Porsche no Salão Automóvel de Paris 2016 Estreias mundiais da Porsche



Baixar 40,04 Kb.
Encontro16.04.2017
Tamanho40,04 Kb.




Dossier de imprensa

Porsche no Salão Automóvel de Paris 2016

Estreias mundiais da Porsche
Panamera 4 E-Hybrid e 911 GT3 Cup Pág. 2
Panamera 4 E-Hybrid
Os genes do Porsche 918 Spyder na classe de luxo Pág. 4
911 GT3 Cup
A reedição do carro de corrida mais vendido no mundo Pág. 8
Macan Turbo com pacote Performance
Mais potência, novos travões e um chassis ainda mais desportivo Pág. 10

Panamera 4 E-Hybrid:

consumo de combustível combinado 2,5 l/100 km; emissões de CO2 56 g/km; consumo de energia 15,9 kWh/100 km


Panamera 4S:

consumo de combustível combinado 8,2 – 8,1 l/100 km; emissões de CO2 186 – 184 g/km


Panamera 4S Diesel:

consumo de combustível combinado 6,8 – 6,7 l/100 km; emissões de CO2 178 – 176 g/km


Panamera Turbo:

consumo de combustível combinado 9,4 – 9,3 l/100 km; emissões de CO2 214 – 212 g/km


Macan Turbo com pacote Performance:

consumo de combustível combinado de 9,7–9,4 l/100 km; emissões de CO2 de 224–217 g/km


Intervalo dependente do conjunto de pneus utilizado

Salão Automóvel de Paris 2016: Novos desportivos para a estrada e para a pista

Estreias mundiais da Porsche: Panamera 4 E-Hybrid e 911 GT3 Cup

Paris/França. Dois mundos, duas estreias mundiais: No Salão Automóvel de Paris, a Porsche celebra a estreia de dois automóveis desportivos com características totalmente diferentes: o novo Panamera 4 E-Hybrid e o 911 GT3 Cup. O novo Gran Turismo destaca-se pela combinação de propulsão híbrida orientada para a performance e eletromobilidade sustentável, caráter desportivo dinâmico e conforto de condução luxuoso. Do outro lado, reservado exclusivamente aos circuitos de corrida, encontra-se a reedição do carro de corrida mais vendido no mundo. Além disso, no Mondial de l'automobile, a novíssima família Panamera e o pacote Performance do Macan Turbo serão apresentados por primeira vez ao público francês.
Apenas poucas semanas após o lançamento do novo Panamera no mercado, a Porsche amplia a gama de modelos com uma quarta variante. O Panamera 4 E-Hybrid atinge um equilíbrio particular: os 340 kW (462 CV) de desempenho do sistema, produzidos pelo novo motor V6 biturbo de grandes dimensões e 2,9 litros e pela máquina elétrica, proporcionam uma transmissão de potência ao nível do 911 Turbo: 700 Nm de binário disponível sem demoras. O prazer de condução está assim assegurado e, graças à função de sobrealimentação, o Panamera 4 E-Hybrid atinge a marca dos 100 km/h em apenas 4,6 segundos. Por outro lado, oferece uma autonomia exclusivamente elétrica de 50 km e um consumo de 2,5 l/100 km em NEDC.
O Panamera Hybrid suscita um interesse especial em França: atualmente, a Porsche fornece ao país cerca de 30 por cento das berlinas de luxo desportivas com propulsão híbrida. A nível mundial, a percentagem ronda os nove por cento. Nos últimos anos, o mercado francês tornou-se uma importante região de vendas. Com mais de 5000 automóveis fornecidos no país em 2015, a Porsche registou um aumento de vendas de cerca de 20 por cento em comparação com o ano anterior. Os desportivos de quatro portas são responsáveis por cerca de dois terços das vendas totais, enquanto os modelos desportivos de duas portas representam aproximadamente um terço.
O novo modelo híbrido é o quarto ponto cardeal do novo mapa dos Panameras, sendo que cada um segue uma orientação diferente. Todos eles são representados em Paris. Com o motor V8 biturbo de 404 kW (550 CV) de potência, o Panamera Turbo é o modelo topo de gama. A equipa dos desportivos com motor diesel é representada pelo Panamera 4S Diesel, equipado com um motor de oito cilindros de 310 kW (422 CV) de potência. O modelo de base é o Panamera 4S, movido por um V6 a gasolina com 324 kW (440 CV). Todos estes modelos inteiramente novos têm características comuns: tração integral permanente, uma nova transmissão Porsche Doppelkupplungsgetriebe (PDK) de oito velocidades e, como não podia deixar de ser, a combinação única da Porsche entre os genes de um verdadeiro desportivo e o conforto de uma berlina de luxo.
911 GT3 Cup da próxima geração com 357 kW (485 CV)

Com o novo 911 GT3 Cup, o Centro de Desporto Motorizado da Porsche desenvolveu a próxima geração do carro de corrida GT de referência para as competições da marca a nível mundial. O monolugar leve de aproximadamente 1200 kg é propulsionado por um motor Boxer de quatro litros com 357 kW (485 CV) e eixos de admissão e de escape variáveis. A nova aerodinâmica na dianteira e traseira proporciona uma maior aderência à estrada e tempos de volta mais rápidos.


O Macan também se apresenta em Paris com um pico de potência adicional: 324 kW (440 CV) gerados pelo motor V6 biturbo do Macan Turbo com pacote Performance. Desta forma, o novo modelo topo de gama acelera dos 0 aos 100 km/h em 4,4 segundos e atinge uma velocidade máxima de 272 km/h. O chassis também contribui para a melhoria do desempenho. O Macan Turbo com pacote Performance cria ainda mais dinâmica graças a um chassis desportivo ajustado, que inclui a redução da altura ao solo, o sistema de travagem redesenhado e o pacote Sport Chrono. Em NEDC, o consumo de combustível situa-se entre os 9,4 e os 9,7 l/100 km, consoante os pneumáticos.

Sustentabilidade e performance – na Porsche não são uma contradição

Arranque do novo modelo híbrido do Panamera

No Salão de Paris, a Porsche apresenta o quarto modelo da família Panamera: o Panamera 4 E-Hybrid com tração integral controlada e uma autonomia elétrica de 50 km. O veículo gera uma potência de 340 kW (462 CV) e consome 2,5 l/100 km no novo ciclo de condução europeu para modelos híbridos plug-in. Isto corresponde a 56 g/km de emissões de CO2.



Autonomia exclusivamente elétrica de 50 km

Na Porsche, a tecnologia híbrida foi desde sempre não só sinónimo de mobilidade sustentável, mas também de performance. – como comprovam as vitórias do 919 Hybrid nas 24 Horas de Le Mans em 2015 e 2016. Esta filosofia aplica-se agora também ao novo Panamera 4 E-Hybrid.

O novo Porsche híbrido plug-in arranca sempre exclusivamente a eletricidade. Com uma autonomia de cerca de 50 km e uma velocidade máxima de 140 km/h, o Panamera 4 E-Hybrid faz-se à estrada como veículo com zero emissões. Ao mesmo tempo, este Panamera é o veículo desportivo entre as berlinas de luxo: O Porsche com tração integral atinge uma velocidade máxima de 278 km/h. Desde o arranque, disponibiliza sem demoras um binário de 700 Nm. Após 4,6 segundos, o desportivo híbrido de quatro portas ultrapassa a barreira dos 100 km/h. O binário é transmitido às quatro rodas. A suspensão pneumática de três câmaras de série assegura um equilíbrio ideal entre conforto e dinâmica

Nova estratégia híbrida adaptada do Porsche 918 Spyder

A performance não vem do acaso: No novo Panamera 4 E-Hybrid, a Porsche utiliza uma nova estratégia híbrida neste segmento que foi adaptada do 918 Spyder. O 918 Spyder com 652 kW (887 CV) de potência é o veículo de produção em série mais rápido a ter completado o circuito de Nordschleife em Nürburgring. O Porsche híbrido estabeleceu um recorde de 6,57 minutos no lendário circuito por contar, entre outros, com um desempenho de propulsão único, graças aos impulsos adicionais provenientes de dois motores elétricos.

Tal como no 918 Spyder, a potência do motor elétrico do Panamera – 100 kW (136 CV) e 400 Nm de binário – também é disponibilizada ao primeiro toque no pedal do acelerador. No modelo anterior, era necessário premir o pedal, no mínimo, a 80 por cento para libertar a propulsão adicional do acionamento elétrico. Agora, o motor a gasolina e elétrico entram em sintonia perfeita desde o início. Tal como no 918 Spyder, o motor elétrico proporciona uma propulsão adicional permanente. Juntamente com as características de desempenho do novo motor V6 biturbo de 2,9 litros (243 kW/330 CV/450 Nm), cria-se um impressionante efeito de sobrealimentação a partir do motor elétrico e dos turbocompressores. No Panamera 4 E-Hybrid, a energia elétrica é utilizada também para aumentar a velocidade máxima. A Porsche considera este novo tipo de "performance elétrica" – mais potência, maior prazer de condução, consumo inferior – o kit de desempenho do futuro.

Novo módulo híbrido e PDK de oito velocidades com tempos de passagem mais curtos

A nova geração de módulos híbridos da Porsche é composta pelo motor elétrico e pela embraiagem separada do V6 a gasolina. Ao contrário do sistema eletrohidráulico do seu precursor, a embraiagem separada do novo Panamera é acionada através de um atuador eletromecânico (ECA). A vantagem são tempos de resposta ainda mais curtos. Tal como nos restantes modelos da segunda geração do Panamera, utiliza-se uma transmissão Porsche Doppelkupplungsgetriebe (PDK) de oito velocidades com passagens altamente rápidas e eficientes, que substitui a transmissão automática com conversor de torque de oito velocidades do precursor. O motor elétrico é alimentado por uma bateria de iões de lítio refrigerada a líquido. Embora a energia da bateria tenha aumentado de 9,4 para 14,1 kWh, o peso da bateria integrada debaixo do piso da bagageira mantém-se inalterado.

Se for utilizada uma tomada de 230 V com 10 amperes (A), a bateria de alta tensão obtém a carga total ao fim de 5,8 horas. Se, em alternativa ao carregador de 3,6 kW de série, o Panamera utilizar o carregador de bordo de 7,2 kW opcional e uma tomada de 230 V com 32 A, a bateria "volta à carga" em apenas 3,6 horas. Além disso, através do Porsche Communication Management (PCM) ou da aplicação Porsche Car Connect (para Smartphone e Apple Watch) é possível programar a hora de início do carregamento. O Panamera 4 E-Hybrid está ainda equipado de série com climatizador estacionário, para aquecer ou arrefecer o habitáculo durante o carregamento. Além disso, através da aplicação Car Connect, é possível controlar a climatização de forma confortável.

Porsche Advanced Cockpit com indicadores específicos do sistema híbrido

Um dos pontos de destaque geral do Porsche Panamera da segunda geração é a nova conceção dos indicadores e dos comandos: o Porsche Advanced Cockpit de série com painéis tácteis e ecrãs configuráveis individualmente. O cockpit interativo é composto por dois ecrãs de sete polegadas que enquadram o conta-rotações analógico. O Panamera 4 E-Hybrid distingue-se das restantes versões da série pelo indicador de potência adaptado ao funcionamento híbrido. De funcionamento intuitivo, os indicadores específicos do sistema híbrido recriam os do superdesportivo Porsche 918 Spyder. O indicador de potência fornece informações úteis como a energia elétrica consumida no momento em relação à que é recuperada.

Um ecrã táctil de 12,3 polegadas funciona como elemento de controlo e indicação central do PCM; aqui e no painel de instrumentos é possível consultar diversas informações relativas ao sistema híbrido. Tão práticos como informativos: o assistente de sobrealimentação e o assistente do sistema híbrido. Exemplo do assistente de sobrealimentação: Neste indicador, é apresentada a energia disponível para sobrealimentação. Exemplo do assistente do sistema híbrido: Diversas indicações visuais ajudam a dosificar a potência da propulsão elétrica.

Condução mais eficiente no modo "Hybrid Auto"

No Panamera 4 E-Hybrid, o pacote Sport Chrono e o respetivo interruptor de modo integrado no volante fazem parte do equipamento de série. O interruptor de modo e o Porsche Communication Management permitem ativar os diferentes modos de condução. Estes incluem os já conhecidos nos restantes modelos Panamera com pacote Sport Chrono: "Sport" e "Sport Plus". Específicos do sistema híbrido são os modos "E-Power", "Hybrid Auto", "E-Hold" e "E-Charge".

O Panamera 4 E-Hybrid arranca sempre no modo exclusivamente elétrico "E-Power". O modo "Hybrid Auto" foi concebido de raiz. Neste, o Panamera combina as fontes de propulsão de forma automática. Este modo proporciona o funcionamento mais eficiente. A conservação intencional do estado de carga atual, proporcionado pelo modo "E-Hold", permite-lhe seguir viagem de forma elétrica e, consequentemente, sem emissões, uma vez chegado a uma zona ambiental. No modo "E-Charge, a bateria é carregada através do motor V6; o motor a gasolina gera assim uma potência superior à necessária para a simples condução. As performances mais elevadas são disponibilizadas pelos modos "Sport" e "Sport Plus". Nestes, o V6 biturbo mantém-se sempre ativo. No modo "Sport", a carga da bateria é mantida a um nível mínimo, de modo a fornecer reservas suficientes para sobrealimentação elétrica. No modo "Sport Plus", dá-se prioridade à máxima performance; neste modo, o Panamera também atinge a velocidade máxima de 278 km/h. Além disso, este modo também permite carregar a bateria o mais rapidamente possível com o auxílio do V6 biturbo.

Reedição do carro de corrida mais vendido no mundo

Novo 911 GT3 Cup com propulsão ultramoderna

A partir de 2017, o Porsche 911 GT3 Cup apresenta-se na linha de partida de todos os circuitos do mundo com uma propulsão totalmente nova. Integrado na secção traseira do carro de corrida GT mais produzido no mundo, o motor Boxer de 6 cilindros e 4 litros proporciona uma propulsão ainda mais potente. Graças à tecnologia de competição pura, a unidade compacta com injeção direta da gasolina gera um pico de potência de 357 kW (485 CV).


Uma série de soluções inovadoras pensadas ao detalhe melhoram tanto a potência do motor como a eficiência e proporcionam uma maior durabilidade do motor aspirado durante a corrida, além de reduzirem os custos de manutenção. É por isso que se utiliza por primeira vez um comando de válvulas com balancins de instalação rígida, bem como a injeção central de óleo. A centrífuga de óleo integrada permite a remoção ideal da espuma do óleo no motor. Além disso, foi construída uma cambota com uma rigidez significativamente melhorada.
O novo spoiler dianteiro, bem como a nova secção traseira, melhoram a transmissão do novo 911 GT3 Cup e, consequentemente, a aderência à estrada e a performance. A imponente saia traseira de 184 cm de largura foi recuperada do modelo anterior. Também as dimensões das rodas se mantêm: em todas são utilizadas jantes de corrida de peça única com 18 polegadas e trava central – no eixo dianteiro com pneus de corrida Michelin de 270 mm de largura, no eixo traseiro já com pneus de rodagem mais largos de 310 mm. A inteligente construção composta de alumínio e aço proporciona máxima rigidez e peso reduzido da carroçaria. Pronto para a corrida, o novo 911 GT3 Cup pesa apenas 1200 kg.
Os engenheiros dedicaram especial atenção ao desenvolvimento da segurança do condutor. Estará protegido com uma "roll cage" sólida e um banco de corrida inovador especialmente reforçado na área da cabeça e dos ombros. A saída de emergência alargada no tejadilho, em conformidade com a nova norma FIA, facilita os primeiros-socorros e a evacuação em caso de acidente
A Porsche produz o 911 GT3 Cup na mesma linha de produção da fábrica matriz de Estugarda-Zuffenhausen que o 911 para condução em estrada. No Centro de Desporto Motorizado de Weissach recebe a calibração de base para a pista e, antes da entrega ao cliente, é submetido a testes intensivos por um piloto profissional. Do 911 GT3 Cup das gerações de modelo 996, 997 e 991 foram produzidos 3031 exemplares desde 1998. Assim, este carro de competição de Estugarda é o carro de corrida GT mais produzido e vendido no mundo.
Inicialmente, o novo 911 GT3 Cup participará na época de 2017 exclusivamente na Porsche Mobil 1 Supercup, realizada no âmbito das corridas de Fórmula 1, na Porsche Carrera Cup da Alemanha e nos EUA. A partir de 2018, o veículo estará disponível para as restantes competições da marca. No total, a Porsche organiza 20 destas séries de corridas para equipas de clientes a nível mundial que utilizam exclusivamente o 911 GT3 Cup.

Mais potência, novos travões e um chassis ainda mais desportivo para o SUV compacto

O Macan Turbo com Pacote performance coroa a série de modelos

Sendo o veículo desportivo no segmento dos SUV compactos, o Macan estabelece padrões desde o início em termos de dinâmica de condução. A Porsche vai uma vez mais longe: Com o pacote Performance, o Macan Turbo torna-se no modelo topo de gama da série e deslumbra com desempenho melhorado, maior agilidade e sensações mais intensas.


Após as melhorias ao nível da potência, o motor V6 de 3,6 litros com alimentação biturbo fornece 324 kW (440 CV). São 30 kW (40 CV) a mais que no Macan Turbo, o que define um novo modelo topo de gama. A aceleração dos 0 aos 100 km/h ocorre agora em 4,4 segundos (-0,4 s) e a velocidade atinge os 272 km/h (+6 km/h). O binário máximo é de 600 Nm (+50 Nm), disponibilizado ao condutor na ampla faixa de rotações entre as 1500 e as 4500 rpm. Desta forma, melhora-se também o comportamento de resposta: A aceleração intermédia de 80 km/h para 120 km/h reduz-se no modo Sport Plus para 2,9 segundos (-0,2 s). O consumo de combustível (em NEDC) do novo Macan topo de gama situa-se entre os 9,4 l/100 km e os 9,7 l/100 km, consoante os pneumáticos
O Macan Turbo com pacote Performance oferece não só maior potência do motor, mas também um novo sistema de travagem, um chassis desportivo rebaixado, o pacote Sport Chrono e o sistema de escape desportivo de série. No eixo dianteiro, a desaceleração é feita através de discos de travão ranhurados com 390 mm de diâmetro, 30 mm a mais do que no Macan Turbo, sem aumentar a potência Os discos são fixos às pinças de travão de seis pistões vermelhas. O Porsche Active Suspension Management (PASM), ativado por botão, permite um extraordinário comportamento desportivo em estrada, idealmente adaptado à carroçaria com rebaixamento de 15 mm. A suspensão pneumática com regulação do nível, ajuste de altura e rebaixamento de 10 mm está disponível como opção.
Com o pacote Sport Chrono, o condutor pode afinar ainda mais a performance do Macan Turbo. O modo Sport Plus permite uma afinação bastante desportiva entre chassis, motor e caixa de velocidades, acompanhada por um som ainda mais vigorante do sistema de escape desportivo. A Doppelkupplungsgetriebe (PDK) de sete velocidades conta agora com tempos de passagem extremamente curtos, pontos de passagem ideais e aumento do binário durante os processos de passagem para uma aceleração máxima.
Para personalizar o Macan Turbo, o pacote Performance oferece opções de equipamento à medida: por exemplo, o pacote exterior Turbo, que conta, entre outros, com rodas de 21 polegadas na versão Turbo do 911 com raios laterais em preto brilhante, faróis dianteiros LED, incluindo PDLS Plus, bem como diversos elementos em preto. O pacote interior Turbo inclui, por exemplo, estofos de pele em preto com generosos volumes em Alcantara, diversas aplicações a cores e elementos em fibra de carbono, como os revestimentos da porta com iluminação a branco da inscrição do modelo.


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal