O terreiro como um espaço educacional: Relato de experiência no Programa Ensino de História e Educação Patrimonial



Baixar 5,05 Kb.
Encontro06.09.2018
Tamanho5,05 Kb.
O Terreiro como um espaço educacional: Relato de experiência no Programa Ensino de História e Educação Patrimonial

Márcia Evangelista dos Santos

Tatiane Dias Silva

Orientadora: Martha Rosa Queiroz



RESUMO: Este presente trabalho tem como objetivo relatar a experiência da visita detreze estudantes, uma professora da escola municipal Aurelino Mário Assis Ribeiro Localizada em Cachoeira-BAe duas monitoras gruadandas do curso de licenciatura em História do Centro de Artes Humanidades e Letra , ao Terreiro de Candomblé Ilè Kaió Alaketu Ashé Oxum (terreiro de Mãe Preta) localizado em cachoeira- BA, como proposta do Programa de Extensão “Ensino de História e Educação Patrimonial” realizado entre Setembro e Outubro de 2015 . O trabalho foi desenvolvido por meio de uma articulação entre ensino história e educação patrimonial, mais especificamente na aplicação da metodologia adotada pelo Instituto do PatrimônioHistórico Nacional/IPHAN para educação patrimonial. O programa de extensão foi desenvolvido em duas escolas nas cidades de Cachoeira e São Félix, por diferentes equipes de estudantes do Centro de Artes, Humanidades e Letras/UFRB, esse estudantes são graduando em ciências socias e licenciatura em história. O presente trabalho avalia uma atividade do projeto, quer seja: a visita a um terreiro de candomblé. A metodologia envolveu identificação de posturas preconceituosas no universo escolar para com o candomblé; discussão do tema em sala de aula; visitação ao terreiro e avaliação após a visita. As discussões foram de diferente ordem, sendo o foco a desmitificarão de estereótipos que vinculam o candomblé ao diabo e coisas similares. O resultado foi um debate franco entre estudantes da educação básica, professora regente da turma e monitoras do Programa de extensão da UFRB. Todas e todosrelataram queentrar no terreiro, ocupar seus espaços, conversar com pessoas envolvidas foramfundamentais para dirigir dúvidas e modificar formas preconceituosas dever o candomblé. Além disso, essa experiência quis demonstrar que a educação pode ser realizada em outros espaços que não seja a escola. Para leva os estudantes ao terreiro de Candomblé o primeiro desafio foi vencer os nossos medos, medos esses disseminados pela cultura cristã.A escola é um ambiente puramente racista e intolerante,portanto leva os estudante foi um grande desafio, mais isso não quer dizer que só uma vista ao terreiro vai resolver os problemas de uma escola racista e intolerante, mas o primeiro passo foi dado.


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal