Quem é Paulo? 2Cor 11,16-33; Gl 1,11-24



Baixar 18,19 Kb.
Encontro09.03.2017
Tamanho18,19 Kb.


Paulo, sua vida e missão

Pe. Videlson Teles de Meneses

Arquidiocese de Aracaju

videlson@ig.com.br


Quem é Paulo?

- 2Cor 11,16-33; Gl 1,11-24; Rm 11,1; Fl 3,4-17



Uma cronologia da vida de Paulo (folha à parte)

Paulo e sua vocação: os relatos de Atos dos Apóstolos

At 9,1-19; 22,3-21; 26,13-18 – revelação e iluminação



Os/as catequistas de Paulo

- Ananias, a comunidade de Damasco, Barnabé, a comunidade de Antioquia



Paulo ao longo da história

- Escritos pagãos: Luciano de Samósata, Suetônio, Tácito

- NT: 2Pd 3,15; Atos dos Apóstolos

- Padres Apostólicos: Didaché, o Pastor (de Hermas), a Carta de Barnabé, a 2ª carta de Clemente, a Carta a Diogneto, Clemente de Roma, Inácio de Antioquia, Policarpo de Esmirna

- Padres Apologetas: a Apologia de Aristides (enviada ao imperador Adriano), Taciano (Discurso contra os gregos), Atenágoras (Súplica pelos cristãos dirigida ao imperador Marco Aurélio e tratado Sobre a ressurreição dos mortos), Teófilo, bispo de Antioquia (três livros ‘A autólico’), Justino (Apologia dirigida ao imperador Antonino Pio, e Diálogo com o judeu Trifão)

- Escritos heréticos: gnosticismo - textos de Nag Hammadi (entre outros, Súplica do apóstolo Paulo, o Apocalipsede Paulo, Exegese da alma, a Essência dos arcontes), Simão o Mago, Saturnino e Menandro, Valentim, Ptolomeu, ebionitas, Cerinto, Carpócrates, Cerdão, Marcião (citados por Irineu em Contra os hereges).

* A ‘canonização’ das cartas paulinas: Irineu e o Cânon de Muratori (séc. II)

A comunidade de Paulo: Antioquia da Síria

- A cidade de Antioquia (sob o Orontes): uma das principais cidades do império romano (3ª). Centro do Cristianismo extra-palestino. No séc. I, contava aproximadamente 300 mil habitantes. Cidade grande, rica e cosmopolita. Devido à perseguição aos cristãos de Jerusalém, o cristianismo chegou a Antioquia através dos cristãos judeo-helenistas: At 11,19-26. Cidade importante na vida da Igreja primitiva. Aí os seguidores de Cristo receberam o nome de ‘cristãos’. Foi a comunidade de Antioquia que enviou donativos aos irmãos da Judéia, quando de uma grande carestia (cf. At 11,27-30).



As viagens de Paulo: a fundação das comunidades

1ª viagem (Atos 13-14) – Barnabé, Paulo e João Marcos: Antioquia da Síria, Selêucia, Chipre (Salamina, Pafos), Perge (na Panfília), Antioquia da Pisídia, Icônio, Licaônia (Listra, Derbe, regiões cincunvizinhas) / Listra, Icônio, Antioquia da Pisídia, Pisídia, Panfília (Perge, Atália), Antioquia da Síria.

2ª viagem (Atos 15,35 – 18,22) – Paulo, Silas (= Silvano) e Timóteo: Antioquia da Síria, Síria, Cilícia, Derbe, Listra (Timóteo), Frígia, Galácia, Mísia, Trôade, Samotrácia, Neápolis, Filipos (na Macedônia), Anfípolis, Apolônia, Tessalônica, Bereia, Atenas, Corinto, Cencreia, Éfeso, Cesareia, Antioquia da Síria.

3ª viagem (Atos 18,23 – 21,16) – Paulo, Timóteo, Erasto, Gaio, Aristarco, Sópatros, Segundo, Tíquico, Trófimo e “nós”: Antioquia da Síria, Galácia, Frígia, Éfeso, Macedônia, Grécia, Macedônia, Trôade, Assos, Mitilene, Quio, Samos, Trogílio, Mileto, Cós, Rodes, Pátara, Tiro, Ptolemaida, Cesareia, Jerusalém.

4ª viagem (Atos 21,30 – 28,16) – Paulo: Jerusalém, Cesareia, Mira (na Lícia), Belos Portos (perto de Lasaia), Malta, Siracusa, Régio, Pozzuoli, Roma.

As/os colaboradoras/es de Paulo

- colaboradores (synergos): Apolo [1Cor 3,9], Áquila e Priscila [Rm 16,3-5], Epafrodito [Fl 2,25], Filêmon [Fm 1], Timóteo [Rm 16,21], Tito [2Cor 8,23]

- irmãos (adelfoi): Apolo [1Cor 15,12], Epafrodito [Fl 2,25], Febe [Rm 16,1], Onésimo [Cl 4,9], Sóstenes [1Cor 1,1], Timóteo [1Ts 3,2; 2Cor 1,1; Fm 1; Cl 1,1], Tito [2Cor 2,13], Tíquico [Cl 4,7; Ef 6,21]

- ministros (diakonoi): Apolo [1Cor 3,5], Epafras [Cl 1,7], Febe [Rm 16,1], Timóteo [1Ts 3,2; 2Cor 3,6;6,4], Tíquico [Ef 6,21]

- apóstolos (apostoloi): Andrônico e Júnia[Rm 16,7], Apolo [1Cor 4,9], Epafrodito [Fl 2,25], Silas [1Ts 2,7]

O pastoreio das comunidades: a vivência do ministério

1Cor 1,17; 2Cor 1,12 – 6,13; Gl 1,6-10



Os escritos paulinos: 13

7 cartas autênticas: 1Ts, 1 + 2Cor, Gl, Rm, Fl, Fm

6 cartas em discussão: 2Ts, Cl, Ef, 1 + 2 Tm, Tt

Em todo o AT encontramos pouquíssimas cartas (faltava serviço de correios):

- 2Cr 30,1.6-9: a carta de Ezequias às tribos do Norte, convidando-as a celebrar a Páscoa em Jerusalém;

- Jr 29,1-23: a carta de Jeremias aos deportados da Babilônia, convidando-os a ‘integrar-se’ na sociedade em que viviam

O que mais se aproxima ao gênero das cartas paulinas está nas cartas de Diógenes e outros filósofos afins (os chamados ‘cínicos’)

Nas cartas não encontramos o querigma (anúncio, evangelização), mas a didaqué (ensinamento, catequese) do Apóstolo. As cartas pressupõem uma comunidade já formada, instruída nas verdades da fé. São escritos ocasionais dirigidos a toda a comunidade.

A carta deve transmitir algo da presença pessoal. As cartas paulinas são uma mistura de resposta pastoral e de reflexão sapiencial.

Unidade e integridade das cartas: 1Ts, Fl, Rm, 2Cor

Formas e tradições:

- confissões de fé: 1Cor 15,3-7; Rm 1,3s; 3,25-26a; 4,25; 10,9; 1Cor 8,6; 1Ts 1,9s; Ef 4,5s

- fórmula litúrgica: 1Cor 11,23-26; Ef 5,14; Fl 2,6-11; Cl 1,15-20; 1Tm 3,16

- textos catequéticos: Rm 1,29-31; 13,13; 1Cor 5,10s; Gl 5,19-23; Cl 3,5-8.12-14; Cl 3,18 – 4,1; Ef 5,21 – 6,9.



A teologia paulina

- cristologia: o evangelho de Cristo [Gl 1,7]; o Cristo ressuscitado e exaltado [1Cor 9,1; 15,8; Rm 1,4]; o Cristo corporativo [a comunidade, corpo de Cristo]; o Cristo salvador [Rm 5,6-11]

- eclesiologia: templo [1Cor 3,16-17; 2Cor 6,16-18; Ef 2,20-22]; corpo [1Cor 12,12-27; Rm 12,4-5; Cl e Ef]; casa [1Tm 3,15; 5,1-2]

- pneumatologia: 1Cor 12,4-11; Gl 5,13-25; Rm 8,1-17 (o Espírito de Deus, o Espírito como força divina, o Espírito de Cristo, o Espírito e a missão, o Espírito e a vida nova do cristão, o Espírito e a lei, o Espírito e a carne, o Espírito e a Igreja, o Espírito e o culto)

- escatologia: 1Ts 4,13 – 5,11; 2Ts2,1-12; 1Cor 15; 2Cor 5,1-10; Rm 2,1-11; 8,19-23

- a graça de Deus [1Cor 15,10; 2Cor 5,18-21; Rm 8,29-30; Fl 1,6]

- a cruz [1Cor 1,23; 2Cor 4,7-15; 5,14 – 6,2; Gl 6,14; Rm 3,24-26; Fl 2,5-11; 3,8-12]

- o imperativo ético [1Ts 5,9-10; 1Cor 15,20-28; 2Cor 5,18-21; Gl 1,4; 5,13-26; Rm 6,1-23]

- o mandato missionário [1Cor 9,16-18; Gl 1,15-16; Rm 1,1-5; 10,14-17]

- a reconciliação [2Cor 2,5-11; 5,18-21; Cl 1,15-20; Ef 2,11-22]

1 + 2Ts = a vida cristã (fé, esperança, amor), a espiritualidade missionária, a parusia;

1 + 2Cor = cristologia (em Cristo, com Cristo, relação Cristo-Deus), eclesiologia; a loucura da cruz; o respeito pela convicção dos irmãos, a gratuidade do serviço, a unidade da comunidade; a ressurreição; a ‘tradição’. Dores e alegrias do missionário; a Antiga e a Nova Aliança;

Gl = a verdade do Evangelho, a justificação pela fé, a função da lei, a carne e o espírito, a cruz de Cristo; a liberdade cristã, a fé agindo pelo amor, os frutos do Espírito

Rm = a humanidade pecadora sob a ira de Deus, a justificação pela fé, a fé, Cristo (segundo Adão), o batismo, a lei, o mistério de Israel; a fé em Jesus, o Cristo; a graça e a gratuidade; a justiça salvadora e libertadora; a universalidade da salvação.

Fl = a justificação pela fé, o evangelho, a alegria, a união do cristão a Cristo; identificação com Cristo; o despojamento de Cristo

Fm = a fraternidade em Cristo, a liberdade cristã

Cl = a primazia total de Cristo; a novidade em Cristo; a solidariedade intereclesial; amor e justiça em casa

Ef = a unidade em Cristo; Cristo glorioso, cósmico e eclesial; o mistério de Cristo e a salvação universal; Igreja e família; ética para a vida no mundo



Pastorais (1 + 2Tm; Tt) = a salvação, a Igreja, a moral cristã; guardar a fé recebida; a organização pastoral; a sã doutrina; a fé comum, a salvação



©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal