Pequeno Dicionário Africano para Umbanda e Parte inferior do formulário Candomblé



Baixar 79,73 Kb.
Encontro22.07.2017
Tamanho79,73 Kb.
Pequeno Dicionário Africano para Umbanda e Parte inferior do formulário

Candomblé

Pretende-se que este Dicionário seja usado para entender as palavras mais usadas nos ritos de Umbanda e Candomblé no Brasil. O autor, ACAS, que fez a pesquisa, não visa ser este Dicionário usado para traduções, por exemplo.

Algumas palavras e expressões, derivadas do yorubá e de outras influências linguísticas, são igualmente de origem africana, mas provenientes de outras nações e que já sofreram, entretanto, alteraçôes e adaptaçôes fonéticas por força da Língua Portuguesa. No entanto, tais palavras e expressões são utilizadas correntemente no dia a dia das “casas de santo” (terreiros). Algumas letras como o C, nem fazem parte da língua Yorubá.

 A Umbanda é a religião afro-brasileira, onde os seus integrantes cultuam entidades africanas sincretizadas aos santos católicos (chamados de encantados).


ANCESTRALIDADES:


  • BANTUS: grupo mais numeroso, dividiam-se em dois subgrupos: angola-congoleses e moçambicanos. A origem desse grupo estava ligada ao que hoje representa Angola, Zaire e Moçambique (correspondestes ao centro-sul do continente africano) e tinha como destino Maranhão, Pará, Pernambuco, Alagoas, Rio de Janeiro e São Paulo.

  • IORUBÁS OU NAGÔS -SUDANESES: dividiam-se em três subgrupos: iorubás, jejes e fanti-ashantis, trazidos do sudoeste do continente africano do que hoje é representado pela Nigéria, Daomei e Costa do Ouro e seu destino geralmente era a Bahia.

  • ORUBÁS: são o principal grupo étnico nos estados de Ekiti, Kwara, Lagos, Ogun, Ongo, Osun, e Oyo. Um número considerável de iorubas vive na República do Benin.

  • JEJES: são um povo africano que habita o Togo, Gana, Benim e regiões vizinhas, representado, no contingente de escravos trazidos para o Brasil, pelos povos denominados fon, éwé, mina, fanti e ashanti.

  • FON: a maior expressão histórica, política e social do povo se expressou no Benin, através do Reino do Dahomey e na Diáspora africana através do vodun.

Todos esses povos, falando línguas diferentes e cultuando seus próprios deuses, conviveram entre si no Brasil. As palavras mais usadas no Candomblé e na Umbanda são oriundas desses países. Muitas são as palavras de origem africanas que falamos e ouvimos todos osdias em todo o Brasil: palavras como o “abará”, “abadá”, “babalawô”, “cafofo”, “ebó, “dara”, “obá”, “ori”; além de “marimbondo”, “quiçaça”, “quizumba”, fubá e etc. e fazem parte de nosso vocabulário, ainda que nem todos aqui apresentados. Com o objetivo de entender as palavras africanas mais usadas, este dicionário foi montado:

– A –


Ados = comida feita com farinha de milho de pipoca e mel
Abá = pessoa idosa, velho.
Abadá = para sempre; roupa; blusão usado pelos homens africanos.
Abadó /Abadô= milho híbrido, canjica; milho torrado

Àbaja = marca facial do povo de Òyó


Abará = bolinhos feitos com massa de feijão fradinho

Abassa –=Salão onde se realizam as cerimônias públicas do camdomblé, barracão.


Abébé = espelho

Abelê = leque


Aberem= embrulhinhos enrolados na folha velha de bananeira

Abiã = Pessoa que está nascendo para o culto.


Abiodum = um dos Obás da direita de Xangô.

Abô = banho de proteção feito de ervas litúrgicas para o culto, concedido ao iniciado.


Ade/Adé = coroa.

Adetá = nome sacerdotal de uma sacerdotiza do Engenho Velho.

Adie = Galinha.

Adupé/ Dupé = Obrigado.

Afonjá = uma qualidade de Xango que dá nome ao Axé Opo Afonjá.
Agboulá = Egun que dá nome a uma casa Ilha de Itaparica.
Agôgô = instrumento musical cônico feito de ferro.
Ayabá = orixá feminino, senhora idosa.
Aiyê = o mundo terrestre.
Airá = um Orixá da família de Xangô
Ajá = campainha, sino, cachorro

Ajimudá = título sacerdotal ligado a Egungun e Oyá


Akoro = uma qualidade de Ogun.
Aku = obrigação funerária.
akikó = galo.
Alá = espécie de pano branco, universo
Alabá = nome de um sacerdote do culto aos ancestrais.
Alabê = Ogan confirmado que canta e toca o candomblé
Alafiá = felicidade; tudo de bom.
Alafin = o mesmo que o rei – Nigéria.
Alapini = nome sacerdotal do culto aos ancestrais, egungun
Alase = pessoa que tem autoridade.
Alé = noite ou qualidade de Exú
Apaoká = jaqueira.
Aramefá = conselho de Oxòóssi, composto de seis pessoas.
Aré = nome do primeiro Obá de Sango.
Ararekolê = como vai?
Aresá = um dos Obá da esquerda de Sango.
Ariasé = local onde se dá o início das obrigações.
Arô = Título de honra enre autoridades civís em Ketu
Arôlu = o total
Asobá = cargo no culto de Obaluaiyê.
Ati = e (conjunção).
Atin- pó, energia ligada a um Orixá
Atori = vara pequena usada no culto de Oxalá e usada para tocar atabaque.
Awá = nós.
Awon = eles.
Asedá = babalawo iniciado por Òrúmìlá.
Asó = roupa.
Asogun = Ogan de ogun encarregado dos sacrifícios.
A-ian-madê = como vão os meninos?
Adupé-lewô-Olorun = graças a Deus por ter conservado minha vida e a minha saúde até hoje.

Alabá – Título do sacerdote supremo no culto aos eguns.


Alabasé = companheiro, colega de trabalho.
Alaiyè = possuidor da vida.

Alaruê – Briga.

Alubaça – Cebola.
Asé = força vital e que assim seja.
Aiyê = Terra

Agbô – Carneiro.

Aguntam – Ovelha.
Ajeum – Comida.
Ago = licença.
Am-nó = o misericordioso.
Aba-lasé-di = cerimônia de iniciação.
Asesê = cerimônia fúnebre.

Aledá – Porco.


Amadosi d’Orisá = cerimônia do dia do òrìsá dar o nome.
Amasi no ori = cerimônia de lavar a cabeça com ervas sagradas.
Ataré = pimenta da costa.
Ata = pimenta
Afurá = bolo feito com arroz.
Ambrozó = feito de farinha de milho.
Agbon = côco.
Ajé = poder feiticeiro(a).
Ajeun = comida.
Agusó = espécie de legumes.

Axó – Roupa.


Axogum – Auxiliar do terreiro, geralmente importante na hierarquia da casa, encarregado de sacrificar os animais que fazem parte das oferendas aos orixás
B –

Bàbá/Baba= papai.


Babalawo = sacerdote, pai do segredo
Badá = título sacerdotal.
Babá Kekere = Pai Pequeno.

Babassá – Irmão gêmeo.

Babaojê – Sacerdote do culto dos eguns; Ojé é o nome de todos iniciados no culto aos eguns.
Baiani = Orisá da família de Xangô.
Balé = chefe de comunidade.

Balê – Casa dos mortos.


Balué = Banheiro.
Bamgbosê = sacerdote do culto de Xangô.
Bé = pular, pedir.

Beji – Orixá dos gêmeos.


Bi = nascer, perguntar.
Bibá = está aceito.
Bibé = está seco.
Biwá = nasceu para nós.
Biyi = nasceu aqui, agora.
Bó /Bô= adorar
Bo = cobrir.
Bode = portão.
Borogun = aquele que adora Ogun, saudação da família.

- C –

Cafofo – Túmulo.

Cambaú – Cama.

Conguém/Conquém – Galinha da Angola.


Caô – É um tipo de Xangô.
Catular – Cortar o cabelo com tesoura, preparando para o ritual de raspagem para iniciação no Candomblé.
Cutilagem – É o corte que se faz na cabeça do iniciado; é realizado para abrir o canal energético principal que o ser humano tem no corpo, exatamente no topo da cabeça, (no Ori), por onde vibra o axé dos Orixás para o interior de uma pessoa.

– D –


Dã – Orixá das correntes oriundas do Daomé.

Dagan = cargo importante ligado ao Axé


Dagô = dê licença.

Dara – Bom; agradável.

Dê = chegar.
Deiyi = chegou agora.

Dide – Levantar.

Dodo = banana da terra frita.

Dudu – Preto.


Duro = esperar.

– E –


Ebá = pirão de farinha de mandioca ou inhame.
Ègbé = sociedade.
Ebo = comida feita de milho branco, especial para Oxalá.
Ebó = sacrifício ou oferenda.
Ebori = cerimonia de dar ebó à cabeça (Ori)

Edu – Carvão.


Edun = nome próprio.
Edun ara = pedra de raio.
Egun = espírito ancestral; alma; espírito.
Eiye/Eiyele = pombo.
Ejé = sangue.
Ejilaeborá = Décimo segundo odú no meredinloguno.
Ejionilé = Oitavo Odu no meredinlogun.

Ejó – Cobra.


Ekó = comida feita com milho branco; akasa.
Eku = rato.
Elebó = aquele que faz o sacrifício; aquele que está de obrigação.
Eledá = o Deus supremo ou aquele que lhe mantém vivo/Orixá guia.
Elemasó = título de um sacerdote no culto de Oxaguian
Elerin = um dos Obás da esquerda de Xàngô.
Elessé = que está aos pés, seguidor.

Emi – Vida


Enu – Boca
Êpa = amendoim.

Epô – Azeite


Epô-pupa – Azeite de dendê
Equê – Mentira.

Éran = carne.


Êre = as esculturas de madeiras ou energia infantil ligada ao orixá

Eró – Segredo


Eru = carr

Esan – Vingança; ego; carga.

Erúkéré = chicote feito com crina de cavalo, usado por Osóssi.
Eruexin- Chicote de crina de búfalo usado por Oyá .
Etu = galinha D’angola.
Ewá = nome de um orixá.
Exu = nome de um importante orixá, erroneamente associado ao diabo católico.

F –

Fá – Raspar
Fadaka – Prata
Farí – Raspar cabeça.

Fatumbi = título de um sacerdote de ifá.

Fenukó – Beijar

Ferese – janela

Filá = gorro

Fo – Lavar.

Fún – Dar
Fun = dar, trazer, soprar

Funfun – Branco


Funké = a que veio para cuidar.

G –

Ga – Alta, grande

Gan = outro nome do agogô na Nação iorubá.

Gari – Farinha

Ge – Cortar


Gururu – Pipoca

– I –


Iban – Queixo
Yangui = pera de laterita, simboliza Esù, o primeiro criado lama/ar/hálito
Ianlé = as partes da comida que são oferecidas ao orixá.
Iansan = orixá patr

Ibá – Colar, cheio de objetos ritualístico ono dos ventos, do rio Niger e dos relâmpagos.

Igbá = recipiente onde se colca os objetos do òrìxá.
Ibi = aqui, quando o Odu está negativo.
ibiri = objeto de mão, usado pela orixá Nanã, feito em palha, couro e contas.
Ibó = lugar de adoração.
Ibô = floresta.

Ida – Espada


Ida-oba – Espada do Rei
Ideruba – Fantasma
Idí – Ânus, nádegas

Idodo – Umbigo

Idunnu – Felicidade
Iemonjá = orisá dos rios e das águas salgadas.
Ijesá = nome de uma região da Nigéria e de um toque para orixá Oxum, Oxalá e Ogum.

Ijo – Dança

Ifun – Intestino

Igi – Árvore


Iká = modo de deitar-se das pessoas de orixá feminino, saudação, nome de um Odu.
Iku = morte.
Ilè /ilê= casa.
Ilé = terra.
Ina/Inã = fogo.

Ipadê – Reunião


Ipeté de Oxum= inhame cozido,temperado c/ camarão seco, sal, azeite de dendê e cebola
Ire = felicidade.
Iuindejà = título sacerdotal.
Iuintonã = título sacerdotal.
Isu = inhame.
Iyá = mãe.

Iya iya – Avó


Iyabasé = cargo responsavel pela cozinha do Orixá..
Iyalaxé = mulher mais importante da casa; . Mãe do axé do terreiro
Iyalodé = um alto título, líder entre as mulheres.
Iyalorixá = Zeladora do culto, mãe de santo (sacerdotisa de orixá).
Iyamasê = orisá mãe de Sango.
Iya Kekere= Mãe pequena
Iyamoro =rpesponsável pelo Ipade
Iyawo = nome dado aos iniciados, noiva.

– J –


Jade – Sair
Jagun – Guerreiro; Soldado

Jajá – Esteira

Jalè – Roubar

Ji = despertar; roubar

Jimi – Acorda-me
Jinsi = título sacerdotal.
Jô = dançar.
Jobi = título sacerdotal.
Joko – Sentar

– K –


Kà – Ler, contar
Kaiodé = nome de uma sacerdotisa de Osòóssi.
Kan = um (número cardinal). Pode ser também “azedo”.
Kankanfô = um dos obás da direita de Xangô general
Kefá = sexto número ordinal.
Kejilá = décimo segundo (numero ordinal).
Kekerê = pequeno.
Ketà = terceiro (nº. ordinal).

Ko Dara – Ruim


Kolabá = nome de uma sacerdotisa do culto de Sango.
Kopanijê = um toque especial do orixá Obaluaiyê.

Koró – Fel; amargo

Kosi – Nada

Kòtò – Buraco

Koserê = que seja feliz, e que tudo de bom aconteça.
Kuru – Longe
Ku – Morrer

L –

Là – Abrir

Labá = bolsa de couro usada no culto de Xangô.

Lailai – Para sempre
Lara = no corpo.

Larin – Moderado


Lê = forte.
Lesé = aos pés (lesé orixá – seguidores do orixá).

Lile – Feroz, violento


Liló – Partir
Ló = ir.
Lode/Lodê = lado de fora; lá fora.
Lodo = no rio.
Logun = corruptela de Logunèdé.
Logunedé = nome de um òrìxá.

Lonan – Senhor do caminho


Lonon = no caminho.

Lowo – Rico

Lu – Furar

– M –
Malu – Boi

Mariwo = tala do olho do dendezeiro desfiada.

Meje – Sete

Mejeji – Duas vezes

Mí – Viver

Mi-amiami – Farofa oferecida para exu


Mo – Eu

Mode/Modê = cheguei.


Mogbá = título de um sacerdote do culto de Xangô.
Mo jubá/Mojubá = meus respeitos; Apresentando meu humilde respeito

Muló – Levar embora


Mun – Beber

– N –

Ná – Gastar

Najé – Prato feito com argila
Nanã = nome da orixá

Nilè = na casa.

Ní – Ter
Níbi – No lugar
Nítorí – Por que

Nipa – Sobre


Nipon – Grosso

Nu – Sumir


– O –
Obá = rei.


Obaluwaiyê = nome do orixá patrono das doenças epidêmicas.
Obarayi = nome de uma sacerdotisa filha de Sango.
Obatalá = òrìxá do pano branco, O supremo.
Obatelá = nome de um dos obás da direita de Xangô.
Obasorun = nome de um dos obás da esquerda de Xangô.

Obé – Faca


Obé fari – Navalha
Oberó – Alguidar

Obi = fruto africano utilizado nos rítuais.

Obirim – Mulher, feminino
Obitikô = Xangô.

Obo – Vagina


Oburo = irmão (ã) mais novo.
Ode/Odê = fora, rua.
Odé = caçador; nome que também é dado ao orixá Osòóssi.
Odi = nome de um odu, jogo de ifá.
Odo = rio.
Odófin = nome de um dos obá da direita de Sango.
Odu = òrìsá que indicam seu momento ou destino
Oduduwá = orisá que participou da criação da terra.

Ofá – Arco e flecha


Ofun = nome de um odu.
Ogã ou Ogan = cargo de alta importancia no culto.
Ogoda = uma qualidade de Sangô.
Ogue = instrumento de percussão feito de chifres de boi.
Ogun = orixá pa Ojiji – Sombra trono do ferro, do desbravamento e da guerra.

Ojiji – Sombra; Sombra Omin – Água


Oyn = mel.
Oyakebe = nome de uma sacerdotisa de Iansan.
Ojá = ornamento feito com tira de pano.
Ojé = sacerdote do culto de Egun ou Egungun.
Ojó = dia da semana.
Oju = olho.
Ojubó = lugar de adoração.

Oke = montanha.


Oke-Aro = saudação para Oxòóssi.
Okó = marido.
Oko = roça, fazenda. òrìxá da agricultura.
Olelé = bolo feito com feijão fradinho; abará.
Olodê = o senhor da rua, do espaço, de fora.
Olorum = entidade suprema, força maior, que está acima de todos os orixás; Deus.
Olouwo = cargo dentro do culto de Ifá.
Olùwá = senhor.
Oluwayê = senhor do mundo
Olubajé = cerimônia onde Obaluwaiye reparte sua comida com seus filhos e seguidores.
Olukotun = o nome do ancestral mais velho, cabeça do culto de Egun.
Omi = água.

Omin Dudu – Café preto


Omo = filho/criança.

Omode = criança


Omolu = vodun djedje ou Nação efon.
Omorisá = filho de orisá.

Ongé – Comida


Onon = caminho.
Onãsokun = um dos obás da esquerda de Xangô.
Onìkòyi = um dos obás da esquerda de xangô.
Onilé = órìsá da terra.
Onilè = dona da casa.
Opasorô = cajado de Oxalá.
Opo = pilastra.
Ori = cabeça.
Oro = preceito, costume tradicional.
Orobô = fruto africana que se oferece à Xangô e outros òrìsás.
Orukó = nome do iniciado.

Orun – Céu

Osoniyn = orisá que vive dentro das folhas (ewe).
Osé = semana; rito semanal.
Osi = esquerda, ou a terceira pessoa de um cargo.
Osá = nome de um

Ota e Okuta = Pedra

Oti = aguardente.

Otín = Álcool

Otin nibé – Cerveja
Otin Dudu – Vinho tinto
Otin fum-fum – Aguardente
Otun = direita, ou segunda pessoa de um cargo.
Ówó/Owo = dinheiro.
Osogiyan = uma qualidade de Osalá relacionado com o inhame novo.
Oxalá = o mais respeitado, o pai de todos os orixás.
Oxalufã = uma qualidade de Oxalá; Oxalá velho.
Ose = sabão da costa africana.
Oxòóssi = orixá igbo, patrono da floresta e da caça.
Ososo = milho cozido com pedaços de coco; comida do orixá Ogun.
Osum = òrìxá das águas do rio.
Oxumare = nome do orixá relacionado a chuva, babalawo do Orun.

Oyin – Mel

P –

Pá = matar.

Pada – Voltar
Pade/Padê = encontrar.

Paki – Sala

Paeja – Pescar

Patapá – Burro


Pepelê – Banco
Pe = chamar.
Peji = altar.

Pelebi – Pato

Pepeiye = pato.
Pepelê = banco.
Peté = plano, chato, horizontal.

Pupa – Vermelho



- R -

Rà – Comprar


Rere – Muito bem
Re – Ir
Rìn – Trabalhar
Rí – Ver
Ronu – Pensar
Roboto – Redondo

S –

Sanro – Gordo
Sare – Rápido, correr

Sarapebé – Mensageiro

Si = para.
Sínun – Dentro

Si Ori – Abrir a Cabeça


Sise – Trabalho
Sòrò – Falar
Sun – Dormir

– T –


Tàbá – Tabaco, fumo

Taya – Esposa

Tanã = vela, lâmpada, fifo.

Tata – Gafanhoto


Temi = nome sacerdotal

Tete – Aplicado

Tèmi – Meu, minha
Titun – Novo

To = suficiente, basta.

Toto – Atenção
Tóbi – Grande, maior
Tete – Aplicado
Tún – Retorno
Tutu – Frio, gelado

U –

Uwá = vir.
Unbó = está vindo, está chegando.
Unjé = comida.
Uwo = olhar, reparar.

X –

Xaorô = pequenos guizos; tornozeleira de palha da costa usada durante o recolhimento para o processo de iniciação.
Xarará = emblema do orixá Obaluaiyê; instrumento que contém o axé do Orixá Obaluaiyê .
Xê = fazer.
Xekeré = cabaça revestida com contas de Santa Maria ou búzios.
Xerê = chocalho especial para saudar Xangô, em cabaça com cabo ou em cobre.
Xirê = festa, brincadeira.
Xokotô = calças.
Xorô = fazer ritual.

-Y-

Yan – Torrar


Yaro – Ficar aleijado
Yiyan – Assado
Yonrin – Areia
Yama – Oeste
Yara-ypejo – Sala

-W-

Wa – Nosso


Wèrè – Louco
Wúrà – Ouro
Wu – Desenterrar
Wun ni – Gostar
Wakati – Hora
Wara – Leite

..................................................



Breve Explicação de ações e objetos da Umbanda e do Candomblé

  • Adjá - sino de alumínio ou cobre de três bocas.

  • Adoxu - estado em que o iniciado já pode incorporar o orixá.

  • Afejewe - início da raspagem do iaô.

  • Aisum - Ritual a que o iaô se submete na véspera da cerimônia de iniciação que consiste em jejuar e passar a noite em claro.

  • Aladori - pano amarrado à cabeça.

  • Amorim - pano virgem.

  • Anlodo - caminhada ritualística do iniciado.

  • Assentamento - recipiente onde se assenta a força dinâmica do orixá.

  • Axé - força invisível, mágica e sagrada.

  • Babalaô - (baba, pai; aô, completo, tudo; "um pai para tudo").

  • Bori - cerimônia destinada a "reforçar a cabeça" do iniciante.

  • Brajá - colar de búzios com aparência de escamas de serpente utilizado por Oxumaré.

  • Búzios - conchas cônicas utilizadas para adivinhação.

  • Candomblé - casa onde batem os pés." Seita afro-brasileira com centenas de adeptos no Brasil.

  • Cauris - búzios.

  • Contra-egum - trança feita de palha-da-costa que, amarrado no braço do iaô, tem a função de afastar os mortos.

  • Curas - espécie de tatuagens desenhadas na cabeça e em algumas partes do elegum no ritual de iniciação.

  • Dobale - tipo de reverência do iniciado se o Orixá protetor for do sexo feminino.

  • Ebó - ritual destinado a afastar os elementos desordeiros indicados pelo desequilíbrio do iniciado.

  • Efum - espécie de giz branco utilizado no rito de iniciação para marcar o corpo do elegum e também nos assentamentos.

  • Egum, egungum - Espírito de pessoa morta que retorna à Terra em certos rituais. Segundo a tradição, é uma espécie de orixá individual que todo o ser humano tem; ele deve ser bem tratado pois é um ancestral do iaô. O culto é proibido às mulheres. A Iyagan é a única sacerdotisa que pode participar do culto.

  • Ejé - sangue derramado na cerimônia de iniciação.

  • Elegum - eleito, preferido do orixá.

  • Eni - esteira feita de uma palha trançada, onde os iniciados dormem até o complemento das obrigações.

  • Epó - azeite-de-dendê.

  • Erê - espírito de (ou sob a forma de) criança que prepara o iaô para receber seu orixá.

  • Erukerê – “rabo-de-cavalo” usado pelos reis, característico de Oxossi.

  • Feitura de santo - iniciação ou processo em que os duplos sobrenaturais dos elementos psíquicos da pessoa são fixados em um objeto simbólico e sua contraparte é fixada na cabeça do iniciado.

  • Ibá (Igbá) - bacia utilizada na cerimônia de iniciação do iaô-elegum.

  • Ibiri - instrumento ritual de Nanã representado por um feixe de palitos de dendezeiro ornado com búzios.

  • Idés - pulseiras

  • Ifé - vasto; cidade nigeriana, capital religiosa iorubana.

  • Igbim - espécie de caramujo.

  • Iká - tipo de reverência do iniciado do sexo masculino.

  • Ilá - som que o iniciado emite quando irradiado do orixá para que as pessoas saibam que o iaô está possuído (irradiado).

  • Ilê-casa.

  • Irê - incisões feitas na cabeça do iniciado.

  • Iroko - árvore considerada sagrada pelos iorubanos.

  • Iruexim - instrumento ritualístico de Oxossi, representado por um rabo-de-cavalo.

  • Iyó - sal.

  • Juntó, ajuntó - conjunto de forças dos Orixás do elegum.

  • Kelê - colar de contas com as cores do orixá.

  • Laguidibá - colar de Obaluaê feito de anéis de chifre de boi.

  • laô-elegum - filho-de-santo.

  • lfá - Orixá da adivinhação e do destino, mensageiro do Deus Criador. Espécie de oráculo que leva seu nome.

  • lgbo iku - floresta da morte.

  • lya kekerê - "braço direito" da mãe-de-santo.

  • Mãe-de-santo -na tradição nigeriana, pessoa apta a desvendar as respostas dos deuses através dos búzios. Também é o nome dado à pessoa que inicia e orienta o iaô.

  • Mariwo - tipo de fibra de palmeira usada na confecção da roupa de Obaluaê.

  • Nagôs - termo usado pelos franceses para designar os escravos que falavam o dialeto iorubá.

  • Obatalá - "Deus do branco" que preside a cerimônia do efum. Criador dos seres humanos. Variante de Oxalá.

  • Obi - fruto de uma palmeira africana, usado no candomblé na adivinhação ou como oferenda aos Orixás.

  • Odu - caída dos búzios, resultado da jogada.

  • Ofá -arco e flecha, instrumento-símbolo de Oxossi e Logum.

  • Oga - camaleão.

  • Ogã - padrinho do culto africano ou brasileiro. Pessoa que toca os atabaques sagrados (apenas os homens são ogãs).

  • Okum -mar.

  • Olhador .- quem lê os búzios.

  • Olhador, pessoa que lê os búzios.

  • Olodumaré - um dos nomes do Deus Supremo.

  • Olofim, Olofim-Odudua - um dos nomes do Deus Supremo.

  • Olokum - (okum, mar) deusa do Oceano, esposa de Odudua.

  • Opelê-Ifá - tipo de colar aberto usado para adivinhação.

  • Orixá de cabeça - o principal orixá da pessoa.

  • Orukó - cerimônia de proclamação do nome.

  • Orum - céu.

  • Orumilá - (Orum, Céu; Alá, branco) Deus do Céu, Deus supremo.

  • Osum - tipo de tinta derivada do urucum.

  • Otá - pedra sagrada que contém parte do axé do Orixá.

  • Oti - pinga, cachaça.

  • Oxaguiã - forma jovem e guerreira de Oxalá.

  • Oxalufã - forma velha de Oxalá.

  • Oxé - machado de duas lâminas de pedra usado por Xangô.

  • Oxetuá - búzio fechado. O nome deriva do orixá de mesmo nome, filho de Oxum e de Orumilá, uma qualidade de Exu (mensageiro).

  • Oxum Okê - variante guerreira de Oxum.

  • Pai-de-santo - ver mãe-de-santo.

  • Paô - batidas de mãos ritmadas.

  • Paxorô ou opaxorô - espécie de cajado utilizado por Oxalufã.

  • Peji - altar

  • Quizila - recusa de uma oferenda por um orixá.

  • Ronkó - nome do quarto onde o iniciado permanece sem o contato do mundo profano até o término da sua iniciação. No ronkó também estão os (quartos) assentamentos dos orixás.

  • Sacudimento - ritual de limpeza.

  • Terreiro - lugar destino ao culto dos Orixás onde os adeptos cultuam seus deuses pessoais através de danças ritualísticas.

  • Viração - incorporação.

  • Waje - cerimônia onde a cabeça do elegum é pintada de azul-anil.

  • Xaxará - espécie de vassoura de Obaluaê feita de folhas de palmeira, decorada com búzios.

-----------------------fim-------------------------------

Bibliografia

-Livro: “Orixás, anjos da Natureza”, de Mônica Buonfiglio (Editora Mônica Buonfiglio - 1ª Edição - 2004


-www.rixas.blogspot.com.br

-www.terra.com.br

-www.acaoeducativa.org.br

-menções encontradas nainternet, sem autores definidos



-observações do autorParte inferior do formulário


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal