Plano de aula aplicado na escola no mês de setembro Plano de aula aplicado no dia 05-09-2014 na escola



Baixar 19,58 Kb.
Encontro11.08.2017
Tamanho19,58 Kb.
Plano de aula aplicado na escola no mês de setembro
Plano de aula aplicado no dia 05-09-2014 na escola
Fábula: ‘ O LEÃO E O RATO’.

Certo dia estava um leão a dormir a sesta quando um ratinho começou a correr por cima dele. O leão acordou, pôs-lhe a pata em cima, abriu a bocarra e preparou-se para engoli-lo.

-Perdoa-me! –gritou o ratinho- perdoa-me! Desta vez eu nunca esquecerei. Quem sabe um dia não precisara de mim?

O leão ficou tão divertido com esta idéia que levantou a pata e o deixou partir.

Dias depois o leão caiu numa armadilha. Como os caçadores o queriam oferecer vivo ao rei, amarraram-no a uma arvore e partiram á procura de um meio para o transportarem.

Nisto apareceu o ratinho, vendo a triste situação em que o leão se encontrava, roeu as cordas que o prendiam.

E foi assim que um ratinho salvou o rei dos animais.

Moral da história: não devemos subestimar os outros.

Após o término da história as crianças continuaram a construção do livrinho, cada um de sua maneira e criatividade.

Plano de aula aplicado no dia 12-09-2014 na escola
Fábula: ‘A GALINHA RUIVA’

Um dia uma galinha ruiva encontrou um grão de trigo.- quem me ajuda a plantar este trigo?- perguntou aos seus amigos:

- eu não! Disse o cão.

- eu não! Disse o gato.

- eu não! Disse o porquinho.

-eu não! Disse o peru.

- então eu planto sozinha - disse a galinha- cocoricó!

E foi isso mesmo que ela fez. Logo o trigo começou a brotar e as folinhas bem verdinhas a despontar. O sol brilhou, a chuva caiu e o trigo cresceu e cresceu, até ficar bem alto e maduro. –Quem me ajuda a colher o trigo?-perguntou a galinha aos seus amigos:

- eu não!- disse o cão.

- eu não! – disse o gato.

- eu não! –disse o porquinho.

-eu não! - disse o peru.

-então eu colho sozinha- disse a galinha. - cocoricó!

E foi isso mesmo que ela fez.

-Quem me ajuda a debulhar o trigo?-perguntou a galinha aos seus amigos.

- eu não!- disse o cão.

-eu não!- disse o gato.

-eu não! –disse o porquinho.

-eu não!- disse o peru.

-então eu debulho sozinha - disse a galinha-cocoricó!

E foi isso mesmo que ela fez.

-Quem me ajuda a levar o trigo ao moinho?-perguntou a galinha aos seus amigos.

-eu não!-disse o cão.

-eu não!-disse o gato.

-eu não!-disse o porquinho.

- eu não!-disse o peru.

-Então eu levo sozinha - disse a galinha-cocoricó!

E foi isso mesmo que ela fez.

Quando mais tarde ela voltou com a farinha ela perguntou:

-Quem me ajuda a assar essa farinha?

-eu não!-disse o cão.

-eu não!-disse o gato.

-eu não!-disse o porquinho.

-eu na!-disse o peru.

-Então eu asso sozinha - disse a galinha-cocoricó!

A galinha ruiva assou a farinha e com ela fez um lindo pão.

-Quem quer comer esse pão? –perguntou a galinha.

-eu quero!- disse o cão.

-eu quero! –disse o gato.

-eu quero!-disse o porquinho.

-eu quero!-disse o peru.

-Isso é que não!-sou eu quem vai comer esse pão!-disse a galinha-cocoricó!

E foi isso mesmo que ela fez.
Moral da história: Se queremos dividir a recompensa, devemos compartilhar o trabalho.

Após o termino da história continuaram a construção do livro. Conseguimos atingir o objetivo, era para eles entenderem o sentido da cooperação entre todos.

Plano de aula aplicado no dia 19-09-2014 na escola.
‘A LENDA DO CHIMARRÃO’

Era uma vez um índio guarani que vivia triste, pois já não podia mais sair de casa para as guerras, nem mesmo para caçar e pescar, pois estava bem velinho, vivendo com sua linda filha yari, que o tratava com muito amor e carinho.

Um dia yari e seu pai receberam uma visita de um homem em sua casa, sendo muito bem tratado. Ao amanhecer, o homem falou para o índio que era enviado de Tupã, Deus do Trovão, e quis retribuir-lhe a bondade dizendo que atenderia a qualquer desejo do índio.

O velho guerreiro sabendo que sua jovem filha não se casou para poder ficar com ele, pediu para o homem algo que deixasse ele forte novamente, para que yari se tornasse livre para casar.

O mensageiro de Tupã entregou ao velho índio um galho de árvore chamado Caã e tornou Yari deusa das ervas e protetora da raça guarani, sendo chamada de Caã-yari, deusa da erva-mate. E assim, a erva mate foi usada por todos os guerreiros da tribo, tornando-os mais fortes e valentes.

Ao término da história mostramos a erva mate para as crianças verem, cheirarem, pagarem, etc. As crianças receberam uma figura de uma cuia com bomba, onde iriam colorir a figura e colar ao redor da boca da cuia um pouco de erva, para ficar parecendo um chimarrão.

As crianças ficaram contentes em saber da história do chimarrão e ficaram imaginado a história do índio e sua filha.

Plano de aula aplicado no dia 26-09-2014


RECONHECENDO AS LETRAS
OBJETIVO:

Identificar letras do alfabeto, reconhecer palavras como unidades gráficas e distinguir diferentes tipos de letras.

Foram apresentadas as crianças os vários tipos de letras: letra de imprensa maiúscula e minúscula, letra cursiva maiúscula e minúscula.

Dividimos a turma em duas equipes e chamamos duas crianças por vez, como num jogo quem acerta leva ponto para a equipe, para identificar uma letra escolhida em meio as outras de formas diferentes.



Fizemos esse jogo para eles pois percebemos que algumas crianças ainda tem dificuldades em reconhecer as letras principalmente as minúsculas, mas através do jogo conseguiram vencer algumas dificuldades,que a cada dia vão progredindo no aprendizado.


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal