Projeto flanelinha



Baixar 59,79 Kb.
Encontro21.08.2018
Tamanho59,79 Kb.
PROJETO DE APOIO E RECUPERAÇÃO PARALELA 2018

PROJETO FLANELINHA
TURMA de 06 a 12 anos e 11 meses (Baby e Kids)



  1. JUSTIFICATIVA

O projeto aqui apresentado será desenvolvido com alunos de 06 a 12 anos e 11 meses de idade de ambos os sexos, inseridos no Projeto Flanelinha, Localizada na (Rua Joaquim Monteiro Sobrinho, 30, Vila Monteiro, Itapetininga-SP, instituição esta, que atende 120 crianças pertencentes a famílias de baixa renda e/ou expostas a situações de vulnerabilidade social, sendo a forma de acesso ao projeto: por procura espontânea da família, encaminhamento de escolas, rede socioassistencial e demais políticas públicas. Todas crianças são regularmente matriculados nas unidades escolares do município de Itapetininga.

Alfabetizar é um processo muito complexo e que envolve diversos fatores. Embora há algum tempo se tivesse outra noção sobre aprender a ler e escrever, hoje temos clareza de que não basta apresentar as crianças as letras e fazer decorar.

Sabemos que a aprendizagem do aluno só acontece na medida em que este interage sobre os conteúdos específicos e age na medida em que possui estruturas próprias, previamente construídas ou em construção.

De outro lado, também vemos que o mundo moderno exigem que as crianças dominem cada vez mais rapidamente a leitura, mas não apenas como forma de decodificação e sim interpretação. Atualmente, somente podemos dizer que alguém é alfabetizado, no sentido mais amplo da palavra, quando se torna capaz de utilizar a língua escrita nas mais variadas situações de seu cotidiano.

Diante disso, percebemos, que a tradicional cartilha, e a concepção que traz consigo, não é o recurso mais favorável à aprendizagem escrita, acima de tudo por ser destituída de qualquer significado e apresentar textos soltos que visavam a mera memorização das famílias silábicas. Assim, o trabalho com esse método reduzia a aprendizagem da leitura e escrita a um ato mecânico, onde o conhecimento poderia ser adquirido através de treino, da cópia repetitiva e principalmente da memorização.

Estas ideias ficam ultrapassadas quando passamos a crer que a criança lê o mundo que a rodeia muito antes de um aprendizado da leitura e da escrita. Ou seja, é preciso formar o leitor competente, que não encara a leitura apenas como decodificação de sinas gráficos. E ler o mundo é maior competência de leitura que o leitor pode alcançar. O leitor competente, além de decifrar um código, assimilar estruturas gramaticais complexas e aprimorar a linguagem, consegue se expressar, aprende a dizer o que quer e é crítico. Contribui com o texto, sabe olhar para o contexto e perceber a realidade a sua volta. E consegue reconhecer e ler diferentes tipos de textos.

“A competência de leitura permite ao sujeito a vinculação entre lido e o vivido” (Silva, 1993). O texto é uma ponte para determinarmos aspectos da realidade. A leitura proporciona o conhecimento das forças e relações que regem o mundo, possibilitando o exercício da crítica. A leitura proporciona o prazer libertário, possibilita a mudança, é ruptura. Logo, só quem lê realmente sabe transformar a informação adquirida com a leitura em conhecimento.

Ou seja, passa-se a entender que é necessário alfabetizar para além do deciframento do código escrito, apontando, para uma concepção de alfabetização como processo mais amplo, envolvendo as entrelinhas, o letramento. Ou, como diria FREIRE (1990, p.8) “aprender a ler e escrever é, antes de mais nada, aprender a ler o mundo, compreender seu contexto, não numa manipulação mecânica de palavras mas numa relação dinâmica que vincula linguagem e realidade”.

É importante também deixar explícito que o processo de alfabetização não se restringe apenas a língua portuguesa. Mas envolve muitos aspectos. Um dos mais importantes e que não pode ser deixado em segundo plano é o aprendizado da matemática, que deve ser também tratada de forma agradável e que consiga alcançar o objetivo de despertar na criança a vontade de aprender.

Para que isso seja possível, é importante que desde o início da alfabetização a criança se familiarize com o mundo matemático. Assim, ela terá o desenvolvimento intelectual acelerado, ao passo em que se habituará com os procedimentos matemáticos, evitando a aversão comum a este ramo do conhecimento.

Os pressupostos deste trabalho serão baseados na perspectiva sócio interacionista, buscando um repensar de nossa prática, lembrando que “a estrutura lógico matemática de número não pode ser ensinada diretamente, uma vez que a criança tem que construí-la por si mesma” (KAMII, 2001:31)

Cremos que é preciso ressaltar a importância da aprendizagem significativa, partindo de situações reais da sala de aula, criando situações escolares que estimulam o pensamento numérico das crianças.

O trabalho busca demonstrar que objetivo principal da matemática deve ser levar as crianças a se empenharem na ação mental de operação com números e se lembrarem dos resultados dessas ações.





  1. PÚBLICO ALVO

O Projeto FLANELINHA atende 120 crianças, com idade entre 06 a 12 anos e 11 meses de idade, de ambos os sexos, que estejam devidamente matriculadas na rede de ensino. São oriundas da área oeste do município de Itapetininga, de abrangência do CRAS – Marina Caron: Jardim Fogaça, Vila Aparecida, Vila Monteiro, Jardim Maricota, Jardim Brasil, Jardim Paulista, Jardim Brasil, Jardim Itália, Jardim Maricota, Centro, Vila Nova Itapetininga, Taboãozinho, entre outros quando houver necessidade.


  1. OBJETIVO GERAL

Ampliar as possibilidades de aprendizagem dos alunos dando –lhes a oportunidade de reforçar, aprofundar ou suprir as dificuldades de alfabetização de forma prazerosa, enfatizando a aprendizagem de leitura e escrita, aliada aos conhecimentos matemáticos, buscando aguçar sua capacidade de apreciar, explorar, produzir e interpretar, enfatizando a importância da matemática na alfabetização, buscando o pleno desenvolvimento da criança.





  1. OBJETIVOS ESPECÍFICOS




  • Facilitar o processo de aprendizagem e melhoria do rendimento escolar, através de estímulos nas áreas: pedagógica, lúdica, lazer e bem-estar.

  • Levar as crianças, a saber, utilizar diferentes fontes de informação para adquirir e construir conhecimento, bem como os recursos tecnológicos.

  • Conhecer e valorizar o conhecimento da língua escrita e fala, se tornando um ser independente e agente transformador do meio, capaz de mediar conflitos e tomar decisões coletivas e individuais.

  • Trabalhar a matemática, priorizando o mundo real com representações, enfocando os princípios e conceitos matemáticos, como meios para compreender e transformar o mundo à sua volta.

  • Fazer com que os alunos comuniquem-se matematicamente, fazendo observações do ponto de vista quantitativo e qualitativo, estabelecendo estratégias de investigação e formas de raciocínio para chegar à interpretação de problemas do cotidiano.



  1. METAS



  • Proporcionar um apoio escolar de qualidade, bem como atividades lúdicas, esportivas, de lazer e cultura que favoreçam, direta e/ou indiretamente, o melhoramento de 70% a 80% das crianças inseridas no projeto, no que se refere ao rendimento escolar de cada uma delas.




  1. METODOLOGIA




  • Apoio Escolar: direcionado de forma lúdica, para estimular e desenvolver a alfabetização e o raciocínio lógico, como também para abordar e trabalhar temáticas no decorrer do ano, tais como as datas festivas: Carnaval, Páscoa, Festa Junina, Folclore, Dia das Crianças, Dia da Família, Festa de Natal.

  • Levantamento dos conhecimentos prévios dos alunos, por meio de uma sondagem inicial. Enriquecimento dos conteúdos disciplinares de Português e Matemática, auxiliando no processo mental, na escrita ou no diálogo. Trabalho individual com aluno silábico.


Língua portuguesa

  • Alfabeto;

  • Ordenar palavras em ordem alfabética;

  • Listas (Identificar uma lista; nomes, frutas, animais, etc.)

  • Desenvolver uma história, observando o desenho

  • Cruzadinhas, caça-palavras;

  • Produção de textos;

  • Distinguir letra silaba e palavras;

  • Trabalhar de forma contextualizada a gramática, ortografia, letras maiúsculas e minúsculas;

  • Empréstimos semanais de livros para incentivar a leitura;

  • Ditados com imagens, coletivo e cópia

JOGOS PARA:

  • Reconhecer letras;

  • Relacionar som e grafia;

  • Leitura apoiada principalmente na memória, ilustração e escuta;

  • Compreensão e interpretação de textos oralmente, através de desenhos, dramatizações e tentativas de escrita;

  • Aperfeiçoamento da grafia e aspectos gramaticais;

  • Utilizar DVDs infantis, que tragam músicas e danças.


Matemática

  • Fixação de palavras e operações matemáticas através de jogos educativos.

  • Utilizar diferentes estratégias de cálculo.

  • Sequência numérica.

  • Leitura e escrita de números.

  • Trabalho com números pares e ímpares, bem como noções de sucessor e antecessor;

  • Bingos;

  • Situações que levem ao cálculo mental.

  • Trabalho com grandezas e medidas..

  • Reconhecimento de números no contexto diário

  • Leitura e escrita de números naturais

  • Utilização do material dourado;

  • Cálculo de adição e subtração por meio de estratégias pessoais e algumas técnicas convencionais;

  • Análise, interpretação e resolução de situações- problema;

  • Observação de formas geométricas presentes em elementos naturais ou objetos e suas características;

  • Sistema Monetário através da ludicidade;

  • TANGRAN- Percepção de semelhanças e diferenças entre as formas geométricas planas. Estimulação da criatividade e imaginação;

  • Identificação de unidades de tempo (dia, semana, mês e ano) e utilização do calendário;



  1. SISTEMA DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO




MONITORAMENTO

(Indicadores de processo)

AVALIAÇÃO

(Indicadores de resultado)

Adesão ao projeto (número de matrículas e lista de presença).
Contatos frequentes e visitas nas escolas, nos casos em que a criança apresenta baixo rendimento escolar e dificuldades na parte pedagógica.

Levantamento periódico do número de frequência:
Registros em prontuários e encaminhamentos quando necessário;


Participação dos atendidos nas diferentes atividades propostas

Avaliação periódica do desenvolvimento de habilidades, através de atividades dirigidas.

  • AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA INICIAL (marco zero)

  • AVALIAÇÃO SEMESTRAL

Tabela de Comportamento e desenvolvimento (quadro de auto avaliação)


Levantamento periódico do desempenho e desenvolvimento pessoal dos alunos, através de um gráfico/tabela documentado:

  • AVALIAÇÃO MENSAL

  • A avaliação será realizada ao longo de todas as atividades, levando em conta o conhecimento prévio do aluno, registrando os avanços diários e dificuldades de cada um. Ao término do projeto, será observado, por meio dos trabalhos realizados e interações nas atividades, o que aprenderam sobre tudo o que foi proposto.







  1. CRONOGRAMA

O projeto será iniciado a partir de Fevereiro e desenvolvido até Dezembro 2018.


Língua Portuguesa


Conteúdo

Atividades

Período de Execução

Carga Horaria

Dias de Execução

Profissionais Envolvidos




  • Vogais

  • Consoantes

  • Ordem Alfabética

  • Ortografia

  • Silabas simples e complexas

  • Ordenar sílabas e formar palavras

  • Ordenar textos

  • Sinônimo

  • Antônimo

  • Leitura oral e Interpretação

  • Sinais de Pontuação

  • Produção de texto

  • Plural singular

  • Classe de palavras



  • Listas

  • Pesquisa em jornais e revistas

  • Poemas

  • Cartazes

  • Dramatização

  • Jogos e brincadeiras

  • Loto Leitura, forca, memoria

  • Letras móveis

  • Completar textos (com banco de dados)

  • Atividades de leitura e escrita

  • Roda de conversa

  • Pesquisas

  • Caça palavras

  • Cruzadinhas

  • Salada de letras

  • Uso do dicionário

  • Contos

  • Alinhavo Vogais

  • Fabulas

  • Musicas

  • Vídeos

  • Informática

Passeios culturais

Fevereiro

à Dezembro



20h Semanais

Terça-Feira à Sexta-Feira (separados por nível de desenvolvimento e idade)

Monitor de Apoio Escolar



Cronograma de Matemática


Conteúdo

Atividades

Período de Execução

Carga Horaria

Dias de Execução

Profissionais Envolvidos

  • Números naturais

  • Sequência numérica (antecessor e sucessor)

  • Operações fundamentais

  • Adição

  • Subtração

  • Multiplicação

  • Divisão

  • Medidas de Comprimento

  • Sentenças matemáticas

  • Desafios matemáticos

  • Linha do tempo

  • Agrupamentos

  • Medidas de tempo

  • Sistema monetário

  • Noções do tempo e espaço

  • Formas Geométricas biomensionais e tridimensionais


  • Recorte e colagem

  • Elaboração de listas: Números de telefones uteis, números das casas da sua rua (que numero começa e que número termina)

  • Uso do calendário

  • Leitura e escrita das horas

  • Ficha numérica

  • Jogos: Bingo, domino, boliche, quebra cabeça, pega varetas, ...

  • Situações problemas.

  • Cruzadinha

  • Cartazes

  • Instrumentos de medidas.

  • Jogos e brincadeiras

  • Pesquisas

  • Caça números e resultados

  • Liga pontos

  • Uso da calculadora

  • Informática

  • Cédulas e moedas

  • Gincana

  • Material Dourado

  • Tangran

  • Alinhavo Numéricos e blocos lógicos




Fevereiro

à Dezembro



20h Semanais

Terça-Feira à Sexta-Feira (separados por nível de desenvolvimento e idade)

Monitor de Apoio Escolar




  1. ASSINATURA DOS RESPONSÁVEIS.

_________________________________

Sueli Aparecida Cylos Hoshino



REPRESENTANTE LEGAL DA ENTIDADE


____________________________

Paula Carolina de Albuquerque Matarazzo



RESPONSÁVEL TÉCNICO DO PROJETO

____________________________

Maria Tereza Soares Piloto



MONITORA DE APOIO ESCOLAR


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal