Mostra neville d’almeida: cronista da beleza e do caos 30 de Setembro a 15 de Outubro de 2016 30 sex 17h curtas neville d’almeida



Baixar 90,75 Kb.
Encontro28.02.2017
Tamanho90,75 Kb.
Programação

MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA: CRONISTA DA BELEZA E DO CAOS

30 de Setembro a 15 de Outubro de 2016
30 SEX

17h CURTAS NEVILLE D’ALMEIDA I Exibição digital | 16 anos | 79’

Planeta Gigóia, de Neville de Almeida (BRA, 2012) | Exibição digital | 5’30’’

Boa noite, Cinderela, de Neville de Almeida (BRA, 2010) | Exibição digital | 18’

Verde Moreno, de Neville de Almeida (BRA, 2009) | Exibição digital | 4’ 17’’

Neto Vida Ernesto, de Neville de Almeida (BRA, 2008) | Exibição digital | 7’ 40’’

Acquawater, de Neville de Almeida (BRA, 2008) | Exibição digital | 7’ 40’’

O Diário Secreto de Jane Joy: Receita de Sedução, de Neville de Almeida (BRA, 2007) | Exibição digital | 1’ 30’’

O Diário Secreto de Jane Joy: Calcinha, de Neville de Almeida (BRA, 2007) | Exibição digital | 2’’

A Voz do Provocador – Parte 1 – Os Artísticos, de Neville de Almeida (BRA, 2006) | Exibição digital | 3’ 42’’

A Voz do Provocador – Parte 2 – O Ouro Roubado, de Neville de Almeida (BRA, 2006) | Exibição digital | 6’

O Provocador – Internacionalização da Amazônia, de Neville de Almeida (BRA, 2006) | Exibição digital | 5’ 22’’

A Água, A Mulher e o Regador, de Neville de Almeida (BRA, 2005) | Exibição digital | 6’



Cosmococas, de Neville de Almeida (BRA, 1973) | Exibição digital | 10’

19h HISTÓRIA PERMANENTE DO CINEMA ESPECIAL NEVILLE D’ALMEIDA | Jardim de Guerra, de Neville D’Almeida (BRA, 1968) | Exibição 35mm| 18 anos | 100’ | Sessão seguida de debate com o curador Mario Abbade e o cineasta mineiro Geraldo Veloso.

SINOPSE: Um jovem amargurado e sem perspectivas se apaixona por uma cineasta e é injustamente acusado de terrorista por uma organização de direita que o prende, interroga e tortura.
01 SAB

16h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Música Para Sempre, de Neville D’Almeida (BRA, 1980) | Exibição em 35mm | 16 anos | 90’

SINOPSE: Festival de Jazz de São Paulo, realizado de 11 a 18 de setembro de 1978, no palco do Palácio das Convenções do Anhembi, reunindo músicos, compositores e intérpretes de várias nacionalidades. Narrado de forma jornalística, traz depoimentos de artistas participantes da mostra, grandes nomes do jazz, do rock, do blues, do samba e de outras tendências da música.

18h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Rio Babilônia, de Neville D’Almeida (BRA, 1982) | Exibição em 35mm | 16 anos | 115’

SINOPSE: No Rio de Janeiro das praias e das favelas, das atrações turísticas e da miséria, Marciano é convidado para recepcionar Dr. Liberato, industrial afastado do Brasil há vinte anos, que, de fato, é um traficante internacional de ouro. Vera Moreira é uma jornalista corajosa que tem informações suficientes para levar Liberato à cadeia e, por isso, corre perigo. Marciano acaba se envolvendo nas situações mais bizarras, que vão de megafestas, orgias e ménages a confrontos com a polícia, reuniões com traficantes de drogas e estrelas de cinema, diante de corrupção e até mesmo assassinato.

20h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | A Dama do Lotação, de Neville D’Almeida (BRA, 1978) | 16 anos | 90’

SINOPSE: Solange e Carlos se conhecem desde a infância e se casam. Na noite de núpcias, Solange resiste ao marido, que, impaciente, acaba estuprando a mulher. Solange fica traumatizada e, apesar de desejar Carlos, não quer mais nada com ele. Para se satisfazer, ela começa a fazer sexo com homens que não conhece, os quais encontra andando de ônibus.

02 DOM

16h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Os Sete Gatinhos, de Neville D’Almeida (BRA, 1980) | Exibição em 35mm| 16 anos | 109’

SINOPSE: O filme e o livro contam a história da família Noronha e, em especial, de Silene. Ela é a caçula das cinco filhas de Aracy e Seu Noronha. Ele, um contínuo da Câmara de Deputados, mora no Grajaú com a mulher e suas filhas Aurora, Hilda, Débora, Arlete e Silene, de apenas 16 anos. A caçula é a mais mimada de todas e, por ser a única “pura”, tem direito a uma boa educação em um colégio interno. Mas logo a vida deles toma um rumo diferente, quando a garota é acusada, no colégio, de matar a pauladas uma gata grávida. A família Noronha parece tão normal quanto qualquer outra, mas, por trás das aparências, esconde segredos inconfessáveis.

18h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | O Bandido da Luz Vermelha, de Rogério Sganzerla (BRA, 1968) | Exibição em 35mm | 16 anos | 92’

SINOPSE: Livremente inspirado em fatos. Um assaltante misterioso (Paulo Villaça) usa técnicas extravagantes para roubar casas luxuosas de São Paulo. Ele é apelidado pela imprensa de Bandido da Luz Vermelha, já que leva sempre uma lanterna vermelha e conversa longamente com suas vítimas. No entanto, seus roubos e crimes chamam tanta atenção que um implacável policial começa a perseguir o Bandido da Luz Vermelha.

20h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Mangue Bangue, de Neville D’Almeida (BRA, 1971) | Exibição digital | 16 anos | 80’

SINOPSE: O filme aborda a condição humana e o corpo. Sem uma narrativa clara ou roteiro pré-determinado, sem vozes, segue em torno de temas como amor e esforço e prazer e sofrimento.

03 SEG

17h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Encontro Amazônico, de Neville D’Almeida (BRA, 1989) | Exibição digital | 16 anos | 52’

SINOPSE: Registro documental e imagético do encontro de 65 nações indígenas ocorrido em 1989, na cidade de Altamira no Pará, que se propunha a discutir o impacto ambiental da construção de cinco barragens para geração de energia no Rio Xingu e reivindicar que não fossem construídas. Reuniram-se autoridades brasileiras e organismos internacionais que se dispuseram a ouvir os anfitriões do evento, os índios. Assessorado pelo antropólogo Darrel Posey, o filme traz depoimentos de índios brasileiros, estrangeiros e cientistas.

19h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Matou a Família e Foi ao Cinema, de Neville D’Almeida (BRA, 1991) | Exibição em 35mm | 16 anos | 86’ | Sessão comentada por Marcelo Miranda

SINOPSE: Nova versão do filme de 1969, dirigido e escrito por Júlio Bressane.

Bebeto, após discutir com os pais, mata os dois e, em seguida, vai ao cinema, onde assiste impassivelmente a quatro filmes que se intercalam. O primeiro é sobre uma mulher rica, Márcia, entediada com seu casamento, que decide passar uns dias sozinha em sua casa em Petrópolis. Quando sua melhor amiga Renata inesperadamente chega para ficar com ela, eles ficam bêbados e algo trágico acontece. O segundo é sobre um perdedor que chega em casa chateado e bêbado e mata sua família. O terceiro é a respeito de um relacionamento lésbico reprimido trágico. O último é sobre um homem viciado em roubar roupas íntimas femininas.



21h15 MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Navalha na Carne, de Neville D’Almeida (BRA, 1997) | Exibição digital | 16 anos | 105’

SINOPSE: Inspirado na peça de Plínio Marcos. Neusa é uma prostituta cujo cafetão se envolve com uma mulher que a odeia. Humilhada, espancada e tratada como lixo, ela vê sua vida se tornar um inferno. A história gira em torno do encontro de Neusa, seu cafetão e um homossexual, em uma briga por interesses, em que cada um quer que sua vontade prevaleça.

04 TER

16h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Hoje é dia de Rock!, de Neville D’Almeida (BRA, 1999) | Exibição digital | 16 anos | 54’

SINOPSE: O texto de José Vicente marcou profundamente o princípio dos anos

70 do teatro brasileiro. As linguagens do teatro, do documentário e da ficção se juntam e se entrelaçam buscando uma narrativa que valorize todas essas formas de criação e invenção. A paisagem rural brasileira, a decadência dos pequenos agricultores junto com o folclore e as manifestações culturais têm forte presença. A complexidade do texto de Zé Vicente trata de temas como a desestruturação da família e a destruição dos ideais junto com o fim da agricultura familiar. A pobreza, a inquietação existencial, a busca da identidade sexual e a falta de oportunidades sociais levam a um quadro cada vez mais presente na sociedade.


17h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Areias Escaldantes, de Francisco De Paula (BRA, 1985) | Exibição em 35mm| 14 anos | 80’| Sessão comentada pelo diretor Francisco de Paula

SINOPSE: O musical retrata o dia a dia de um grupo de jovens terroristas e suas estranhas ações, tudo em nome de uma misteriosa entidade. Com a participação das bandas Ultraje a Rigor e Titãs e do músico Lobão.

19h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Maksuara – Crepúsculo dos Deuses, de Neville D’Almeida (BRA, 2005) | Exibição em 35mm| 16 anos | 75’

SINOPSE: Para realizar este longa, Neville e o filho, o fotógrafo Tamur Aimara, passaram 10 dias na aldeia Aukre, no sul do Pará, com 700 índios Kayapós, “vivendo com os índios, dormindo onde eles dormem, comendo o que eles comem, bebendo da água deles”. A cultura indígena é abordada tendo em vista os temas da destruição e do extermínio. O índio Maksuara mostra a sabedoria dos que habitam a floresta em harmonia com a natureza, numa relação respeitosa, há pelo menos cinco mil anos.

20h30 MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | A Frente Fria que a Chuva Traz, de Neville D’Almeida (BRA, 2015) | Exibição em DCP | 16 anos | 80’

SINOPSE: Liderados por Alison, um grupo de jovens ricos aluga com frequência uma laje na favela carioca do Vidigal, onde costuma organizar festas regadas a bebida e drogas. O local pertence a Gru, que vive rondando os locatários, ora reclamando dos abusos cometidos, ora simplesmente sonhando em fazer parte daquela realidade. Durante o dia, vários deles permanecem no local, aproveitando a bela vista para se bronzear e outras coisas mais. Uma das frequentadoras é de Amsterdã, jovem pobre que se infiltra nas festas dos ricos para conseguir drogas, mesmo que para tanto precise fazer favores sexuais como pagamento.

05 QUA

17h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Música Para Sempre, de Neville D’Almeida (BRA, 1980) | Exibição em 35mm | 16 anos | 90’

SINOPSE: Festival de Jazz de São Paulo, realizado de 11 a 18 de setembro de 1978, no palco do Palácio das Convenções do Anhembi, reunindo músicos, compositores e intérpretes de várias nacionalidades. Narrado de forma jornalística, traz depoimentos de artistas participantes da mostra, grandes nomes do jazz, do rock, do blues, do samba e de outras tendências da música.

19h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Mangue Bangue, de Neville D’Almeida (BRA, 1971) | Exibição digital | 16 anos | 80’

SINOPSE: O filme aborda a condição humana e o corpo. Sem uma narrativa clara ou roteiro pré-determinado, sem vozes, segue em torno de temas como amor e esforço e prazer e sofrimento.

21h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Jardim de Guerra, de Neville D’Almeida (BRA, 1968) | Exibição 35mm| 18 anos | 100’

SINOPSE: Um jovem amargurado e sem perspectivas se apaixona por uma cineasta e é injustamente acusado de terrorista por uma organização de direita que o prende, interroga e tortura.

06 QUI

17h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | HISTÓRIA PERMANENTE DO CINEMA | Fome de Amor, de Nelson Pereira dos Santos (BRA, 1968) | Exibição em 35mm | 16 anos | 73’ Sessão comentada por Geraldo Veloso

SINOPSE:

19h30 MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | A Dama do Lotação, de Neville D’Almeida (BRA, 1978) | 16 anos | 90’

SINOPSE: Solange e Carlos se conhecem desde a infância e se casam. Na noite de núpcias, Solange resiste ao marido, que, impaciente, acaba estuprando a mulher. Solange fica traumatizada e, apesar de desejar Carlos, não quer mais nada com ele. Para se satisfazer, ela começa a fazer sexo com homens que não conhece, os quais encontra andando de ônibus.

21h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Os Sete Gatinhos, de Neville D’Almeida (BRA, 1980) | Exibição em 35mm| 16 anos | 109’

SINOPSE: O filme e o livro contam a história da família Noronha e, em especial, de Silene. Ela é a caçula das cinco filhas de Aracy e Seu Noronha. Ele, um contínuo da Câmara de Deputados, mora no Grajaú com a mulher e suas filhas Aurora, Hilda, Débora, Arlete e Silene, de apenas 16 anos. A caçula é a mais mimada de todas e, por ser a única “pura”, tem direito a uma boa educação em um colégio interno. Mas logo a vida deles toma um rumo diferente, quando a garota é acusada, no colégio, de matar a pauladas uma gata grávida. A família Noronha parece tão normal quanto qualquer outra, mas, por trás das aparências, esconde segredos inconfessáveis.

07 SEX

16h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Rio Babilônia, de Neville D’Almeida (BRA, 1982) | Exibição em 35mm | 16 anos | 115’ | Sessão comentada por Ataídes Braga

SINOPSE: No Rio de Janeiro das praias e das favelas, das atrações turísticas e da miséria, Marciano é convidado para recepcionar Dr. Liberato, industrial afastado do Brasil há vinte anos, que, de fato, é um traficante internacional de ouro. Vera Moreira é uma jornalista corajosa que tem informações suficientes para levar Liberato à cadeia e, por isso, corre perigo. Marciano acaba se envolvendo nas situações mais bizarras, que vão de megafestas, orgias e ménages a confrontos com a polícia, reuniões com traficantes de drogas e estrelas de cinema, diante de corrupção e até mesmo assassinato.
19h30 MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Navalha na Carne, de Neville D’Almeida (BRA, 1997) | Exibição digital | 16 anos | 105’| Sessão seguida de debate com a presença de Neville d’Almeida e do curador Mario Abbade.

SINOPSE: Inspirado na peça de Plínio Marcos. Neusa é uma prostituta cujo cafetão se envolve com uma mulher que a odeia. Humilhada, espancada e tratada como lixo, ela vê sua vida se tornar um inferno. A história gira em torno do encontro de Neusa, seu cafetão e um homossexual, em uma briga por interesses, em que cada um quer que sua vontade prevaleça.

08 SAB

16h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Matou a Família e Foi ao Cinema, de Neville D’Almeida (BRA, 1991) | Exibição em 35mm | 16 anos | 86’

SINOPSE: Nova versão do filme de 1969, dirigido e escrito por Júlio Bressane.

Bebeto, após discutir com os pais, mata os dois e, em seguida, vai ao cinema, onde assiste impassivelmente a quatro filmes que se intercalam. O primeiro é sobre uma mulher rica, Márcia, entediada com seu casamento, que decide passar uns dias sozinha em sua casa em Petrópolis. Quando sua melhor amiga Renata inesperadamente chega para ficar com ela, eles ficam bêbados e algo trágico acontece. O segundo é sobre um perdedor que chega em casa chateado e bêbado e mata sua família. O terceiro é a respeito de um relacionamento lésbico reprimido trágico. O último é sobre um homem viciado em roubar roupas íntimas femininas.



18h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | A Frente Fria que a Chuva Traz, de Neville D’Almeida (BRA, 2015) | Exibição em DCP | 16 anos | 80’

SINOPSE: Liderados por Alison, um grupo de jovens ricos aluga com frequência uma laje na favela carioca do Vidigal, onde costuma organizar festas regadas a bebida e drogas. O local pertence a Gru, que vive rondando os locatários, ora reclamando dos abusos cometidos, ora simplesmente sonhando em fazer parte daquela realidade. Durante o dia, vários deles permanecem no local, aproveitando a bela vista para se bronzear e outras coisas mais. Uma das frequentadoras é de Amsterdã, jovem pobre que se infiltra nas festas dos ricos para conseguir drogas, mesmo que para tanto precise fazer favores sexuais como pagamento.

20h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Encontro Amazônico, de Neville D’Almeida (BRA, 1989) | Exibição digital | 16 anos | 52’

SINOPSE: Registro documental e imagético do encontro de 65 nações indígenas ocorrido em 1989, na cidade de Altamira no Pará, que se propunha a discutir o impacto ambiental da construção de cinco barragens para geração de energia no Rio Xingu e reivindicar que não fossem construídas. Reuniram-se autoridades brasileiras e organismos internacionais que se dispuseram a ouvir os anfitriões do evento, os índios. Assessorado pelo antropólogo Darrel Posey, o filme traz depoimentos de índios brasileiros, estrangeiros e cientistas.

09 DOM

16h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Maksuara – Crepúsculo dos Deuses, de Neville D’Almeida (BRA, 2005) | Exibição em 35mm| 16 anos | 75’

SINOPSE: Para realizar este longa, Neville e o filho, o fotógrafo Tamur Aimara, passaram 10 dias na aldeia Aukre, no sul do Pará, com 700 índios Kayapós, “vivendo com os índios, dormindo onde eles dormem, comendo o que eles comem, bebendo da água deles”. A cultura indígena é abordada tendo em vista os temas da destruição e do extermínio. O índio Maksuara mostra a sabedoria dos que habitam a floresta em harmonia com a natureza, numa relação respeitosa, há pelo menos cinco mil anos.

18h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Sem Essa, Aranha, de Rogério Sganzerla (BRA, 1970) | Exibição digital | 16 anos| 102’

SINOPSE: Sátira feita pelo cinema marginal do período do chamado milagre econômico, propagandeado pelo governo nos anos da ditadura brasileira. Aranha é um contraventor que enriqueceu ilegalmente com golpes e tramoias. Ele usa seu dinheiro para comprar um casarão no meio da favela, onde vive com suas três mulheres.

20h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Hoje é dia de Rock!, de Neville D’Almeida (BRA, 1999) | Exibição digital | 16 anos | 54’

SINOPSE: O texto de José Vicente marcou profundamente o princípio dos anos

70 do teatro brasileiro. As linguagens do teatro, do documentário e da ficção se juntam e se entrelaçam buscando uma narrativa que valorize todas essas formas de criação e invenção. A paisagem rural brasileira, a decadência dos pequenos agricultores junto com o folclore e as manifestações culturais têm forte presença. A complexidade do texto de Zé Vicente trata de temas como a desestruturação da família e a destruição dos ideais junto com o fim da agricultura familiar. A pobreza, a inquietação existencial, a busca da identidade sexual e a falta de oportunidades sociais levam a um quadro cada vez mais presente na sociedade.



10 SEG

17h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Jardim de Guerra, de Neville D’Almeida (BRA, 1968) | Exibição 35mm| 18 anos | 100’

SINOPSE: Um jovem amargurado e sem perspectivas se apaixona por uma cineasta e é injustamente acusado de terrorista por uma organização de direita que o prende, interroga e tortura.

19h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Noite, de Gilberto Loureiro (BRA, 1985) | Exibição em 35mm| 16 anos | 81’

SINOPSE: Baseado na obra homônima de Érico Veríssimo. Um homem que perdeu a memória é interpelado por um grupo de policiais sobre o bárbaro assassinato de uma mulher elegante, em algum ponto da cidade de Porto Alegre. Sem reconhecer a si mesmo nos documentos que carrega no bolso, ele vaga pelos submundos da cidade em busca de respostas.

21h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Mangue Bangue, de Neville D’Almeida (BRA, 1971) | Exibição digital | 16 anos | 80’

SINOPSE: O filme aborda a condição humana e o corpo. Sem uma narrativa clara ou roteiro pré-determinado, sem vozes, segue em torno de temas como amor e esforço e prazer e sofrimento.

11 TER

17h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Música Para Sempre, de Neville D’Almeida (BRA, 1980) | Exibição em 35mm | 16 anos | 90’

SINOPSE: Festival de Jazz de São Paulo, realizado de 11 a 18 de setembro de 1978, no palco do Palácio das Convenções do Anhembi, reunindo músicos, compositores e intérpretes de várias nacionalidades. Narrado de forma jornalística, traz depoimentos de artistas participantes da mostra, grandes nomes do jazz, do rock, do blues, do samba e de outras tendências da música.

19h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Os Sete Gatinhos, de Neville D’Almeida (BRA, 1980) | Exibição em 35mm| 16 anos | 109’ | Sessão comentada por Luís Felipe Flores

SINOPSE: O filme e o livro contam a história da família Noronha e, em especial, de Silene. Ela é a caçula das cinco filhas de Aracy e Seu Noronha. Ele, um contínuo da Câmara de Deputados, mora no Grajaú com a mulher e suas filhas Aurora, Hilda, Débora, Arlete e Silene, de apenas 16 anos. A caçula é a mais mimada de todas e, por ser a única “pura”, tem direito a uma boa educação em um colégio interno. Mas logo a vida deles toma um rumo diferente, quando a garota é acusada, no colégio, de matar a pauladas uma gata grávida. A família Noronha parece tão normal quanto qualquer outra, mas, por trás das aparências, esconde segredos inconfessáveis.

21h30 MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Matou a Família e Foi ao Cinema, de Neville D’Almeida (BRA, 1991) | Exibição em 35mm | 16 anos | 86’

SINOPSE: Nova versão do filme de 1969, dirigido e escrito por Júlio Bressane.

Bebeto, após discutir com os pais, mata os dois e, em seguida, vai ao cinema, onde assiste impassivelmente a quatro filmes que se intercalam. O primeiro é sobre uma mulher rica, Márcia, entediada com seu casamento, que decide passar uns dias sozinha em sua casa em Petrópolis. Quando sua melhor amiga Renata inesperadamente chega para ficar com ela, eles ficam bêbados e algo trágico acontece. O segundo é sobre um perdedor que chega em casa chateado e bêbado e mata sua família. O terceiro é a respeito de um relacionamento lésbico reprimido trágico. O último é sobre um homem viciado em roubar roupas íntimas femininas.



12 QUA

17h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Navalha na Carne, de Neville D’Almeida (BRA, 1997) | Exibição digital | 16 anos | 105’

SINOPSE: Inspirado na peça de Plínio Marcos. Neusa é uma prostituta cujo cafetão se envolve com uma mulher que a odeia. Humilhada, espancada e tratada como lixo, ela vê sua vida se tornar um inferno. A história gira em torno do encontro de Neusa, seu cafetão e um homossexual, em uma briga por interesses, em que cada um quer que sua vontade prevaleça.

19h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | CURTAS NEVILLE D’ALMEIDA I Exibição digital | 16 anos | 79’

Planeta Gigóia, de Neville de Almeida (BRA, 2012) | Exibição digital | 5’30’’

Boa noite, Cinderela, de Neville de Almeida (BRA, 2010) | Exibição digital | 18’

Verde Moreno, de Neville de Almeida (BRA, 2009) | Exibição digital | 4’ 17’’

Neto Vida Ernesto, de Neville de Almeida (BRA, 2008) | Exibição digital | 7’ 40’’

Acquawater, de Neville de Almeida (BRA, 2008) | Exibição digital | 7’ 40’’

O Diário Secreto de Jane Joy: Receita de Sedução, de Neville de Almeida (BRA, 2007) | Exibição digital | 1’ 30’’

O Diário Secreto de Jane Joy: Calcinha, de Neville de Almeida (BRA, 2007) | Exibição digital | 2’’

A Voz do Provocador – Parte 1 – Os Artísticos, de Neville de Almeida (BRA, 2006) | Exibição digital | 3’ 42’’

A Voz do Provocador – Parte 2 – O Ouro Roubado, de Neville de Almeida (BRA, 2006) | Exibição digital | 6’

O Provocador – Internacionalização da Amazônia, de Neville de Almeida (BRA, 2006) | Exibição digital | 5’ 22’’

A Água, A Mulher e o Regador, de Neville de Almeida (BRA, 2005) | Exibição digital | 6’

Cosmococas, de Neville de Almeida (BRA, 1973) | Exibição digital | 10’

20h30 MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Maksuara – Crepúsculo dos Deuses, de Neville D’Almeida (BRA, 2005) | Exibição em 35mm| 16 anos | 75’

SINOPSE: Para realizar este longa, Neville e o filho, o fotógrafo Tamur Aimara, passaram 10 dias na aldeia Aukre, no sul do Pará, com 700 índios Kayapós, “vivendo com os índios, dormindo onde eles dormem, comendo o que eles comem, bebendo da água deles”. A cultura indígena é abordada tendo em vista os temas da destruição e do extermínio. O índio Maksuara mostra a sabedoria dos que habitam a floresta em harmonia com a natureza, numa relação respeitosa, há pelo menos cinco mil anos.

13 QUI

16h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Hoje é dia de Rock!, de Neville D’Almeida (BRA, 1999) | Exibição digital | 16 anos | 54’

SINOPSE: O texto de José Vicente marcou profundamente o princípio dos anos

70 do teatro brasileiro. As linguagens do teatro, do documentário e da ficção se juntam e se entrelaçam buscando uma narrativa que valorize todas essas formas de criação e invenção. A paisagem rural brasileira, a decadência dos pequenos agricultores junto com o folclore e as manifestações culturais têm forte presença. A complexidade do texto de Zé Vicente trata de temas como a desestruturação da família e a destruição dos ideais junto com o fim da agricultura familiar. A pobreza, a inquietação existencial, a busca da identidade sexual e a falta de oportunidades sociais levam a um quadro cada vez mais presente na sociedade.



17h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | HISTÓRIA PERMANENTE DO CINEMA | O Anjo Nasceu, de Júlio Bressane (BRA, 1969) | 90’ | Sessão comentada por Ataídes Braga

19h30 MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Rio Babilônia, de Neville D’Almeida (BRA, 1982) | Exibição em 35mm | 16 anos | 115’

SINOPSE: No Rio de Janeiro das praias e das favelas, das atrações turísticas e da miséria, Marciano é convidado para recepcionar Dr. Liberato, industrial afastado do Brasil há vinte anos, que, de fato, é um traficante internacional de ouro. Vera Moreira é uma jornalista corajosa que tem informações suficientes para levar Liberato à cadeia e, por isso, corre perigo. Marciano acaba se envolvendo nas situações mais bizarras, que vão de megafestas, orgias e ménages a confrontos com a polícia, reuniões com traficantes de drogas e estrelas de cinema, diante de corrupção e até mesmo assassinato.

21h30 MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Sem Essa, Aranha, de Rogério Sganzerla (BRA, 1970) | Exibição digital | 16 anos| 102’

SINOPSE: Sátira feita pelo cinema marginal do período do chamado milagre econômico, propagandeado pelo governo nos anos da ditadura brasileira. Aranha é um contraventor que enriqueceu ilegalmente com golpes e tramoias. Ele usa seu dinheiro para comprar um casarão no meio da favela, onde vive com suas três mulheres.

14 SEX

15h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Encontro Amazônico, de Neville D’Almeida (BRA, 1989) | Exibição digital | 16 anos | 52’

SINOPSE: Registro documental e imagético do encontro de 65 nações indígenas ocorrido em 1989, na cidade de Altamira no Pará, que se propunha a discutir o impacto ambiental da construção de cinco barragens para geração de energia no Rio Xingu e reivindicar que não fossem construídas. Reuniram-se autoridades brasileiras e organismos internacionais que se dispuseram a ouvir os anfitriões do evento, os índios. Assessorado pelo antropólogo Darrel Posey, o filme traz depoimentos de índios brasileiros, estrangeiros e cientistas.

17h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | A Dama do Lotação, de Neville D’Almeida (BRA, 1978) | 16 anos | 90’

SINOPSE: Solange e Carlos se conhecem desde a infância e se casam. Na noite de núpcias, Solange resiste ao marido, que, impaciente, acaba estuprando a mulher. Solange fica traumatizada e, apesar de desejar Carlos, não quer mais nada com ele. Para se satisfazer, ela começa a fazer sexo com homens que não conhece, os quais encontra andando de ônibus.

19h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Areias Escaldantes, de Francisco De Paula (BRA, 1985) | Exibição em 35mm| 14 anos| 80’| Sessão seguida de debate com o cineasta Francisco de Paula.

SINOPSE: O musical retrata o dia a dia de um grupo de jovens terroristas e suas estranhas ações, tudo em nome de uma misteriosa entidade. Com a participação das bandas Ultraje a Rigor e Titãs e do músico Lobão.

21h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | CURTAS NEVILLE D’ALMEIDA I Exibição digital | 16 anos | 79’

Planeta Gigóia, de Neville de Almeida (BRA, 2012) | Exibição digital | 5’30’’

Boa noite, Cinderela, de Neville de Almeida (BRA, 2010) | Exibição digital | 18’

Verde Moreno, deNeville de Almeida (BRA, 2009) | Exibição digital | 4’ 17’’

Neto Vida Ernesto, de Neville de Almeida (BRA, 2008) | Exibição digital | 7’ 40’’

Acquawater, de Neville de Almeida (BRA, 2008) | Exibição digital | 7’ 40’’

O Diário Secreto de Jane Joy: Receita de Sedução, de Neville de Almeida (BRA, 2007) | Exibição digital | 1’ 30’’

O Diário Secreto de Jane Joy: Calcinha, de Neville de Almeida (BRA, 2007) | Exibição digital | 2’’

A Voz do Provocador – Parte 1 – Os Artísticos, de Neville de Almeida (BRA, 2006) | Exibição digital | 3’ 42’’

A Voz do Provocador – Parte 2 – O Ouro Roubado, de Neville de Almeida (BRA, 2006) | Exibição digital | 6’

O Provocador – Internacionalização da Amazônia, de Neville de Almeida (BRA, 2006) | Exibição digital | 5’ 22’’

A Água, A Mulher e o Regador, de Neville de Almeida (BRA, 2005) | Exibição digital | 6’



Cosmococas, de Neville de Almeida (BRA, 1973) | Exibição digital | 10’

15 SAB

16h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | Noite, de Gilberto Loureiro (BRA, 1985) | Exibição em 35mm| 16 anos | 81’

SINOPSE: Baseado na obra homônima de Érico Veríssimo. Um homem que perdeu a memória é interpelado por um grupo de policiais sobre o bárbaro assassinato de uma mulher elegante, em algum ponto da cidade de Porto Alegre. Sem reconhecer a si mesmo nos documentos que carrega no bolso, ele vaga pelos submundos da cidade em busca de respostas.

18h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | A Frente Fria que a Chuva Traz, de Neville D’Almeida (BRA, 2015) | Exibição em DCP | 16 anos | 80’

SINOPSE: Liderados por Alison, um grupo de jovens ricos aluga com frequência uma laje na favela carioca do Vidigal, onde costuma organizar festas regadas a bebida e drogas. O local pertence a Gru, que vive rondando os locatários, ora reclamando dos abusos cometidos, ora simplesmente sonhando em fazer parte daquela realidade. Durante o dia, vários deles permanecem no local, aproveitando a bela vista para se bronzear e outras coisas mais. Uma das frequentadoras é de Amsterdã, jovem pobre que se infiltra nas festas dos ricos para conseguir drogas, mesmo que para tanto precise fazer favores sexuais como pagamento.

20h MOSTRA NEVILLE D’ALMEIDA | O Bandido da Luz Vermelha, de Rogério Sganzerla (BRA, 1968) | Exibição em 35mm| 16 anos | 92’

SINOPSE: Livremente inspirado em fatos. Um assaltante misterioso (Paulo Villaça) usa técnicas extravagantes para roubar casas luxuosas de São Paulo. Ele é apelidado pela imprensa de Bandido da Luz Vermelha, já que leva sempre uma lanterna vermelha e conversa longamente com suas vítimas. No entanto, seus roubos e crimes chamam tanta atenção que um implacável policial começa a perseguir o Bandido da Luz Vermelha.


©bemvin.org 2016
enviar mensagem

    Página principal