabolismo normal, sem duplicar material genético ou se dividir. Diz-se então que a célula permaneceu em estado G prolongado ou GO. As células do nosso sistema nervoso, por exemplo, ficam na fase GO por toda a sua vida. Já o fibroblasto, célula da nossa pele, pode permanecer na fase GO até que receba um estímulo como quando temos algum ferimento, por exemplo.

Está fase dura em torno de 10 a 11 horas.



S (Síntese): Nesta fase ocorre o processo de duplicação do material genético. Nesse período, a célula está realizando suas funções metabólicas e ao final dessa etapa o DNA estará totalmente duplicado. Acontece também a “revisão” dos processos anteriores, caso ela não consiga corrigir algum processo que está errado, esta célula entra em apoptose.

Está fase dura em torno de 9 a 10 horas.



G2 (GAP 2): Nessa fase são produzidas substâncias que irão contribuir para a formação das células-filhas e nela as organelas serão duplicadas.

Está fase dura em torno de 3 a 4 horas.



5. O que são cromátides irmãs?

R:Os cromossomos são constituídos por dois filamentos unidos pelo centrômero. Cada um desses filamentos é denominado de cromátide. As duas cromátides encontradas em um cromossomo duplicado (a duplicação ocorre durante a interfase na divisão celular) são denominadas de cromátides-irmãs. No processo de divisão celular, elas separam-se, indo cada uma para uma célula-filha.

6. O que são alelos?

R: Os alelos são as formas alternativas de um determinado gene e ocupam um mesmo loco em cromossomos homólogos.

Ex:A e a (Apesar de A e a serem o mesmo gene, eles apresentam-se modificados, determinando algumas alterações para a mesma característica).

7. Quais são os intervalos de regulação interfásica?

R: É quando o ciclo para em certos pontos e só volta quando há condições melhores como quando tem uma quantidade adequada de nutrientes ou quando a célula atinge certas dimensões.

8. O que é a fase M?

R:A fase M (mitose) é a etapa da divisão celular propriamente dita, na qual o material genético será divido entre duas células filhas. Esta fase é subdividida em Prófasemetáfaseanáfase e telófase. Com o final da mitose, vem à citocinese, que é o fim da divisão celular e é a fase em que os citoplasmas são clivados em dois, gerando duas células filhas.

9. Caracterize as etapas da mitose.

R: É subdividida em 4 fases:

Prófase:cromossomos duplicados como duas cromátides-irmãs unidas pelo centrômero. Inicia-se a formação do fuso mitótico, formado por microtúbulos que partem do centrossomo e são responsáveis por garantir a movimentação dos cromossomos durante a mitose. Nessa fase os nucléolos desaparecem. Enovelamento do material genético.

Metáfase: os cromossomos estão dispostos no plano equatorial da célula. Eles migram para essa região graças à ação dos microtúbulos. Nessa etapa os cromossomos atingem o maior grau de condensação.

Anáfase: as cromátides-irmãs separam-se e migram para cada polo da célula devido ao encurtamento dos microtúbulos. Durante essa etapa, que é a mais curta de toda a mitose, observa-se o alongamento da célula. Ao final, em cada extremidade, será encontrada uma coleção completa de cromossomos.

Telófase: os envoltórios nucleares são reconstruídos, dando origem a dois núcleos. O nucléolo também reaparece, e os cromossomos descondensam-se. Os microtúbulos do fuso desaparecem. Cresce membrana no meio, dividindo e assim formando duas células.

10. Caracterize as etapas da meiose.

R: A meiose é um processo com duas divisões celulares. As primeiras etapas são:

Prófase I: Acontece o pareamento dos cromossomos homólogos e o possivelmente o crossing-over, que é a troca de pedaços entre os cromossomos.

Está é dividida em 5 fases:

  • Leptóteno: há a condensação dos cromossomos;

  • Zigóteno: os cromossomos, duplicados, emparelham-se com seus homólogos;

  • Paquíteno: início das permutações (crossing-over), propiciando, em termos práticos, a variabilidade genética, uma vez que há a troca de segmentos homólogos entre cromátides não-irmãs de um par de cromossomos homólogos;

  • Diplóteno: os cromossomos começam a se afastar, mas com seus centrômeros inalterados;

  • Diacinese: há a completa separação dos homólogos e a carioteca desaparece.

Metáfase I: Os cromossomos estão na região equatorial, ligados pelas fibras do fuso. Eles são ligados pelas fibras apenas de um lado.

Anáfase I: Acontece a separação dos cromossomos homólogos (diferentemente da mitose). Nessa etapa, a quantidade de material genético da célula reduz para a metade.

Telófase I: Os cromossomos já estão alinhados aos pólos da célula. A citocinese é opcional.

Após o término da primeira divisão, começam a segunda:

Prófase II: O envoltório nuclear desapareceu.

Metáfase II: As fibras do fuso se ligam aos dois lados do cromossomo.

Anáfase II: Na anáfase II, ocorre a separação das cromátides irmãs. Assim, o resultado são quatro células haplóides.

Telófase II: Os núcleos e as organelas se reorganizam. A citocinese divide as células.

11. O que são cromossomos homólogos?

R: Cromossomos homólogos são os pares de cromossomos herdados do pai e da mãe que possuem informações genéticas semelhantes, assim como comprimento, estrutura, quantidade, localização de genes e centrômeros também similares.

12. Diferencie divisão meiótica reducional de equacional.

R: Na anáfase reducional, há a separação dos pares de cromossomos homólogos, ou seja, o genoma original será divido pela metade; já na equacional, há a separação das cromátides-irmãs dos cromossomos, desse modo haverão 4 células-filhas com a metade dos cromossomos. Primeiro divide o genoma (2 celulas-filhas), depois multiplica (4 células-filhas ).

13. Diferencie intérfase de intercinese.

R: Interfase é o período do ciclo celular aumenta o seu volume e duplica o seus cromossomos. A intercinese é o intervalo de tempo que separa as diferentes etapas da meiose.

14. Conceitue crossing-over e diga em qual fase da meiose ele acontece. Qual seu principal objetivo?

R: Processo onde ocorre a troca de material genético entre cromossomos homólogos. Acontece durante a etapa reducional (prófase I) da divisão celular meiose. Aumenta a variabilidade genética

15. Explique como se consegue variabilidade meiótica desvinculada de mutação e crossing.

R: Pose-se conseguir variabilidade meiótica além de mutação e crossing das seguintes formas:

Seleção natural: selecionam os genótipos mais bem adaptados a uma determinada condição ecológica, isto é aquele que pode deixar descendentes, eliminando aqueles desvantajosos para essa mesma condição.  A seleção natural tende, a diminuir a variabilidade genética. Desse modo, quanto mais intensa for a seleção natural sobre uma determinada população, menor será a sua variabilidade, pois apenas alguns genótipos serão selecionados. A seleção natural atua permanentemente sobre todas as populações. Mesmo em ambientes estáveis e constantes, a seleção natural, que age de modo estabilizador, está presente, eliminando os fenótipos desviantes.

Fluxo gênico ou migração que é o movimento de genes de uma população para outra. Essa troca de genes pode ser feita de diferentes maneiras, como a dispersão de indivíduos que podem se estabelecer em uma população diferente da que nasceu, ou mesmo um grão de pólen sendo transportado a um local distante.

Deriva genética: Este processo modifica aleatoriamente as frequências dos alelos ao longo do tempo, podendo ocasionar a redução da variabilidade genética de uma determinada população e diminuir sua habilidade em se manter caso ocorra alguma alteração em seu ambiente. Além disso, a deriva genética age drasticamente em populações com um número de indivíduos reduzido, sendo particularmente importante para a conservação de espécies raras ou ameaçadas de extinção.

16. Conceitue 1ª lei de Mendel.

R: primeira lei de Mendel diz que cada característica é condicionada por um par de fatores que se separam na formação dos gametas. Para chegar a essa conclusão, Mendel realizou uma série de experimentos com ervilhas que foram uma escolha importante para o sucesso do experimento, uma vez que apresentam várias características que podem ser estudadas, apresentam curto tempo de geração, geram grande número de descendentes, além do fácil cultivo. Para realizar seu experimento, Mendel analisou características que apresentavam duas formas distintas, como sementes verdes e amarelas, e flores brancas e púrpuras. No total, foram estudadas sete características: forma da semente (lisa ou ondulada), cor da semente (amarela ou verde), cor da flor (púrpura ou branca), forma da vagem (inflada ou constrita),cor da vagem (verde ou amarela), posição da flor (axial ou terminal) e comprimento do caule (alto ou anão).

Nesses experimentos, ele utilizou plantas chamadas de purasou seja, plantas que, após sucessivas gerações, davam origem a plantas com a mesma característica.



17. Diferencie característica herdada de adquirida.

R: A característica herdada é onde ocorre a transferência de caracteres genéticos existente nos ascendentes (geração parental) a seus descendentes (geração filial) durante a fecundação. Podendo os descendentes ocultar ou manifestar as características herdadas, inscritas no material genético, mais precisamente pela expressão gênica dos cromossomos. Já a característica adquirida é uma alteração não hereditária numa função ou estrutura de um material biológico vivo causado após o nascimento, por doença, lesão, acidente, modificação deliberada, variação, uso repetido, desuso ou uso indevido ou outras influências ambientais. Uma característica herdada.

18. Diferencie genótipo de fenótipo.

R: Genótipo é o conjunto formado pelos genes de um indivíduo que não são modificados naturalmente. O fenótipo refere-se às características visíveis que podem ser modificadas.

19. Diferencie fenótipo de fenocópia.

R: O fenótipo é o que é realmente expressado pelos indivíduos, ou seja, o indivíduo, mesmo que tenha dois ou mais genes iguais, com características diferentes, irá expressar apenas um deles. A fenoscópia ocorre quando um fenótipo é afetado pelo ambiente, podendo ser afetado pela alimentação, temperatura, entre outras características ambientais.

20. Diferencie homozigose de heterozigose.

R: Quando encontramos cromossomos homólogos com alelos diferentes, denominamos o indivíduo de heterozigoto e algumas vezes, no entanto, os cromossomos homólogos apresentam genes alelos que determinam o mesmo aspecto, ou seja, o mesmo alelo ocorre em dose dupla, chamado de homozigoto.

21. O que é herança monogênica?

R: São determinadas por um alelo específico num único locus em um ou ambos os membros de um par de cromossomos homólogos. Obedecem à primeira lei.

22. Quais são os tipos de heranças monogênicas?

R: Os tipos de heranças monogênicas são:

Autossômica: Dominante Recessiva

Ligada ao X: Dominante Recessiva

23. Diferencie penetrância reduzida de expressividade variável.

R: Penetrância reduzida ou incompleta é quando apenas uma parcela dos indivíduos com o mesmo genótipo expressa o fenótipo correspondente. Já a expressividade variável é quando a expressão do alelo resulta no aparecimento de vários padrões de fenótipos ou vários graus de expressão.

24. O que é imprinting? Dê exemplos.

R: Imprinting ocorre quando alguns genes se expressam em um alelo somente, enquanto o outro fica inativo. Esse processo determina as diferenças da expressão genética herdada da mãe e do pai. Em ovinos, podem ser observados alguns animais que possuem uma hipertrofia muscular e carcaças com quantidade reduzida de gordura, sendo, por muitos, considerados animais de carcaças ideais para produção de carne.

25. Em coelhos, o gene L condiciona pelos curtos e o seu alelo condiciona pelos longos. Vários cruzamentos entre indivíduos heterozigotos produziram 66 coelhos com pelos curtos e 21 coelhos com pelos longos. Se todos os 66 coelhos, com pelos curtos, forem cruzados com indivíduos com pelos longos e cada cru­zamento produzir 6 filhotes, quantos filhotes com pelos longos podem ser esperados des­ses cruzamentos?

R: Cada cruzamento de L com l gerarão 6 descendentes, 44 cruzamentos gerarão 264 descendentes, ½ de pelos longos, ou seja, 132 descendentes.

L pelos curtos

l pelos longos

Ll x Ll

66L = 1/3 LL (22) e 1/3 Ll (44)

21ll

Ll x ll = ½ Ll e ½ ll.

26. Em um cruzamento entre um camundongo negro e outro branco, todos os indivíduos da geração F1 nasceram negros. A geração F2 é formada, aproximadamente, por ¾ de camundongos negros para 1/4de camundongos brancos.

  1. Faça um esquema dos cruzamentos descritos indicando os genótipos e os fenótipos.

  2. Se ocorrer o cruzamento entre outros camundongos brancos da geração F2, qual será o fenótipo dos descendentes?

R:

A)

A geração parental é de camundongo negro e um branco, gerando uma F1 de negros, ou seja, a cor negra é dominante e a cor branca é recessiva.

Assim, teremos os seguintes genótipos:

  • Camundongo negro: AA, Aa

  • Camundongo branco: aa

Como todos nasceram negros, sabemos que o parental negro era homozigoto (AA). O cruzamento foi fenótipo negro (genótipo AA) com fenótipo branco (genótipo aa). AA x aa vai gerar 4 indivíduos de genótipo Aa e, consequentemente, fenótipo negro.

Negro x Branco

         |    A    |     A    

   a    |   Aa  |    Aa   

   a    |   Aa  |    Aa   



100% da prole apresentará o genótipo Cc e  seu fenótipo serão negros.

F² Cruzamento de Cc x Cc (que são o resultado do primeiro cruzamento)

          |        A   |      a     

     A   |      AA  |      Aa   

    a   |     Aa  |     aa 



Fenótipo: 75% negros                            Genótipo: 50% Cc

              25% brancos                                          25% CC



                                                                           25% cc

B)

O próprio enunciado nos diz que o cruzamento de F1 gera 75% de fenótipo negro e 25% de genótipo branco:

Aa x Aa: AA (25%), Aa (50%), aa (25%).

Pelo que entendi da questão, ele quer saber os resultados ao se cruzar um camundongo branco aos camundongos da F2, mas não destacou se é só com os brancos. Então fiz o cruzamento com todos os genótipos de F2.

  • Se cruzar camundongo branco (aa) com Aa, teremos 50% negros e 50% brancos.

  • Se cruzar camundongo branco com AA teremos 100% de camundongos negros.

  • Se cruzar camundongo branco com outro aa teremos 100% de camundongos brancos.

27. Na genealogia a seguir, os indivíduos assinalados com preto apresentam uma anomalia determinada por um gene dominante.

Analisando essa genealogia, coloque V ou F nas afirmativas abaixo:

( F ) Todos os indivíduos afetados são homozigotos.

( F ) Todos os indivíduos não afetados são heterozigotos.

( F ) Apenas o indivíduo I:1 é heterozigoto.

( V ) Apenas os indivíduos I:1; II:1 e II:5 são heterozigotos.



( F ) Apenas os indivíduos I:1 e I:2 são homozigotos.

R: F-F-F-V-F
Baixar 102.58 Kb.

Compartilhe com seus amigos:




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
Serviço público
Dispõe sobre
reunião ordinária
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Relatório técnico
Universidade estadual
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
Curriculum vitae
pregão eletrônico
espírito santo
Sequência didática
Quarta feira
conselho municipal
prefeito municipal
distrito federal
língua portuguesa
nossa senhora
Pregão presencial
educaçÃo secretaria
segunda feira
recursos humanos
Terça feira
educaçÃO ciência
agricultura familiar