Napoleon hill pense e enriqueçA



Baixar 1,32 Mb.
Página1/16
Encontro15.11.2016
Tamanho1,32 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   16
NAPOLEON HILL

 

PENSE

 

E ENRIQUEÇA

 

Tradução do



original norte-americano:

 

Think and Grow Rich

 

 

 



 

SUMÁRIO

 

Palavras do Editor



Prefácio (01)

Pensamentos São Coisas (07)

Passo nº 1 em Direção à Riqueza: Desejo (19)

Passo nº 2 em Direção à Riqueza: Fé e Confiança (33)

Passo nº 3 em Direção à Riqueza: Autossugestão (49)

Passo nº 4 em Direção à Riqueza: Conhecimento Especializado (55)

Passo nº 5 em Direção à Riqueza: Imaginação (68)

Passo nº 6 em Direção à Riqueza: Planejamento Organizado (79)

Passo nº 7 em Direção à Riqueza: Decisão (108)

Passo nº 8 em Direção à Riqueza: Persistência (119)

Passo nº 9 em Direção à Riqueza: Poder da “Mente Superior” (134)

Passo nº 10 em Direção à Riqueza: Mistério da Transmutação Sexual (141)

Passo nº 11 em Direção à Riqueza: O Subconsciente (161)

Passo nº 12 em Direção à Riqueza: O Cérebro (168)

Passo nº 13 em Direção à Riqueza: O Sexto Sentido (175)

Os Seis Fantasmas do Medo (183)

 

 



 

 

PALAVRAS DO EDITOR

 

Um dos livros mais poderosos do mundo encontra-se em suas mãos.

 

            FORNECE-LHE um plano testado que torna os homens ricos. Ensina-lhe exatamente como usá-lo e inicia agora mesmo.



 

            O que é que faz que um homem vá para frente toda a sua vida, realizando, ganhando, multiplicando sua riqueza e felicidade – enquanto o outro nem sequer começa?

 

            O que é que dá a um homem grande poder pessoal, enquanto outro permanece ineficaz? O que faz com que um homem seja capaz de resolver qualquer problema, encontrar o caminho entre todos os lugares inóspitos da vida, até a realização de seus mais acalentados sonhos – enquanto outro luta, fracassa e termina em nada?



 

            Há muitos anos atrás, Napoleon Hill sentou-se com Andrew Carnegie, um dos homens mais ricos do mundo na época e teve o primeiro vislumbre do grande segredo. Carnegie incumbiu-o de descobrir como outros usavam esse segredo, para que lhes estudasse os métodos e criasse um único método que pudesse ser dado ao mundo como Plano Máximo.

 

            Pense e Enriqueça revela o segredo e fornece o plano. Desde sua publicação, em 1937, muitas edições se esgotaram assim que foram impressas. A edição presente foi atualizada com auxílios completamente novos para o leitor, incluindo um “curso para recordar”, de uma página, em cada capítulo.



 

            Aqui está finalmente o meio seguro de vencer todos os obstáculos, realizar qualquer ambição, atrair sucesso como se viesse de um rio eternamente fluente. Este livro irá sacudi-lo, com seu poder de transformar a vida. Logo saberá porque certas pessoas adquirem pilhas de dinheiro e felicidade – pois você será uma delas.



PREFÁCIO

 

            EM TODOS OS CAPÍTULOS deste livro menciono o segredo de ganhar dinheiro, que trouxe fortunas a centenas de homens muito ricos – homens que analisei com cuidado durante longos anos.



 

            O segredo foi trazido à minha atenção por Andrew Carnegie, há mais de meio século. O sagaz e adorável velho escocês o jogou para mim descuidadamente, quando eu não passava de um garoto. Depois, recostou-se na cadeira com um alegre piscar de olhos e ficou a examinar-me atentamente, para ver se eu possuía cabeça suficiente para entender o pleno significado do que me dissera.

 

            Quando percebeu que eu captara a ideia, indagou se eu queria passar vinte anos ou mais preparando-me para apresentá-la ao mundo, aos homens e mulheres que, sem o segredo, passariam a vida inteira fracassados. Disse-lhe que o faria e, com a cooperação dele, mantive a promessa.



 

            Este livro contém o segredo, segredo testado na prática por milhares de pessoas, em quase todos os setores da vida. A ideia de Mr. Carnegie era de que a formula mágica, que lhe dera estupenda fortuna, deveria ser colocada ao alcance das pessoas que não dispõem de tempo necessário para averiguar como se ganha dinheiro. Esperava que eu pudesse testar e demonstrar a integridade da fórmula, através da experiência de homens e mulheres, nas varias profissões. Acreditava que se deveria ensinar a fórmula nas escolas e faculdades públicas, expressando a opinião que, se fosse transmitida de maneira certa, revolucionaria a tal ponto todo o sistema educativo, que o tempo despendido na escola poderia ser reduzido a menos da metade.

 

(p. 2)


         Histórias Verídicas Provam o

         Poder Assombroso do Segredo

 

            No capítulo que trata da Fé, você lerá a surpreendente história da organização da gigantesca “United States Steel Corporation” (Corporação Americana do Aço), como foi concebida e realizada por um dos jovens através dos quais Mr. Carnegie provou que sua fórmula agiria para os que se acham prontos para ela. Uma única aplicação do segredo, feita por Charles M. Schwab, deu-lhe enorme fortuna, tanto em dinheiro como em oportunidades. Essa determinada aplicação da fórmula valia, aproximadamente, seiscentos milhões de dólares.



 

            Tais fatos – e são fatos conhecidos de quase todos que conheciam Mr. Carnegie – fornecem-lhe uma ideia justa do que a leitura deste livro lhe poderá proporcionar, desde que você saiba o que quer.

 

            O segredo foi revelado a milhares de homens e mulheres, que o aplicaram em seu próprio benefício, como o planejara Mr. Carnegie. Alguns arranjaram fortunas com ele. Outros o aplicaram com êxito para criar harmonia em seus lares. Um clérigo usou-o com tal eficácia, que lhe rendeu mais de 75.000 dólares por ano.



 

            Arthur Nash, alfaiate de Cincinnati, usou seu negocio quase falido como cobaia para testar a fórmula. Conseguiu reanimá-lo, o que trouxe verdadeira fortuna aos donos. Ainda está florescente, embora Mr. Nash já tenha falecido. A experiência foi de tal modo singular, que jornais e revistas lhe dedicaram mais de um milhão de dólares de publicidade laudatória.

 

            O segredo foi transmitido a Stuart Austin Wier, de Dallas, Texas. Ele estava pronto para recebê-lo – tão pronto que abandonou a profissão e foi estudar direito. Teve êxito? Essa história também é contada.



 

            Enquanto trabalhava como gerente de propaganda da “La Salle Extension University”, quando a universidade pouco mais era que um nome, tive o privilégio de ver J. G. Chapline, seu presidente, empregar a fórmula com tal eficácia, que tornou La-Salle uma das maiores escolas populares do país.

 

            O segredo a que me refiro foi mencionado nada menos que uma centena de vezes no decorrer deste livro. Não foi



(p. 3)

diretamente apontado, pois parece agir com mais êxito quando apenas mencionado e deixado à vista, onde os que estão prontos para ele e o estão procurando, possam dele se apossar. Por isso é que Mr. Carnegie o jogou para mim tão tranquilamente, sem nomear-lhe especificamente.

 

 

O Segredo Fala aos que Ouvem



 

            Se você estiver pronto para pô-lo em uso, reconhecerá o segredo pelo menos uma vez em cada capítulo. Gostaria de ter o privilégio de dizer-lhe como o saberá quando estiver pronto a recebê-lo, mas isso o privaria de muitos dos benefícios que receberá ao fazer a descoberta a seu modo.

 

            Enquanto esse livro estava sendo escrito, meu próprio filho, que então estava concluindo seu último ano da faculdade, pegou o manuscrito do segundo capítulo da obra, o leu, e descobriu o segredo por si mesmo. Ele usou a informação tão efetivamente que galgou diretamente um posto de alta responsabilidade com um salário inicial maior do que aquele que um homem mediano jamais alcançará. Sua história foi brevemente contada no capítulo dois.



 

            Quando você ler o livro, talvez desfaça a impressão que possa ter tido, no início da leitura, de que a obra prometia demais. E, também, se alguma vez já se sentiu deprimido, se já teve dificuldades a vencer que pareciam lhe arrancar a própria alma, se já tentou e fracassou, se alguma vez já esteve incapacitado por causa de doenças ou aflições físicas, a história da descoberta do meu filho e do uso da fórmula de Carnegie pode vir a ser como o oásis no Deserto da Esperança Perdida, aquele oásis que você estava procurando.

 

            O segredo foi muito empregado pelo Presidente Woodrow Wilson durante a Primeira Guerra Mundial. Foi transmitido a todos os soldados que lutaram na guerra, cuidadosamente dosado no treinamento que recebiam antes de ir para o front. Contou-me o Presidente Wilson que ele foi um forte fator na tarefa de angariar os fundos necessários para a guerra.



 

            Uma das coisas interessantes a respeito do segredo é que os que o uma vez o adquirem e o empregam, se descobrem literalmente arrastados em direção ao sucesso. Se você duvida, estude o nome dos que o usaram, sempre que forem mencionados; examine você mesmo o histórico dessas pessoas e convença-se.

 

            Não existe nada que não custe alguma coisa!



 

            O segredo a que me refiro não pode ser obtido sem um preço, embora este seja bem menos que seu valor. Não pode ser adquirido por preço algum por aqueles que não o procuram intencionalmente. Não pode ser revelado, não pode ser comprado por dinheiro, pela simples razão de que se compõe de duas partes. Uma delas já pertence aos que estão prontos para ele.

 

            Serve igualmente bem a todos que estão prontos para ele. Educação nada tem a ver com ele. Muito antes de eu nascer,



(p. 4)

o segredo foi ter as mãos de Thomas A. Edison e ele o aplicou com tanta inteligência que se tornou o maior inventor do mundo, embora só tivesse tido três meses de instrução.

 

            O segredo passou para Edwin C. Barnes, sócio comercial de Edison. Usou-o com tal eficácia que, embora na época só ganhasse 12.000 dólares por ano, acumulou respeitável fortuna, aposentando-se enquanto ainda jovem. Você encontrará esta história no começo do primeiro capítulo. Irá convencê-lo de que a riqueza não está além do seu alcance, que você poderá ser ainda o que deseja ser, que dinheiro, fama, reconhecimento, felicidade podem ser de todos aqueles que estão preparados e decididos a receber tais bênçãos.



 

            Como é que sei dessas coisas? Você terá a resposta antes de terminar o livro. Poderá encontrá-lo no primeiro capítulo ou na ultima página.

 

            Enquanto me ocupava com a tarefa da pesquisa de vinte anos, que empreendi atendendo ao pedido de Mr. Carnegie, analisei centenas de homens afamados, muitos dos quais admitiram terem acumulado suas vastas fortunas utilizando o auxílio do segredo de Carnegie; entre eles estão:



 

HENRY FORD

WILLIAM WRIGLEY JR.

JOHN WANAMAKER

JAMES J. HILL

GEORGE S. PARKER

E. M. STATLER

HENRY L. DOHERTY

CYRUS H. K. CURTIS

GEORGE EASTMAN

CHARLES M. SCHWAB

HARRIS F. WILLIAMS

DR. FRANK. GUNSAULUS

DANIEL WILLARD

KING G’LLETTE

RALPH A. WEEKS

JUlZ DANIEL T. WRIGHT

JOHN D. ROCKEFELLER

THOMAS A. EDISON

FRANK A. VANDERLIP

F. W. WOOLWORTH

CEL. ROBERT A. DOLLAR

EDWARD A. FILENE

EDWIN C. BARNES

ARTHUR NASH

THEODORE ROOSEVELT

JOHN W. DAVIS

ELBERT HUBBARD

WILBUR. WRIGHT

WILLIAM JENNINGS BRYAN

DR. DAVID STARR JORDAN

J. ODGEN AR.MOUR

ARTHUR BRISBANE

WOODROW WILSON

WILLIAM HOWARD TAFT

LUTHER BURBANK

EOWARD W. BOK

FRANK A. MUNSEY

ELBERT H. GARY

CLARENCE DARROW

DR. ALEXANDER GRAHAM BELL

JOHN H. PATTERSON

JULIUS ROSENWALD

STUART AUSTIN WIER

DR. FRANK CRANE

GEORGE M. ALEXANDER

J. G. CHAPLINE

SEN. JENNINGS RANDOLPH

 

(p. 5)


            Estes nomes representam apenas pequena fração das centenas de americanos famosos, cujas realizações financeiras e outras, provam que os que entendem e aplicam o segredo Carnegie, alcançam elevados postos na vida. Nunca conheci ninguém que, inspirado a usar o segredo, não atingisse sucesso notável na carreira escolhida. Jamais conheci alguém que se distinguisse, ou que acumulasse riquezas de monta, sem estar de posse do segredo. Desses dois fatos tiro a conclusão de que o segredo é mais importante, como parte do conhecimento essencial para a autodeterminação, que qualquer outro que se receba através do que é popularmente chamado de “educação”.

 

            O que é educação afinal? Isso foi respondido pormenorizadamente.



 

 

O Momento Decisivo em Sua Vida

 

            Em algum momento, à medida que você lê, o segredo a que me refiro saltará da página e se colocara ousadamente diante de você, se você estiver pronto para recebê-lo! Assim que aparecer, você o reconhecerá. Quer capte o sinal no primeiro, quer no último capítulo, pare um momento, quando ele se apresentar, e faça um brinde, pois a ocasião assinalará o mais importante ponto de mutação de sua vida.



 

            Além disso, lembre-se, no decorrer do livro, que ele trata de fatos e não de ficção, sendo seu propósito transmitir a grande verdade universal pela qual todos os que estiverem preparados, possam aprender não apenas o que fazer, mas como fazê-lo. Receberão também o estímulo necessário para começar.

 

            Como palavra final de preparação, antes de iniciar o primeiro capítulo, posso oferecer-lhe uma rápida sugestão, que lhe poderá fornecer a pista para reconhecer o segredo de Carnegie?Ei-Ia: toda a realização, toda a riqueza ganha, tem seu inicio numa ideia!



 

            Se você estiver pronto para a revelação do segredo, então você já possui metade dele; por isso, reconhecerá prontamente a outra metade, no momento em que esta estiver diante de sua mente.

 

                                                                                     NAPOLEON HILL



 

 

 Índice da Seção Atual   Índice da Obra Atual   Seguinte: Pensamento são Coisas



PENSAMENTOS SÃO COISAS

 

            O poder que prenuncia o sucesso é o poder da mente. Como fazer com que a vida diga SIM, em vez de NÃO, aos seus planos e ambições.



 

            NA VERDADE, pensamentos são coisas, e coisas bem poderosas quando se unem a propósitos definidos, persistência e um ardente desejo de serem traduzidos em riquezas ou outros objetos materiais.

 

            Há alguns anos, Edwin C. Barnes descobriu quanto é verdade que os homens realmente pensam e enriquecem. A descoberta não se deu de uma vez. Chegou aos poucos, começando com o ardente desejo de se tornar sócio do grande Edison.



 

            Uma das características principais desse desejo era o de ser definido. Queria trabalhar com Edison e não para ele. Observe cuidadosamente a descrição de como procedeu para traduzir o desejo em realidade e terá, então, maior compreensão dos princípios que conduzem à riqueza.

 

            Quando tal desejo ou impulso passou, pela primeira vez, em sua mente, não se achava ainda em condições de agir. Duas dificuldades se interpunham em seu caminho: não conhecia Edison, nem podia pagar a passagem de trem para East Orange, em New Jersey.



 

            Essas dificuldades teriam sido suficientes para desanimar a maioria dos homens, de fazer qualquer tentativa de levar avante o desejo. Mas o desejo que ele nutria não era um desejo comum!

 

(p. 8)


            Edison Olhou para Ele...

 

            Apresentou-se no laboratório de Edison, anunciando que viera para fazer negócios com o inventor. Referindo-se ao primeiro encontro Barnes-Edison, disse esse último, anos mais tarde:



 

            “Lá estava ele diante de mim, parecendo um camarada comum; mas havia algo na expressão de seu rosto, que transmitia a impressão de que estava decidido a conseguir o que buscava. Eu aprendera, em longos anos de experiência com os homens, que quando alguém realmente deseja uma coisa tão intensamente, a ponto de arriscar todo o futuro numa simples jogada para consegui-la, não poderá deixar de ser bem sucedido. Dei-lhe a oportunidade que pedia, porque percebi que resolvera não arredar pé enquanto não obtivesse êxito. Acontecimentos subseqüentes comprovaram que não houvera erro.”

 

            Não podia ter sido a aparência do jovem que lhe garantira a oportunidade no escritório de Edison, pois essa era contra ele. O que contou foi o que ele pensava.



 

            Barnes não conseguiu ser sócio de Edison na primeira entrevista. O que conseguiu foi a oportunidade de trabalhar nos estabelecimentos de Edison, por um salário bastante insignificante.

 

            Passaram-se meses. Aparentemente, nada acontecia que aproximasse o ambicionado objetivo que Barnes se impusera como seu principal propósito absoluto. Mas, algo de importante acontecia na mente de Barnes. Intensificava, constantemente, seu desejo de tornar-se sócio de Edison.



 

            Psicólogos acertaram ao dizer que “quando alguém está realmente pronto para alguma coisa, essa coisa não deixa de aparecer.” Barnes estava pronto para uma sociedade comercial com Edison. Além disso, estava decidido a perseverar nisso até obter o que procurava.

 

            Não dizia a si mesmo: “Bem, o que adianta? Acho que vou mudar de ideia e tentar um emprego de vendedor.” O que dizia era: “Vim aqui para fazer negócios com Edison e atingirei a meta, mesmo que leve o resto de minha vida.” E estava mesmo decidido! Que história diferente teriam os homens para contar se adotassem um propósito definido e, permanecessem firmes nele até vê-lo transformado em ardente obsessão!



 

(p. 9)


            Talvez o jovem Barnes não o soubesse na época, mas sua determinação férrea, a persistência em apoiar-se num simples desejo, estavam destinados a vencer qualquer oposição e trazer-lhe a oportunidade que procurava.

 

 



            A Oportunidade Veio pela Porta dos Fundos

 

            Quando chegou a oportunidade, apareceu de forma diferente e de uma direção diferente da que Barnes esperava. Este é um dos truques da oportunidade. Tem o hábito astuto de penetrar pela porta dos fundos, disfarçada, por vezes, de desgraça ou de derrota temporária. Por isso, talvez, e que tantos deixam de reconhecê-la.



 

            Edison acabara de aperfeiçoar um novo invento para escritório, chamado, na época, de “Máquina de Ditar Edison”. Os vendedores não estavam entusiasmados com a máquina. Não acreditavam poder vendê-la sem grande esforço.

 

            Barnes sabia que poderia vender a máquina, sugerindo-o a ele, que imediatamente lhe deu a chance. Conseguiu vendê-la, e tão satisfatoriamente, que Edison lhe deu um contrato de distribuição e vendas de âmbito nacional. Dessa sociedade comercial nasceu a riqueza, em dinheiro, de Barnes, mas ele fez algo infinitamente maior. Provou que se pode, realmente, pensar e enriquecer.



 

            Quanto de dinheiro lhe valeu seu desejo original, não posso saber. Talvez lhe trouxesse dois ou três milhões de dólares, mas a quantia, seja qual for, torna-se insignificante comparada à qualidade maior que adquiriu, através do conhecimento de que um impulso intangível de pensamento pode ser transformado em prêmios materiais, aplicando-se os princípios conhecidos.

 

            Barnes literalmente pensou numa sociedade com o grande Edison! Pensou numa fortuna. Nada tinha para começar, exceto a capacidade de saber o que queria e a determinação de persistir no desejo até realizá-lo.



 

 

            O Homem que Desistiu Cedo Demais



 

            Uma das causas de fracasso mais comuns é o hábito de desistir, quando se é acometido de derrota temporária. Todos são culpados desse erro, numa ou noutra ocasião.

 

(p. 10)


            Um tio de R. U. Darby foi atingido pela “febre do ouro”, nos dias da corrida do ouro e lá se foi para o Oeste, para escavar e enriquecer. Nunca ouvira dizer que mais ouro fora extraído dos pensamentos dos homens do que jamais saíra da terra. Fez valer seus direitos e foi trabalhar de pá e picareta.

 

            Após semanas de trabalho, foi recompensado pela descoberta do minério reluzente. Precisava de máquinas para trazer o minério para a superfície. Sem alarde, cobriu a mina, refez as pegadas que o levavam a sua casa, em Williamsburg, Maryland e contou aos parentes e a alguns vizinhos do “achado”. Reuniram dinheiro para as máquinas necessárias e mandaram-nas por navio. O tio e Darby voltaram ao trabalho na mina.



 

            O primeiro carro de minério foi extraído e enviado a uma fundição. O que voltou demonstrou que possuíam uma das mais ricas minas de Colorado! Com algumas cargas mais do minério, poderiam saldar as dívidas. Depois viriam os enormes lucros.

 

            As perfuratrizes penetraram na terra, enquanto aumentavam as esperanças de Darby e seu tio. Então, algo aconteceu. O veio de minério de ouro desapareceu! Tinham chegado ao fim do arco-íris e o pote de Duro não mais estava lá. Continuaram a perfurar, tentando, desesperadamente, encontrar o veio de novo – tudo em vão.



 

            Finalmente, resolveram desistir.

 

            Venderam a maquinaria a um negociante de ferro velho, por algumas centenas de dólares e levaram o trem de volta. O dono do ferro velho chamou um engenheiro de minas, para que examinasse a mina e fizesse uns cálculos. O engenheiro concluiu que o projeto falhara porque os donos não estavam habituados às “linhas falhas”. Seus cálculos mostraram que o veio seria encontrado a apenas um metro de onde os Darby tinham parado de perfurar! Foi exatamente onde o encontraram!



 

            O homem do ferro velho retirou milhões de dólares em minério, da mina, porque foi suficientemente esperto para procurar o conselho de um perito, antes de desistir.

 

 

            

  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   16


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal