Pr. Ricardo Guimarães Princípios de Autoridade Espiritual(Parte 1) Cod. 16/2148



Baixar 60,78 Kb.
Encontro22.07.2017
Tamanho60,78 Kb.

Pr. Ricardo Guimarães Princípios de Autoridade Espiritual(Parte 1) Cod.16/2148

PINCÍPIOS DE AUTORIDADE ESPIRITUAL!

(parte 1)

Romanos 13.1-7

1 Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas.



2 De modo que aquele que se opõe à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos condenação.

3 Porque os magistrados não são para temor, quando se faz o bem, e sim quando se faz o mal. Queres tu não temer a autoridade? Faze o bem e terás louvor dela,

4 visto que a autoridade é ministro de Deus para teu bem. Entretanto, se fizeres o mal, teme; porque não é sem motivo que ela traz a espada; pois é ministro de Deus, vingador, para castigar o que pratica o mal.

5 É necessário que lhe estejais sujeitos, não somente por causa do temor da punição, mas também por dever de consciência.

6 Por esse motivo, também pagais tributos, porque são ministros de Deus, atendendo, constantemente, a este serviço.

7 Pagai a todos o que lhes é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem respeito, respeito; a quem honra, honra.”
Introdução: Deus age a partir do seu trono, e o seu trono está estabelecido sobre a sua autoridade. Todas as coisas são criadas pela palavra de Deus que é a expressão não apenas do seu poder mas tamb[e mde sua autoridade.

Quando no lviro da criação Deus diz: “Haja”. As coisas simplesmente acontecem conforme a sua palavra. Isso nos msotra que ele não apenas tem poder para criar, mas tem autoridade.

A palavra autoridade vem de autor! O autor de uma obra tem autoridade sobre ela, por ele a criou e aconehce profundamente. Portanto, quanto mais ligados ao autor estivermos mais cheios de autoridade seremos.

A autoridade é uma coisa tremenda no universo — nada a so­brepuja. Portanto é imperativo que nós que de­sejamos servir a Deus conheçamos a autoridade de Deus.

Quais sòa os princípiso que precisamos compreender para que possamos ter sucesso na vida? Há vários princípios. Mas hoje quero comaprtilahr alguns com você:
F.T.: O primeiro princípio é...

I – TODA AUTORIDADE EMANA DE DEUS(V.1)


    1. Senão veja como texto começa:

Romanos 13.1

Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas.




    1. Entendeu porque a Bíblia é um livro de fé? Porque se você não crer na Palavra de Deus, você jamais aceitará esse versículo na íntegra. É fácil aceitar que algumas autoridades são constituídas por Deus, mas não é fácil aceitar que toda autoridade procede de Deus. Mas é exatamente isso que o texto afirma.

    2. Não existe nenhuma autoridade que não pro­ceda de Deus; todas as autoridades foram insti­tuídas por ele. Quando procuramos encontrar a fonte de toda autoridade, encontramo-la invaria­velmente em Deus. Deus está acima de toda autoridade, e todas as autoridades estão debaixo dele. Vejamos alguns exemplo de autoridade:

  1. Na família: Pais

  2. No trablaho: Superiores

  3. Na escola: Professores

  4. Na nação: Governos

  5. No rua: Polícia

  6. No trânsito: o guarda

  7. Na igreja: Nossos líderes

  • Não importa o ambiente onde estejamos, sempre haverá uma figura de autoridade naquele lugar! E precisamos ser rápidos e sensíveis para perceber a autoridade presente num ambiente!


Ilust.:

Para muitos é fácil aceitar que o Sérgio Mouro é uma autoridade constituída por Deus, pelo serviço que está prestando a nação, mas não é fácil aceitar que aqueles que por ele estão sendo presos, tenham sido igualmente cosntituídos por Deus!



    1. O que precisamos entender que é que a questão da autoridade não está ligada a pessoa em si, mas à posição ou função que ele ocupa. Nesse sentido, quando entramos em contato com a auto­ridade de Deus, entramos em contato com o pró­prio Deus.

    2. A obra de Deus se efetua basicamente não pelo poder mas pela autoridade. Ele mantém todas as coisas pela poderosa palavra de sua au­toridade, exatamente como as criou pela mesma palavra. Sua palavra de ordem é autoridade.

    3. Nós não sabemos como a autoridade de Deus ope­ra; não obstante, sabemos que ele realiza tudo através dela. Hoje em dia o universo está cheio de autoridades estabele­cidas por Deus. Tudo se encontra sob sua auto­ridade. Portanto, todos os cristãos devem aprender a obedecer à autoridade.

    4. Mas o verso começa dizendo o seguinte: “Todo homem está debaixo de autoridade.”. O que isso significa?

  • Isos significa que no reino de Deus não existe independência. Ninguém pode andar solto dizendo: Eu sou dono do meu nariz; eu faço o que bem entendo e ninguém tem nada a ver com a minha vida;

  • Isso é um grande engano. Isso é fruto do pensamento do homem caído. O homem de Deus sabe que não está sozinho nesse mundo. E que em alguns ambientes ele está na posição de autoridade mas em outros ambientes ele está deabaixo de autoridade.

  • Há uma mentalidade no mundo hoje de independência. Mas esse não é um princípio do reino de Deus. O que o reino prega é a autonomia.

  • E qual a diferneça entre autonomia e independênica? São duas palavras usadas muitas vezes com o mesmo significado, mas tem sentido difernetes.

  • Autonomia: É a capacidade que um indivíduo tem de gerir a sua prórpia vida sem total dependência de outros;

  • Independência: É a total desassociação de qualaeur outra pessoa ou situação que possa gerar qualqeur tipo de subordinação;




  • Autonomia eu posso gerir a minha vida sem o auxílio de outros. Independência eu não presto contas da minha vida a ninguém;




  • Deus é a fonte de toda autoridade que existe e quando nós honramos a figura de autoridade nós honramos a Deus, seja essa figura de autoridade nossos pais, seja nosos chefe, seja o guarda de trânsito, seja a nossa liderança.




  • Precisamso ter esse entendimento para que não nos rebelemos contra Deus nos insurgindo contra as autoridades.




  • Guarde isso no seu coração: toda homem que teme ao Senhor smepre respeitará a figura de autoridade!


F.T.: O segundo princípio é...

II - PRECISAMOS TER REVELAÇÃO DA AUTORIDADE(Vv.2-5)

2.1. Primeiro o apóstolo nos ensina que toda autoridade procede de Deus. Em seguinda ele nos desafia a reconehcer em honrar. Veja que esse é um texto difícil para o homem natural. Somente com a mente de Cristo podemos receber no espírito o ensino da Palavra de Deus. Senão vejamos:

Romanos 13.2-5

2 De modo que aquele que se opõe à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos condenação.



3 Porque os magistrados não são para temor, quando se faz o bem, e sim quando se faz o mal. Queres tu não temer a autoridade? Faze o bem e terás louvor dela,

4 visto que a autoridade é ministro de Deus para teu bem. Entretanto, se fizeres o mal, teme; porque não é sem motivo que ela traz a espada; pois é ministro de Deus, vingador, para castigar o que pratica o mal.

5 É necessário que lhe estejais sujeitos, não somente por causa do temor da punição, mas também por dever de consciência.”
2.2. Sabemos que o presente século caracteriza-se pela insubordinação a qualquer tipo de autoridade. A autoridade no mundo está sendo cada vez mais solapada até que, final­mente, todas as autoridades serão destituídas e a transgressão governará.

2.3. No universo existem dois prin­cípios: o da autoridade de Deus e o da rebeldia satânica.


  1. A rebeldia satânica: O arcanjo transformou-se em Satanás quando tentou usurpar a autoridade de Deus, competir com Deus, e assim se tornou um adversário de Deus.

Isaías 14.12-14

12 Como caíste do céu, ó estrela da manhã, fi­lho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações!



13 Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das es­trelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, nas ex­tremidades do Norte;

14 subirei acima das mais altas nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo.”


  • Foi a rebeldia que provocou a queda de Satanás.

  • Por isso, quando servimos a Deus não devemos desobe­decer às autoridades, porque isso é um princípio satânico.

  • A rebeldia de satanás pode se manifestar em pequenas coisas a saber:


Ilust.:

Quando você lê uma placa:

Não pise na grama!” Ou “Não jogue lixo no chão”



Ou quando uma direção é dada no ambiente em que você está e você resiste a obedecer!


  • Satanás não tem medo quando pregamos a palavra de Cristo, mas como tem medo quando nos submetemos à au­toridade de Cristo;

  • Sempre que o princípio de Cris­to está operando, o de Satanás se desvanece.. Se quisermos verdadeiramente servir a Deus temos de nos purificar comple­tamente do princípio de Satanás.

  • Precisamos de revelação para aceitar o fato de que todo o universo está sob o domínio de Deus, e por isso temos de nos sujeitar à sua autoridade.

  • Temos de perceber de quem é a autoridade. Pregamos o evangelho a fim de colocarmos os homens sob a autoridade de Deus. Por isso a igreja é um instrumento de Deus para o estabelecimento do seu reino aqui na terra.

  • Onde há rebelião satanás se fortalece onde há submissão a autoridade a obra de satanás não prevalece!




  1. A autoridade de Deus: A controvérsia do universo centraliza-se sobre quem deve ter autoridade, e nosso conflito com Satanás é o resultado direto de atribuirmos autoridade a Deus.




  • Para manter a autoridade de Deus temos de nos submeter a ela com todo o nosso coração.

  • É absolutamente necessário que reconheçamos a autoridade de Deus e que pos­suamos uma noção básica do que ela significa.

  • Vejamos o exemplo de Paulo: Antes de reconhecer a autoridade, Paulo tentou acabar com a igreja; depois de se encontrar com o Senhor na estrada de Damasco imediatamente caiu ao chão e reconheceu Jesus como Senhor.

  • Depois disso, foi capaz de se submeter à orien­tação que lhe foi dada por Ananias na cidade de Damasco, pois Paulo tomara conhecimento da autoridade de Deus.

  • No momento em que foi salvo, reconheceu a autoridade de Deus além da salvação de Deus.

  • Como podia Paulo, que era inteligente e capa­citado, dar ouvido às palavras de Ananias — um humilde e desconhecido irmão que só foi men­cionado uma única vez na Bíblia — se não reco­nhecesse a autoridade de Deus?

  • Isto nos faz ver que todo aquele que conhece a autoridade lida puramente com a autoridade e não com o ho­mem.

  • Não consideremos o homem mas unica­mente a autoridade investida nele. Não obedeça­mos ao homem mas à autoridade de Deus que está nesse homem.

  • Se não temos revelação da autoridade de Deus, ficamos sempre avaliando o homem. Mas quando já temso revelação da autoridade não nos fará di­ferença quem é o homem.

  • Por isso, antes que um homem se sujeite à autoridade delegada por Deus, é preciso que reconheça a autoridade ine­rente a Deus.


2.4. Não podemos servir a Deus e simulta­neamente andar pelo caminho da rebeldia reve­lando um espírito rebelde. Satanás não respeita uma pessoa rebelde, pois nessa pessoa habita o princípio satânico. O princípio do serviço tem de ser a autoridade.

2.5. A questão toda é: “Vamos ou não vamos obedecer à autoridade de Deus?” Nós que servimos a Deus temos de perceber este cri­tério básico da autoridade.

  • Alguém que já tenha experimentado um choque elétrico sabe que não pode ser descuidado com eletricidade. Do mesmo modo, uma pessoa que já foi tocada pela autori­dade de Deus, a partir daí mantém os olhos aber­tos para julgar o que é rebelião nela mesma e nos outros.

  • Que o Senhor nos conceda a graça de receber dele a revelação da autoridade! nos livrar da rebeldia.

  • Pois sem essa revelação jamais seremos capazes de nos submeter a autoridade de Deus! Mas uma vez, devemso lembrar, sempre haverá a um homem na figura de autoridade!


F.T.: O terceiro princípio é...

III - SEMPRE QUE A AUTORIDADE É ESTABELECIDA A SUBMISSÃO É TESTADA:

3.1. Uma vez que tivemos a revelação de que há dois princípios uqe operam na terra, devemos estar o tempo todo atentos para saber qual o princípio que está em operação: a autoridade de Deus ou a rebelião de satanás!

3.2. Existe uma diferença muito grande entre a teoria e a prática. É Fácil dizer que reconehcemos a autoridade de Deus mas não é simples nos submeter a essa autoridade quando ela se manifesta na vida de um homem.

3.3. Por isso, quando a autoridade é estabelecida a submissão será testada imediatamente. Porque o que Paulo fala no verso 7 só será possível se antes tivermos a revelação dos versos anteriores. Senào vejamos o que ele diz:

Romanos 13.7

Pagai a todos o que lhes é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem respeito, respeito; a quem honra, honra.”





  • A primeira parte desse versiculo é a parte que todos nós gostaríamos de tirar da Bíblia! Quem gosta de pagar imposto e tributo?

  • Todavia, o texto termina dizendo que devemos dar respeito e honra àqueles a quem essas coisas são devidas!

  • Em outras palavras, o que o apóstolo está dizendo, uma vez que voce identificou a figura de autoridade agora demonstre respeito e honra. Esses são dois princípios do reino de Deus!


3.4. Quando a autoridade é establecida a submissão será imediatamente testada e a rebelião se manifestará em pensamentos, palavras e atitudes.
Ilust.:

Quando um irmão é levantando como líder de uma célula, naquele momento uma figura de autoridade é estabelecida. A partir daquele momento ele está ali representando a autoridade da igreja, a figura da liderança, a pessoa do pastor!

Se todos irmaos reconhecerem que ele é uma autoridade constituída por Deus, será muito fácil para ele liderar.


  • Todavia, se esse reconhecimento não acontecer de imediato a obra sofrerá perdas e teremos danos, porque o inimigo injetará o seu veneno na vida de alguns para sabotar a obra de Deus!

  • É facil dizer que nos submetemos a Deus, mas nem sempre é simples nos submetermos a autoridade delegada por Ele sobre nós.

  • Mas a autoridade de Deus nessa terra sempre será exercida através de um homem. Por isso precisamos aprender a nos relacionar com as pessoas, com base nesse princípio.


3.5. Existem dois tipos de relacionamento possívem entre os homens: o de reconhecimento e o de conveniência:


  1. Relacionamento de reconhecimento: Se houver apenas duas pessoas caminhando juntas uma precisa reconhecer quem Deus está poscionando como autoridade sobre a outra. Podemos ver isso de maneira muito clara no livro de Atos na expeirência do Próprio Paulo.

  • Quando Paulo se converte a igreja coloca Barnabé para andar com ele. Logo no início da caminahda as referências bíblicas reportam-se aos dois afirmando: Barnabé e Saulo, depois Barnabé e Paulo(Atos. 11.30,12.25,13.2;13.7). Mas à medida que avançamos na leitura vemos que aos poucos o autor bíblico muda a ordem e começa a citar Paulo e Barnabé(Atos 13.43, 46, 50; !4.1,12; 15.2). Depois o livro continua falando apenas Paulo e Barnabé nào aparece mais.

  • O que isso nos ensina? Que quando Paulo ainda era novo na fé, Barnabé era autoridade sobre ele. Mas à medida que foi crescendo em Deus, ele se era citado no mesmo nível que Barnabé e depois acima de Barnabé e no final se tornou o grande apóstolo da igreja.

  • Quando duas pessoas espirituais andam juntas, imediatamente uma reconehcerá a autoridade da outra sobre si. Isso é algo poderoso!




  • Esse é o tipo de relacionamento baseado no reconhecimento. Tão logo a autoridade de Deus é estabelecida sobre uma a outra reconehcerá e continuará andando junta.




  1. Relacionamento de conveniência: No relacionamento de conveniência a pessoa caminha com a outra em harmonia. Mas quando a outra é estabelecida como autoridade a submissão é testada e a rebelião se manifesta.




  • Tem muita gente que anda junto por conveniência. Que casa por conveniência, que lidera por conveniência. Tem muitos filhos que se relacionam bem com os pais quando é conveniente para eles.

  • Nos relacionamentos por conveniência, há uma dificuldade para reconhecer que foi Deus quem levantou o outro!

  • Mas todo relacionamento será testado. E muitas vezes o dia do teste é quando você diz NÃO! Ou quando a pessoa é contrariada em sua vontade! Nesse momento o caminho que ela seguir revelará o seu coração!


3.6. Jesus também foi testado em sua submissão a autoridade do Pai. Lá no Getsêmani ele chegou a pedir para se possível ele não precissasse beber o cálice.
Mateus 26.39

Adiantando-se um pouco, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se possível, passe de mim este cálice! Todavia, não seja como eu quero, e sim como tu queres.”




  • Essa precisa ser a nossa atitude! Quando estivermos diante de situações onde é difícil obedecer, faça como Jesus!

  • Não é pecado voce dizer: “Pai se possível passa de mim esse cálice!”Todavia, você precisa terminar dizendo: “Todavia não seja como eu quero, e sim como tu queres.”

  • O trono de Deus está estabelecido sobre a sua autoridade. Jamais devemos tocar a autoridade de Deus. Por isso, precisamos ser aprovados. Sempre que a autoridade for estabelecida, devemos ter a humilde atitude de nos submeter, não por causa do homem mas por causa do próprio Deus!



Conclusão: Nessa primeira palavra sobre princípios de autoridade eiu quero declarar que como igreja estamos aqui para fortaelcer o reino de Deus e enfraqeucer o reino das trevas.

E como fazemos isso? Fazemos isso quando praticamos os princípios bíblicos de autoridade e reconehcemos aqueles que são instituídos por Deus.



  • Vamos nos levantar hoje e decalrar que somos pelo Senhor, somos pelo Seu reino e somos pela Sua Palavra. A igreja do Senhor foi colocado nesse munto para sustentar os princípios do reino de Deus! E se há coisas que para você é difícil de obedecer nessa hora você vai fazer a oração do Senhor Jesus: “Não seja como eu quero, e sim como tu queres.”




001

Videirario

23/10/2016




















©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal