Manual de Primeiros Socorros 2003 Ministério da Saúde



Baixar 8.99 Mb.
Pdf preview
Página10/21
Encontro08.04.2020
Tamanho8.99 Mb.
1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   ...   21
assim como de oxigênio, pode haver o desenvolvimento rápido de
inconsciência e lesão cerebral permanente, se o nível sanguíneo de açúcar
permanecer baixo.
O açúcar baixo no sangue (hipoglicemia) está associado aos seguintes
sinais e sintomas:
1. Respiração normal.
2. Pele pálida e úmida.
3. Confusão; cefaléia; raciocínio prejudicado; riso despropositado;
resistência ao auxílio.
4. Pulso rápido e cheio.
5. Pressão arterial normal.
6. Desmaio; convulsões e coma.
7. Óbito.
Identificação  e  Primeiros  Socorros
Se um paciente diabético se tornar um caso de emergência, pode
ser difícil para uma pessoa inexperiente, mesmo sabendo que o paciente é
diabético, fazer a diferenciação entre os sinais do pré-coma diabético ou
hiperglicêmica e do pré-coma hipoglicêmico.
Capítulo II Emergências Clínicas

96
Manual
 
de Primeiros
 Socorros
Nos casos de desequilíbrio de açúcar, se a vítima ainda não tiver
alcançado a fase de coma, ela pode sentir-se doente ou estar apenas
semiconsciente; porém quase sempre pode informar a quem a está
socorrendo a causa exata de sua doença. No tratamento de um paciente
diabético, deve-se fazer as seguintes perguntas a ele ou a sua família:
Alimentou-se hoje?
Tomou insulina hoje?
Se o paciente se alimentou e não tomou insulina, provavelmente
está evoluindo para coma diabético; se tomou insulina e não se alimentou,
provavelmente está evoluindo para coma hipoglicêmico.
Se o paciente estiver inconsciente, pode-se fazer o diagnóstico de
coma diabético ou de coma hipoglicêmico, baseando-se nos sinais e
sintomas acima. É muito difícil o diagnóstico diferencial A diferença primária
visível será a respiração do paciente, respirações suspirosas profundas no
coma diabético e respirações normais no coma hipoglicêmico. Um paciente
diabético inconsciente e com convulsões provavelmente estará em coma
hipoglicêmica.
O tratamento destas condições inclui os seguintes itens:
1. O paciente em coma diabético ou hiperglicêmico (muito açúcar
no sangue) necessita de insulina e, talvez, de outros medicamentos.
Transportá-lo imediatamente para o hospital, para cuidados médicos
apropriados.
2. O paciente em coma hipoglicêmico (nível sanguíneo de açúcar
baixo) necessita de açúcar. A administração de qualquer solução glicosada
pode reverter imediatamente o coma hipoglicêmico.
3. Deve-se procurar qualquer identificação de emergência do
paciente, que pode ser encontrada sob a forma de cartão, colar ou pulseira.
Este cartão informará se o paciente possui um problema médico e,
possivelmente, poupará tempo em se pesquisar um diagnóstico.
Hipertermia
A hipertermia é a elevação anormal da temperatura do corpo,
caracterizada pela presença de altas cifras termométricas, geralmente
maiores que 40
o
C.
A hipertermia pode ocorrer devido à presença de infecção no
organismo ou de alguma outra doença. Ela resulta da incapacidade do
mecanismo regulador de temperatura do hipotálamo em controlar as
diferenças entre ganho e perda de calor, e da dissipação inadequada do
calor pelo corpo.
Uma lesão cerebral, por exemplo, pode danificar os centros térmicos
localizados no hipotálamo; tumores, infecções, acidente vascular ou
traumatismo craniano podem também afetar o hipotálamo ou as vias

97
descendentes e assim, provocar distúrbios nos mecanismos de regulação
e dissipação de calor.
Além das causas crônicas ou agudas que podem determinar a
excessiva febre de uma vítima, algumas síndromes levam a hipertermia:
· restrição à perda de calor;
· presença prolongada em ambientes excessivamente quentes e
úmidos;
· desidratação em crianças;
· doenças generalizadas da pele;
· doenças infecciosas,
· doenças parasitárias;
· viroses;
· lesões teciduais e
· neoplasias.
Primeiros Socorros
Os primeiros socorros recomendados após a constatação exata de
hipertermia, com a vítima geralmente prostrada, são: envolvê-la com panos
ou toalhas úmidas e frias e banho de imersão à temperatura ambiente.
Toalhas frias (com gelo) na região da fronte.
Em caso de convulsão e delírio não se deve dar banho na vítima. A
remoção para atendimento hospitalar deverá ser urgente.
Insolação
É causada pela ação direta e prolongada dos raios de sol sobre o
indivíduo. É uma emergência médica caracterizada pela perda súbita de
consciência e falência dos mecanismos reguladores da temperatura do
organismo. Este tipo de incidente afeta geralmente as pessoas que
trabalham com exposição excessiva a ambientes muito quentes ou que
sofrem exposição demorada e direta aos raios solares.
Pode ocorrer também sem a perda da consciência e afetar pessoas
susceptíveis, mesmo que não estejam expostas a condições de calor
excessivo. Os fatores predisponentes para estes casos são as doenças
cardiovasculares, alcoolismo, sedativo e drogas anticolinérgicas.
Nos casos muito graves de insolação pode haver lesões generalizadas
nos tecidos do organismo, principalmente nos tecidos nervosos; morbidade
e morte podem ocorrer como resultado de destruição das funções renal,
hepática, cardiovascular e cerebral.
Capítulo II Emergências Clínicas

98
Manual
 
de Primeiros
 Socorros
Sintomas
1.Surgem lentamente:
· Cefaléia (dor de cabeça)
· Tonteira
· Náusea
· Pele quente e seca (não há suor)
· Pulso rápido
· Temperatura elevada
· Distúrbios visuais
· Confusão
2. Surgem bruscamente:
· Respiração rápida e difícil
· Palidez (às vezes desmaio)
· Temperatura do corpo elevada
· Extremidades arroxeadas
Eventualmente pode ocorrer coma. A ocorrência de hiperventilação
causa alcalose respiratória inicial.
Primeiros Socorros
· O objetivo inicial é baixar a temperatura corporal, lenta e
gradativamente.
· Remover o acidentado para um local fresco, à sombra e ventilado.
· Remover o máximo de peças de roupa do acidentado.
· Se estiver consciente, deverá ser mantido em repouso e recostado
(cabeça elevada).
· Pode-se oferecer bastante água fria ou gelada ou qualquer líquido
não alcoólico para ser bebido.
· Se possível deve-se borrifar água fria em todo o corpo do
acidentado, delicadamente.
· Podem ser aplicadas compressas de água fria na testa, pescoço,
axilas e virilhas. Tão logo seja possível, o acidentado deverá ser imerso em
banho frio ou envolto em panos ou roupas encharcadas.
Atenção especial deverá ser dada à observação dos sinais vitais. Se
ocorrer parada respiratória, deve-se proceder à respiração artificial,
associada à massagem cardíaca externa, caso necessário.

99
Baixar gradativamente a temperatura do corpo do
acidentado de golpe de calor é o objetivo inicial do
primeiro socorro, e tem demonstrado ser uma medida
extremamente eficaz. O acidentado poderá ser removido
para sala com ar condicionado frio, ou colocada sob o
fluxo de um ventilador.Vítimas de insolação não devem
voltar ao ambiente da ocorrência imediatamente após a
recuperação, pois ainda demonstrarão sensibilidade a alta
temperatura.
Exaustão pelo Calor
A exaustão pelo calor é outro tipo de reação sistêmica à prolongada
exposição do organismo a temperaturas elevadas, que ocorre devido à
eliminação de sódio, desidratação ou combinação de ambas.
O trabalhador que exerce a sua atividade em ambientes cuja
temperatura é alta, está sujeito a uma série de alterações em seu organismo,
com graves conseqüências à sua saúde. Estes ambientes geralmente são
locais onde existem fornos, autoclaves, forjas, caldeiras, fundições, etc.
Sinais e Sintomas
Quando a origem dos sintomas for devida predominantemente à
perda de água, o acidentado reclama de sede intensa, fraqueza e acentuados
sintomas nervosos, que podem incluir falta de coordenação muscular,
distúrbios psicológicos, hipertermia, delírio e coma. Se a falência circulatória
sobrevier, a situação pode progredir rapidamente para golpe de calor.
O acidente pode ocorrer devido à depleção de sódio em pessoas
não aclimatadas a altas temperaturas, que irão apresentar sintomas
sistêmicos de exaustão pelo calor. Esta situação ocorre quando a sudorese
térmica é resposta por ingestão adequada de água, mas não de sal. O
acidentado geralmente reclama de câimbra muscular, associada à fraqueza,
cansaço, náusea, vômito, calafrios, respiração superficial e irregular. O
acidentado não demonstra estar sedenta. Pode se observar palidez,
taquicardia e hipotensão.
Primeiros Socorros
· Remover o acidentado para um local fresco e ventilado, longe da
fonte de calor.
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
Capítulo II Emergências Clínicas

100
Manual
 
de Primeiros
 Socorros
· Deve ser colocado em repouso, recostado.
· Afrouxar as roupas do acidentado.
· Oferecer líquido em pequenas quantidades, repetidas vezes, se
possível com uma pitada de sal. Se o acidentado não conseguir não
conseguir tomar líquidos oralmente, não insistir para não piorar suas
condições.
· Providenciar para que o acidentado, neste caso, tenha atendimento
especializado, pois a ele terá de ser administrado solução salina fisiológica
ou glicose isotônica, por via intravenosa.
· Observar os sinais vitais para a necessidade de ressuscitação cárdio-
respiratória, e remoção para atendimento especializado, se os primeiros
socorros não melhorarem o estado geral do acidentado.
Cãibras   de   Calor
As cãibras de calor ocorrem principalmente devido à diminuição de
sal do organismo.
Sinais e Sintomas
Vítimas de cãibras apresentam contrações musculares involuntárias,
fortes e muito dolorosas. Ocorrem nos músculos do abdômen e nas
extremidades.
A pele fica úmida e fria. Nestes casos, a temperatura do corpo estará
normal ou ligeiramente baixa. Há hemoconcentração e baixo nível de sódio
no organismo.
Primeiros Socorros
· A vítima de cãibras deve ser colocada em repouso,
confortavelmente em local fresco e arejado.
· Pode-se tentar massagear suavemente os músculos atingidos para
promover alívio localizado.
· Pode-se dar à vítima água com uma pitada de sal, que muitas
vezes faz o acidentado melhorar quase que imediatamente.
· Pode-se oferecer alimento salgado.
Dependendo da gravidade do ataque, a vítima precisará ser mantida
em repouso por vários dias.
Diarréia
A diarréia é um aumento na freqüência, fluidez e volume das fezes.

101
O funcionamento normal dos intestinos varia de pessoa para pessoa. A
própria definição precisa de diarréia deverá levar em conta este dado.
Diversas causas podem provocar diarréia, entre uma quase infinidade
de exemplos:
· Desordens psicogênicas ou diarréia "nervosa".
· Infecções intestinais bacterianas, viróticas ou parasitárias de
diversas origens.
· Fatores intestinais como envenenamento por metal pesado, terapia
antibiótica, fístula gastrocólica e carcinoma do intestino.
· Efeitos adversos de medicamentos.
· Doença pancreática (diarréia gordurosa).
· Atresia biliar.
· Reflexos de outras vísceras.
· Doença neurológica.
· Hipertireoidismo ou tumores gastrointestinais, benignos ou
malignos, que produzem substâncias causadoras de diarréia.
· Deficiência nutricional.
· Alergia alimentar.
· Fatores dietéticos. O exagero na ingestão de fibras pode ocasionar
diarréia transitória.
· Ingestão excessiva de laxativo.
Além da diarréia propriamente dita, é comum o desconforto ab-
dominal, cólica, plenitude (sensação de estufamento), excesso de flatos
(gases), mal estar generalizado, náuseas e vômitos.
Primeiros Socorros
Em caso de diarréia existe o risco de desidratação, principalmente
em pessoas debilitadas por outras doenças, em idosos e em crianças. Para
controlar a situação até o recebimento de socorro médico especializado,
deve-se acalmar a vítima, mantê-la em repouso confortavelmente e,
sempre que possível, iniciar imediatamente a hidratação oral com soro
caseiro, dando à vítima três colheres de sopa a cada 15 minutos.
Receita   para  o  soro  caseiro:
· 1 copo de 250 ml de água fervida ou filtrada
· 1 colher de sopa de açúcar
· 1 colher de chá de sal de cozinha.
Capítulo II Emergências Clínicas

102
Manual
 
de Primeiros
 Socorros
Choque    Elétrico
Introdução
São abalos musculares causados pela passagem de corrente elétrica
pelo corpo humano.
As alterações provocadas no organismo humano pela corrente
elétrica dependem principalmente de sua intensidade, isto é, da
amperagem.
A patologia das alterações provocadas pode ser esquematizada em
três tipos de fenômenos: eletroquímico, térmico e fisiopatológico. Esses
efeitos variam, porém, conforme a sua freqüência, a intensidade medida
em amperes, a tensão medida em volts, a duração da sua passagem pelo
corpo, o seu percurso através do mesmo e das condições em que se
encontrava a vítima.
Como a maior parte da resistência elétrica se encontra no ponto em
que a pele entra em contato com o condutor, as queimaduras elétricas
geralmente afetam a pele e os tecidos subjacentes. A necrose progressiva
e a formação de escaras geralmente são maiores do que a lesão inicial
poderia sugerir.
Se a corrente for intensa, determinará a morte pela paralisia do centro
nervoso central (bulbo) que regem os movimentos respiratórios e cardíacos.
Em outros casos, a morte se dá por fibrilação cardíaca (ventricular).
Em condições habituais correntes de 100 a 150 Volts já são perigosas
e acima de 500 Volts são mortais.
A intensidade da corrente é o fator mais importante a ser considerado
nos acidentes com eletricidade. Corrente com 25 mA determinam espasmos
musculares, podendo levar à morte se atuar por alguns minutos, por
paralisia da musculatura respiratória. Entre 25 mA e 75 mA, além do
espasmo muscular, dá-se a parada do coração em diástole (fase de
relaxamento) ventricular. Se o tempo de contato for curto, o coração
poderá sobreviver a fibrilação ventricular.
Cada segundo de contato com a eletricidade diminui a possibilidade
de sobrevivência da vítima.
   Os acidentes com eletricidade também oferecem perigo
à pessoa que vai socorrer a vítima.
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

103
Causas  Principais
Nos ambientes de trabalho encontramos este acidente quando há:
· Falta de segurança nas instalações e equipamentos, como: fios
descascados, falta de aterramento elétrico, parte elétrica de um motor
que, por defeito, está em contato com sua carcaça, etc.
· Imprudência
· Indisciplina
· Ignorância
· Acidentes, etc.
Observação:
Corrente alternada - tetanização com tempo de exposição
Corrente contínua - contração muscular brusca com projeção da
vítima, podendo ocorrer traumatismo grave.
Sintomas
Efeitos Gerais:
· Mal estar geral
· Sensação de angústia
· Náusea
· Cãibras musculares de extremidades
· Parestesias (dormência, formigamento)
· Ardência ou insensibilidade da pele
· Escotomas cintilantes (visão de pontos luminosos)
· Cefaléia
· Vertigem
· Arritmias (ritmo irregular) cardíacas (alteração do ritmo cardíaco)
· Falta de ar (dispnéia).
Principais Complicações
· Parada cardíaca
· Parada respiratória
· Queimaduras
· Traumatismo (de crânio, ruptura de órgãos internos, etc.)
· Óbito.
Capítulo II Emergências Clínicas

104
Manual
 
de Primeiros
 Socorros
Primeiros  Socorros
· Antes de socorrer a vítima, cortar a corrente elétrica, desligando a
chave geral de força, retirando os fusíveis da instalação ou puxando o fio
da tomada (desde que esteja encapado).
· Se o item anterior não for possível, tentar afastar a vítima da fonte
de energia utilizando luvas de borracha grossa ou materiais isolantes, e
que estejam secos (cabo de vassoura, tapete de borracha, jornal dobrado,
pano grosso dobrado, corda, etc.), afastando a vítima do fio ou aparelho
elétrico (Figura 28).
Figura 28 - Procedimento para afastar a vítima da corrente
o
ã
ç
a
r
o
C
o
a
t
p
e
c
r
e
t
n
I
e
u
q
e
t
n
e
r
r
o
C
e
d
m
e
g
a
t
n
e
c
r
e
P
o
ã
ç
a
r
o
C
o
a
t
p
e
c
r
e
t
n
I
e
u
q
e
t
n
e
r
r
o
C
e
d
m
e
g
a
t
n
e
c
r
e
P
o
ã
ç
a
r
o
C
o
a
t
p
e
c
r
e
t
n
I
e
u
q
e
t
n
e
r
r
o
C
e
d
m
e
g
a
t
n
e
c
r
e
P
o
ã
ç
a
r
o
C
o
a
t
p
e
c
r
e
t
n
I
e
u
q
e
t
n
e
r
r
o
C
e
d
m
e
g
a
t
n
e
c
r
e
P
o
ã
ç
a
r
o
C
o
a
t
p
e
c
r
e
t
n
I
e
u
q
e
t
n
e
r
r
o
C
e
d
m
e
g
a
t
n
e
c
r
e
P
é
P
/
a
ç
e
b
a
C
%
7
,
9
é
P
/
o
ç
a
r
B
%
9
,
7
o
ç
a
r
B
/
o
ç
a
r
B
%
9
,
2
o
ç
a
r
B
/
a
ç
e
b
a
C
%
8
,
1
é
P
/
é
P
%
0
-
o
b
l
u
b
(
a
ç
e
b
a
c
a
l
e
p
a
c
ir
t
é
l
e
e
t
n
e
r
r
o
c
e
d
m
e
g
a
s
s
a
p
A
-
)
*
(
-
o
b
l
u
b
(
a
ç
e
b
a
c
a
l
e
p
a
c
ir
t
é
l
e
e
t
n
e
r
r
o
c
e
d
m
e
g
a
s
s
a
p
A
-
)
*
(
-
o
b
l
u
b
(
a
ç
e
b
a
c
a
l
e
p
a
c
ir
t
é
l
e
e
t
n
e
r
r
o
c
e
d
m
e
g
a
s
s
a
p
A
-
)
*
(
-
o
b
l
u
b
(
a
ç
e
b
a
c
a
l
e
p
a
c
ir
t
é
l
e
e
t
n
e
r
r
o
c
e
d
m
e
g
a
s
s
a
p
A
-
)
*
(
-
o
b
l
u
b
(
a
ç
e
b
a
c
a
l
e
p
a
c
ir
t
é
l
e
e
t
n
e
r
r
o
c
e
d
m
e
g
a
s
s
a
p
A
-
)
*
(
a
ir
ó
t
a
ri
p
s
e
r
-
o
i
d
r
a
c
a
d
a
r
a
p
r
a
t
e
r
r
a
c
a
e
d
o
p
)
o
n
a
i
u
q
a
r

105
· Não tocar na vítima até que ela esteja separada da corrente elétrica
ou que esta seja interrompida.
· Se o choque for leve seguir os itens do capítulo "Estado de Choque".
· Em caso de parada cardío-respiratória iniciar imediatamente as
manobras de ressuscitação.
· Insistir nas manobras de ressuscitação, mesmo que a vítima não
esteja se recuperando, até a chegada do atendimento especializado.
· Depois de obtida a ressuscitação cardío-respiratória, deve ser feito
um exame geral da vítima para localizar possíveis queimaduras, fraturas
ou lesões que possam ter ocorrido no caso de queda durante o acidente.
· Deve-se atender primeiro a hemorragias, fraturas e queimaduras,
nesta ordem, segundo os capítulos específicos.
Desmaio
Definição
É a perda súbita, temporária e repentina da consciência, devido à
diminuição de sangue e oxigênio no cérebro.
Principais Causas
· Hipoglicemia
· Cansaço excessivo
· Fome
· Nervosismo intenso
· Emoções súbitas
· Susto
· Acidentes, principalmente os que envolvem perda sangüínea
· Dor intensa
· Prolongada permanência em pé
· Mudança súbita de posição (de deitado para em pé)
· Ambientes fechados e quentes
· Disritmias cardíacas (bradicardia)
Sintomas
· Fraqueza
· Suor frio abundante
· Náusea ou ânsia de vômito
· Palidez intensa
· Pulso fraco
Capítulo II Emergências Clínicas

106
Manual
 
de Primeiros
 Socorros
· Pressão arterial baixa
· Respiração lenta
· Extremidades frias
· Tontura
· Escurecimento da visão
· Devido à perda da consciência, o acidentado cai.
Primeiros Socorros
A. Se a pessoa apenas começou a desfalecer (Figura 29):

Baixar 8.99 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   ...   21




©bemvin.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Prefeitura municipal
santa catarina
Universidade federal
prefeitura municipal
pregão presencial
universidade federal
outras providências
processo seletivo
catarina prefeitura
minas gerais
secretaria municipal
CÂmara municipal
ensino fundamental
ensino médio
concurso público
catarina município
Dispõe sobre
Serviço público
reunião ordinária
câmara municipal
público federal
Processo seletivo
processo licitatório
educaçÃo universidade
seletivo simplificado
Secretaria municipal
sessão ordinária
ensino superior
Relatório técnico
Universidade estadual
Conselho municipal
técnico científico
direitos humanos
científico período
pregão eletrônico
espírito santo
Curriculum vitae
Sequência didática
Quarta feira
conselho municipal
prefeito municipal
distrito federal
nossa senhora
língua portuguesa
educaçÃo secretaria
Pregão presencial
segunda feira
recursos humanos
Terça feira
educaçÃO ciência
agricultura familiar