Processo de compras nº: 480/2017 modalidade: concorrência pública nº 01/2017 critério de julgalmento: menor preço global



Baixar 0,93 Mb.
Encontro18.03.2019
Tamanho0,93 Mb.





ANEXO 01 – TERMO DE REFERÊNCIA

PROCESSO DE COMPRAS Nº: 480/2017

MODALIDADE: CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 01/2017

CRITÉRIO DE JULGALMENTO: MENOR PREÇO GLOBAL


  1. JUSTIFICATIVA

Os serviços de iluminação pública são essenciais para a qualidade de vida da comunidade. São de fundamental importância para o desenvolvimento social e econômico dos municípios e se constituem num dos vetores importantes para a segurança pública dos centros urbanos, no que se refere ao tráfego de veículos e de pedestres e à prevenção da criminalidade. Além disso, valorizam e ajudam a preservar o patrimônio urbano, embeleza o bem público e propicia a utilização noturna de atividades como lazer, comércio, cultura e outras.


A Constituição Brasileira definiu no seu artigo 30 estabelece, que compete aos municípios a responsabilidade sobre a realização de serviços públicos de interesse local, dentre eles a iluminação pública, A iluminação urbana permite ir muito mais além dos aspectos elétricos e objetivos considerados, abrangendo igualmente os subjetivos que requerem o apoio das empresas especializadas no trato da luz urbana para surtirem os efeitos desejados.
Descortina-se, nos municípios brasileiros, uma tendência a se investir nos parques de iluminação pública, buscando dar aos mesmos a cara da coletividade, o perfil da cidade, por ser algo bem visível, são investimentos que dão retorno certo e rápido. Uma cidade bem iluminada atrai turistas, traz mais segurança para as pessoas e para o tráfego, ajuda na preservação do patrimônio da cidade e na proteção ao meio ambiente, melhora a ambiência urbana e a interação social.
Além disso, o serviço, tido como essencial, passou, nos tempos atuais, da simples premissa de
levar a luz a todos os que moram na Cidade, para uma abrangência bem maior, com o emprego de novas tecnologias, com respostas em tempo real aos anseios da coletividade, às demandas emergenciais, e, finalmente, ao conceito de economicidade (tanto de recursos financeiros como de recursos energéticos) aliado ao de embelezamento urbano e preservação ambiental.
Este EDITAL tem por objetivo descrever detalhadamente todos os serviços e fornecimentos que serão contratados, de forma a permitir ao proponente o minucioso levantamento de todos os custos envolvidos para a perfeita elaboração de sua proposta, e assegurar ao município um desempenho do sistema de Iluminação Pública igual ou superior ao existente atualmente.


  1. OBJETO:

Prestação de serviços operacionais de manutenção permanente e continua, realização de melhorias e modernização do parque de iluminação pública do município, com fornecimento de materiais, mão de obra, equipamentos e ferramental necessários para execução do objeto.

O parque de iluminação da cidade de Valinhos é composto de aproximadamente 17.000 unidades de IP (dados fornecidos pela CPFL), sendo que a grande maioria estão instaladas nos postes da concessionária de energia elétrica (CPFL).


    1. Os serviços a serem prestados pela CONTRATADA serão os seguintes:




  1. Cadastro georreferenciado e identificação dos pontos de iluminação pública do município, inclusive a verificação das condições que se encontram.




  1. Manutenção Preventiva e Corretiva do Sistema de Iluminação Pública com fornecimento de materiais e atualização do banco de dados das UIP.




  1. Ampliação,expansão e modernização da rede de Iluminação Pública e a identificação das novas UIP.

A ordenação das despesas, autorização de serviços, planejamento estratégico, controle, coordenação e a supervisão geral do Parque de Iluminação Pública, bem como a fiscalização do contrato a ser firmado, são de responsabilidade da Prefeitura do Município de Valinhos.


Os serviços objeto desta licitação são descritos e detalhados nesse termo de referência e especificados e quantificados na planilha de quantitativos e Preços Unitários de Serviços e Materiais.



  1. DIRETRIZES PARA A EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS

Este Anexo visa descrever as condições mínimas que serão exigidas pela Prefeitura do Município de Valinhos para a execução dos serviços de manutenção e obras do Sistema exigidas pela de Iluminação Pública.




    1. INVENTÁRIO, CADASTRAMENTO E IDENTIFICAÇÃO DOS PONTOS DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA.

Para o perfeito atendimento da resolução 414/2010da ANEEL - Agencia Nacional de Energia Elétrica, em seu artigo 21, a responsabilidade pelo Parque de Iluminação pública, passa a ser da Prefeitura. Essa pretende realizar um cadastro completo dos pontos de Iluminação pública do município, para a realização do inventário e cadastramento informatizado de todos os pontos de iluminação pública pertencentes ao município de Valinhos, tomando-se, como parâmetros fundamentais do cadastro:

A numeração e a caracterização do “ponto luminoso” no endereço onde o mesmo está instalado.

A identificação do ponto: Definição de um número sequencial que identifique cada ponto do Sistema de Iluminação existente.

A caracterização do ponto luminoso contempla os dados técnicos dos equipamentos que o compõem, com as seguintes informações mínimas:


  1. Número do ponto;

  2. Nome do Logradouro;

  3. Bairro;

  4. Transversais;

  5. Ponto de referência;

  6. Registro fotográfico;

  7. Coordenadas geográficas;

  8. Tipo de tarifa;

  9. Características do Poste;

  10. Características do(s) braço(s);

  11. Número de luminárias;

  12. Tipo da luminária(s);

  13. Características do rele;

  14. Lâmpada(s) (tipo e potência);

  15. Características do reator associado;

  16. Características dos acessórios do ponto luminoso.

Este cadastramento deverá ser efetuado através de equipamento eletrônico portátil, que permita estabelecer coordenadas geográficas com precisão submétrica, onde seja possível efetuar o cadastramento das características de cada ponto luminoso, com uso de software que permita a transferência das informações para a base de dados do Sistema de Iluminação Pública.

As informações deverão ser associadas aos logradouros, vinculando e agrupando o cadastro de equipamentos de iluminação, de acordo com setores da cidade e coordenadas geográficas e mapas.

Quando a intervenção de manutenção implicar em alterações dos dados que comporão o cadastro da iluminação pública, a CONTRATADA deverá atualizar imediatamente a base de dados do Sistema de Iluminação Pública. E, caso seja pertinente, seja feito o encaminhamento para a CONCESSIONÁRIA DE ENERGIA.




      1. Sistema informatizado de gerenciamento

A CONTRATADA deverá implantar juntamente com o cadastro dos pontos de iluminação pública, um sistema informatizado que permita o gerenciamento do Sistema de Iluminação Pública a nível patrimonial, quantitativo, qualitativo e operacional, vinculando cada ponto luminoso a um número-código.

A gestão do cadastramento do Sistema de Iluminação Pública será parte integrante desse sistema informatizado, tendo como referência inicial a base de dados de iluminação pública disponível na Prefeitura, e informações disponíveis no sistema de dados da Concessionária de Energia.

O banco de dados do sistema será de propriedade da PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE VALINHOS, cabendo a CONTRATADA a sua atualização constante durante o Contrato. Ao término do Contrato o software, tal como utilizado pela Prefeitura, deverá passar para o Patrimônio do Município.

O sistema deverá possuir um módulo de operação e manutenção que permita emitir e controlar todas as atividades de manutenção, tanto corretiva como preventiva. Deve ainda permitir o registro, acompanhamento e controle de todas as reclamações, intervenções realizadas, devidamente codificadas, relacionando suas causas, medidas corretivas e a identificação da equipe interventora, de tal forma que possam ser emitidos relatórios gerenciais com análise estatísticas. Este programa deve também permitir o acompanhamento das reclamações em um sistema de atendimento, interligado ao 0800 ou similar, bem como interface gráfica para informações e reclamações via internet, no site da PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE VALINHOS

Deverá possibilitar ao Gestor que abra um mapa da cidade e identifique de forma rápida a localização das equipes no momento da consulta, identificando as equipes de operação corretiva, preventiva e serviços de restauração. Compõe o pacote:



  • Disponibilidade de abertura de chamado para correção de anomalia no SIP-Sistema de Iluminação Pública (software a ser utilizado para gestão de ordens de serviços de manutenção, protocolos de atendimentos, cadastro de pontos, etc...), possibilitando a atuação das equipes de manutenção, a coleta posterior da causa, tempos envolvidos e dos materiais utilizados para a sua correção;

  • Disponibilidade de abertura de chamado para Manutenção Corretiva Programada (Emergencial ou Não-Emergencial).

  • Disponibilidade de abertura de chamado para Manutenção Programada, conforme cronograma a ser definido junto a SECRETARIA DE OBRAS E SERVIÇOS PÚBLICOS, objetivando atuar com rondas e efetuar as manutenções sem necessitar do cidadão efetuar uma solicitação.

  • Disponibilidade de abertura de chamado para restauro do sistema por vandalismo, solicitação de testes de novas tecnologias e atendimento a eventos de força maior, conforme autorizações emitidas pela SECRETARIA DE OBRAS E SERVIÇOS PÚBLICOS.

O sistema informatizado deve ser constituído de um conjunto de programas destinados a controlar e gerenciar todas as atividades inerentes ao funcionamento do Sistema de Iluminação Pública e deverá ser capaz de emitir relatórios demonstrativos de consumo por praças, avenidas e bairros.


        1. Relatórios Gerenciais do Sistema Informatizado

O Sistema deverá oferecer relatórios gerenciais que permitam facilitar a operação e a manutenção, tanto preventiva quanto corretiva; a inspeção noturna para verificação de lâmpadas apagadas; o gerenciamento de energia e o controle de qualidade das redes de iluminação pública, abrangendo, também, os aspectos de patrimônio (acervos). Deverá possuir ainda flexibilidade suficiente para desenvolvimento de outros relatórios que a PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE VALINHOS julgue necessário, sem que isso represente nenhum ônus adicional à Prefeitura. São relatórios mínimos:




  1. Ordens de Serviços Abertas por UIP (Corretivas/ Corretivas Programadas e Preventivas) – Mês / Ano / Período Definido.

  2. Número de Ordens de Serviço por Bairros – Mês / Ano / Período Definido.

  3. Falhas por elementos do SIP – Mês / Ano / Período Definido.

  4. Tipo de Falhas por elemento do SIP – Mês /Ano / Período Definido.

  5. Causa de Falhas por Elementos do SIP – Mês / Ano /Período Definido.

  6. Tempo de Vida Útil dos Elementos do SIP - Fornecido para cada UIP, por componente.

  7. Consumo de Energia - Fornecido para cada UIP, Bairro, Avenida, Praça ou Total da Planta.

  8. Tipos de Luminárias Instaladas – Fornecido por Modelo/Fabricante na sub-opção: Bairro/Rua/Avenida/Beco/Escadaria.

  9. Tipos de Lâmpadas Instaladas – Modelo/Potência/Fabricante na sub-opção: Bairro/Rua/Avenida/Beco/Escadaria.

  10. Tipos de Postes Instalados – Sub-categorias (Aço / Concreto / Madeira), contendo altura, formato, tipo de pintura e tratamento. Deverá ser dada a opção de filtrar por Bairro/Rua/Avenida/Beco/Escadaria.

  11. Tipos de Braços – Tamanho, espessura, inclinação. Deverá ser dada a opção de filtrar por Bairro/Rua/Avenida/Beco/Escadaria.




        1. Especificações técnicas do sistema informatizado

O proponente deverá descrever a arquitetura da solução e apresentar as especificações técnicas com as características das ferramentas que serão fornecidas, desenvolvidas, implantadas e integradas, incluindo: Coleta de Dados, Servidores, Estações, Rede, Telecomunicações; Aplicativos (softwares); Bancos de Dados, GIS; Fluxograma de Dados; Interfaces, Segurança; Pesquisas, Relatórios, Exportação, Importação, Compatibilidade de Formatos de Dados e de Arquivos.

A solução informatizada a ser adotada para a execução do cadastro, manipulação dos bancos de dados e base cartográfica deverá estar sustentada em plataformas, tipos de arquivos e aplicativos comerciais amplamente utilizados no mercado para serviços de natureza similar ao em contratação e possuir as seguintes características:

. Interface gráfica com o usuário na língua portuguesa;

. Possuir mecanismos de controle e restrições de acesso;

. Garantir a padronização e validação dos dados;

. Possuir amplo conjunto de opções de consultas e relatórios dinâmicos, incluindo a emissão de mapas em diversas escalas, padronizados em quadrículas, desde o início do cadastramento, garantindo o total monitoramento do parque instalado e das atividades em evolução;

As ferramentas de GIS deverão possuir certificação OGC (Open Geospatial Consortium, Inc), que garantam a integração dos sistemas.Toda a solução deverá ser direta e integralmente compatível com a Base Cartográfica oficial da Prefeitura do Município de Valinhos

Permitir o uso dos diversos sistemas de coordenadas adotados no Brasil, contendo ferramentas de conversão entre estes;

Permitir a inclusão de um número indeterminado de novas camadas, temas e imagens e permitir a elaboração de análises e estudos com os dados do cadastro, através de pesquisas gráficas e/ou alfanuméricas;

Permitir a importação e exportação direta de dados de, e para, aplicativos comerciais de CAD, GIS, bancos de dados e para a produção de documentos (MS-Office);

Permitir a conexão com a equipe de campo através de equipamento móvel, suportar plataformas de aplicações WEB, com interfaces padrões do mercado e possuir um conjunto de aplicativos e ao banco de dados VIA WEB, voltados à cadastro, consulta, implementação e operação com ferramentas de visualização, “zoom”, busca, seleção e impressão de mapas temáticos e de dados.

Deverá dispor de recursos de desenvolvimento de aplicações, orientado a objetos, compatível com as plataformas “.Net” e/ou “Java”.

O Microsoft SQL Server deverá ser o sistema de banco de dados adotado, podendo ser empregada outra solução apenas se comprovada a equivalência e integração direta com o especificado. A definição de campos no banco de dados e codificações a serem adotadas deverá ser aprovada previamente junto à fiscalização.

Todos os procedimentos de segurança necessários à conservação, preservação e recuperação dos dados deverão ser garantidos.

Para a instalação de equipamentos, nas dependências da SECRETARIA DE OBRAS E SERVIÇOS PÚBLICOS, será necessária comunicação prévia, por escrito, para análise da viabilidade e aprovação.

A CONTRATADA deverá disponibilizar à fiscalização municipal a interligação de 2 (dois) computadores da SECRETARIA DE OBRAS E SERVIÇOS PÚBLICOS ao Sistema Informatizado de Gerenciamento do Parque de Iluminação.

Estes computadores estarão conectados a internet e em tempo real, a todas as atividades, cadastros e banco de dados do sistema de iluminação pública, devendo estar disponíveis as seguintes informações:


Quanto à Manutenção:


  1. Data e número da solicitação de manutenção corretiva pelo munícipe ou fiscalização do Município, ou da realizada através de ronda pela CONTRATADA;

  2. Nome e meio de comunicação à distância para contato com o solicitante;

  3. Identificação do local a ser efetuada manutenção, com nome do logradouro, número mais próximo, bairro e ponto de referência;

  4. Prazo contratual para atendimento do tipo manutenção corretiva;

  5. Prazo de atendimento da solicitação de manutenção corretiva;

  6. Data do atendimento da solicitação de manutenção corretiva;

  7. Número de solicitações de manutenção corretiva atendidas por período escolhido durante a consulta;

  8. Número de solicitações de manutenção corretiva pendentes durante um determinado período escolhido durante a consulta;

  9. Número de manutenções corretivas realizadas por solicitações de rondas efetuadas pela CONTRATADA;

  10. Prazo médio de atendimento das solicitações de manutenção corretiva em determinados períodos definidos durante a consulta

  11. Número de manutenções preventivas realizadas durante um determinado período escolhido durante a consulta;

  12. Data da realização de cada manutenção preventiva;

  13. Histórico de manutenções realizadas em cada ponto.


Quanto a Modernização:


  1. Data e número do documento solicitação de modernização pela fiscalização do Município;

  2. Identificação do local a ser efetuada a modernização, com nome do logradouro, bairro e ponto de referência;

  3. Data da conclusão, data e dados da medição, encerramento do processo. Os dados deverão ser cumulativos durante a execução do objeto contratual, e estarem disponíveis para a fiscalização do Município em no máximo 30 (trinta) dias após a data de recebimento da Ordem Serviço emitida pelo Município. É de inteira responsabilidade de a CONTRATADA efetuar cópias para que os dados do sistema não sejam perdidos em nenhuma hipótese.




    1. IDENTIFICAÇÃO DOS PONTOS DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA

A empresa CONTRATADA deverá efetuar a numeração do ponto luminoso, com a implantação de placa numerada de identificação em cada local poste, base ou parede, onde estejam instalados os pontos de iluminação.


A placa de identificação deve ser em chapa de aço galvanizado ou similar, dimensões de 5cm x 14cm e 1 mm de espessura e os dígitos da numeração com 4cm de altura.
A numeração deve ser impressa em adesivo de polímero com garantia de durabilidade superior a 8 (oito) anos. A sua fixação deve ser nos braços das luminárias com cintas de polímero com durabilidade superior a 8 (oito) anos nesta aplicação.
Nos postes de concreto a fixação será realizada por meio de braçadeiras de aço inoxidável de 3/8" de largura. Para os postes de aço, a fixação das placas será feita com rebite tipo POP de alumínio, em furos executados no corpo do poste.
A placa de identificação para os postes decorativos deve ser em alumínio, com dimensões de 2cm x 8cm e 0,8mm de espessura e os dígitos da numeração com 5mm de altura com impressão em relevo, Nestes postes, a fixação das placas será feita com rebite tipo POP de alumínio, em furos executados no corpo do poste.



    1. MANUTENÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA; EQUIPES E EQUIPAMENTOS;

A empresa licitante vencedora será responsável: pela manutenção Corretiva e Preventiva do Parque de Iluminação Pública e demais serviços destinados às UIP.


A execução dos serviços necessários para a manutenção Preventiva e Corretiva corresponde a todas as atividades de inspeção, substituição, limpeza e reparos em equipamentos, acessórios e redes elétricas, incluindo o fornecimento e aplicação dos materiais necessários para assegurar o seu funcionamento normal, de acordo com as exigências mínimas estabelecidas neste projeto básico.
Como estimativa para balizar a formulação da proposta e elaboração de faturamentos anteriores à conclusão da atualização do cadastro dos pontos de iluminação, será considerado o número de 17.000 pontos de IP, conforme valores pagos a Concessionária de energia para a área do Município de Valinhos, São Paulo.

Definições Complementares


Para a adequada interpretação da execução dos serviços são apresentadas as seguintes definições complementares:

      1. Unidades de Iluminação Pública

A Unidade de Iluminação Pública caracteriza-se como o conjunto completo formado por uma ou mais luminárias e seus respectivos acessórios indispensáveis ao seu funcionamento e sustentação, sendo que para a remuneração, considera-se um ponto de iluminação pública, cada luminária com seus respectivos equipamentos de funcionamento, como lâmpada, reator, relê-fotoelétrico, etc...

A seguir estão descritos os tipos básicos das Unidades de Iluminação Pública:



  • Unidade Aérea: Unidade normalmente instalada em postes de concreto da Concessionária, alimentada por circuito aéreo de BT (Baixa Tensão).

  • Unidade Subterrânea: Unidade normalmente em poste de concreto ou aço, com alimentação por circuito subterrâneo.

  • Unidade Ornamental: Tipo de Unidade Subterrânea caracterizada por elementos de concepção histórica ou decorativa.

  • Unidades Especiais: Unidades de concepção e instalação diferenciadas, por motivos urbanísticos e/ou altura diferenciada, estando também neste grupo as unidades destinadas a Iluminação de Equipamentos Urbanos, quais sejam, iluminação de destaque de monumentos, fachadas de edifícios, Obras de Arte Especiais e outras de valor histórico, cultural ou ambiental.

    1. Serviços

  • 3.2.1. Serviços de Manutenção: Correspondem a todas as atividades necessárias para que a Rede de Iluminação Pública desempenhe sua função e opere em condição normal, padronizada e de segurança. Estes serviços são classificados em:

  1. Serviços de Rotina: Conjunto de atividades essenciais para o restabelecimento da operação da Rede de Iluminação Pública em função das ocorrências comuns, como queima de lâmpadas, falha de sensores, instalação inadequada e situações como:

  • Colocação de tampa em caixa de passagem.

  • Correção de fixação do reator e ignitor.

  • Correção de posição de braços / luminárias.

  • Eliminação de cargas elétricas não destinadas à Iluminação Pública.(Ligações irregulares, exemplo: barracas de vendas ambulantes em praças)

  • Fechamento de luminária com tampa de vidro aberto.

  • Limpeza externa e interna de luminária.

  • Manobra de proteção do circuito de alimentação da Iluminação Pública. (Acionamento de comandos)

  • Substituição de chave magnética e/ou proteção.

  • Substituição de conectores.

  • Substituição de ignitor.

  • Substituição de lâmpada.

  • Substituição de relé fotoelétrico.

  • Substituição de reator/equipamento auxiliar.

Quando da abertura ou colocação de tampa da caixa de passagem, a mesma deverá ser limpa e todas as conexões verificadas e refeitas caso apresentem riscos de falhas, inclusive quanto à isolação.

  1. Serviços ou Manutenção Corretiva: Atividades complementares aos Serviços de Rotina, para restabelecimento integral das condições operacionais em consequência de falha, obras, acidente, furto, vandalismo, ocorrências climáticas, instalação inadequada ou desempenho deficiente, com execução formalizada por O.S. (Ordem de Serviço). A Manutenção Corretiva também será efetuada em função dos problemas encontrados pelas equipes de ronda ou pelo atendimento de solicitações de manutenção recebidas pelo sistema de tele atendimento, ou por determinação da equipe de fiscalização do município de Valinhos, ou para atender situações que envolvam questões de segurança e exijam atendimento imediato.

Todos os demais serviços não relacionados como Serviços de Rotina, necessários ao restabelecimento integral das condições normais, padronizadas, com emissão de OS - Ordem de Serviço:

  • Instalação de unidades faltantes;

  • Substituições, Remoção de Unidades, equipamentos e demais materiais pertencentes à rede de IP;

  • Serviços que envolvam todas as configurações da Rede de Iluminação Pública e seus elementos, ou seja, aéreo, subterrâneo, passarelas, passagens subterrâneos e especiais como iluminação de equipamentos urbanos e de destaque.

  1. Serviços ou Manutenção Preventiva: Na manutenção preventiva as atuações da CONTRATADA se darão de forma planejada e terão como base de sua programação os dados cadastrais de cada UIP. Todas as substituições de lâmpadas, luminárias, reatores, ignitores, relés e chaves magnéticas deverão ser imediatamente registradas no Sistema Informatizado de IP, para que no futuro, suas substituições ocorram em função de sua vida útil, evitando assim a falha da unidade. Preventivamente, para reduzir a perda de rendimento das luminárias, deverá ser programada a limpeza completa do conjunto da unidade a cada dois anos, sendo que deverá começar 60 (sessenta) dias após a emissão da ordem de início.




  1. Serviço de Ronda: É o serviço de inspeção programada do Parque de Iluminação Pública, para detectar anomalias ou defeitos e consertá-los, e que deve ser feita com periodicidade máxima de 20 (vinte) dias, em todo o parque instalado, diurna e noturna. O Município em conjunto com a CONTRATADA deverá determinar os roteiros das rondas e programar sua execução de forma a assegurar que cada unidade de IP seja inspecionada duas vezes a cada mês, no período noturno e no período diurno, sendo que, nos grandes eixos viários a inspeção deverá ser feita semanalmente.

    1. Engloba todo o serviço realizado em Unidades Ornamentais, Unidades Especiais, visando detectar lâmpadas apagadas ou acesas indevidamente, unidade fora de prumo, abalroada, faltante ou com luminária faltante ou compartimento aberto, braço ou suporte fora de posição, caixa de passagem com tampa quebrada ou faltante, condições inadequadas de luminosidade decorrentes de necessidade de limpeza do conjunto óptico, dentre outras irregularidades.

    2. Os serviços que não puderem ser executados durante a ronda, devem ser registrados na forma de O.S. (Ordem de Serviço) para que possa ser programada a sua execução.

    3. A Ronda deverá ainda detectar qualquer irregularidade que venha colocar em risco a segurança da população.

    4. Os serviços possíveis de serem feitos durante as rondas deverão ser executados imediatamente e informados.




  1. Serviços de Remodelação: Atividade programada executada mediante solicitação prévia da PMV que consiste na substituição de unidade existente por outra configuração de montagem ou tecnologia.

  2. Serviços de gestão da Eficiência: Criação de indicadores, mediante solicitação prévia da PMV, que resultem em redução de consumo de energia elétrica que consiste em ações do tipo:

      1. Verificação dos contratos celebrados com a concessionária de energia quanto ao cumprimento da Legislação.

      2. Verificação dos cálculos de consumo e eventual correção das tarifas efetuadas em vias e logradouros públicos, item 06 do art. 20 da classificação e cadastro da resolução 456/2000 – ANEEL.

      3. Na permanente avaliação do Consumo Medido X Consumo Real.

      4. Na análise técnica e financeira do volume de recursos arrecadado e utilizado, relativamente à CIP - Contribuição de Custeio Iluminação Pública do Município.

      5. Na emissão de relatórios técnicos mensais do número de unidades de iluminação instaladas visando à conferência e atestar a veracidade dos valores cobrados pela concessionária de energia elétrica.

  1. Serviço de Pronto Atendimento: Entende-se por Pronto Atendimento, a necessidade de remoção imediata do perigo iminente que possa colocar em risco a integridade física dos munícipes ou patrimoniais. A posterior recomposição do sistema afetado deverá obedecer aos prazos contratualmente estipulados.

São exemplos de serviços de Pronto Atendimento: danos causados por abalroamentos, impactos diversos, fenômenos atmosféricos, incêndios, circuitos partidos, luminárias com refrator e/ou compartimento para equipamento abertos, entre outros.

A CONTRATADA deverá executar os serviços de Pronto Atendimento ao Parque de Iluminação Pública por recebimento de solicitação ou detectados por ronda diurna ou noturna, devendo efetuar o lançamento das solicitações de Pronto Atendimento no Sistema Informatizado de manutenção em até 12 (doze) horas após o chamado.

Caberá à Contratada executar os serviços de Pronto Atendimento ao Sistema de Iluminação Pública de imediato, por recebimento de solicitação ou detectados, os quais deverão ser prestados durante as 24 (vinte e quatro) horas do dia, 07 (sete) dias por semana.

  1. EQUIPES E EQUIPAMENTOS


O serviço de manutenção das Unidades Aérea, Unidades Subterrânea, Unidades Ornamentais e Unidades Especiais serão de responsabilidade da CONTRATADA.

A CONTRATADA deverá fornecer relatório diário do percurso (rotas) para todos os veículos utilizados para os serviços, inclusive os de Ronda diurna e noturna, devidamente identificados por veículo e atividade. Todos os relatórios diários deverão ser entregues no segundo dia útil da semana subsequente.

A Contratada deverá dispor de uma estrutura mínima para execução das manutenções programadas, rondas e atendimentos a situações emergenciais, como se segue:


    1. EQUIPE TÉCNICA PARA MANUTENÇÃO E OBRAS

A manutenção do Parque de Iluminação Pública deverá ser coordenada por um profissional de nível superior na área de Engenharia Elétrica, com o apoio de um técnico eletrotécnico de nível médio ou superior, os quais deverão estar equipados com computadores em rede, possibilitando a integração com as equipes técnicas para levantamentos e inspeção em campo. A operação deverá dispor de um veículo de passeio.


Para a execução dos serviços, a contratada deverá dispor de no mínimo 06 equipes de campo, sendo:
4 Equipes de campo (para manutenção):
- 4 (quatro) equipes de campo de manutenção formadas, cada uma delas, por 02 (dois) eletricistas e 01(um) veículo tipo caminhão, com cesto aéreo simples, sendo que 2 (duas) equipes trabalharão durante o dia e 2 (duas) equipes trabalharão durante a noite
2 Equipes de campo (para obras):
- 2 (duas) equipes de campo de obras formadas, cada uma delas, por 1 (um) motorista operador de guindauto, 2 (dois)eletricistas e 1 (um) ajudante de eletricista, equipados com caminhão guindauto.
Todas as equipes deverão estar devidamente uniformizadas e identificadas com crachás contendo, fotografia, nome, função e número de registro de cada funcionário, nome da empresa, deverão dispor de ferramentas e equipamentos de proteção individual, todos os veículos deverão dispor de caixas para guarda de equipamentos de proteção coletivo, ferramentas, equipamentos de uso coletivo, materiais para aplicação na rede de IP e telefone celular para comunicação.
As equipes de Manutenção Preventiva e Corretiva deverão ser distintas da equipe de Ronda.



    1. EQUIPE ADMINISTRATIVA

Para as atividades administrativas e de apoio, deverão ser previstas as instalações, veículos, mobiliário, equipamentos de informática e materiais de escritório para o adequado desenvolvimento de todas as atividades ao serviço interno e de campo.




    1. REGIME DE TRABALHO

A equipe técnica de manutenção preventiva, corretiva, ronda diurna e noturna e equipe administrativa terão seu regime de trabalho estipulado pela CONTRATADA, obedecendo aos horários dos serviços propostos anteriormente.


4.4. INSTALAÇÕES
Além do escritório, mobiliários para a equipe administrativa, os serviços de manutenção do Sistema de Iluminação Pública e da equipe técnica, deverão ser providenciadas as instalações de almoxarifado para armazenamento dos materiais para aplicação no Parque de Iluminação Pública do Município de Valinhos, e para os materiais retirados da Rede de IP até a destinação final, bem como aquelas exigidas pela legislação trabalhista, e de segurança e medicina no trabalho.

4.5. EQUIPAMENTOS BÁSICOS:


  • Cesto Aéreo Simples (isolado no mínimo para classe 15kV)

Montada em um veículo automotor com capacidade nominal (máxima) de carga de 2 toneladas, com dispositivo de elevação, lança telescópica articuláveis com acionamento hidráulico pelo próprio motor do veículo. Estabilizadores hidráulicos em “A” ou “H”, para movimentos inclinados ou verticais. Caçamba (cesta) em “fiberglass”, com capacidade mínima para 120 kgf. Altura de alcance 12 metros.


  • Guindauto / Perfuratriz

Montado em um veículo automotor com capacidade nominal (máxima) de carga de 8 toneladas, equipado com suporte para transporte e içamento de postes com acionamento hidráulico.

Capacidade de carga:

braço com 1,5 metros...........4 toneladas

braço com 6 metros..............1 tonelada

Utilizado para movimentação de cargas e postes entre 9 a 21 metros.
OBS: Todos os veículos deverão estar de acordo com as Normas de Transito e conforme a NR 12 / NBR 16092, para transporte de pessoas e materiais, bem como, com todas as Normas de Segurança e Medicina do Trabalho.

  1. PADRÕES DE DESEMPENHO; INDICES DE APARENCIA DO SISTEMA DE IP; TEMPO DE RESPOSTA A SOLICITAÇÕES EFETUADAS PELO CONTRATANTE; MATERIAIS A SEREM UTILIZADOS NA ILUMINAÇÃO PÚBLICA


A empresa CONTRATADA deverá manter os padrões de desempenho quanto a performance da prestação de serviços, sendo:

Índices de pontos apagados durante a noite.

Este indicador deverá ser apurado mensalmente pelo Fiscal do Contrato, incluindo a definição da rota e datas envolvidas para realização da referida fiscalização. A Fiscalização deverá ocorrer entre a 2ª e 3ª semana de cada mês, e a amostragem mensal deverá contemplar pelo menos 02 bairros não adjacentes. Esta inspeção será obrigatória e a Fiscalização deverá entregar a CONTRATADA um relatório desta vistoria, com identificação dos pontos defeituosos identificados, quantidade de amostras e percentual de falhas. Serão admitidas as seguintes falhas:


  • No máximo 1% da amostra de 200 pontos;

  • No máximo 03 (três) pontos apagados em sequência numa mesma avenida, logradouro ou praça.

Índices de pontos acesos durante o dia.

Este indicador deverá ser apurado mensalmente pelo Fiscal do Contrato, incluindo a definição da rota e datas envolvidas para realização da referida fiscalização. A Fiscalização deverá ocorrer entre a 2ª e 3ª semana de cada mês, e a amostragem mensal deverá contemplar pelo menos 02 bairros não adjacentes. Esta inspeção será obrigatória e a Fiscalização deverá entregar a CONTRATADA um relatório desta vistoria, com identificação dos pontos defeituosos identificados, quantidade de amostras e percentual de falhas. Serão admitidas as seguintes falhas:



  • No máximo 0,5% de da amostra de 200 pontos;

  • No máximo 03 (três) pontos acessos em sequência numa mesma avenida, logradouro ou praça.

INDICES DE APARENCIA DO SISTEMA DE IP

A empresa CONTRATADA deverá garantir a boa aparência de todos os equipamentos e dispositivos do parque de iluminação, dando especial atenção para as ações no sentido de:



  • Manter limpas as luminárias e seus acessórios;

  • Manter os locais onde estão sendo realizados os serviços, com boa apresentação;

  • Após a execução dos serviços deixarem, as vias de trânsito, sem obstruções;

  • Minimizar os transtornos que possam causar a população.

Deverá ser comprovada a limpeza de no mínimo 4% do número de UIP por mês, para que no prazo de dois anos todo o parque de iluminação do município esteja limpo.

TEMPO DE RESPOSTA A SOLICITAÇÕES EFETUADAS PELO CONTRATANTE

Caberá à empresa monitorar a eficiência e a eficácia do Sistema de IP do Município de Valinhos, realizando o atendimento das falhas identificadas conforme a necessidade específica de cada uma. Segue a descrição das Falhas a serem atendidas:

Falha Ultra Grave (Atuação Imediata, 12 horas)

Estão incluídos neste caso os atendimentos a pontos concentrantes de UIP, onde em função da falha de um ou mais componentes do SIP, se tenha um grupo superior a 4 UIP apagadas sequencialmente em uma mesma avenida, rua ou beco; ou em praças, viadutos, campos de futebol, quadras e cruzamentos de alta complexidade de trânsito.

As situações de que impactem em risco de acidentes também devem ser enquadradas nesta categoria.

Falha Grave (Atuação em 24 horas)

Estão incluídos neste caso os atendimentos de correção de falhas em luminárias viárias dos principais corredores (vias principais e vias de ônibus) do município, monumentos públicos, pontos de ônibus, faixa de pedestres e principais cruzamentos, com número inferior a 04 luminárias/projetores com falhas de operação noturna.

Falha Semi-Grave (Atendimento em 48 horas)

Estão incluídos neste caso os demais atendimentos de correção de falhas no período diurno/noturno de UIP.

  1. MATERIAIS A SEREM UTILIZADOS NA ILUMINAÇÃO PÚBLICA


Todos os materiais e equipamentos integrantes do Sistema de Iluminação Pública serão fornecidos pela CONTRATADA e deverão ter garantia mínima de 12 (doze) meses. Reatores, relés e lâmpadas, luminárias,braços, conectores, condutores, parafusos e cintas de fixação deverão obedecer às normas da concessionária de energia elétrica local.

A CONTRATADA deverá manter em estoque materiais correspondentes ao consumo de dois meses de manutenção, mais o equivalente ao consumo durante o tempo de reposição do item em estoque. Esse estoque deverá ser controlado pelo sistema informatizado de controle de materiais, integrado ao SIP.

Todos os materiais a serem utilizados na Iluminação Pública e redes de distribuição deverão obedecer as normas vigentes, e possuírem certificados junto ao INMETRO, PROCEL, ABNT e da concessionária local, quando se aplicar, e deverão ser vistoriados pela Fiscalização da PREFEITURA antes de sua utilização.

A CONTRATADA apresentará à CONTRATANTE, periodicamente (semestralmente) ou quando solicitado, relatórios de ensaio de recebimento dos materiais a serem utilizados na Iluminação Pública, disponibilizadas pelos fabricantes dos materiais.



  1. FISCALIZAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PROCESSO

A fiscalização e acompanhamento dos trabalhos e entrega dos produtos referentes à PRESENTE LICITAÇÃO, será feita pela equipe técnica da Prefeitura do Município de Valinhos, que representam e integram o grupo técnico formalmente constituído para esta finalidade.


  1. REMUNERAÇÃO DOS SERVIÇOS PRESTADOS:




  1. Pelos serviços de cadastramento dos pontos de iluminação, a CONTRATADA receberá o correspondente ao valor unitário proposto, multiplicado pelo número de UIP efetivamente cadastrados. Podendo ser feita a cobrança em uma ou mais medições com período mensal.




  1. Pelos serviços de identificação dos pontos de iluminação, a CONTRATADA receberá o correspondente ao valor unitário proposto, multiplicado pelo número de UIP efetivamente identificados. Podendo ser feita a cobrança em uma ou mais medições com período mensal.




  1. Pelos serviços de manutenção do SIP a CONTRATADA receberá mensalmente o valor correspondente ao valor unitário proposto, multiplicado pelo número de pontos previstos neste termo, ou seja, 17.000 (dezessete mil) Pontos de Iluminação Pública.

Após a realização completa do cadastro o novo número deverá ser atualizado e passará a ser considerado no pagamento;


  1. Pelos serviços para ampliação, melhorias e modernização do Parque de Iluminação Pública, a CONTRATADA receberá pelo serviço efetivamente executado e aprovado pela PMV, tendo como base a planilha de preços unitários em anexo ao processo.




    1. Caberá a CONTRATADA:




  1. Atualizar o banco de dados do parque de iluminação pública, através de ampliação da planta de iluminação pública, mesmo que isto implique na ampliação da base cartográfica do Município de Valinhos;

  2. Manter o percentual máximo de 3% de lâmpadas apagadas durante a noite da amostra de 200 pontos. No máximo 03 (três) pontos apagados em sequência numa mesma avenida, logradouro ou praça;

  3. Manter o percentual máximo de 0,5% da quantidade total de lâmpadas acesas durante o dia da amostra de 200 pontos. No máximo 03 (três) pontos acessos em sequência numa mesma avenida, logradouro ou praça;

  4. Efetuar o atendimento a solicitações efetuadas pela prefeitura em 24 horas;

  5. Efetuar a entrega de laudos de laboratórios reconhecidos (LACTEC; UNESP; IPT-SP) de materiais empregados na iluminação pública sempre que solicitado pela Prefeitura;

  6. Efetuar a elaboração e aprovação de projetos de ampliação ou extensão de pontos para a Iluminação Pública ou para eventos municipais junto aos órgãos competentes; (mediante prévia autorização da Prefeitura e posterior pagamento pelo serviço prestado)

  7. Efetuar a identificação dos novos pontos de Iluminação Pública dentro dos mesmos padrões apresentado pela prefeitura. A identificação deverá ser executada através de placas e aço galvanizado 24 AWG nas dimensões de 13x4cm, com impressão em branco sobre adesivo azul resistente a raios ultravioleta com duração mínima de 06 anos. Esta identificação deverá ser fixada nos braços das luminárias quando os postes forem de propriedade da concessionária local, e nos demais casos deverão ser fixadas nos próprios postes. A “fixação deverá ser feita através de fita metálica 3/8”;

  8. Ampliar a rede individualizada de Iluminação Pública em praças parques e jardins, onde seja possível a instalação de medidores exclusivos para a IP, de acordo com a solicitação do município de Valinhos.

  9. Manter os registros de leitura das grandezas elétricas tais como tensão, correntes, energia, níveis de harmônicos em locais determinados pela prefeitura e constantemente em praças parques e jardins.

  10. A empresa contratada deverá definir rotinas de atendimento para a planta de IP da Prefeitura de Valinhos, a fim de obter ganhos nos níveis de satisfação da população em relação à Iluminação Pública, através de planejamento de rotas de rondas periódicas nas diversas ruas e próprios municipais. A contratada deverá manter o registro destas rondas para apresentação à fiscalização municipal;

  11. A contratada deverá manter as suas custas estoque mínimo de materiais, com a finalidade de manter os índices já estabelecidos, tanto no que diz respeito a lâmpadas acesas e apagadas quanto ao tempo de resposta às solicitações.

  12. Armazenar todo o material retirado da Iluminação Pública, por períodos de 06 meses, iniciando juntamente com a data de assinatura de contrato, passado este período a CONTRATADA dará o destino a estes materiais, sendo que:

  • As lâmpadas de descarga retiradas da iluminação pública por terem atingido o final da sua vida útil ou por outro motivo qualquer, em hipótese alguma deverão ser quebradas, devendo ser enviadas às empresas de reciclagem, credenciadas por Órgão Ambiental competente, também com emissão do Certificado de Destinação Final.

  • Os materiais e/ou resíduos enquadrados na Lei de Crimes Ambientais (Lei n° 9605 de 12/02/1998) e legislação complementar, tais como Lâmpadas de Descarga, deverão ter seus processos de descarte realizados sob exclusiva responsabilidade da CONTRATADA para sua destinação.

  1. Antes de iniciar os trabalhos, objeto desta licitação, a CONTRATADA deverá obrigatoriamente, apresentar à Fiscalização competente, cópia dos seguintes documentos:

  • Fornecer por escrito, em papel timbrado da empresa, os procedimentos a serem adotados em caso de acidente de trabalho, grave ou fatal;

  • PPRA -NR 9 (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais) ou PCMAT – NR 18 (Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção);

  • PCMSO – NR 7 (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional);

  • ASO (Atestado de Saúde Ocupacional);

  • Ordens de Serviço Sobre Segurança e Medicina do Trabalhos específicos para o Objeto desta Licitação (uma para cada trabalhador envolvido na execução das obras/serviços assinada pelo mesmo), conforme item 1.7 da NR 1;

  • Comprovante de participação dos trabalhadores no treinamento de segurança admissional, com carga horária mínima de 06 (seis) horas, conforme previsto no item 18.28 da NR 18;

  • Comprovante de participação dos trabalhadores no treinamento de segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade, com carga horária mínima de 40 (quarenta) horas para cada curso, conforme previsto no Anexo III da NR 10;

  • Ficha de controle de recebimento de EPI’s e termo de responsabilidade assinada pelo trabalhador;

  • Fornecer em documento próprio da empresa o nome do Responsável Técnico da Obra, Engenheiro de Segurança, Técnico de Segurança do Trabalho, Cipeiros (onde couber, conforme Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho – NR 4 e NR 5), com telefone, endereço, etc.,




  1. Durante a execução dos Trabalhos, a CONTRATADA deverá, quando for o caso, apresentar à Fiscalização do Departamento competente da Secretaria de Obras e Serviços Públicos, os seguintes documentos:

  • Em caso de acidente de trabalho, a CONTRATADA deverá apresentar ao Departamento competente, no prazo máximo de 24 (vinte e quatro) horas após a ocorrência, cópia da CAT – Comunicação de Acidente do Trabalho, providências tomadas, relatório do acidente efetuado pelo SESMET, investigação do acidente pela CIPA;

  • No caso de acidente grave ou fatal a contratada, além das medidas de socorro cabíveis, deverá informar imediatamente a ocorrência à fiscalização da CONTRATANTE.




  1. Mensalmente a CONTRATADA deverá apresentar até o segundo dia útil o Relatório de Segurança e Medicina do Trabalho do mês anterior, no mínimo com as seguintes informações:




  • Número de funcionários trabalhando no município;

  • Número de acidentes pessoais e materiais;

  • Número de homens/horas trabalhadas;

  • Números de dias perdidos e dias debitados referentes aos acidentes;

  • Número de inspeções de segurança realizadas;

  • Número de cursos/treinamentos realizados;

  • Composição do SESMT e da CIPA;



  1. EXECUÇÃO DE PROJETOS DE MELHORIA, MODERNIZAÇÃO E EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS DE AMPLIAÇÃO DE PONTOS DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA

As demandas referentes a melhorias, modernização e serviços de ampliação de pontos de Iluminação Pública em nosso Município aumentam de forma constante, para atendermos a essas demandas e também no sentido de mantermos o nosso Parque de Iluminação Pública de forma eficiente a atendermos os anseios de nossos munícipes, além da manutenção entendemos a necessidade de contratação dos serviços de modernização e de projetos para obras de ampliação do Parque de Iluminação Pública do Município de Valinhos.

As obras de melhorias, modernização e serviços de ampliação do Parque de Iluminação Pública do Município de Valinhos serão executadas a pedido da PMV.



  1. MELHORIA E MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA

Consiste nos serviços e fornecimento de materiais para substituição, reforma ou melhoria, e recuperação de componentes da UIP, para assegurar melhores níveis de iluminamento, ou melhorar a segurança, ou melhorar a estética, ou maior conforto para os munícipes, ou para melhorar a eficiência energética, ou para dar destaque a monumentos públicos, edificações de importância histórica, arquitetônica, artística, cultural ou turística, obras de arte, áreas de lazer e praças, objetivando através de uma iluminação diferenciada, destacá-los dos demais no seu entorno, alterando as configurações originais dos elementos do Sistema de Iluminação Pública existentes no Município.

Estes serviços serão solicitados por meio de O.S. (Ordem de Serviço) emitidas pela PMV tais como:

- substituição de UIP existente ou de seus elementos por outra tecnologia ou outra configuração de montagem;

- substituição de elementos dos circuitos de IP por outra tecnologia ou outra configuração de montagem;

Estes serviços podem ser pontuais ou definidos por lotes.

Os serviços de modernização consistem nos serviços e fornecimentos de materiais para substituição, reforma ou melhoria, e recuperação de componentes ou de UIP, para assegurar melhores níveis de iluminamento, melhorar a segurança, melhorar a estética, aumentar o conforto para os munícipes, ou para eficientização energética.



    1. Serviços de Eficiência Energética

Serviços programados e executados, obedecendo aos mesmos critérios para os Serviços de Modernização, que resultem em redução de consumo de energia elétrica, visando o atendimento às normas e critérios do RELUZ, dentro do programa de eficiência energética da Eletrobrás.

    1. Serviços de Pronto Atendimento

Caberá à CONTRATADA executar os serviços de Pronto Atendimento ao Sistema de Iluminação Pública, exigidos por situações de perigo pessoal ou material que devam ser atendidos de imediato, por recebimento de solicitação ou detectados, os quais deverão ser prestados durante as 24 (vinte e quatro) horas do dia, 07 (sete) dias por semana, ininterruptamente.

Entende-se por Pronto Atendimento, a necessidade de remoção imediata do perigo iminente que possa colocar em risco a integridade física dos munícipes ou do patrimônio. A posterior recomposição do sistema afetado deverá obedecer aos prazos contratualmente estipulados.

São exemplos de serviços de Pronto Atendimento: danos causados por abalroamentos, impactos diversos, fenômenos atmosféricos, incêndios, circuitos partidos, luminárias com refrator e/ou compartimento para equipamento abertos, entre outros.

A CONTRATADA deverá efetuar o lançamento da solicitação de Pronto Atendimento no sistema informatizado de manutenção em até 24 (vinte e quatro) horas.



    1. Restauração do SIP em função de vandalismo, furto ou acidentes

Em caso de serem detectadas em vistorias diurnas, noturnas ou através da abertura de chamados pelo número SIC (telefone 0800 ou similar), ocorrências de vandalismo ou furto de UIP, a CONTRATADA deverá proceder da seguinte maneira:

Realizar a abertura de Boletim de Ocorrência relatando o fato com o máximo de detalhes, informando os elementos da UIP que foram vandalizados ou roubados, data provável e testemunhas se existirem.

Comunicar oficialmente ao Fiscal do Contrato o fato, o qual deverá junto a Gerência proceder à tomada das ações para restabelecimento da UIP, as quais podem ser: a autorização para restauração pela CONTRATADA, o planejamento de ações preventivas ou retirada da UIP em definitivo.

Caso seja solicitada a correção pela CONTRATANTE a CONTRATADA, a mesma deverá ocorrer em formulário próprio de autorização de serviços, sequencial, com itens e valores especificados de materiais e serviços, conforme Planilha de Quantidades e Preços. Ao finalizar os serviços a Fiscalização deverá ser acionada para verificação da correção e conferência dos itens cobrados em materiais e serviços, onde deverá ser preenchido um formulário específico de aceitação de obra.

O Pagamento pelos serviços prestados de Recuperação de UIP por Vandalismo ou Furto, ocorrerá mediante o arquivamento das ordens de serviço e aceitação dos serviços cobrados, através do Termo de Aceitação de Obras; sendo estes documentos arquivados junto ao processo de pagamento e sem os quais não poderá ser realizado qualquer pagamento. Os pagamentos ocorrerão conforme Planilha de Quantidades e Preços do Contrato.

Os casos de força maior deverão ser avaliados e autorizados pelo Fiscal do Contrato juntamente com o Gerente do Contrato, e em caso de autorização para realização do serviço, emitido autorização em formulário específico intitulado “Atividade de Recuperação por força maior”, constando entre outras informações a causa da anomalia, a razão da atuação e os custos de material e serviço, além da data de realização, assinatura da CONTRATADA, Fiscal e do Gestor do Contrato.

O Pagamento pelos serviços prestados de Recuperação de UIP por força maior ocorrerá mediante o arquivamento das ordens de serviço e aceitação dos serviços cobrados, através do Termo de Aceitação de Obras; sendo estes documentos arquivados junto ao processo de pagamento e sem os quais não poderá ser realizado qualquer pagamento. Os pagamentos ocorreram conforme Planilha de Quantidades e Preços do Contrato.


    1. Serviços agregados

Quando os danos no SIP forem originados por abalroamentos, roubo, vandalismo, ou ainda, em casos fortuitos ou de força maior, cabe a CONTRATADA a:

a) Recuperação das instalações elétricas e de iluminação pública, inclusive do sistema de suprimento se for o caso, incluindo o ponto de entrega, quadro de medição, pontaletes, quadro de controle, caixas de passagem e dutos, circuitos aéreos e subterrâneos, sem modificação das características originais, em logradouros especiais (praças, passeios, ciclovias, parques, pontes, áreas esportivas, monumentos naturais e históricos, etc.), inclusive com a execução de serviços de alvenaria para reparo, conservação e segurança, além da instalação de grades de proteção.

b) Aprumação, alinhamento ou substituição de postes, incluindo acessórios existentes;

c) Recuperação ou aprumação de postes em corredores viários;

d) Substituição de ramais aéreos de baixa tensão por ramal subterrâneo, inclusive pelo método não destrutivo;

Os materiais para execução dos serviços acima elencados serão os descritos na Planilha de Quantidades e Preços do Contrato, sendo fornecidos pela CONTRATADA ou pelo Município, em parte ou na totalidade, a critério do CONTRATANTE que poderá adquirir ou utilizar material reciclado do seu Centro de Tecnologia e Reciclagem de Materiais de Iluminação Pública

A quitação pela prestação desse serviço se dará pela apresentação mensal de fatura com cópias das autorizações de serviço emitidas, para os logradouros específicos, além da relação de material retirado e devolvido, devidamente recebido, pelo ALMOXARIFADO, bem como da planilha de medição do serviço prestado e do Termo de Aceitação de Obra, atestados pelo Município através do Gestor do Contrato.

Serviços desta natureza sem a respectiva autorização de serviço expedida pelo Gestor ou designado pelo mesmo, não poderão ser pagas.



    1. Destinação Final de Resíduos do SIP

Os materiais e/ou resíduos enquadrados na Lei de Crimes Ambientais N° 9605 de 12/02/1998 e legislação complementar, tais como Lâmpadas de Descarga, deverão ter seus processos de descarte realizados sob exclusiva responsabilidade da CONTRATADA, devendo os custos estar previsto em seu preço global.

Todas as lâmpadas de descarga retiradas do parque de iluminação pública, por terem atingido o final da sua vida útil ou por outro motivo qualquer, em hipótese alguma deverão ser quebradas, devendo ser enviadas às empresas de reciclagem, credenciadas por Órgão Ambiental competente. Também com relação a elas, a CONTRATADA deverá apresentar para a Prefeitura um Certificado de Destinação Final.

Enquanto os materiais permanecerem em poder da CONTRATADA, esta se responsabilizará pelo correto procedimento de manuseio (retirada/coleta), acondicionamento, transporte, armazenagem, até sua destinação final, devendo, às suas expensas, segurá-los contra todos os riscos.

Todos os materiais retirados da iluminação pública, exceto os citados no primeiro parágrafo, deverão ser devolvidos no prazo de 30 (trinta) dias ao ALMOXARIFADO DA CONTRATANTE em formulário apropriado, podendo ser em grupo de mesma natureza, dando informações detalhadas quando necessário, para que possam ser reciclados, reaproveitados ou leiloados.



    1. Uso de equipamentos a LED (diodo emissor de luz)

Os Leds (light emitting diode) ou Diodo Emissor de Luz já é realidade na iluminação pública, isto é notado pelo crescente número de empresas fornecedoras de luminárias exclusivas para iluminação pública. Seus potenciais despertam muita expectativa no campo da iluminação, devido as suas notáveis vantagens:

Grande potencial em rendimento;

• Vida útil longa;

• Baixo consumo de energia, entre outras.

Quando solicitado pela Prefeitura do Município de Valinhos, a CONTRATADA deverá instalar luminárias a LED, com vistas a promover a eficiência energética do sistema de iluminação pública, bem como a otimizar e reduzir o consumo de energia elétrica.


      1. Características técnicas das luminárias a LED

As luminárias a serem instaladas no parque de iluminação pública da cidade deverão possuir as seguintes características técnicas:

O corpo (estrutura mecânica) da luminária deve ser em liga de alumínio injetado a alta pressão ou extrudado, pintado através de processo de pintura eletrostática a base de tinta resistente a corrosão na cor cinza Munsel N 6,5. A luminária deve possibilitar a montagem em ponta dos braços e suportes de diâmetro 48 mm, ± 1 mm, com comprimento de encaixe suficiente para garantir a total segurança do sistema. Os parafusos, porcas, arruelas e outros componentes utilizados para fixação devem ser em aço inoxidável.

A luminária deve ser projetada de modo a garantir que, tanto o modulo de LED quanto o driver, possam ser substituídos em caso de falha ou queima, evitando a inutilizarão do corpo (carcaça).

Deve possuir ainda, fácil acesso as partes internas dispensando o uso de qualquer ferramenta, mesmo com a luminária instalada no poste.

No corpo da luminária deve ser previsto um sistema dissipador de calor, sem utilização de ventiladores ou líquidos, e que não permita o acumulo de materiais que prejudiquem a dissipação térmica do sistema ótico e do alojamento do driver.

A luminária deve garantir a correta dissipação do calor durante a sua vida útil, de acordo com as especificações térmicas do LED utilizado. O fabricante do LED deve apresentar os cálculos da temperatura de junção (Tj) em função, da resistência térmica do LED (Rth), da corrente (I), da tensão (V) aplicada ao LED e ainda da temperatura no ponto de soldadura do LED a placa (Ts).

A luminária deve possuir na parte superior uma tomada para acoplamento do modulo/antena destinado ao sistema de TELEGESTÃO. A tomada deverá ser padrão NBR 5123 da ABNT.

A luminária deve apresentar características mecânicas, elétrico-óticas, fotométricas, térmicas, resistência ao meio e de durabilidade, conforme seguem:



Característica mecânica

As características mecânicas devem atender as normas NBR IEC 60598-1, NBR IEC 60598-2-3 e NBR 15129.

- Resistência ao carregamento vertical

Deve ser aplicada, nos dois sentidos verticais, perpendicular ao corpo de cada luminária, uma carga de dez vezes o peso da luminária completa (incluindo o peso do driver), no baricentro da mesma, por um período de 5 minutos, estando a luminária fixa em sua posição normal de trabalho, em suportes adequados com os mesmos diâmetros dos braços de aplicação. Após o ensaio qualquer parte do corpo não deve apresentar ruptura.


- Resistência ao carregamento horizontal

Deve ser aplicada, nos dois sentidos horizontais perpendiculares ao braço, uma carga de dez vezes o peso de cada luminária completa (incluindo o peso do driver), no baricentro da mesma, por um período de 5 minutos, estando a luminária fixa em suportes adequados com os mesmos diâmetros dos braços de aplicação. Após o ensaio qualquer parte do corpo não deve apresentar ruptura.



- Resistência a força do vento

A luminária deve ser ensaiada conforme a IEC 60598-2-3. Durante o ensaio, a luminária não deve apresentar deslocamento superior a 5° em relação ao seu eixo. Para que seja aprovada, alem das avaliações previstas na IEC 60598-2-3, após o ensaio, a luminária deve ser capaz de operar em sua condição normal de funcionamento sem apresentar quaisquer falhas mecânicas, elétricas ou giro no braço que possam comprometer seu desempenho.

- Resistência a vibração

A luminária deve ser ensaiada conforme ABNT-NBR IEC 60598-1. O ensaio deve ser realizado com a luminária energizada e completamente montada com todos os componentes, inclusive driver. Para que seja aprovada, alem das avaliações previstas na ABNT-NBR IEC 60598-1, após o ensaio, a luminária deve ser capaz de operar em sua condição normal de funcionamento sem apresentar quaisquer falhas elétricas ou mecânicas como trincas, quebras, empenos, abertura dos fechos e outros que possam comprometer seu desempenho.



Características elétricas / óticas

As características elétricas e óticas devem atender as normas IESNA LM-79-2008, IESNA LM-80-2008, IEC 62504, IEC 62031, IEC/PAS 62722-2-1, IEC/PAS 62717, ANSI C 78.377-2008, ANSI/IEEE C.62.41-1991, NBR IEC 60598-1 e NBR 15129.

- Potências nominais

60W, 100W, 150W e 210W;



(Tolerância de 15% para mais e menos), exemplo: 150 W pode ser usado no mínimo 127 W até 176 W.

- Tensão/frequência nominal da rede de alimentação

220 V/60 Hz

- Fator de potência

Mínimo de 0,92.

- Distorção de harmônica total (THD)

Menor ou igual a 10%.

- Temperatura de cor

4.000 ± 300 K.

- Índice de reprodução de cor

Maior ou igual a 70.

- Eficácia luminosa total

Maior ou igual a 110 lm/W.

- Resistência de isolamento

Maior ou igual a 100 MΩ, em conformidade com a norma ABNT NBR IEC 60598-1.

- Rigidez dielétrica

Devem suportar 2500 V/1minuto, em conformidade com a norma ABNT NBR IEC 60598-1.

- Proteção contra transientes (surtos de tensão)

- Proteção contra Interferência eletromagnética (EMI) e de radiofrequência (RFI)

Devem ser previstos filtros para supressão de interferência eletromagnética e de radiofrequência, em conformidade com as normas EN 55015, CISPR 15 e FCC Title 47 CFR part15/18 Non-Consumer-Class A.

- Proteção contra choques elétricos

A Proteção contra choques elétricos deve ser classe I, em conformidade com a norma ABNT NBR IEC 60598-1.

- Aterramento

A luminária deve ter um ponto de aterramento, conectado aos equipamentos eletrônicos, através de cabos de cobre de 1,5 mm2, 450/750 V, isolados com PVC para 105°C. Os cabos de aterramento devem ser na cor verde e amarela (ou verde) para atender o item 7.2.11 da NBR IEC 60598-1.

- Cabos de ligação a rede

Para ligação da luminária a rede devem ser fornecidos rabichos com comprimento externo mínimo de 200 mm e com conectores do tipo torção, sendo cada conector para a conexão de 03 cabos de seção 2,5 mm2. As extremidades dos rabichos não devem ser estanhadas.

Os conectores de torção devem atender as seguintes condições:

- Classe de tensão: mínima 750 V;

- Classe de temperatura: mínima 105 °C;

- Mola de aço com perfil quadrado flutuante, com proteção anti corrosão, e pressão suficiente para não afrouxar as conexões durante a vida normal da luminária.

Os rabichos devem ser de cabos de cobre de seção de 2,5mm2, isolados em PVC para suportar no mínimo 750 V/105 °C, em conformidade com as normas NBR NM 247-3 e NBR 9117 da ABNT, sendo o cabo para o aterramento com isolação na cor verde e amarela ou verde. Os demais cabos só não podem ser nas cores acima e nem na cor azul.

Características térmicas e resistência ao meio.

As características térmicas e resistência ao meio devem atender a norma ABNT NBR IEC 60598-1 e ASTM G154.

- Temperatura ambiente de operação

De -10 a +50 °C.



- Temperatura máxima nas luminárias

As temperaturas máximas nas luminárias, quando ensaiadas a uma temperatura de 40 ± 1 °C, não devem exceder aos seguintes valores:

- A temperatura no ponto crítico (Tc) do LED não deve ultrapassar 85 °C. Deve ser medida de acordo com a norma EN60598-1, com um sensor de temperatura ou com selo sensível a temperatura. A ponta de prova deve ser colocada em um pequeno orifício (0,7mm), o mais próximo possível da base do LED.

- A temperatura interna do alojamento (próximo ao drive de controle) não deve ser maior que 55 °C.

- Resistência a radiação ultravioleta

Os componentes termoplásticos sujeitos a exposição ao tempo devem ser submetidos a ensaios de resistência as intempéries com base na norma ASTM G154. Após o ensaio as peças não devem apresentar degradação que comprometa o desempenho operacional das luminárias. No caso especifico das lentes e dos refratores em polímero, a sua transparência não deve ser inferior a 90% do valor inicial.

- Grau de proteção do conjunto ótico e do alojamento do driver

Deve ser no mínimo IP 66 para o conjunto ótico e IP 66 para o alojamento, em conformidade com a norma ABNT NBR IEC 60598-1.


- Resistência a umidade

Deve atender o item 9.3 da ABNT NBR IEC 60598-1.



Característica fotométrica

As características de distribuição de luz da luminária devem proporcionar no piso uma superfície de iluminação uniforme, com valores decrescendo de forma regular no sentido da luminária para os eixos transversal e longitudinal da pista. Não deve permitir o aparecimento de manchas claras ou escuras que comprometam a correta percepção dos usuários da pista.

As medições das características fotométricas devem atender as normas IESNA LM-31-95, IESNA LM-79-2008, IESNA LM-80-2008, IESNA TM-15-07, IESNA RP-8-00, IEC/PAS 62722-1, IEC/PAS 62717 e ABNT NBR 5101.

Durabilidade

Os ensaios para verificação da durabilidade dos LEDs e módulos (placas) de LEDs devem atender as normas IESNA LM-79-2008, IESNA LM 80-2008, IESNA TM-21, IEC/PAS 62722-1 e IEC/PAS 62717.



- Vida útil das luminárias

A vida útil da luminária, a uma media de tempo de operação de 12 (doze) horas por noite, a temperatura ambiente de 35ºC, não deve ser inferior a 50.000 horas.

- Manutenção do fluxo luminoso

A luminária após vida operacional de 50.000 horas, a uma média de tempo de operação de 12 (doze) horas por noite, a temperatura ambiente de 35 °C, não deve apresentar uma depreciação superior a 20 % do fluxo luminoso inicial.

- Variação do fluxo luminoso em função do tempo e diferentes temperaturas de operação

O fornecedor deve apresentar curvas de variação do fluxo luminoso da luminária operando a temperaturas de 55 °C, 85 °C e 120 °C, num período de 12 horas, de acordo com as recomendações da norma IES LM80-08 de 2008.



Características técnicas dos Drivers

O driver deve ser de corrente constante na saída e atender as normas ABNT NBR 16026-2012, IEC 61347-2-13 e IEC 60929.



- Eficiência

A eficiência do driver com 100% de carga e 220 V deve ser ≥ 90%.

- Corrente de partida (comutação)

O driver deve ter baixa corrente de comutação.

- Distorção Harmônica

A distorção harmônica total (THD) da corrente de entrada deve ser menor ou igual a 10%, a plena carga e medida em 220 V, de acordo com a norma IEC 61000-3-2 C.



- Imunidade

O driver deve ser projetado de forma a não interferir no funcionamento dos equipamentos eletroeletrônicos e, ao mesmo tempo, estar imunes a eventuais interferências externas que possam prejudicar o seu próprio funcionamento, em conformidade com a norma IEC 61547.



- Proteção contra sobrecarga, sobreaquecimento e curto-circuito

O driver deve apresentar proteção contra sobrecarga, sobreaquecimento e curto circuito na saída, provocando o desligamento do mesmo com rearme automático na recuperação, em conformidade com a norma IEC 61347-1.



- Proteção contra choque elétrico

A proteção contra choques elétricos deve ser classe I de isolação elétrica, em conformidade com a norma ABNT NBR IEC 60598-1.



- Temperatura no ponto critico (Tc) do driver

Não deve ultrapassar 70 °C, quando medida a temperatura ambiente de 40 °C e 100% de corrente na saída.



- Grau de proteção

Deve ser no mínimo IP-66, em conformidade com a norma ABNT NBR 6146.



- Vida útil dos drivers.

Deve ser de no mínimo 50.000 horas.



Ensaios

Ensaios de Tipo

Quando da aprovação de TIPO, o fornecedor deve providenciar os ensaios que seguem abaixo, em laboratórios nacionais idôneos (de notorio reconhecimento publico) ou laboratórios internacionais acreditados no pais de origem, sendo que cabe ao fornecedor arcar com todas as despesas:

- Ensaios de todos os itens especificados nas características mecânicas;

- Ensaios de todos os itens especificados nas características elétricas / óticas;

- Ensaios de todos os itens especificados nas características térmicas e resistência ao meio;

- Ensaios de todos os itens especificados nas características fotométricas;

- Ensaios de todos os itens especificados para verificação da durabilidade;

- Ensaios de todos os itens especificados para o driver.

Após os ensaios, o fornecedor deve disponibilizar juntamente com os laudos resultantes dos ensaios acima citados, informações técnicas nominais e dados fotométricos que seguem abaixo, para análise e aprovação da Fiscalização:

a) Dados fotométricos

Para as medições abaixo considerar:

Plano vertical de referencia

Plano vertical que passa pelo centro ótico da luminária, perpendicular ao sentido da via.

Ângulo lateral

Ângulo entre um plano vertical (que passa pelo centro ótico da luminária) e o plano vertical de referência, medido no sentido horário. E considerado 0° (zero grau) o semiplano posicionado no lado da rua e 180° o semi plano posicionado no lado da calcada (NBR-5101).

Ângulo vertical

Ângulo entre o eixo dos planos verticais e uma semi reta do plano vertical considerado, ambos passando pelo centro ótico da luminária. Considera-se 0° (zero grau) a semi reta situada entre a luminária e o piso e 180° a semi reta oposta. (NBR-5101).

- Tabela de distribuição de fluxos luminosos (em lux) com: Ângulos laterais variando de 0° a 180° em intervalos de 5°;

. Ângulos verticais variando de 0° a 120° em intervalos de 5°;

*Informar a distância entre a luminária e a fotocélula.

- Tabela de distribuição de intensidades luminosas com:

. Ângulos laterais variando de 0° a 180° em intervalos de 5°;

. Ângulos verticais variando de 0° a 120° em intervalos de 5°;

- Valor de máxima intensidade luminosa (I máximo) e o ângulo correspondente (lateral e vertical);

- Valores de intensidade luminosa nos ângulos verticais de 80º, 88º, 90º;

- Tabela de coeficiente de utilização e fluxo luminoso;

- Diagramas com as linhas de isocandelas de iluminação horizontal, indicando o ponto de máxima intensidade e 0,5 (meia) intensidade máxima;

- Gráfico Polar para os ângulos de máxima intensidade luminosa ( I máximo );

- Arquivo digital de dados fotométricos de acordo com a norma IESNA LM-63-2002 para cada luminária especificada;

- Código Fotométrico;

- Índice BUG;

- Curva de distribuição fotométrica.

b)Informações técnicas nominais

- Potencia da luminária (W)

- Tensão de entrada da luminária (V)

- Corrente de entrada da luminária (A)

- Tensão de entrada dos módulos (placas) de LEDs da luminária (Vcc)

- Corrente de entrada dos módulos (placas) de LEDs da luminária (Icc)

- Fluxo luminoso da luminária (lm)

- Potencia do driver (W)

- Tensão de entrada do driver (V)

- Corrente de entrada do driver (A)

- Tensão de saída do driver (Vcc)

- Corrente máxima na saída do driver (Icc)

- Perda máxima do driver para alimentação 220V (W)

- Tensão nominal de um LED (V)

- Corrente nominal de um LED (mA)

- Temperatura máxima de junção dos LEDs (oC)

- Fabricante (marca) dos LEDs

- Certificado de ensaio de durabilidade dos LEDs utilizados, em conformidade com a norma IESNA LM 80-08

- Temperatura de cor (K)

- Índice de reprodução de cor – (IRC)

- Tipo de material utilizado na produção da lente primaria e secundaria do LED

- Tipo de material do refrator da luminária

- Tipo de acionamento da luminária

Ensaios de Recebimento

Quando da aprovação de RECEBIMENTO, o fornecedor deve providenciar os ensaios que seguem abaixo, em laboratórios nacionais idôneos (de notório reconhecimento público), sendo que cabe ao fornecedor arcar com todas as despesas:

- Potência da luminária (W)

- Tensão de alimentação da luminária (V)

- Corrente de alimentação da luminária (A)

- Fator de potencia

- Distorção de harmônica total (THD)

- Tensão de entrada dos módulos (placas) de LEDs da luminária (Vcc)

- Corrente de entrada dos módulos (placas) de LEDs da luminária (Icc)

- Fluxo luminoso da luminária (lm)

- Eficiência luminosa total

- Temperatura de cor

- Índice de reprodução de cor

- Resistência de isolamento

- Rigidez dielétrica

- Potencia do driver (W)

- Tensão de entrada do driver (V)

- Corrente de entrada do driver (A)

- Tensão de saída do driver (Vcc)

- Corrente máxima na saída do driver (Icc)

- Perda máxima do driver (W)

- Tensão nominal dos LEDs (V)

- Corrente nominal dos LEDs (mA)

- Temperatura máxima de junção dos LEDs (°C)

- Fabricante (marca) dos LEDs

Garantia

As luminárias devem ser fornecidas com garantia global (todos os componentes, principalmente módulos de LEDs e drivers de alimentação) de 5 anos contra quaisquer defeitos de fabricação a contar de seu recebimento, independentemente da data de fabricação.

Todas as despesas de retirada, analise e de reposição ou devolução são de responsabilidade do fornecedor.

No caso de descumprimento da garantia serão aplicadas as penalidades previstas em contrato.



11. EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS DE AMPLIAÇÃO DE PONTOS DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA

Consiste nos serviços e fornecimento de materiais necessários para instalação de novas UIP, iluminação em logradouros, iluminação para dar destaque especial a monumentos públicos, edificações de importância histórica, arquitetônica, artística, cultural ou turística, obras de arte, áreas de lazer e praças.

Os projetos executivos para modernização e ampliação dos pontos de Iluminação Pública devem ser elaborados com o uso de softwares adequados e específicos para IP e deverão seguir rigorosamente as normas técnicas da ABNT e da Concessionária de Energia Elétrica. O controle dos projetos deverá ser informatizado e a tramitação por meio digital e papel.
Todos os projetos deverão ser submetidos à aprovação do Município, que os aceitará ou não, e a execução dos serviços fica condicionada à aprovação do Município de Valinhos. Os projetos elétricos para alimentação de UIP deverão adotar as simbologias e formas de apresentação das normas da Concessionária de Energia Elétrica, ABNT e do Município de Valinhos. Deverão ser compostos por diagramas, dimensionamento dos condutores, desenhos com os esquemas elétricos, projeto e desenho das fundações de estruturas e obras civis, se forem o caso, desenho de detalhes de peças especiais a serem fabricadas, relação de materiais e equipamentos, orçamento e previsão de prazo para execução.
Os projetos luminotécnicos deverão conter estudos de fotometria das unidades de iluminação, da distribuição fotométrica no logradouro, simulações para projetos especiais, as alternativas técnicas e econômicas que deverão considerar os ganhos com a eficiência e redução do consumo de energia elétrica. Para elaboração dos projetos luminotécnicos deverão ser usados softwares específicos para Iluminação Pública, independentes de fabricantes.

Os projetos solicitados pelo Município de Valinhos deverão ser elaborados num prazo máximo de 30 (trinta) dias da data da solicitação por escrito. Estes serviços poderão ser pontuais, para atender um ponto de IP específico, ou de forma mais abrangente para atender uma rua, uma avenida, um logradouro, uma praça, etc. Estes serviços visam assegurar melhores níveis de iluminamento das vias e espaços públicos, contribuir para melhoria da segurança pública, aumentar o embelezamento estético e conforto para os cidadãos, bem como visando a eficiência energética.

As obras de iluminação pública deverão ser executadas de acordo com as normas e padrões técnicos da Companhia Paulista de Força e Luz (Empresa Concessionária de distribuição de energia). Os materiais e os detalhes técnicos das estruturas a serem utilizadas poderão ser encontrados nos manuais técnicos da empresa, que será a responsável pela aprovação prévia dos projetos elétricos.

A Prefeitura do Município de Valinhos , no primeiro ano de vigência contratual, pretende instalar aproximadamente 300 (trezentos) novos pontos de Iluminação Pública, com novas luminárias em locais da cidade não atendidas com rede de Iluminação Pública; nessas obras deverão ser utilizados na montagem do ponto de iluminação os materiais relacionados na planilha de preços unitário estabelecido no Anexo 02 do respectivo Edital.


Valinhos, 23 de março de 2018.

Gerson Luís Segato



Secretário

Obras e Serviços Públicos

Osmair Roberto Trombetta



Diretor

Divisão de Projetos Elétricos

José Eduardo Figueiredo



Diretor

Obras e Serviços Públicos


RUA ANTONIO CARLOS, 301 – CENTRO – TEL: 19 3871-1213/3871-3531 – FAX: 19 3871-2187 – CNPJ: 45.787.678/0001-02



©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal