Município de ajuricaba e



Baixar 422,69 Kb.
Página1/2
Encontro06.09.2018
Tamanho422,69 Kb.
  1   2


MUNICÍPIO DE AJURICABA

Estado do Rio Grande do Sul





MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Obra: Pavimentação asfáltica tipo CBUQ.



Local: Ruas urbanas da cidade de Ajuricaba/RS.

Ruas: Rua Brasília e Rua Pedro Paiva Machado




1 - GENERALIDADES
O presente memorial tem por finalidade descrever execução de pavimento asfáltico CBUQ a fim de recuperar e melhorar o pavimento existente.

2 – CONDIÇÕES INICIAIS:
Características das ruas:
- As ruas tem traçados definidos, com meios fios e parte com passeios revestidos. As declividades são menores que 5 %.

- O sistema de drenagem permanecerá o existente.

-A Rua Brasília já possui calçamento com pedras irregulares e cordões de concreto. O pavimento se apresenta de forma regular.

-A Rua Pedro Paiva Machado, já possui pavimentação asfáltica que apresenta sinais de desgaste de uso, como panelas e trincas do tipo couro de jacaré.

3 – PREPARO DA PISTA PARA ASFALTAMENTO:
3.1 - Correções de deformações plásticas da pista: São os serviços de reparo no pavimento existente bem como no asfalto, onde existir, com reposição de valas aberta, nivelamentos de depressões e ajustes na conformação geral do pavimento.

3.2 Limpeza - Toda a superfície de pedras irregulares a ser revestida com capa asfáltica deverá ser capinada, varrida e lavada de forma que todos os detritos sejam retirados.Toda a superfície de asfalto existente a serem revestidas com capa asfáltica, varrida e lavada de forma que todos os detritos sejam retirados A varredura deverá ser procedida através de vassoura mecânica ou equipamento similar.




4 – EXECUÇÃO DA PAVIMENTAÇÃO:
4.1 – Pintura de ligação - A pintura de ligação da base consisti na distribuição de uma película, de material betuminoso diretamente sobre a superfície do calçamento ou asfalto existente, previamente limpo.

Para a execução da pintura de ligação será empregada emulsão asfáltica catiônica do tipo RR-
1C. A taxa de aplicação, para a emulsão asfáltica, será de 1,00 litro/m². A distribuição do ligante deve ser feita por veículo apropriado ao tipo caminhão espargidor, equipado com bomba reguladora da pressão; as barras de distribuição devem permitir ajustes verticais e larguras variáveis de espalhamento devendo também estar aferido este equipamento. A mistura não deve ser distribuída quando a temperatura ambiente for inferior a 10º C ou em dias de chuva.

O controle da quantidade de emulsão espargida na pista se feito através da colocação de uma bandeja na pista, com peso e área conhecida da mesma, sendo que após a passagem do carro distribuidor, através de uma simples pesagem obtém-se a quantidade de ligante usado.

O serviço seaceito, uma vez que seja atendida a taxa de aplicação mínima de 1,0 litro/m² de ligante.

4.2- Reperfilamento - o reperfilamento deve ser executado com uma camada de C.B.U.Q. de espessura mínima após a compactação de 03 centímetros.



A descarga na pista de C.B.U.Q. será efetuada de forma a minimizar a distribuição da mistura, que será executada por lâmina da motoniveladora. O espalhamento da mistura deverá ter como objetivo a correção das depressões longitudinais e transversais, o enchimento de espos ao redor das pedras irregulares do calçamento ou buracos e depreses da pista a ser pavimentada e, principalmente conformar a supercie de acordo

com as declividades de projeto.
Em conjunto com a motoniveladora deve atuar o rolo pneumático autopropulsionado de pressão variável, cujos pneumáticos terão suas respectivas pressões internas aumentadas gradativamente, com o suceder das passadas. Como unidade de acabamento de compactação, se utilizado o rolo metálico tipo Tandem.

Por falta de parâmetros mais precisos para quantificar o volume de material a ser utilizado no serviço de regularizão da pista, adotou-se o critério da área a ser pavimentada com espessura mínima após a compactação de 3,00 centímetros para a Rua Brasília.

Medição - O C.B.U.Q. para regularização da superfície do pavimento existente semedido através da quantidade de mistura aplicada, em toneladas. Este controle seefetuado na pista através do ticket de balança.

4.3 – Capa asfáltica - A capa será executada sobre o reperfilamento na Rua Brasília, e sobre o asfalto existente na Rua Pedro Paiva Machado.
O revestimento asfáltico (capa) consisti de uma camada de Concreto Betuminoso Usinado a Quente (C.B.U.Q.), com espessura de 02 (dois) centímetros (compactados) para a Rua Brasília, e 03 (três) centímetros (compactados) para a Rua Pedro Paiva Machado. Composição da Mistura do C.B.U.Q.: A mistura da massa asfáltica do tipo C.B.U.Q. deverá constituir-se em uma mistura uniforme de agregados e cimento asfáltico do tipo CAP- 50/70, na proporção de 5,5 a 6,0 %.

O agregado para o concreto asltico (CBUQ) a ser utilizado deve estar enquadrada na


faixaA” das especificações gerais do DAER/RS, conforme quadro abaixo:



Nota: Caberá a empresa vencedora da licitação os ensaios que comprovem a composição requerida do C.B.U.Q. e submetê-los à apreciação da Fiscalização da Prefeitura Municipal.

4.4 Execução - O Concreto Betuminoso Usinado à Quente (C.B.U.Q.) será produzido na usina de asfalto a quente, atendendo aos requisitos especificados. Ao sair do misturador, a massa deve ser descarregada diretamente nos caminhões basculantes e transportada para o local de aplicação. Os caminhões utilizados no transporte deverão possuir lona para proteger e manter a temperatura da mistura asfáltica a ser aplicada na obra. A descarga da mistura seefetuada diretamente na caçamba da vibro acabadora, que irá executar o espalhamento na pista.

Em conjunto com a vibro-acabadora, deve atuar o rolo pneumático autopropulsionado de pressão variável, cujos pneumáticos deverão ter suas respectivas pressões internas aumentadas gradativamente, com o suceder das passadas. Como unidade de acabamento, será usado rolo metálico, tipo tandem com peso acima de 12 toneladas.


  1   2


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal