Protocolo de presentacion – nodo brasil



Baixar 15,44 Kb.
Encontro28.02.2017
Tamanho15,44 Kb.
PROTOCOLO DE  PRESENTACION – NODO BRASIL
Eixo Temático: Democratización de espacios públicos y sostenimiento de programas de animación sociocultural (ASC) comunitarios
Título: O Programa de formação em Animação Sociocultural da RIA Nodo Brasil
Autores:

Profa. Dra. Juliana Pedreschi Rodrigues – Universidade de São Paulo

julianaprodrigues@usp.br – Telefone: 55-11- 99660 4058


Paula Caroline de Oliveira Souza

Rua Santa Efigênia,380 – paula.lzt@gmail.com – Telefone: 55-11-99836 9387


Deise Rodrigues Sartori

deise@vocacao.org.br - Telefone: 55-11- 97605 4298




Resumo:

Pautado no fomento à Animação Sociocultural e tendo como foco a intervenção comunitária e a participação ativa dos cidadãos, o estudo apresenta a experiência de formação do nodo Brasil da Red Iberoamericana de Animación Sociocultural – RIA Nodo Brasil em, 2015, seu primeiro ano de atuação na cidade de São Paulo. Com a apropriação do termo Animador Sociocultural, o Nodo Brasil, vivencia o processo de implantação e desenvolvimento de metodologias de formação utilizadas como alicerce da formação de lideranças comunitárias, educadores sociais, educadores culturais e dos Animadores Socioculturais. A formação visa capacitar, incentivar e expandir a credibilidade e alcance da ASC, dinamizando agentes e espaços coletivos para a transformação social. Com metodologia participativa desde a criação do programa até a alternância em espaços culturais, o estudo apresenta os resultados do calendário de educação não formal articulado diretamente com a prática dos participantes.



Palavras-chaves: Animação Sociocultural; Formação continuada; Intervenção Comunitária; Lazer.
Referências Bibliográficas:

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro. Paz e Terra,2005.

_________.A educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro Paz e Terra,1997.

GARCIA, V. A. A educação não-formal como acontecimento. Tese de Doutorado. Faculdade de Educação da UNICAMP. Campinas, 2009.

GOHN, M. da G. Educação não-formal e cultura Política. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

GRAMSCI, A. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 244 p., 1982.

LOPES, M. de S. Metodologias de Investigação em Animação Sociocultural. Chaves, Intervenção, 2011.

Pochmann, M. (Org.). (2003). Outra cidade é possível: alternativas de inclusão social em São Paulo. São Paulo: Cortez.

SILVA, K.P.G. Educação Comunitária e Escola Pública: um estudo sobre a compreensão de Educação Comunitária de educadores e educadoras da Rede Municipal de Ensino Cidade de São Paulo. Dissertação de Mestrado - UNICAMP. Campinas, SP, 2008.

TRILLA, J. La educación fuera de la escuela: ámbitos no formales y educación social. - Barcelona: Editorial Ariel, 1996.



TRILLA, J.; GHANEM, E. (2008). Educação Formal e não formal: pontos e contrapontos. Valéria Amorim (org.). São Paulo: Sumus, 2008.

VENTOSA, V. (2002). Fuentes de la animacion sociocultural en Europa. Madrid: Editorial CCS.


Compartilhe com seus amigos:


©bemvin.org 2019
enviar mensagem

    Página principal