Nome do Projeto: Eu quero mais! Projeto de valorização da mulher e igualdade entre os sexos na região dos Campos Gerais



Baixar 382,78 Kb.
Encontro20.08.2018
Tamanho382,78 Kb.






  1. Identificação

Nome do Projeto: Eu quero mais! Projeto de valorização da mulher e igualdade entre os sexos na região dos Campos Gerais

Instituição Proponente: Associação dos Municípios dos Campos Gerais - Núcleo Regional dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio dos Campos Gerais – Serviço Social da Indústria

Responsável pela Instituição Proponente

Nome: Nelson Canabarro

Telefone: (42) 9969 0193

Email: ncanabarro@yahoo.com.br

Responsáveis pelo Projeto

Nome: Luciane Rosas Rodrigues

Telefone: (42) 3225 1398/ (42) 9987 4442

Empresa: AMCG

Email: imprensa@amcg.com.br

Nome: Glaucia Wesselovicz

Telefone: (42) 3219-5037

Empresa: Sesi

Email: glaucia.wesselovicz@sesipr.org.br

No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, as instituições listadas lançam o projeto “Eu Quero Mais!” de valorização da mulher e igualdade entre os sexos. A proposta visa formar líderes em todos os municípios que compõe a AMCG para tratar sobre o tema e repassar aos diversos setores da sociedade.



A proposta vem de encontro às atividades propostas pela Organização das Nações Unidas quanto a Ação Global 2015 - #Action2015 – que visa um esforço coletivo para o alcance dos oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), já que este é o último ano da proposta. Conforme a ONU, a action/2015 está convocando todo o mundo a se juntar a eles no apelo para erradicar a pobreza, prevenir mudanças climáticas perigosas e combater a desigualdade e a valorização da mulher, para garantir que os líderes mundiais se comprometam com um mundo melhor.



  1. Justificativa

O projeto visa os Objetivos 3 “Igualdade entre sexos e valorização da mulher” e 8 “Todo mundo trabalhando pelo desenvolvimento” dos ODM. A meta do Objetivo 3 é de eliminar as disparidades entre os sexos em todos os níveis de ensino, verificando indicadores como o percentual da população de 18 a 24 anos, segundo nível de instrução e sexo; a participação das mulheres no emprego formal; a razão entre mulheres e homens no rendimento médio mensal, em emprego formal, por nível de escolaridade; e o percentual de mulheres exercendo mandato nas câmaras de vereadores e prefeituras.

Conforme o relatório de indicadores de 2013 do Paraná e suas mesorregiões publicado pelo Sesi, “não há disparidade entre os gêneros quando o assunto é o acesso à educação. Mas, existem desafios a serem superados.

A participação da mulher no mercado de trabalho formal aumentou de 34,4%, em 1990, para 44,3% em 2012. O percentual do rendimento feminino em relação ao masculino passou de 71,5%, em 1990, para 80,4%, em 2012, ou seja, as mulheres recebem, aproximadamente, 20% a menos do que os homens no exercício das mesmas funções.

Essa diferença fica ainda mais acentuada entre aquelas com escolarização de nível superior: sua remuneração representa 57,85% da recebida pelos homens.

....No estado, apenas 31,1% dos candidatos para a Câmara de Vereadores, em 2012, eram mulheres. A proporção de mulheres que foram eleitas para as Câmaras de Vereadores no estado foi de 11,4%.

Em 2012, somente 11,5% dos candidatos às prefeituras do Estado eram mulheres. Apenas 9,7% dos municípios paranaenses tiveram prefeitas eleitas.

Há também a questão da violência, não superada, apesar da recente legislação brasileira voltada à proteção da mulher. Recente estudo do IPEA (2013) avaliou o impacto da Lei Maria da Penha sobre a mortalidade de mulheres por agressões e constatou que não houve redução das taxas anuais de mortalidade, comparando-se os períodos antes e depois da vigência da lei.

No Paraná, entre 2009 e 2011, a taxa de feminicídio era de 6,49 óbitos a cada 100 mil mulheres, superior à taxa do Brasil, de 5,82 óbitos.



MUNICÍPIOS

TRABALHO E RENDA (2002/2013) *

PARTICIPAÇÃO MERCADO DE TRABALHO (2013)

DESIGUALDADE SALARIAL (GERAL/NÍVEL SUPERIOR)

MULHERES NA POLÍTICA **

ARAPOTI

94,1% / 64,9%

39,6%

35,1% / 44,6%

11,1%

CARAMBEÍ

72,7% / 78,4%

35%

21,6% / 55,1%

18,2%

CASTRO

94% / 78,2%

37,4%

21,8% / 48,3%

27,3%

CURIÚVA

80,2% / 89,9%

40,4%

10,1% / 49%

11,1%

IMBAÚ

62,6% / 81,7%

46,5%

18,30 / 53,4%

0 %

IPIRANGA

89,5% / 106,5%

37,5%

+6,5% / 65,9%

0 %

IVAÍ

69,7% / 99,5%

38,2%

0,5% / 70,2%

0 %

JAGUARIAÍVA

79,3% / 67,8%

34,9%

32,2% / 44,2%

23,1%

ORTIGUEIRA

73,7% / 75,9%

31,9%

24,1% / 48,6%

0 %

PALMEIRA

75,3% / 81,2%

41,9%

18,8% / 56,2%

0 %

PIRAI DO SUL

68% / 82,5%

33,9%

17,5% / 59,1%

11,1%

PONTA GROSSA

58,8% / 83,6%

40,5%

16,4% / 56,8%

8,7%

PORTO AMAZONAS

79,1% / 76,1%

36,8%

23,9% / 46,2%

0 %

RESERVA

64,1% / 95%

37,5%

5% / 42,2%

0 %

SÃO JOÃO DO TRIUNFO

64,5% / 95,8%

50,2%

4,2% / 55%

0 %

SENGÉS

78,1% /93%

28,2%

7% / 66,8%

18,2%

TELÊMACO BORBA

85,7% / 63,4%

36,5%

36,6% / 46,1%

15,4%

TIBAGI

80,7% / 87,3%

35,1%

12,7% / 52,6%

22,2%

VENTANIA

87,4% / 79,5%

31,1%

20,2% / 54,8%

22,2%

* Percentual do rendimento feminino em relação ao masculino segundo ocupação formal e escolarização - 2002/2013

** Percentual de vereadores eleitos, segundo o gênero - 2000/2004/2008/2012

FONTE: Dados do Portal ODM

Diferente do apontado pelos indicadores do milênio, na região dos Campos Gerais, foram poucos os municípios que atingiram a meta de 100% no acesso à educação entre homens e mulheres. Dos municípios da região que ainda não chegaram a 100% quando se fala em eliminar a disparidade entre os sexos no ensino fundamental e médio até 2015, podemos citar Carambeí, Castro, Curiúva, Ipiranga, Jaguariaíva, Ortigueira, Palmeira, Ponta Grossa, Porto Amazonas, Reserva, São João do Triunfo, Telêmaco Borba e Ventania.

Também comparando os percentuais entre seus municípios, a região dos Campos Gerais ficou abaixo da meta do estado na participação das mulheres no mercado de trabalho. Enquanto o Paraná alcançou 44,3% em 2013 à região alcançou 37,5%.

Na política, dos 19 municípios há oito que não elegeram nenhuma mulher na Câmara de Vereadores. Entre eles o município de Ortigueira, que conta com uma mulher em seu cargo máximo, a Prefeitura.

Analisando os dados vê-se a necessidade de um trabalho mais árduo quanto à valorização da mulher nos Campos Gerais. Para atender estes anseios e somar esforços no alcance destas metas é que surge o projeto “Eu quero mais!”. Com ele as mulheres passam a ter voz na região, mostrando as suas necessidades: Mais emprego, Maiores salários, Mais participação na política, Mais respeito, Mais dignidade!


  1. Objetivo Geral

A Valorização da mulher da região dos Campos Gerais, capacitando-a para a entrada e permanência no mercado de trabalho. Aumentando desta maneira o percentual médio da participação feminina na região que é de 37,5%. Com a capacitação, pretende-se ainda a equiparação dos salários de homens e mulheres em uma mesma função.

  1. Objetivos Específicos

- Realização de 19 Oficinas;

- Formação de 19 líderes na região dos Campos Gerais;

- Formação de Comitê Regional de valorização da mulher;

- Proposição de Políticas Públicas em prol da mulher na sociedade.



  1. Público Alvo

Participarão em cada oficina uma média de 50 mulheres, entre 20 e 50 anos. Somando-se todos os municípios da AMCG, prevê-se que – nesta primeira etapa – serão atingidas 950 pessoas, com a formação de 19 líderes nos Campos Gerais.

  1. Metodologia

Através de parcerias do Serviço Social da Indústria (SESI), da Associação dos Municípios dos Campos Gerais, e das Prefeituras Municipais serão realizadas oficinas nos municípios de abrangência da AMCG. O Serviço Social da Indústria levará seus articuladores até cada um dos municípios. A cargo da AMCG e das Prefeituras ficará a indicação do local de realização em cada localidade. A divulgação e o convite também serão realizados através de parcerias das entidades.

A proposta é que em cada município seja formado um líder a cada oficina, para que o assunto possa ser disseminado em outras situações e eventos, e que seja formado um Comitê da região dos Campos Gerais para continuar discutindo a valorização da mulher e a igualdade entre os sexos. Podendo assim colaborar na formação de políticas públicas que beneficiem as mulheres na sociedade.

No início de cada evento, será realizado um mini-curso de automaquiagem com as participantes. A intenção é de que as mulheres saiam dos eventos com a auto-estima elevada.

Dinâmicas

DINÂMICA

COMO?

PROPÓSITO

Duração

OFICINA APRENDENDO A EMPREENDER


Formação um círculo de diálogo com grupo de 30 a 50 participantes, cujo objetivo é o que resgate diferentes momentos históricos – culturais dessas mulheres



Apresentar indicadores e criar um ambiente favorável para entender as diferenças e transições vividas pelas mulheres na sociedade como oportunidade de identificação de líderes e formação do grupo de Mulheres locais

3hs

Comitê de Valorização da

Mulher


Comitê é formado por grupo de voluntárias que foram sensibilizadas na Oficina e querem atuar no movimento social em prol da comunidade local

Planejar ações que promovam o desenvolvimento local, incentivem o empreendedorismo das mulheres e sua inserção no mercado de trabalho, disseminem informações diversas, mostrando o papel do cidadão.

1hs

Ações diversas –

Calendário dos grupos



Cada comitê discutirá suas ações, conforme as demandas existentes na comunidade e definirão seus calendários de ação.

Planejar as ações e constituir um calendário, atuando na integração, disseminação e incentivo de ações que promovam conhecimento e desenvolvimento local.




Formação do Comitê

Regional de Valorização da Mulher nos Campos Gerais



Comitê Regional será formado pelas líderes de cada grupo local, onde poderão discutir as ações de forma regional e ampliar atividades.

Planejar ações regionais que proporcionem o Desenvolvimento regional, além de discutirem e fortalecerem políticas públicas para as mulheres.






  1. Cronograma

O município de Castro foi o primeiro a receber a metodologia, pois ações em prol das mulheres já estavam sendo realizadas em parceria com o Sesi. O evento ocorreu no dia 15 de abril.

Em construção



Etapa

Ação

Local

Data

Horário



Oficina Despertando o Empreendedorismo

Castro – Centro da Juventude

15/04/2015

14h00 às 17h00



Oficina Despertando o Empreendedorismo

Ortigueira

29/04/2015

14h00 às 17h00



Oficina Despertando o Empreendedorismo

Piraí do Sul

19/05/2015

14h00 às 17h00



Oficina Despertando o Empreendedorismo

Palmeira

03/06/2015

13h30 às 17h00



Oficina Despertando o Empreendedorismo

Ipiranga

16/06/2015

13h30 às 17h00



Oficina Despertando o Empreendedorismo

Arapoti

23/06/2015

13h30 às 17h00



Oficina Despertando o Empreendedorismo

São João do Triunfo

01/07/2015

12h30 às 16h30



Oficina Despertando o Empreendedorismo

Jaguariaíva

23/07/2015

13h30 às 17h00



Oficina Despertando o Empreendedorismo

Sengés









Oficina Despertando o Empreendedorismo

Ivaí









Oficina Despertando o Empreendedorismo

Ventania









Oficina Despertando o Empreendedorismo

Carambeí









Oficina Despertando o Empreendedorismo

Tibagi

05/08/2015

13h30 às 16h00



Oficina Despertando o Empreendedorismo

Ponta Grossa









Oficina Despertando o Empreendedorismo

Reserva









Oficina Despertando o Empreendedorismo

Imbaú









Oficina Despertando o Empreendedorismo

Porto Amazonas









Oficina Despertando o Empreendedorismo

Telêmaco Borba









Oficina Despertando o Empreendedorismo

Curiúva









  • As agendas de cada comitê são definidas pelo grupo de mulheres locais, devendo ser realizadas mensalmente e enviados relatórios das ações articuladas, a AMCG (ancora do Núcleo ODM Campos Gerais) e ao SESI Ponta Grossa (agente articulador das ações do Movimento Nós Podemos Paraná na região) para acompanhamento.


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal