No caso norte-americano



Baixar 33,9 Kb.
Encontro22.12.2017
Tamanho33,9 Kb.
Resumo

As publicações de índole mais popular têm vindo a ser aquelas que não têm perdido mercado juntos dos leitores. Aliás, em algumas situações, têm ganho mesmo maiores quotas de mercado. No entanto, pouco se tem estudado (em Portugal) dentro desta área do jornalismo. É desta forma que surge a hipótese de se efetuar um estudo que centre o seu quadro teórico nesta temática.

Tendo em conta a história do jornalismo, em que os Estados Unidos têm vindo a marcar tendências, optou-se por se efetuar um estudo comparativo entre Portugal e os Estados Unidos. Utilizaram-se, desta forma, os jornais generalistas de difusão nacional com maior circulação dos dois países: o Correio da Manhã, no caso português; e o USA Today, no caso norte-americano.

Interessa perceber em que situações sócio-económicas este tipo de jornalismo se desenvolveu, assim como, que evolução teve até aos dias de hoje.

Não sendo o sensacionalismo nos media uma novidade, dado que, já nos tempos pré-imprensa, a fórmula ‘sexo, sangue e violência’ era ingrediente que atraía a curiosidade dos leitores, interessa perceber que temas assumem os lugares de destaque nos jornais populares dos dias de hoje.

Palavras-Chave: Jornalismo Popular, Sensacionalismo, Correio da Manhã, USA Today

Abstract

Popular publications have been the ones that have not lost market share. In fact, in some situations, have gained even more readers. However, there are few researches (in Portugal) within this journalist field. It appeared to be a good chance to conduct a study in which we will centre the theoretical framework on this topic.

According to the history of journalism, United States have been setting trends, so, we choose to make a comparative research between Portugal and United States od America. The selected newspapers were the generalists with the largest nationwide circulation of the two countries: Correio da Manhã, from Portugal; and USA Today, from he US.

It is important to realise in which socio-economic bases this type of journalism has been developing, and what kind of evolution have had till today.



Sensationalism in the media is not new, since the pre-press, the formula ‘sex, blood and violence’ was an ingredient that attracted the curiosity of the readers. So, it is important to understand what types of themes are in the today popular newspapers.
KEY-WORDS: Popular Journalism, Sensationalism, Correio da Manhã, USA Today

Agradecimentos

Não tive propriamente um percurso académico linear. No entanto, um agradecimento especial ao Paulo Vieira e Ana Cristina Santos que me fizeram despertar e enveredar por um outro caminho. Ensinassem a perguntar o porquê das coisas, a não aceitar as coisas “só porque sim”, a questionar, a “teorizar”...

Aos meus pais e àquela que me parece ter sido uma gravidez mais que desejada (não tenham esperado mais de 6 anos para terem o seu primogénito e único filho), um muito, muito obrigado por toda a paciência, insistência e voto de confiança em toda e qualquer decisão da minha vida.

Às minhas queridas Isabel Portela e Ana Santos, assim como ao Frederico Lopes, por mero acaso se terem cruzado na minha vida e por me terem feito despertar para as questões do jornalismo (televisivo). Sem eles a hipótese de realizar um mestrado em Ciências da Comunicação nunca teria ocorrido. Um muito obrigado por terem “transformado” o Laboratório de Televisão da Universidade Fernando Pessoa numa quase segunda casa, até aos dias de hoje!

Ao corpo docente da Faculdade de Letras, nomeadamente ao grupo restrito que faz parte do Departamento de Jornalismo e Ciências da Comunicação (Secção Autónoma de Jornalismo e Ciências da Comunicação). Ao Professor Rui Novais todas as dicas e pressões nos trabalhos académicos; ao Professor Helder Bastos e Fernando Zamith por terem acreditado nos devaneios de um grupo (parte dele da área de formação de Relações Internacionais) e terem permitido concluir o Seminário de Ciberjornalismo com uma reportagem multimédia que tanto gozo me deu preparar; ao Professor Paulo Frias por ter abraçado e acarinhado o projeto “Cultura Urbana e Cultura Clássica da Cidade do Porto”; e a todos os outros.

À minha orientadora, companheira de muitas “lutas”, por ter acreditado no meu trabalho, por toda a força que me deu para participar no meu primeiro congresso internacional, mesmo sabendo que me iria sentir minúsculo em cima daquele palco aquando da apresentação do trabalho (e senti). Assim como, um muito obrigado por toda a paciência (porque sou péssimo a cumprir prazos), redirecionar de vontades para chegar a um tema que fosse suficientemente estimulante para os dois.

À Ana Paula, Teresa e Eng. Paula por serem o meu “bom dia, boa tarde e boa noite”, posso efetivamente afirmar que nunca devo ter entrado nesta “faculdade” sem passar pela secretaria. A Dr. Isabel toda a dedicação na procura de artigos (escassos), encomendas de livros, e um sincero pedido de desculpas pelos atrasos sucessivos na entrega do material da biblioteca.

That’s what Friends are for, música interpretada e reinterpretada, por nomes como Dionne Warwick, Stevie Wonder, Luther Vandross e Whitney Houston, que imortalizaram o verdadeiro sentido da amizade… Um carinho especial aos meus amigos, que de uma forma ou de outra sempre me apoiaram, em especial à Joana Sá, Juliana Fernandes, Paulo Matos, Márcio Silva e Maria Loubet.

À Joana Silva e ao grupo de desconhecidas até há dois anos, (por ordem alfabética para não ferir susceptibilidades), Carolina Martins, Cláudia Assis, Diana Andrade, Isabel Moreira, Lisete Alves, Sara Tavares, um muito obrigado pelos jantares, pelas conversas, pelas noites pelas Galerias de Paris, pelos copos, pela diversão, pela compreensão e acima de tudo pela força extrema nas mais diversas situações.

Last but not the least... Para ti, de quem as saudades são muitas, e que me acompanhaste nesta fase final sem nunca te queixares de falta de atenção! ;)


António Couto




Índice Geral
Resumo iv

Abstract v



Agradecimentos vi
Introdução 1

I – Breve História do Jornalismo 3


1.1- O Jornalismo e a sua dinâmica empresarial 5

1.2 – Evolução de duas realidades jornalísticas diferentes: Portugal e Estados Unidos 9



      1. A imprensa nos Estados Unidos 10

      1. A imprensa em Portugal 11


II – Sensacionalismo nos Média 13


2.1- A Emergência da Yellow Press 14

2.2 – O que distingue a imprensa popular 14

2.3 – O Jornalismo Popular na Atualidade 18


III – Condicionalismo da produção noticiosa 20


3.1 – Notícia e noticiabilidade 20

3.2 - Newsmaking e os seus factores influenciadores 22



IV – As Potencialidades da Internet passíveis de serem utilizadas pelos ciberjornais 25


4.1 – Contextualização da evolução do Ciberjornalismo 25

4.2 – O Ciberjornalismo nos Estados Unidos e em Portugal 29

4.3 – As notícias online e a exploração das potencialidade do meio 30
V – Breve contextualização dos jornais em estudo 32

5.1 – Correio da Manhã 32

5.2 – USA Today 33
VI – Questão de investigação e Hipóteses colocadas 35


VII – Metodologia 36

7.1 – Análise das Primeiras Páginas 37

7.2 – Análise das notícias em destaque nas versões online 41


7.3 – Tema dos Destaques 44

7.3.1 - Crime e escândalo 45

7.3.2 - Desastres

7.3.3 – Guerra

7.3.4 – Política

7.3.5 – Economia 46

7.3.6 – Desportos

7.3.7 – Sociedade

7.3.8 – Internacional 47

7.3.9 – Cultura e Espectáculos

7.3.10 – Media

7.3.12 – Figuras Públicas

7.3.12 – Vida Animal

7.4 – Shovelware 47


VIII – Análise dos Resultados 49

8.1 – A análise da Primeiras Páginas dos Jornais 49

8.2 – As Plataformas dos ciberjornais dos dois periódicos 51

8.3 – Análise dos Destaques-notícia da plataforma online 52

8.4 – Análise dos Destaques-multimédia da plataforma online 55

8.5 – Análise do shovelware das notícias online 56


Conclusão 57



Bibliografia 60




Apêndices 63







©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal